Irmão de Bolsonaro intermedia liberação de verbas federais para cidades paulistas

Mesmo sem cargo público, Renato Bolsonaro liberou ao menos R$ 110 milhões para prefeituras no Vale do Ribeira e do litoral de São Paulo

Renato Bolsonaro, comerciante, intermediou pelo menos R$ 110 milhões em verbas junto ao governo do irmão, Jair Bolsonaro

Jornal GGN – Mesmo sem cargo público, o irmão do presidente Jair Bolsonaro, o comerciante Renato Bolsonaro, tem feito a intermediação de demandas de prefeitos paulistas que querem verbas federais para obras e investimentos.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, o irmão do presidente participou da liberação de verbas para pelo menos quatro cidades do litoral e do Vale do Ribeira, região de origem do clã Bolsonaro.

Ao todo, foram mais de R$ 110 milhões em repasses para a construção de pontes, recapeamento e investimento em centros de cultura e esportes nas cidades de São Vicente, Itaoca, Pariquera-Açu e Eldorado.

Renato também participa de solenidades para o anúncio de obras, assina como testemunha de contratos que liberam verbas federais, discursa e recebe agradecimentos de prefeitos pela intermediação junto ao governo federal comandado pelo irmão. Ele nega ser pago por exercer essa função, e não fala se alguém custeia seus gastos.

Filiado ao PSL, Renato Bolsonaro reside na cidade paulista de Miracatu e tem apoiado a criação do novo partido do irmão, o Aliança pelo Brasil, mas ele enfrenta restrições para ser candidato a prefeito justamente pelo grau de parentesco.  A Constituição Federal impede que parentes de até terceiro grau do presidente da República disputem eleições – a exceção fica com os familiares que estão tentando a reeleição.

Renato também tentou ser prefeito de Miracatu por duas vezes. Na eleição de 2016, ele concorreu mesmo após denúncia de que foi funcionário fantasma na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Embora tenha sido contratado como assessor parlamentar do deputado André do Prado (PL) por uma remuneração mensal de R$ 17 mil, ele trabalhava em suas lojas de móveis no Vale do Ribeira no horário em que deveria estar na Assembleia. Renato Bolsonaro foi exonerado após a veiculação de reportagem no SBT.

8 comentários

  1. Irmão de Bolsonaro intermedia liberação

    VERBOS DO GRUPO “M A R I O”
    ANCEIA
    REMEDEIA
    INCENDEIA
    ODEIA
    MEDEIA E INTERMEDEIA – intermedia ESTÁ ERRADO
    SE QUISER fazer a intermediação, TUDO BEM.

  2. Só existe uma pessoa ligada a Jair Bolsonaro que não é vagabunda: uma irmã dele que é professora. Há vários anos ela se distanciou do irmão político. Ela não aceitou ser testa de ferro dos negócios sujos da familícia. Até a presente data nenhum jornal a procurou e a entrevistou. Ela tem perfil no Facebook.

    3
    2
    • Mas que calhordice insinuar o assédio a uma pessoa que nada tem a ver com a questão política! Apenas pelo fato de ela ser irmã de um político nefasto.

      O proponente dessa nojeira deve fazer o seguinte: ir para a porta do Alvorada e bater boca com o irmão famoso. Ou ele mesmo entrar em contato com a tal irmã.

      Quanta sordidez tem-se visto por aqui!

      Não permita isso, senhor editor! Não baixe o nível!

      2
      1
  3. “Mesmo sem cargo público, Renato Bolsonaro liberou ao menos R$ 110 milhões para prefeituras no Vale do Ribeira e do litoral de São Paulo”

    Pelamordedeus, atenção ao texto: me contem como ele liberou.
    Isso não é jornalismo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome