Witzel vai criar secretaria de vitimização de policiais no Rio

Governador diz que a proposta é incluir vítimas do crime organizado; Número de pessoas mortas pela polícia cresceu no estado

Reprodução

Jornal GGN – O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, vai criar uma secretaria de vitimização de policiais civis e militares, algo inédito em todo o país. A notícia é compartilhada da Folha de S.Paulo.

A declaração aconteceu nesta quinta-feira (25), enquanto Witzel participava do Encontro Nacional de Entidades Oficiais Militares Estaduais, que aconteceu em São Paulo, na capital.

O governador disse ainda que a secretaria de vitimização incluirá outras categorias da população como “pessoas com deficiência, mas não só isso, vitimização de maneira ampla”. O propósito, prosseguiu, será atender “todos que sofreram com violência causada pelo crime organizado”.

“No Rio hoje o crime e o terrorismo têm feito vítimas para poder colocar a culpa e a responsabilidade na PM. Vamos ter uma secretaria dedicada a cuidar das vítimas de todo esse processo de enfrentamento”, disse Witzel ao jornal.

Ele comentou ainda que a secretaria vai trabalhar com assistência psicológica e na “composição de danos”, auxiliando a Defensoria Pública.

Já a Secretaria Estadual de Direitos Humanos, que hoje auxilia todas as vítimas de violência no Rio, “vai se concentrar nas outras áreas, na mulher que sofre violência doméstica, crianças em situação de risco, programas sociais de moradia, alimentação. Estamos destacando a vitimização”, explicou o governador.

Segundo ele, a ideia partiu de estudos próprios. “Sempre fui estudioso da vitimologia e vejo um momento oportuno para implementar a política de vitimização no estado”, contou.

Destacando dados do ISP (Instituto de Segurança Pública), a Folha lembra que o número de homicídios de policiais no rio caiu 23%, em comparação aos primeiros semestres de 2018 e 2019.

Leia também:  Por quem os sinos dobram? Não por Katellen ou Ágatha, por Vilma Aguiar

Por outro lado, o número de mortos em ações policiais aumentou em 15% no mesmo período. Nos primeiros seis meses de 2018, os policiais do Rio mataram 669 pessoas. Neste ano, foram 881 mortos por agentes do estado.

Já o número de policiais mortos em serviço caiu 63% entre os dois anos. No primeiro semestre de 2019, sete agentes foram vitimados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Ele diz que é um estudioso da vitimização!!! O que seria isso? Será que ele estudou Freud? Até onde eu sei sobre o que Freud escreveu, a vitimização, o auto compadecimento e auto comizeração são as piores coisas que pode acontecer a um ser humano. Você pode até estar mesmo numa situação de vítima, mas não pode acreditar nisso, usar essa situação. Nada mais humilhante para um ser humano acreditar-se e fazer uso da situação de vítima.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome