Piso nacional da enfermagem terá pagamento retroativo

Em discurso, ministra Nísia Trindade afirmou que valor será implementado tal como a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado da primeira-dama, janja Lula da Silva, da ministra da Saúde, Nísia Trindade e de outras autoridades, participa da 17ª Conferência Nacional de Saúde. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

O pagamento do piso nacional da enfermagem será feito pelo governo federal com retroativo desde o mês de maio, segundo a ministra da Saúde, Nísia Trindade.

“O governo federal trabalha para a implementação do piso da enfermagem. Vamos implementá-lo no setor público tal como a decisão do Supremo Tribunal Federal [STF], garantindo as nove parcelas previstas para 2023”, disse a ministra durante a 17ª Conferência Nacional de Saúde, em Brasília.

O pagamento retroativo desde maio foi confirmado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva – na ocasião, o ministro do STF Luís Roberto Barroso estabeleceu regras para o pagamento do piso aos profissionais que trabalham no sistema de saúde de estados e municípios nos limites dos valores recebidos pelo governo federal.

“Tem gente que acha que o salário de uma enfermeira de R$ 4 mil e pouco é caro”, disse Lula.

“Mas é preciso que a gente avalie efetivamente o valor do trabalho por aquilo que ele representa na nossa vida. Quem leva as pessoas para tomar banho, quem vai limpar as pessoas, quem dá comida, quem aplica injeção, quem mede a pressão, quem leva ao banheiro é exatamente o pessoal de baixo, que trabalha. E, por isso, esse pessoal tem que ser valorizado”, acrescentou.

As informações são da Agência Brasil

Leia Também

Tatiane Correia

Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Nada mais justo e demorado para quem sempre abdica de seu conforto para cuidar dos outros arriscando a própria vida. Aliás, essa resistência em reconhecer o trabalho e dedicação dos enfermeiros é a maior prova do quão ingrata e utilitarista é a nossa sociedade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador