Presidente do TRF-4 se reúne com representante dos EUA para dividir informações sobre a “lava jato”

Conselheiro para Assuntos Políticos da Embaixada dos EUA disse que um dos objetivos da visita era se atualizar sobre a operação "lava jato"

Victor Luiz dos Santos Laus e Willard Smith. Foto: TRF-4

Jornal GGN – Por cerca de 1 hora, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4º Região, desembargador Victor Luiz dos Santos Laus, esteve reunido com o conselheiro para Assuntos Políticos da Embaixada dos Estados Unidos, Willard Smith, a conselheira para Assuntos Políticos e Econômicos do consulado norte-americano em Porto Alegre, Rebekah Martinez, e sua assistente Aline Vecchia.

O encontro aconteceu no gabinete de Laus, na manhã de terça-feira (3). Segundo informações da assessoria do tribunal, os norte-americanos realizaram a visita para conhecer o funcionamento do Poder Judiciário no Brasil.

Informações divulgadas pelo site especializado Conjur, acrescentam que as conversas foram em torno das competências das cortes e dos tribunais superiores brasileiros.

No encontro, também foi discutido o recente julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre o compartilhamento de dados sigilosos de órgãos de controle sem autorização judicial prévia. O conselheiro norte-americano disse ainda pretender se atualizar sobre os casos envolvendo a operação “lava jato”.

Laus também exaltou a necessidade do encontro, apontando para a importância de uma maior integração e articulação entre o Judiciário brasileiro e órgãos como a Embaixada dos EUA.

*Com informações do Conjur

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

11 comentários

    • Gostaria de saber onde está escrito na lomam que juiz pode repassar informações de processos sob sua responsabilidade para agentes estrangeiros? Qual seria o interesse??? Cabe uma representação gigantresca a respeito,,,,não vai daria em nada, mas marcaria posição……

  1. É compreensível que um traficante de interesses norte-americanos tente se impor em qualquer lugar.
    Não é nada adequado um presidente de Tribunal agir como “agente”, “contato” ou “ativo” de uma embaixada estrangeira, especialmente quando a conduta dele levanta a suspeita de que ele pretende usar o poder dos EUA para reduzir a autonomia do STJ e do STF nos casos da Lava Jato.

    https://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/santos-laus-e-presidente-do-trf-4-ou-traficante-de-interesses-dos-eua-no-tribunal/

  2. Nassif: tá certo o Presidente da Excelsa&EgrejaCorteDeSuplicaçãoDosPampas, ao recepcionar majestosamente o enviado pelo governo dos gringos. Se até o Messias, mandatário do Pais, bate continência à bandeira dos gringos que mal em receber as ordens através de um representante. Afinal, são donos do quintal. O cara trouxe o recado daquele governo de que se as coisas ficarem pretas, pelo que estão fazendo com o SapoBarbudo, a maioria dos magistrados da Corte já tem casa, comida e roupa lavada e dindim nas IlhasCaymãs. Por isto, não devem amolecer na dosagem das penas. Sulista bom faz assim…

  3. Como o governo já é capacho dos estados unidos, o que será que eles querem mais…
    impedir completamente a coalizão da esquerda?

    ou eliminar fisicamente com a prisão dos seus principais representantes? ( vide caso Renan )

  4. Isso é o fundo do poço…
    Abaixo disso só a invasão física!
    E leva junto parte do judiciário e forças armadas!
    Os EUA tentarão isso na China, na Russia, na Europa, enfim em todo lugar!
    O problema está em quem aceita!
    As instituições estão juntas nisso ai…
    No início era vergonha para eles…
    O tempo que está durando, agora passou a ser vergonha para mim…

  5. Está na hora do STF mostrar quem tem a superioridade , mostrar que o trf4 e só uma instância não e o supremo…o trf4 está alinhado com o moro e o Bozo…contra a maior liderança do mundo que é o Lula, eles sabem que o Lula na liderança muda o Brasil

  6. Nesta hora não aparece um Boris Casoy para dizer “is-to é u-ma ver-go-nha!”
    Nem um Major Olimpio para dizer, gratuitamente, “vergonha, vergonha!” e sair de fininho…
    A política e justiça “braziliana” é dominada por uma rede indeterminada de capatazes e corretores a serviço de interesses externos ao país, que é uma gigantesca fazenda de riquezas a serem usurpadas em detrimento dos locais, tratados como se índios e escravos modernos.
    A esta rede se integrao controle de todo o resto necessário: imprensa (míRdia), banca, empresários (cada vez mais importadores de aluguel), ruralistas (exportadores), forças de “repressegurança” (de quem?) “bishops” de “religiões” híbridas coletoras e até zumbis tecnológicos que formam “fake-opinions” para fazer protestos contra sua própria sociedade e eleger imbecis convictos.
    Até torturadores e criminosos (milicianos) são reverenciados, celebrados, homenageados…
    A diferença nos dias de hoje é que estão perdendo a vergonha,
    Tudo escancarado para quem quiser ver.
    Sombriamente escancarado.

    10
  7. Enquanto isso, o Trump se embuceta com o Trudeau porque o primeiro que fazer guerra com a pólvora alheia, enquanto o segundo não quer que ele atire sem tomar chegada.

    Já pensou se, em vez de aplicar 2% do PIB dos Países da Otan em armas e munições, esse percentual do PIB dos referidos países fosse investido no desenvolvimento da humanidade e na preservação da natureza?

    Mas isso só será feito se a classe trabalhadora tomar seu destino em suas próprias mãos, porque ‘o objetivo primário da Guerra Moderna é usar os produtos da máquina sem elevar o padrão geral de vida’, pois sem guerra e com o suficiente para todos desenvolverem suas habilidades, as classes dominantes perderiam suas utilidades.

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome