Celso de Mello avisa a Bolsonaro que desobedecer ao STF é crime

"Contestar decisões judiciais por meio de recursos, sim; desrespeitá-las por ato de puro arbítrio ou de expedientes marginais, jamais", avisou o ministro

Jornal GGN – No despacho em que arquivou pedidos de partidos políticos para apreender o celular de Jair Bolsonaro, o ministro Celso de Mello mandou um recado para o presidente da República. O decano avisou que desobedecer ordens do Judiciário é crime.

No caso, o ministro fez referência à declaração de Bolsonaro, que afirmou que não entregaria o seu aparelho celular no âmbito do inquérito que apura a interferência na Polícia Federal, mesmo que a determinação viesse da Suprema Corte. À imprensa, ele ainda declarou que “ordens absurdas” devem ser desrespeitadas.

“Tal insólita ameaça de desrespeito a eventual ordem judicial emanada de autoridade judiciária competente, de todo inadmissível na perspectiva do princípio constitucional da separação de poderes, se efetivamente cumprida, configuraria gravíssimo comportamento transgressor, por parte do Presidente da República, da autoridade e da supremacia da Constituição Federal”, escreveu o ministro.

“Contestar decisões judiciais por meio de recursos ou de instrumentos processuais idôneos, sim; desrespeitá-las por ato de puro arbítrio ou de expedientes marginais, jamais, sob pena de frontal vulneração ao princípio fundamental que consagra, no plano constitucional, o dogma da separação de poderes”, advertiu.

O simples pedido para que a Procuradoria-Geral da República avaliasse se a apreensão do celular é necessária nessa fase das investigações enfureceu bolsonaristas. Além do desacatado de Bolsonaro, o general Augusto Heleno publicou uma nota dizendo que eventual diligência abriria uma crise “imprevisível”.

O ministro do STF, relator do inquérito da interferência de Bolsonaro na PF, encaminhou os pedidos de diligências para a Procuradoria-Geral da República, que pediu o arquivamento. Leia mais aqui.

Leia também:

General Heleno faz ameaça velada ao STF após pedido de apreensão do celular de Bolsonaro

>>> O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE O PASSADO DE SERGIO MORO. SAIBA COMO AJUDAR AQUI. <<<

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro anuncia que testou positivo para coronavírus

4 comentários

  1. Os dois tiveram valentia de lançadores de bumerangues e caíram de gaiatos…
    nenhuma ordem do STF para entrega do celular, ou nenhum obstáculo para colidir, o bumerangue voltou com um recado certeiro por demais “se cuida, porque decisão do STF é para ser levada a sério”

  2. O Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista não se aguenta. O Espirito de Porco, quero dizer de Corpo, de Feudos e Castas Nepotistas dentro do Poder Público e Político, se remoem enquanto veem sua farsa desmoronando. STF virou o Mandatário da Nação? Mas este mesmo STF que se acovardou diante da negativa de Renan Calheiros?!! Coronelato Parceiro destes 90 anos fascistas !!! ‘Não vamos melindrar os parceiros, não é mesmo’?!! Os tais Poderes não são Independentes? Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação. PABLO FORLAN

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome