Oposição consegue barrar MP que privatizaria saneamento básico no país

A Medida Provisória 868 altera o marco regulatório do saneamento, ao proibir os municípios de contratarem diretamente estatais de saneamento

Foto: Divulgação

Jornal GGN – Lideranças da oposição no Congresso conseguiram paralisar uma Medida Provisória que impactaria na privatização do saneamento básico no país. A MP 868 não será votada até o dia 3 de junho pelos parlamentares e, assim, perderá a validade.

A Medida Provisória altera o marco regulatório do saneamento, ao proibir os municípios de contratarem diretamente estatais de saneamento, na opção de dispensa de licitação. Além disso, o texto estabelecia regras para contratar o serviço por meio de blocos regionais, estimulando a privatização por empresas.

O texto também concedia um maior prazo para o fim dos lixões, e concedia maiores poderes à Agência Nacional de Aguas (ANA) para calcular as tarifas.

Dessa medida provisória, por exemplo, alguns governos regionais esperavam para colocar fim à contratação dos serviços de saneamento por empresas públicas. É o caso de São Paulo, aonde o governador João Doria (PSDB) queria encerrar o contrato com a Sabesp.

A estatal pode ser privatizada ou capitalizada, a partir da validade desta Medida Provisória. A análise é admitida pelo próprio mercado, que vê no projeto uma possibilidade de aumentar as privatizações no setor.

Para conseguir que o texto perdesse a validade na Câmara, lideres da oposição chegaram a um consenso com os demais partidos de que o tema seria tratado em um projeto de lei, contando com audiências, especialistas e análises dos impactos para o setor.

“O consenso entre os líderes é que a MP 868 vai sair da pauta em nome de um PL que tenha um texto sobre o qual se chegue a um acordo razoável”, informou a líder da minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Leia também:  Ética e Espiritualidade face aos desastres ecológicos atuais, por Leonardo Boff

“Nós tivemos uma grande vitória”, comemorou o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que explicou em transmissão ao vivo nas redes sociais como a oposição conseguiu barrar a medida:

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome