Guedes se “esquece” da corrupção na ditadura militar

Ministro da Economia mostra desconhecer história ao afirmar que militares deixaram “legado” e que não houve corrupção

Jornal GGN – O ministro Paulo Guedes (Economia) resolveu lembrar os tempos em que trabalhou para a ditadura Pinochet no Chile para exaltar os militares brasileiros, mostrando claro desconhecimento da história do país.

Em artigo publicado no jornal Correio Braziliense, a jornalista Rosana Hessel afirma que o ministro usou uma frase fora de contexto para elogiar o “legado” deixado pelos militares, e que não houve corrupção na ditadura brasileira.

“Desde a campanha eleitoral nós dizemos isso. Tanto o governo militar quanto a nossa social democracia, em 40 anos de governo usaram as estatais. Os militares deixaram o legado de infraestrutura e sem corrupção. Só que elas cumpriram a missão”, afirmou o ministro.

Guedes parece ter se esquecido da censura praticada durante o período militar no Brasil, dos casos de torturas e prisões de opositores e da enorme dívida externa deixada pela ditadura, que abriu a porta para diversos calotes, crises e inflação.

Campanha eleitoral já começou

O tom de campanha eleitoral ficou ainda mais claro com as críticas de Guedes ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que não só lidera as pesquisas eleitorais como é um crítico da atual política de preços mantida pela Petrobras.

“É importante privatizar a Petrobras. O mundo inteiro está indo em direção ao verde. O futuro é verde e não é a mão suja de graxa”, afirmou Guedes, em referência à foto do ex-presidente na extração do primeiro petróleo do pré-sal.

Leia Também

Pesquisa: 65,3% dos brasileiros rejeitam o governo Bolsonaro

Guedes defende offshore e nega conflito de interesses

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador