fbpx
terça-feira, fevereiro 18, 2020
  • Carregando...
    Início Tags Genocídio

    Tag: Genocídio

    Em balanço de 2019, Witzel diz ter salvado 950 vidas, por Hugo Souza

    “Com quantos mortos se faz uma chacina?”, é o que ninguém pergunta a Wilson Witzel. “Com quantas chacinas se faz um genocídio?”, tampouco.

    O genocídio é semântico, o mais desumano de todos, por Gustavo Conde

    Para os guardiões da gramática normativa, a língua humana é macha, branca, defensora da propriedade e anda armada.

    O genocídio de crianças, adolescentes e jovens negros não admite silêncio, por Elisiane Santos

    Na última semana, assistimos estarrecidos a violência brutal praticada contra jovens e adolescentes, em festa de rua, na comunidade de Paraisópolis

    Como explodem as manifestações na América Latina, comentário de Arkx

    Atrás de cada PM assassino existe um governador genocida. atrás de cada governador genocida existe um Estado terrorista. e atrás de cada Estado terrorista existe uma classe dominante genocida.

    Witzel tem dez dias para explicar política de segurança pública do Rio, decide Fachin

    A decisão foi em consonância com a ação do PSB, apresentada na Corte.

    A irmã busca a verdade sobre o assassinato de Dennys em Paraisópolis

    Dennys, um menino, trabalhava a semana toda para ajudar a família e, com a permissão da irmã foi ao baile se divertir.

    Da cumplicidade silenciosa da sociedade que acolhe as práticas genocidas de Witzel e Doria...

    A tragédia ainda maior desse estado de coisas, é que os Ministérios Públicos e o Poder Judiciário de um modo geral, abraçam essas crenças, essa cegueira, esse caldo fétido fascista que banha nosso país, com um vigor desconcertante!

    TV GGN: Por trás de cada PM assassino existe um governador genocida, por Luis...

    É hora de se começar a criminalizar governadores cujas políticas de segurança levem ao genocídio

    O massacre de Paraisópolis e o apartheid social, por Aldo Fornazieri

    O massacre de Paraisópolis não é um fato isolado: é a expressão cruel e cruenta do apartheid, da injustiça, da desigualdade, da falsa democracia que impera no Brasil.

    Por incitação ao genocídio de indígenas, Bolsonaro é denunciado em Tribunal Internacional

    Na denúncia, a afirmação de que Bolsonaro incitou a violência contra populações indígenas e tradicionais, enfraqueceu a fiscalização e foi omisso na resposta a crimes ambientais na Amazônia.

    Paulo Guedes, Bolsonaro e a lei que mata, por Bruno Reikdal Lima

    A Teologia da Libertação criou uma categoria teológica curiosa: "pecado estrutural". Referia-se ao genocídio de populações pobres deixadas para morrer sem que nenhuma lei fosse quebrada.

    A brutalização da vida política, por Paulo Fernandes Silveira

    No livro Soldados Caídos (Fallen Soldiers), publicado em 1991, Mosse destaca a brutalização que antecede a ascensão do nazismo.

    PM causou a morte da menina Ágatha, aponta inquérito da Polícia Civil

    Policial queria dar um "tiro de advertência" em dois homens que estavam em uma motocicleta e acabou atingindo criança de 8 anos

    Dignidade humana e liberdade jornalística, duas coisas inseparáveis, por Fabio de Oliveira Ribeiro

    "As pessoas que não se encaixarem no modelo de virtude que um genocida criou podem, devem ou merecem ser destruídas"

    As semelhanças entre Witzel e o nazista Eichmann

    Como Eichmann, Witzel jamais determinou que inocentes fossem mortos e, por isso, como Eichmann, não se sente culpado nem responsável

    Coletivo Transforma MP: Nota Pública sobre a violência policial no Rio de Janeiro

    O Coletivo Transforma MP solidariza-se ainda com as famílias de todas as vítimas e se dispõe a auxiliá-las em medidas que entendam necessárias ao fim de tal política da morte.

    Tiro nas costas, por Wilson Ramos Filho

    Agatha morreu. Tiro nas costas. Antes dela outras crianças foram exterminadas pela PM. Adultos pobres estão sendo mortos diariamente pelas forças do Estado. Todas essas mortes decorrem de algo anterior.

    A Reitoria da UFRRJ denuncia a politica de extermínio do estado

    Nos primeiros oito meses deste ano, foram registradas 1.249 mortes ocasionadas pela polícia estadual do Rio de Janeiro. Não é possível festejar estes números.

    “Muita matraca, pra pouco berro”, por Rui Daher

    Witzel e comparsas alegam legítima defesa. O avô de Ágatha, retruca (eu matava): “a arma que ela gostava de usar era lápis, caderno, redação, e nota dez”.

    Mais comentados

    Últimas notícias