Taxa de desemprego atinge 14,2% no trimestre fechado em janeiro

PNAD Contínua tem maior patamar desde o início da série histórica, em 2012; cerca de 14,3 milhões de pessoas estão sem trabalho

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A taxa de desocupação no mercado de trabalho brasileiro ficou em 14,2% no trimestre fechado em janeiro, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Embora os dados tenham ficado estáveis ante o trimestre anterior, o percentual é o mais elevado para o período, enquanto a estimativa de brasileiros sem trabalho chega a 14,3 milhões, o maior patamar registrado desde o início da série histórica, em 2012.

Já o contingente de pessoas ocupadas aumentou 2% e chegou a 86 milhões, o que represe nta 1,7 milhão de pessoas a mais no mercado de trabalho em relação ao trimestre encerrado em outubro. Com esse aumento, o nível de ocupação – o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar – ficou em 48,7%.

Ao contrário do que se imagina, grande parte do aumento na ocupação veio da população informal: segundo o IBGE, o número de empregados sem carteira assinada no setor privado subiu 3,6% (ou 339 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior.

Já os trabalhadores por conta própria sem CNPJ aumentaram em 4,8% no mesmo período, totalizando 826 mil pessoas a mais. Os trabalhadores domésticos sem carteira, depois de um avanço de 5,2% frente ao trimestre anterior, somam 3,6 milhões de pessoas. Com isso, a taxa de informalidade no trimestre encerrado em janeiro foi de 39,7%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora