Bolsonaro totaliza 33 vídeos excluídos por fake news

YouTube puniu presidente por disseminar defesa da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19 e informações falsas sobre vacinas

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro registra 33 vídeos excluídos do YouTube por conta de notícias falsas sobre a pandemia de covid-19 apenas ao longo deste ano.

Reportagem do portal Metropoles ressalta que, ao todo, Bolsonaro já teve 34 vídeos vetados, e apenas um deles não foi por propagar conteúdo falso. Não foram registradas punições a um mandatário federal até então.

Dentre os vídeos apagados, estão uma entrevista da médica Nise Yamaguchi à CNN onde defende o uso da hidroxicloroquina no tratamento contra a covid-19. Embora o vídeo da entrevista tenha sido postado em abril do ano passado, a exclusão levou mais de um ano para ocorrer.

Com R$ 10 você contribui com o jornalismo independente do GGN. Clique aqui e saiba mais

Já a última live do presidente, realizada em 21 de outubro, foi deletada na última segunda-feira (25/10). Na ocasião, Bolsonaro relacionou as vacinas contra a covid-19 ao desenvolvimento de Aids, pronunciamento que foi rejeitado por entidades médicas e científicas.

O vídeo não só foi retirado do YouTube, como do Instagram, do Facebook e do canal de um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro – que tinha republicado a gravação na sexta-feira.

Leia Também

As duas visões do TSE sobre conteúdo impulsionado

ABJD defende que Bolsonaro precisa ser interpelado sobre compra de vaga no Supremo

Fake news de apoiadores em 2022 preocupa advogada de Jair Bolsonaro

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador