Bolsonaro ignora caso João Alberto e rechaça luta antirracista: “seu lugar é no lixo”

"Daltônico", presidente diz que não há racismo, mas "homens bons ou homens maus", e trata a luta antirracista como instrumento de políticos que querem dividir o País

Jornal GGN – Na noite de sexta (20), depois que ativistas e manifestantes negros atearam fogo e realizaram protestos em algumas unidades da rede Carrefour pelo País, o presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota no Facebook afirmando-se “daltônico” para a questão racial e rechaçando a luta do povo negro, porque ela é capaz, em suas palavras, de dividir o País.

Bolsonaro não citou o caso de João Alberto em Porto Alegre, espancado e asfixiado até a morte por seguranças do Carrefour, mas disse que não existe racismo no Brasil, somente “homens bons ou homens maus”.

O presidente também tratou a luta antirracista como um instrumento de políticos que querem dividir o País e disse que pessoas que lutam pela igualdade racial levam “discórdia” ao povo e, por isso, merecem o lixo.

Confira, abaixo, a nota na íntegra:

– O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações. Somos um povo miscigenado. Brancos, negros, pardos e índios compõem o corpo e o espírito de um povo rico e maravilhoso. Em uma única família brasileira podemos contemplar uma diversidade maior do que países inteiros.
– Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la, e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre classes, sempre mascarados de “luta por igualdade” ou “justiça social”, tudo em busca de poder.
– Estamos longe de ser perfeitos. Temos, sim, os nossos problemas, problemas esses muito mais complexos e que vão além de questões raciais. O grande mal do país continua sendo a corrupção moral, política e econômica. Os que negam este fato ajudam a perpetuá-lo.
– Não adianta dividir o sofrimento do povo brasileiro em grupos. Problemas como o da violência são vivenciados por todos, de todas as formas, seja um pai ou uma mãe que perde o filho, seja um caso de violência doméstica, seja um morador de uma área dominada pelo crime organizado.
– Existem diversos interesses para que se criem tensões entre nosso próprio povo. Um povo unido é um povo soberano, um povo dividido é um povo vulnerável. Um povo vulnerável é mais fácil de ser controlado. E há quem se beneficie politicamente com a perda de nossa soberania.
– Não nos deixemos ser manipulados por grupos políticos. Como homem e como Presidente, sou daltônico: todos têm a mesma cor. Não existe uma cor de pele melhor do que as outras. Existem homens bons e homens maus. São nossas escolhas e valores que fazem a diferença.
– Aqueles que instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos, atentam não somente contra a nação, mas contra nossa própria história. Quem prega isso, está no lugar errado. Seu lugar é no lixo!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Brasil: em São Paulo dados são menos dramáticos do que pareciam

5 comentários

  1. Bolsonaro segue sendo Bolsonaro. É ilusão, auto engano, esperar que ele seja diferente disso. Ele é o que sempre foi e continuará sendo até o fim.
    Tudo como dantes, no quartel d`Abrantes.

  2. Enquanto pessoas sem noção da realidade continuarem a tentar impor a ignorantes e estúpida negação de que o racismo está em pleno recrudescimento no país, também estarão incentivando e dando os músculos necessários para que o ódio e a barbárie se acomode cada vez mais na sociedade banalizando crimes hediondos como mais este acontecido exatamente na data em que se comemora o Dia da Consciência Negra, no Brasil. Avalio que enquanto pessoas menores usarem da sua ignorância medieval, para insistir em subestimar nossa Inteligência por se julgarem formadoras de opinião, sem possuir credenciamento ou credibilidade para ser respeitadas ou levadas a sério sobre este assunto, o racismo irá se multiplicando em nossa sociedade de forma criminosa e hedionda, por conta e culpa de uma elite preconceituosa e escravagista.

  3. De lixo, o sujeito entende bem, assim como de ideias, lutas e outras de suas barcas furadas. Não tarda seu retorno à lata de lixo da história, mas algum chorume há de deixar.

  4. Peraí, #elenão disse logo após assumir que não era “presidente deles” (dos nordestinos)? #elenão diz o tempo todo que tem que acabar com um monte de gente que não pensa como ele pensa? Como assim “políticos querem dividir o país”? O POLÍTICO QUE QUER DIVIDIR O PAÍS É ELE MESMO

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome