Com caso Zucolotto, há um cadáver na sala de visitas da imprensa

As autoridades só consideram denúncias as que vêm da mídia corporativa. E a mídia corporativa blinda as suspeitas envolvendo Lava Jato

Tudo muito bom, tudo muito bem. Excluir um jornal de uma licitação de R$ 160 mil configura-se um atentado à liberdade de imprensa, assim como impedir a participação de jornalistas de veículos críticos nas coletivas de imprensa de governantes.

Os dois fatos despertaram uma onda de solidariedade e de defesa da liberdade de imprensa como valor maior da democracia.

Mas vamos aos fatos: a chamada grande imprensa está, de fato, atuando como agente avançado das liberdades democráticas, como a primeira sentinela do sistema de freios e contrapesos na coibição de abusos? Em um país civilizado, em que a imprensa cumpre rigorosamente com suas obrigações, é impossível varrer grandes crimes para baixo do tapete. Embora as armas químicas do Iraque ainda se constituam em uma mancha na imagem da imprensa norte-americana.

A escandalização correta é a arma para evitar a naturalização dos abusos. Ou seja, se julgo que a imprensa vai deixar passar em branco determinados crimes, aumenta a propensão para o seu cometimento. É uma regra tão exata quanto as leis de Newton.

Vamos ver, então, como a mídia brasileira – e as instituições em geral – atuam em relação a grandes escândalos. O caso Zucolotto-Arns não é pouca coisa. Um advogado, Tacla Duran, apresenta provas documentais de que pagou duas pessoas íntimas da corte de Sérgio Moro para escapar da perseguição da Lava Jato: os advogados Marlus Arns e Carlos Zucolotto. O primeiro foi parceiro de Rosângela Moro nas ações das APAEs do Paraná; o segundo é conhecido publicamente como melhor amigo de Sérgio Moro e como parceiro e sócio de Rosângela. Ao contrário dos demais advogados de delação, os dois fazem parte do círculo íntimo de Sérgio Moro e dos procuradores da Lava Jato.

Leia também:  Lewandowski reafirma direito de Lula aos documentos retidos pela Lava Jato

No segundo segundo, o de Zucolotto, há a comprovação de que sua proposta – de reduzir a multa de Tacla Duran de US$15 milhões para US$ 5 milhões, mediante o pagamento de US$ 5 milhões por fora – foi acatada pela Lava Jato. Tanto que o procurador Roberto Pozzobon encaminhou a Tacla Duran um e-mail referendando as condições propostas por Zucolotto. Há um cadáver no meio da sala e a brava mídia fingindo que não vê.

Como é possível passar em branco uma suspeita de tal envergadura? As suspeitas se alastram e, agora, batem no mais experiente procurador da Lava Jato, Januário Paludo. E nada dos jornais entrarem.

É uma soma muito grande de indícios. No mínimo teria que ser requisitada a quebra do sigilo bancário e telefônico de todos os suspeitos. Mas varre-se para baixo do tapete suspeita de tal ordem, em uma investigação da envergadura da Lava Jato.

Alô pessoal, é claro o pacto que mancha a imprensa brasileira. As autoridades só consideram denúncias que vêm da mídia corporativa. E a mídia corporativa blinda todas as suspeitas de crimes envolvendo a Lava Jato. Atenção: falei em suspeitas de crime, não em meras irregularidades processuais.

Apesar da praga das fake news, os jornalistas sabem muito bem o que são notícias jornalísticas fundamentadas. E elas circulam pela Internet, por sites, por redes sociais, chegando ao universo dos leitores bem informados.

Como é possível, então, manter-se essa hipocrisia de fingir que os fatos não existem ou não aconteceram? Como é possível falar em julgamento isento, se possíveis pecados mortais da Lava Jato são blindados dessa maneira? Como é possível defender a liberdade de imprensa com tal seletividade?

28 comentários

  1. estado de exceção seletivo desde o infame e mentirososo mensalão barbosiano -“a turma do meu lado jamais é corrupta, só a do teu”.

    32
    • Se assim fosse, não seria uma distorção tão abominável. É, na verdade, muito pior. A turma do meu lado pode roubar e matar porque pode, e pronto. A do outro lado pode ser COMPROVADAMENTE honesta, ilibada e insuspeita mas será acusada, condenada e mandada pra cadeia assim mesmo. Aí está a abominação.

      14
  2. “Como é possível, então, manter-se essa hipocrisia de fingir que os fatos não existem ou não aconteceram”?

    Simples, simples. Tem umas palavrinhas e expressões que foram extintas dos manuais de redação e estilo – what a f…? – dessas empresas: ética, honestidade, rigor, interesse público, entre outras.

    23
  3. “Como é possível, então, manter-se essa hipocrisia de fingir que os fatos não existem ou não aconteceram? Como é possível falar em julgamento isento, se possíveis pecados mortais da Lava Jato são blindados dessa maneira? Como é possível defender a liberdade de imprensa com tal seletividade?”

    Fato: A lava jato é uma organização criminosa a serviço de interesses estrangeiros. Chegou ao ponto de tramar para que a propina que receberiam fosse paga pela própria vítima de seus crimes, a Petrobrás.
    A imprensa foi durante todo o tempo a sócia majoritária desta organização criminosa com objetivo de afastar o PT e seus líderes da disputa democrática.
    Para isto se associou a lava jato e boa parte do judiciário – que no conjunto com TRF4, STj e STF atuaram para derrubar um governo democraticamente eleito e sobre o qual não havia casos de corrupção comprovada, como há no caso Tacla Duran+advogados de delatores + lava jato.
    Como consequência, arruinaram a economia do país, as relações pessoais até entre familiares, as empresas brasileiras, os projetos brasileiros, a democracia brasileira, etc etc etc e ajudaram a levar ao poder o governo o mais imbecil e incompetente de todos os tempos.
    Todo este pessoal da lava jato, em todos os níveis do judiciário e no legislativo que encenou o impeachment tem que pagar pelo crime que cometeram contra o país.
    Não tenho a menor dúvida que este golpe que aplicaram ao país nos causará um atraso econômico e civilizatório que não sei quantas décadas vamos levar para superar, se conseguirmos superar.

    49
    • “Fato: A lava jato é uma organização criminosa a serviço de interesses estrangeiros.”
      Correção:
      A lava jato é uma organização criminosa a serviço dos militares brasileiros que estão e sempre estiveram a serviço dos interesses estrangeiros, mais especificamente dos interesses dos EUA.

      10
  4. Se Lula e Dirceu tivessem ouvido Roberto Requião, no início da administração Lula, talvez essas e outras ilegalidades não tiriam ocorridas.
    Imaginar que a elite vai aceitar “plebeus” em suas hostes é como acreditar em cegonha.
    Pelo misto de corrupção e acomodação, permitiu-se que o descalabro da concentração midiática chegasse a esse estado de coisas.
    Que fique a lição.

    20
  5. Há tempos venho insistindo que,apesar do sangue golpista que corre nas veias de nossa mídia,até para ela,o que está ocorrendo somente se explica pelo eu sei o que vocês fizeram no verão passado,e este recado pode estar sendo dado por algum preposto da NSA ou qualquer outra agência golpista dos falcões do norte.

    15
    1
    • Bingo, são vários cadáveres. Não é uma sala de visitas, mas um necrotério com o sistema de refrigeração dando sinais de fadiga. Evito não descambar pra lógica da conspiração do Norte, inútil, é nela que as coisas se encaixam.

      14
  6. Bingo, são vários cadáveres. Não é uma sala de visitas, mas um necrotério com o sistema de refrigeração dando sinais de fadiga. Evito não descambar pra lógica da conspiração do Norte, inútil, é nela que as coisas se encaixam.

  7. A grande imprensa (ou seus donos ao menos) tem seus corruptos de estimação. Foram do PSDB / DEM e agora são a Republica de Curitiba. O que me espanta são os paus mandados jornalistas serem tao cínicos e terem suas consciencias tolhidas por cargo e pseudo-prestigio.

    20
  8. E daí, quando nosso grau de decepção e indignação chega a tal ponto que, não podendo sair matando esses filhos da puta da direita mais calhorda que já vimos, dizemos sonhar, rezar até (mesmo sendo ateu) para que cafajestes ganhem cada um deles o pior tipo de câncer que os mate bem lenta e dolorosamente, daí vem outros comentaristas dizerem que isso é papo de bolsominion e não nosso (da esquerda). Mas, poxa, então temos que continuar tendo sangue de barata ante fatos que nos indignam? Temos que nos manter nessa hipocrisia de uma sonhada democracia, de um republicanismo idiota que nos impediu de evitar o golpe da derrubada de Dilma, que foi inicio disso tudo? Ora, já tenho 69 anos, quase 70 e nunca irei ver essa tal democracia de fato se a esperarmos só através das urnas…que o TSE faz questão de enrolar e enrolar para não moralizar através da cassação da chapa eleita fraudulentamente na última eleição. TSE onde um ministro safado chegou a falar que impediriam fake news mas onde não movem palha honestamente para apurar todos os disparos de wathzap (nem sei como se escreve certo essa joça) com que inundaram a campanha boçalnarista de mentiras contra Haddad e daí um imbecil se elegeu e fica tudo por isso mesmo. E a maldita imprensa golpísta nem diz amém a tudo porque nada diz que represente HONESTIDADE JORNALÍSTICA. E nós temos que democraticamente esperar, esperar e esperar e provavelmente morrer antes que a moralidade se reinstale…. Ora, a revolta é muito grande e só desejamos ter forças para que, com outros milhares, talvez milhões, saiamos às ruas e se preciso ateemos fogo a todas as instalações dessa maldita imprensa, de preferência com os cafajestes dentro. Só assim, provavelmente, os cafajestes que não virarem churrasquinho tomarão vergonha na cara e se preocuparão com posturas obrigatoriamente éticas. Só matando vermes nos livramos de algumas doenças… E talvez morramos nos combates, mas pelo menos morramos com vergonha na cara.

    11
  9. A imprensa tem um grande passado pela frente. Herdeira das melhores tradições do beija-mão, do assassinato de reputações, do achaque. Foi posta a nu no conflito com as redes sociais. Quem mente mais? Quem distorce mais as narrativas? Não se trata da verdade pois, apenas de quem mente menos, de quem é menos omisso. A imprensa está provando do veneno. Sem cobertura, ou enviesado oras a esquerda, ora a direita, já não tem mais o domínio da narrativa. Agora é escolhermos quem queremos ler. Por isso você tem este site é nós frequentados. Acredito mais em vice do que na instituição que chama de imprensa.

  10. É possível porque somente jornalistas sem emprego nos grandes meios empresariais praticam a sua profissão, mas não dispõem de recursos de apoio e não tem penetração no público. Os jornalistas bem empregados conhecem muito bem estes fatos, são treinados para verificar informações e atuam em redes que perpassam os diversos meios. Quando aceitam a imposição dos patrões, do que pode e do que não pode ser veiculado, trocam o cerne de sua profissão por um salário que não receberiam se fossem profissionais. Portanto, para usar uma linguagem lavajatiana, recebem vantagens indevidas. São corruptos então! Os jornalistas são corrompidos e os patrões, que por sua vez obedecem aos grandes anunciantes que sustentam sua incompetência, são os corruptores. E como é possível um grupo de filhinhos de papai concursados se auto nomear campeões do combate à corrupção se corrompem o profissional que poderia desmascará-los?
    Da mesma forma que demorou muito para que cidadãos honestos aprendessem a usar a imprensa, que de início foi usada por quem saiu na frente a partir da invenção de Gutemberg, usando impressos para espalhar terror e sustentação dos poderosos, temos que viver o tempo e o trabalho de aprender a usar os meios modernos. O mundo muda muito pouco ao longo do tempo, algumas ferramentas mais bonitinhas são incorporadas para reanimar velhas más práticas.
    A culpa da população pode ser delimitada pelo fato de a informação ter passado a ser uma mercadoria, que tem hora, local e forma de ser consumida. O população age como mero consumidor. Terão que aprender a não consumir porcarias com exagero. A experiência do fumo mostra que é possível.

  11. Em Cuiabá, Mato Grosso, conheci, e desfilei com minha mulher jornalista, um bloco carnavalesco chamado IMPRENSSIONANDO O BEBUM, aonde os personagens da comunicação local realizam seu desfile. Talvez a maior alegria, ops, alegoria de nossa mídia grotesca.

    3
    1
  12. Imprensa servil. Canalhas, canalhas, canalhas…
    O golpe nos trouxe a desgraça. A globo destruiu o país.
    Jornalista ou bandidos…

  13. há uma profusão de cadáveres expostos nas salas de visitas. em quase todas elas pelo Brasil afora.

    na mídia corporativa, no Judiciário, no Congresso, no grande empresariado, nas FFAA, na Esquerda, no Lulismo, no PC do B entregando Alcântara, em Flávio Dino com mais uma liderança indígena assassinada no estado que governa, em Rui Costa festejando a destruição da engenharia brasileira, em Marcelo Freixo referendando o pacotaço de Moro…

    por exemplo: o cadáver do Lula Livre com sua máscara descarnada. Lula está solto. e daí? mudou algo?

    Lula se tornou o cadáver ambulante da Esquerda brasileira. um morto-vivo encarcerado em seu próprio mito. o grande bombeiro da luta de classes no Brasil. o pacificador da revolta popular. o fiador de que não haverá luta.

    mais exemplo:

    quinta-feira, 12/12/2019, em evento contra a privatização da Petrobrás, pela soberania nacional e pelo desenvolvimento, várias intervenções caracterizaram o desmonte da Petrobrás e a entrega do pré-sal como roubo.

    ora, sendo roubo é ilegítimo. precisa ser devolvido e os ladrões punidos, inclusive pecuniariamente.

    mas quem ousaria propor tal coisa? entretanto, qual o impacto de tal coisa no ambiente de negócios?

    querem comprar o pré-sal e as estatais? pois o façam sabendo que é roubo, que terão que devolver, arcar com a indenização e entrarem pela porta da cadeia.

    e por falar em cadáver na sala de visitas, e Marielle? afinal, qual o motivo:

    a – vingança contra Freixo e impedir o surgimento de um novo Freixo mais radical;
    b – disputa política pela vaga no Senado;
    c – ação preventiva dos Generais para preservar o grande business da intervenção no Rio;
    d – todas juntas e misturadas;
    .

    • Eu não sei por diabos você está execrando Zucolloto.Ciro Gomes,por muito menos,mandou você caçar Lula.Talvez depois desta tarefa meia inglória,você nem precisará mais adubar.

      • Quando você diz:”Lula está solto,e daí? mudou algo?”.Você tem o direito de escrever o que quiser,como eu também posso lhe dizer que sua afirmação é uma molecagem.Exatamente por situações tão degradantes comop esta, que jamais me cadastrei em Blog’s,Sites,Jornais,o escambau algum.Se assim procedesse,estaria coberto por um tal “corporativismo”,e ficaria impossibilitado de dizer o que você realmente é e a que interesse está se prestando.É você e Miguel do Rosário.

  14. A grande imprensa como diz, está sendo comandada hoje por herdeiros, com nenhuma visão do mundo que os cerca, criados que foram em redomas. Os pais já não eram muito democratas. Como esperar que essa gente lidere alguma coisa.

  15. A “mídia corporativa”, antes de ser um veículo de comunicação é um instrumento de poder de seus donos e da classe a qual eles pertencem.

    Globo, Abril, Estadão, Folha/Uol, SBT, Band, Jovem Pan, etc., são fundos de investimentos, empresas familiares cujas receitas vêm majoritariamente do mercado financeiro e grandes capitalistas.

    Logo, quando se avalia uma notícia dada, não dada ou mal dada (fake – meia verdade e meia mentira) pela “mídia corporativa”, é preciso sempre colocar na balança os interesses dos proprietários e de sua classe.

    E hoje, a Lava Jato representa a “Guarda Pretoriana” dessa turma.

    Portanto, enfraquecer a LJ significa enfraquecer o poder do mercado financeiro associado ao capital internacional e dos grandes proprietários no Brasil.

    Por isso, a mídia corporativa deve estar pensando, antes de publicar notícias que venham a enfraquecer a Lava Jato:

    1) Se a LJ cometeu abusos, até onde isso foi e quanto prejudicou nosso lucro presente e poderá prejudicar no futuro – que ameaça ela representa para nós?

    2) Quem assumiria seu papel de defensor dos nossos interesses – frente a ameaça das forças nacionalistas e populares?

    Esse é o jogo.

    Como diria o “sábio Diplomata”: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde – sempre pensando estrategicamente, isto é, a curto, médio e longo prazo.

    A desmoralização da mídia corporativa, depende de alguém capaz de ameaça-las. E quem poderá assumir seu papel e quais seus interesses dessas forças, normalmente, aliados estrangeiros?

    Sei não, acho que enquanto os lucros estiverem entrando para essa turma, ou enquanto não tiverem coisa melhor para colocar no seu lugar, o Estado paralelo da LJ continuará firme e forte.

  16. Penso que não é somente a grande mídia e também não são somente os famosos jornalistas submissos que se calam. Ainda não sabemos por qual razão e não sabemos o quanto lhes custam tanta omissão e tanto acobertamento em relação as imensas imundícies e as criminosas e tenebrosas transações silenciadas. Avalio também que surpreendentemente, nenhum setor do poder judiciário se incomodou ou se manifestou a respeito e que até a polícia federal já caducou e se tornou uma inválida instituição que se arrasta graças ao alimento das fabulosas pirotecnias midiáticas e por toda subserviência a que se submete. Poderia também se acrescentar a quase totalidade da já putrefada organização política, cuja credibilidade o povo já sepultou faz tempo.

  17. A “grande imprensa brasileira” é um simulacro, um engodo. Melhor seria não ter imprensa do que ter esse arremedo de imprensa a enganar milhões de pessoas.
    Por outro lado, penso que os brasileiros deveriam valorizar mais os verdadeiros jornalistas e coçar o bolso para apoiar as importantes iniciativas de jornalismo independente. Sem pagar o preço justo, jamais teremos jornalismo de verdade.
    O pseudojornalismo barato é enganação, é o que temos hoje. E o barato sai muito caro.
    Eu apoio o jornalismo independente!

  18. Como disse em comentario anterior,Zucolloto é o responsável pelas Declarações do Imposto de Renda do Clã Moro,e financiador direto de um certo Site.Alguma dúvida?

  19. “As autoridades só consideram denúncias as que vêm da mídia corporativa.”
    O nome disso é prevaricação.

    “E a mídia corporativa blinda as suspeitas envolvendo Lava Jato”
    O nome disso é máfia.

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome