Cubanos relatam dificuldades de cadastro no Mais Médicos

Inscrição para estrangeiros termina amanhã e erros na página impedem retorno de cubanos ao programa. O GGN testou e traz o passo a passo
 

Foto: Divulgação
 
Jornal GGN – Faltando um dia para finalizar o prazo de inscrição dos estrangeiros no programa Mais Médicos, profissionais relatam dificuldades e erros na página do Sistema de Gerenciamento de Programas do Ministério da Saúde que estão impedindo o cadastro. 
 
Com a falta de interesse de médicos brasileiros para preencherem as vagas, sobretudo, em distritos indígenas e nas regiões norte e nordeste do país, o Ministério da Saúde abriu um novo edital, nesta terça-feira (11), para a adesão de profissionais estrangeiros ou brasileiros com formação no exterior, ou seja, sem o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM).
 
Mas o pequeno prazo concedido a milhares de interessados, que temina amanhã (14), gerou uma grande movimentação no sistema de inscrição, fazendo com que a página fosse derrubada em diversos momentos. Além disso, profissionais cubanos que não quiseram se identificar relataram que o cadastro estava exigindo informações como o Registro Nacional de Estrangeiro (RNE) e o Título de Eleitor, documentos que boa parte deles não possui.
 
Com estes problemas, muitos profissionais cubanos que já integravam o quadro do Mais Médicos no Brasil estão sendo prejudicados para serem reinseridos e voltarem a atuar. São médicos que não retornaram a Cuba porque estão legalizados no Brasil. 
 
De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), 1,4 mil profissionais cubanos constituíram família com brasileiros e legalizaram a situação migratória, não retornando a Cuba, quando as condições impostas pelo futuro presidente Jair Bolsonaro encerraram o acordo com o país no programa de saúde brasileiro.
 
Com o novo edital do Mais Médicos [acesse abaixo] aberto nesta semana, novas esperanças a estes profissionais de retornar à atuação que já vinham realizando. Entretando, o curto prazo, o grande número de acessos que deixam a página fora do ar e as exigências de documentos nacionais aos estrangeiros estão impedindo o simples cadastro.
 
De acordo com um dos profissionais cubanos, o primeiro problema verificado desde o primeiro dia até esta quarta-feira (12) foi a solicitação do número de título de eleitor e de Registro Nacional, que muitos deles não possuem. Sem preencher estes dados, não era possível dar continuidade ao cadastro:
 
 
Além disso, a página era derrubada em diversos momentos e horas do dia, pelo alto nível de acessos. Preocupados, os profissionais recorreram ao telefone 136, que é a central do Disque Saúde. 
 
Nas ligações, após largos períodos de espera, entre 40 minutos até 2 horas, os atendentes confirmavam que o erro de solicitar tais documentos aparecia algumas vezes e informavam a necessidade de gerar, por via telefônica, uma senha para a continuidade do cadastro. Também solicitam que os médicos tentem fazer a inscrição posteriormente, uma vez que o portal estava congestionado.
 
Ao GGN, os profissionais contaram que tais problemas seguiam na manhã desta quinta-feira (13), faltando apenas um dia para encerrar os cadastros. Até o momento, o Ministério da Saúde não se manifestou a respeito.
 
Com o objetivo de entender os problemas narrados pelos profissionais cubanos, o GGN tentou, a título de teste, fazer a inscrição no programa pelo Sistema de Gerenciamento de Programas. Com algumas dificuldades e obstáculos confirmados, conseguimos realizar a inscrição. 
 
Abaixo, detalhamos o passo a passo para que outros profissionais possam tentar concluir o procedimento:
 
1) Na página “http://maismedicos.saude.gov.br/new/web/app.php/inscricao“, foi selecionada a opção “Profissional médico estrangeiro com habilitação para o exercício da medicina no exterior”.
 
 
2) Antes de seguir à página seguinte, o sistema caiu, mas ao clicar em atualizar, foi direcionada ao link “http://maismedicos.saude.gov.br/new/web/app.php/inscricao/identificacao“. É o primeiro passo da inscrição. Nele, dados básicos como CPF ou Passaporte, nome, data de nascimento, email e senha são solicitados. 
 
 
 
3) Ao clicar em “Continuar Inscrição”, o servidor ficou fora do ar novamente. O GGN atualizou a página, que levou à terceira etapa da inscrição, aonde são solicitados dados mais detalhados. Como exemplo, usamos a nacionalidade “cubana”. O problema narrado por alguns dos profissionais, de que estavam sendo solicitados Título de Eleitor ou Registro Nacional, parece ter sido corrigido, porque tais exigências não apareceram no teste.
 
 
Entretanto, em diversos momentos a página ficava fora do ar, com a impossibilidade de dar sequência. Nestas situações, o GGN insistia e atualizava a página, conseguindo dar sequências às etapas seguintes. 
Somente em um momento, ao clicar em atualizar, o sistema voltou ao início, precisando preencher novamente “usuário”, com o CPF ou passaporte, e “senha”, e conseguindo dar continuidade aos dados e documentos. Como o objetivo do GGN foi o de verificar os erros e problemas que narraram alguns profissionais, não concluimos a inscrição, faltando apenas clicar em “salvar”.
 
 
 
 

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Diabo

- 2018-12-14 05:04:57

Você ta certo, burro. Seu
Você ta certo, burro. Seu ponto de vista é um espetáculo de ignorância. Isso é típico de pessoinhas frustradas, presas em classes de merda nesse brasilzinho de quinta.

jcordeiro

- 2018-12-13 21:55:42

Pobres? Que Se Explodam...

Nassif: sou pelo MenosMédicos. Esse é um programa dispendioso. Cuidar de pobre, pra quê? Só dão trabalho. Querem ainda escola, moradia, emprego, segurança. Isso, pros 56 milhões de bolsonaristas, vá lá. Mas, para aqueles 91 milhões que se recusaram a adorar o Messias, que se danem. Vão pra Cuba, Venezuela, Russia, China ou pros paises árabes. O daBala vai cortar relações comerciais e diplomáticas com esse kummunistas. Promessa de campanha. E como é macho pacas há de cumprir a promessa, desde 2 de janeiro. Tô esperando e torcendo...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador