Maior parte das cidades não oferece pré-natal adequado via SUS

Dados mostram que 3600 municípios brasileiros não cumpriram metas mínimas de programa do Ministério da Saúde

Photo by freestocks on Unsplash

Uma boa parte dos municípios brasileiros não conseguiu atender as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde para oferecer atendimento pré-natal adequado a gestantes pelo SUS ao longo do último quadrimestre de 2021.

Segundo informações são do Sisab (Sistema de Informações em Saúde para a Atenção Básica), mais de 3.600 cidades não atenderam os requisitos mínimos estabelecidos pelo programa Previne Brasil, do Ministério da Saúde.

Reportagem do jornal Folha de São Paulo destaca que 65% das cidades não atenderam a meta que prevê que ao menos 60% das gestantes passem por seis consultas, sendo que a primeira deve ocorrer até a 20ª semana de gravidez.

Ao mesmo tempo, 52% das cidades não atenderam a meta de testagem das gestantes para HIV e sífilis, e 63% não ofereceram atendimento odontológico para 6 em cada 10 grávidas.

Outra meta não alcançada envolve a realização de teste citopatológico, conhecido como Papanicolau: 93% dos municípios não ofereceram o serviço para 40% das mulheres com idade de 25 a 64 anos.

Leia Também

Covid-19: aspectos éticos e assistenciais para a volta à normalidade, por Ion de Andrade

Covid foi mais letal em cidades bolsonaristas, segundo estudo

A insulina pertence ao mundo, por Jayasree K. Iyer

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador