CNBB lança catecismo contra a reforma dos golpistas, por Almeida

CNBB lança catecismo contra a reforma dos golpistas, por Almeida

“Ai  dos  que  fazem  do  direito  uma  amargura  e  a  justiça  jogam  no  chão” (Amós 5,7)

As palavras do profeta Amós abrem a “Nota da CNBB sobre a PEC 287/16 – Reforma da Previdência”, de 23 de março passado, onde ela conclama cristãos e pessoas de boa vontade “a se mobilizarem para buscar o melhor para o povo brasileiro, principalmente os mais fragilizados”. Igrejas evangélicas tomaram iniciativa semelhante, no dia 31, no “Pronunciamento das Igrejas Evangélicas Históricas do Brasil e Aliança Evangélica sobre Reforma Previdenciária”

A CNBB reuniu em caderno, lançado nesta segunda-feira, para contribuir com o debate da Reforma da Previdência, uma coletânea de ponderações de Igrejas, organismos, grupos eclesiais e de bispos, sobre a iniciativa em tramitação no Congresso, que ela considera “uma escolha do caminho da exclusão social”. A evocação do profeta é muito apropriada no presente cenário institucional. Ele era um pastor humilde e rude, que de maneira direta condenava a corrupção das elites e a injustiça social. Seu estilo aparece na apresentação do caderno, com texto objetivo dando nome aos bois e as vacas privilegiadas da “reforma da previdência”:

“O foco do projeto de reforma é apenas fiscal e economicista, sem balizamento ético e social. Irá aprofundar as desigualdades já insuportáveis da sociedade brasileira. A reforma do jeito que está proposta não é justa, pois de um lado, retira direitos dos mais vulneráveis e, de outro, mantém  privilégios inaceitáveis,  deixando  de  fora  a  revisão  das  altas aposentadorias  do  judiciário  e  do  ministério  público,  dos  militares  e dos políticos“.

O material com os pronunciamentos pode ser baixado aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. cnbb….

    CNBB, o que aconteceu com aquela paróquia e aquele padre que recebeu milhões em dinheiro de corrupção de um Deputado? (não consigo lembrar o nome do deputado). E um tal Bispo da Igreja Católkica usou sua posição para suas aventuras amorosas e politicas no Parahuai. Então a CNBB deveria se preocupar mais com idéias democráticas e religião, até porque ficou demonstrado que errararm feio na sua ideologia partidária. e politica.     

  2. Fico dividida. É boa a posiçao das igrejas MAS…

    Nao quero as igrejas determinando o que deve ou nao ser feito… Mas nao dá para recusar apoios, claro.

  3. uma no cravo.

    outra na ferradura.

    O semanário da Arquidiocese de São Paulo (O São Paulo )  tem um claro alinhamento pro-reforma.

    E já recomendou livros de Von Mises…..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome