Coneferência Participatória de Consenso

A OPORTUNIDADE PERDIDA



COMO É NA EUROPA

http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp&arnumber=540447&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fxpls%2Fabs_all.jsp%3Farnumber%3D540447 

“O método de conferências de consenso organiza uma análise de alta qualidade entre um painel de discussão dos leigos e um painel de especialistas, na presença de um auditório. A importância das conferências de consenso está principalmente no renascimento do interesse sobre o conceito de análise política participativa. No entanto, não existe nenhuma metodologia abrangente para a análise política participativa, mas um quadro preliminar sobre o que poderia ser baseada essa metodologia é apresentado. Análise política participativa é definida pelos autores como um modo prático de investigação analítica facilitada, que em diferentes contextos de decisão política amplia o leque de contribuintes, para apoiar a gestão do conhecimento, o processo de decisão e as relações de rede através da criação, aplicação e avaliação de fóruns específicos de comunicação e participação. É equivalente à conferência de consenso utilizada na Europa com um fórum de comunicação e participação dos leigos e especialistas, para decisões sobre questões tecnológicas complexas e controversas da sociedade; como bio-genética e tecnologia. Algumas experiências recentes na Europa são encontradas, e é dada especial atenção a alguns dos resultados de um estudo a respeito de uma conferência de consenso sobre a questão da avaliação preditiva genética humana (experimental), e onde isso vai nos levar. Esta conferência e sua avaliação foram iniciadas pela Plataforma Holandesa Para a Ciência e Ética. A avaliação centrou-se na formação de opinião dos membros do painel de leigos, como resultado de sua participação.”

http://participedia.net/en/methods/participatory-consensus-conferences

NO BRASIL 

O GOVERNO RECUSOU-SE A FAZER ALGO PARECIDO, MESMO SENDO EXTREMAMENTE SIMPLES, E COM MILHÕES DE PESSOAS PROTESTANDO POR MAIS DEMOCRACIA

Já existem meios para isso, e sua simplicidade chega a nos deixar de queixo caído, como a iniciativa abaixo do Tarso genro no Rio Grande do Sul:

http://gabinetedigital.rs.gov.br/#govpergunta 

Só que o Tarso Genro é uma exceção à regra, e o atual governo federal nega-se terminantemente a apoiar a democracia direta no Brasil. Não movem um dedo para isso, apesar de terem entrado lá, comprometendo-se a implementá-la. Não sei se poderíamos esperar algo diferente de um governo (Lula e Dilma), que há mais de uma década vem sendo cobrado pela própria militância, em seguidas resoluções de seus congressos partidários, para que dê todo apoio a uma democracia mais direta e participativa. 

Para se ter uma ideia da situação, em resolução do congresso nacional petista em Fortaleza, ficou determinado o empenho de todo o partido pela democratização da mídia; mas nem isso está sendo levado a sério pelos políticos do PT; nem no legislativo, nem no executivo, que tem a chave do cofre, e pode impor sua agenda ao Congresso Nacional. Eles agem como se fossem os donos do partido, desrespeitando completamente quem lhes ajudou a eleger, os próprios militantes. Preferiram dar atenção à aprovação das PECs 33 e 37, e à dos partidos políticos, que retirará 35 segundos na TV do novo partido REDE.

AS PROPOSTAS DO PLEBISCITO DA DILMA DEVERIAM SER FEITAS PELO POVO, E NÃO POR ELA.

O governo não pode ser poupado de críticas, porque desprezou completamente o povo, e não quis nem saber o que temos a dizer e propor. A Dilma parece que está no século passado, querendo ouvir meia dúzia de movimentos sociais, que NÃO NOS REPRESENTAM, e fazer de conta que conversou conosco. Esses movimentos, em sua ampla maioria, a gente já sabe que só querem pedir verbas para suas associações, e entrar no cabide de empregos, em troca de abafar a voz do povo nas negociações; pouco se importando conosco, e nem mesmo com a própria causa que dizem defender. Por que será que o sistema representativo não funciona? Esse sistema está falido em qualquer lugar, seja numa ONG, associação de bairro, sindicato, ou no próprio governo. E por isso a corrupção tomou conta do país.

Mas a crítica também é para todos os partidos e a esmagadora maioria de nossos políticos. Ou alguém ouviu alguma proposta diferente e mais democrática que a da Dilma, fora a do Requião, do Rodrigo Rollenberg, do Suplicy, da Serys, e do Tarso Genro? Se alguém tiver notícias, por favor, poste-as aqui. O que foi feito é um verdadeiro absurdo, porque poderíamos inaugurar no Brasil a primeira CONFERÊNCIA PARTICIPATÓRIA DE CONSENSO. Depois que o povo fosse ouvido, e a Dilma colocasse nossas propostas no plebiscito, não as dela; com a bancada do PT apresentando oficialmente o plebiscito popular ao Congresso; qual deputado iria se recusar em apoiar? Pois teriam que fazer isso na frente das câmeras.

Imaginem algo parecido com o link acima do Tarso Genro, ouvindo o povo, suas propostas, fazendo uma triagem das mais apoiadas, com

__UM ESPAÇO OFICIAL NA INTERNET PARA DEBATER AS QUESTÕES

__AMPLA COBERTURA DAS TVs

__ENRIQUECIDO COM A PRESENÇA DE ESPECIALISTAS PRÓS E CONTRA CADA PROPOSTA 

Na internet o debate não congestiona, porque só avançam as propostas que recebem mais apoio. Os especialistas deveriam se cadastrar para isso, comprovando suas qualidades. Eles entrariam com suas credenciais no debate, apontando as particularidades de cada problema levantado. Na cobertura feita pelas TVs, os especialistas seriam escolhidos dentre os mais apoiados durante a conferência, com um número igual para defender e contestar cada proposta. Depois de sistematizadas as propostas de alteração em nossa lei, as perguntas do plebiscito seriam formuladas, e votadas no próprio site criado para isso. Encerrados os trabalhos, a proposta com as perguntas do plebiscito seria encaminhada à Justiça Eleitoral, para que fosse analisada sob o ângulo da Constitucionalidade e do orçamento da União, que não poderiam ser feridos. Com o aval da Justiça, suas perguntas passariam a integrar a cédula eleitoral da próxima eleição, sem custo algum ao país. 

Só não fazemos isso, se não quisermos. Não é mais possível, que nossas decisões políticas sejam pautas em cima de interesses particulares e corruptos. A DEMOCRACIA DIRETA tem como seu melhor sinônimo a RACIONALIDADE, indispensável para se criar um mundo mais justo e moderno.



.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome