Com a tensão ocasionada pelo bolsonarismo, órgãos internacionais já acompanham eleição no Brasil

OEA, ONU e Comissão Interamericana de Direitos Humanos já estão marcando reuniões para monitorar cenário brasileiro

Carolina Antunes/PR

Diante da escalada dos ataques de Jair Bolsonaro (sem partido) contra o judiciário, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o escritório regional do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos já se movem para monitorar o processo eleitoral brasileiro previsto para outubro. 

Na última quinta-feira (26), o tema da campanha já foi alvo de uma reunião fechada entre grupos de ativistas brasileiros e a presidência da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, informou a coluna de Jamil Chade, no Uol.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Durante o encontro, as entidades pediram que o órgão regional garantisse que seus representantes estivessem na delegação de observadores que a OEA pretende enviar para monitorar as violações de direitos humanos que ocorram durante as eleições.

Nesta quinta-feira (26), o tema da campanha já foi alvo de uma reunião fechada entre grupos de ativistas brasileiros e a presidência da Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Na reunião foi selado o compromisso assumido pela Comissão Interamericana de realizar uma reunião a cada dois meses sobre o cenário brasileiro. A presidente do órgão, Julissa Mantilla Falcón, também afirmou que já está em diálogo com a OEA e com o Alto Comissariado da ONU para realização de observação das eleições brasileiras pelos órgãos internacionais.

Leia também:

56% afirmam que é preciso levar a sério e enfrentar os ataques golpistas de Bolsonaro, aponta Datafolha

Bolsonaro mira em eleitor de Lula: católicos, mulheres e jovens

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador