O passo final do governo Bolsonaro: as disputas com os militares

Ao permitir os ataques aos militares, Bolsonaro derruba a última barreira à sua queda

 

Leia também:  TV GGN: Os Bolsonaro vão partir para o confronto

24 comentários

  1. nunca vi isso em qualquer parte da História: insultos advindos do próprio governo em q fariam Bocage e o Boca do Inferno polidos com dons infantes.

  2. nunca vi isso em qualquer parte da História: insultos advindos do próprio governo em q fariam Bocage e o Boca do Inferno dois polidos com dons infantes.
    ou tratam se d’uma opereta bufa, para o ensejo dos milicos, num cavalo de tramoia ou perderam aquilo q já não restava de racionalidade…
    e a imprensa…hahahahaha…a achar tudo normalesco…

  3. É inconcebível que na disputa entre esse governo acéfalo orientado por esse guru esquizofrênico o astrólogo Orgasmo de Cavalo e, os militares, prevaleça esses débeis mentais bolsonarianos e olavistas que estão no governo.
    Nunca pensei que um dia eu iria querer um general no Poder, mas diante desse quadro antes impensável, acho que o general Mourão deveria dar logo um pé na bunda desse débil mental e assumir o Poder.
    Prefiro um direitista sensato ou moderado, do que um direitista débil mental e cheio de ódio.
    Comparado ao Bozo, Mourão é um estadista.

    • Concordo com quse tudo exceto a comparacao final.
      Na minha opinião, bozo está para um Australopithecus assim como Mourao está para o Homo neanderthalensis. Ambos primatas. Mas o segundo, com posição anatômica da laringe semelhante ao do homem moderno, emite sons. Então desenvolve algum tipo de comunicação, ainda que rudimentar.

  4. É inconcebível que na disputa entre esse governo acéfalo orientado por esse guru esquizofrênico o astrólogo Orgasmo de Cavalo e, os militares, prevaleça esses débeis mentais bolsonarianos e olavistas que estão no governo.
    Nunca pensei que um dia eu iria querer um general no Poder, mas diante desse quadro antes impensável, acho que o general Mourão deveria dar logo um pé na bunda desse débil mental e assumir o Poder.
    Prefiro um direitista sensato ou moderado, do que um direitista débil mental e cheio de ódio.
    Comparado ao Bozo, Mourão é um estadista.

  5. Esqueceu da extrema esquerda: PSOL e PC do B, que afinal, sempre estiveram contra o Golpe de 2016 e contra esse débil mental, seguidor de um guru esquizofrênico, e que se elegeu disseminando o ódio entre a população.

  6. Tempestade perfeita?

    Greve geral 15/6
    estudantes na rua
    greve de caminhoneiros pelo diesel
    condenacoes e reprimendas por todo o mundo

    só falta a imprensa golpista aderir…

  7. A última barreira não são os milicis, mas sim o Mercado. Enquanto houver esperança dessa desgraça de reforma passar, o bozo não cai. Depois ele passa a ser o descartável q sempre foi

  8. O Dellagnol é débil mental.
    O witzel é psicopata.
    O Moro é ladrão contumaz e golpista.
    A dodge é espiã americana. Alguém sabe o que o marido dela faz?
    Os bozos são burros confessos.
    O Olavo é isto aí: A coprolalia é um sintoma de uma doença muito embaraçosa chamada Síndrome de Tourette, que afeta uma em cada 2 mil pessoas – 75% delas homens.
    O guru do governo é um sujeito que sofre de coprolalia – por isso sua fixação em cu – e esta turma de descerebrados – tanto os eleitos quanto seus eleitores – acreditam no sujeito e o seguem.
    Estamos fodidos por nossa própria irresponsabilidade.

  9. Se há uma qualidade no coiso é de ser verdadeiro, nunca escondeu seu pensamento tosco ou fez afirmações para agradar, ninguém pode alegar ter sido enganado por ele sem ser taxado de idiota…….há mais de trinta anos essa figura rasteja pelos porões do congresso, e como disse um articulista, durante décadas nunca fez nada que prestasse, como algum leso poderia esperar algo diferente agora?????
    Estão fazendo o que sempre quiseram, destruir a CLT, manter os privilégios dos juros deixando o país de joelhos, agora com a Tunga na previdência, se apropriarem dos recursos do país pela venda direta ou privatização, e referente a educação, qualquer educador sério, desses que não aparecem dando entrevistas na televisão, afirma que a manutenção do baixo nível educacional é política de Estado……
    Não há surpresa, esse é o projeto de país da elite assassina e escravocrata,…..ou aceitamos ou nos rebelamos……
    Quanto aos Zés-botina, não espero nada deles….

  10. Ora, ora. os militares entraram nesse consorcio por vontade própria. Quem não se lembra do tuíte do general para ameaçar o STF, presidido pela pusilânime Carmen Lucia, que mantivesse o Lula preso? Quem não se lembra do agra Vice presidente Mourão soltando suas pérolas de inteligencia sobre o salario mínimo, sobre o décimo terceiro, sobre férias dos trabalhadores? E suas falas sempre em associações de empresários, atacando direitos dos trabalhadores? Um sujeito que nunca produziu um palito de fósforo, que passou a vida na caserna dando comando de ordem unida de repente vem atacar os trabalhadores, atacar os índios e negros se juntado nesse teatro de horrores da trupe Bolsonariana. Acaso não sabiam quem era o o sujeito? Afinal qual foi o segredo repartido e compartido entre o General Villas Boas e o Bolsonaro, que o mesmo disse que leva para o túmulo? Trocavam confidencias, viviam em em namoricos e agora se diz surpreendido? Enquanto Bolsonaro ameaçava gays, negros, pobres e opositores, enquanto Bolsonaro fazia sinal de arminha e metralhava seus oponentes em praça publica em gestuais pornográficos e criminosos esses generais se calaram e aplaudiram. Agora estão por aí a reclamar e se indignar? Apostaram nisso, queriam isso, revanchistas, rancorosos, e provaram uma coisa, são sobretudo muito ignorantes. Villas Boas vem comparar Olavo de Carvalho a Trotsky…. isso só é possível na cabeça de um …. seguidor de Olavo. Qualquer um com um mínimo de conhecimento de história jamais faria uma besteira como essa. Isso prova que entraram no consorcio por não terem a mínima condição de discernimento do que é uma nação, um país e desconhecem seu povo.

  11. Qual será o papel de Sérgio Moro no Brasil pós Bolsonaro?
    .
    Sobra nesse caldo uma questão séria: o papel FUTURO de Sérgio Moro nas estruturas de poder do país. Porque, aparentemente, o ex-juiz desfruta de prestígio entre os militares.
    Muitas pessoas se perguntam porque Moro tem aceitado calado algumas demonstrações de “desprestígio” por parte de Bolsonaro.
    Penso que de “burro” Moro não tem nada. Foi avançando na conquista de poder PESSOAL passo a passo, testando de modo milimétrico a cada evento jurídico-político dos últimos anos, “até onde podia ir” – até descobrir que o STF já se encontrava tão acuado, tão em estado de “covardia permanente” e catatonia paralisante, que podia até soltar uma gravação da presidente da República que nada lhe aconteceria. Como ousou, de modo sereno e tranquilo, sem pestanejar, enfrentar a ordem de um desembargador de instância superior à sua, emitindo a ordem lá de Portugal: “Não soltem o Lula que eu vou dar um jeito daqui”….. – no que foi prontamente obedecido pelo delegado da Polícia Federal, que por sua vez também o fez de modo sereno, convicto que QUEM DE FATO MANDAVA estava bancando a sua ação de manter Lula preso. Os FATOS provaram que ambos estavam certos! Nada aconteceu, mesmo diante de uma quebra inaceitável de hierarquia nas próprias estruturas do Poder Judiciário.

    Caindo Bolsonaro, paradoxalmente, Moro cresce. LIVRA-SE de um incômodo “moral”, de uma imensa pedra no sapato. Acredito mesmo que se “abraçarão” com entusiasmo, Moro e o grupo militar que se instalar no poder via Mourão, o vice presidente. Moro precisará desse apoio, e os militares desejarão essa ponte com a estrutura do Judiciário e a própria sociedade, que ainda não se desencantou com seu herói nos extratos mais fortes, elites sociais e classes médias.

    Quem mais tem a perder é a classe política, sobre quem Moro e os militares têm algo em comum: um quase indisfarçável NOJO! Que tipo de político sobreviverá a esse poder nas mãos de militares/Moro/Lava Jato? O político bajulador que aquiescer em bancar no Congresso TUDO o que o comando central no poder desejar.

    Há no fundo, um grande paradoxo envolvendo as instituições nesse jogo pelo poder: Se o Nassif estiver certo e os militares “soltarem as amarras” do STF e da PGR contra Bolsonaro, QUEM GARANTE QUE ESSAS AMARRAS NÃO SEJAM RECOLOCADAS APÓS “O SERVIÇO FEITO?”

    Quem garante que a Lava Jato, sobrevivendo ao embate com o STF, não se fortaleça ainda mais num futuro próximo, com Moro bancado dessa vez, não por Bolsonaro, mas por Mourão e a alta cúpula das Forças armadas? Podemos ter a pior das ditaduras – a extrema direita do Judiciário e da mídia aliada, somada à inquestionável força dos militares no poder. Moro poderia até se dar ao luxo de adiar o sonho de se tornar ministro do STF. Na verdade, ELE seria a própria expressão do poder maior do Judiciário no Brasil – algo que, para nossa infinita vergonha enquanto nação, ele já foi, é e agiu como, em tantas oportunidades.

    Bolsonaro tem que cair? Evidente que sim!

    Mas o pior dos mundos em termos de democracia, justiça, civilidade, pode advir de sua queda.

  12. Nassif é bem informado e articulado politicamente o suficiente para declarar sem meias palavras que Bolsonaro será defenestrado do poder. Nós do andar de baixo junto à galera do Maracanã aguardamos o apito final. O jogo está sendo jogado.

  13. Vontade que esse governo desapareça pode ser grande, mas cair, são outros quinhentos. Acredito que o sistema vai manter esse trem mesmo que desencarrilhe.

  14. Deixa de ser otimista, Nassif. Os militares brasileiros tem a altura do Bolsonaro. Covardes, desinformados, sem patriotismo e sem noção de nação. O morticinio que causaram no Rio de Janeiro dão a exata medida do respeito que possuem pelo povo brasileiro. A entrega do pré-sal, da Petrobrás, da Embraer, da base de Alcântara e da Amazonia dão a exata medida do respeito que essa canalha tem pelo país.
    São correspondentes na defesa nacional do Judiciário com relação a Constituição e da elite com relação ao país em que nasceram, dilapidam e desprezam. E correspondem com perfeição a essa parcela da classe média movida a ignorância, preconceito, crueldade e miséria intelectual. Nas classe mais baixas, como disse o Jessé de Souza, “500 anos de exploração, abandono e humilhação, além de uma imprensa canalha e manipulatica produziram o pobre de direita”.
    Militar nenhum vai dar rumo para o país. Conforme o plano traçado pelos americanos isso aqui vai esboroar com a subserviência do seu povo e de todas as suas classes sociais.

  15. O panorama traçado procede. A queda de Bolsonaro é questão de tempo. Talvez de passar o tempo necessário para não termos novas eleições e Mourão assumir. Daí – ora com panos frios, ora com panos quentes, com ditos, desditos, falsas contemporizações -o militares irems levando em banho-maria. Os frequentes ataques que recebem são indícios de que o bolsonarismo sabe e teme isso. Até onde isso se sustenta, não é possível estimar. Talvez até passar a reforma da previdência e criar a carteira verde-amarela. Mas a depender das asneiras proferida e cometidas por desgoverno, da falta de emprego, estagnação de degradação da economia, destruição de pontes no comércio exterior, as águas do tempo não serão contidas.
    PS:Não faltou elencar – na oposição – artistas, intelectuais, pesquisadores, estudantes, professores, o meio universitário (ok, são trabalhadores..)? Moram estes últimos que se posicionaram e tomaram as ruas nos anos de chumbo; e agora, mais uma vez estão na dianteira. Uma centelha com chances reais de se espalhar pelo Brasil. Ou a posição da classe média, em cima do mundo, vendo o país pegar fogo.

    https://www.youtube.com/watch?v=IZBLMv5plHM

  16. Não tem disputa nenhuma com os milicos. Esses mercado,mas palavras do astrólogo do Planalto,sempre gostaram da vida manda,de governar sem ganhar eleições.
    Pois bem,agora,que se juntaram a essa coisa que ocupa o cargo de presidente da República, tem de submeter a ele e não tem discussão.
    Acertou o astrólogo: São uns merdas.

  17. Qual será o papel de Sérgio Moro no Brasil pós Bolsonaro?
    .
    (sobre o post do Nassif no GGN, “O passo final do governo Bolsonaro: as disputas com os militares”)
    .
    Sobra nesse caldo uma questão séria: o papel FUTURO de Sérgio Moro nas estruturas de poder do país. Porque, aparentemente, o ex-juiz desfruta de prestígio entre os militares.
    Muitas pessoas se perguntam porque Moro tem aceitado calado algumas demonstrações de “desprestígio” por parte de Bolsonaro.
    Penso que de “burro” Moro não tem nada. Foi avançando na conquista de poder PESSOAL passo a passo, testando de modo milimétrico a cada evento jurídico-político dos últimos anos, “até onde podia ir” – até descobrir que o STF já se encontrava tão acuado, tão em estado de “covardia permanente” e catatonia paralisante, que podia até soltar uma gravação da presidente da República que nada lhe aconteceria. Como ousou, de modo sereno e tranquilo, sem pestanejar, enfrentar a ordem de um desembargador de instância superior à sua, emitindo a ordem lá de Portugal: “Não soltem o Lula que eu vou dar um jeito daqui”….. – no que foi prontamente obedecido pelo delegado da Polícia Federal, que por sua vez também o fez de modo sereno, convicto que QUEM DE FATO MANDAVA estava bancando a sua ação de manter Lula preso. Os FATOS provaram que ambos estavam certos! Nada aconteceu, mesmo diante de uma quebra inaceitável de hierarquia nas próprias estruturas do Poder Judiciário.

    Caindo Bolsonaro, paradoxalmente, Moro cresce. LIVRA-SE de um incômodo “moral”, de uma imensa pedra no sapato. Acredito mesmo que se “abraçarão” com entusiasmo, Moro e o grupo militar que se instalar no poder via Mourão, o vice presidente. Moro precisará desse apoio, e os militares desejarão essa ponte com a estrutura do Judiciário e a própria sociedade, que ainda não se desencantou com seu herói nos extratos mais fortes, elites sociais e classes médias.

    Quem mais tem a perder é a classe política, sobre quem Moro e os militares têm algo em comum: um quase indisfarçável NOJO! Que tipo de político sobreviverá a esse poder nas mãos de militares/Moro/Lava Jato? O político bajulador que aquiescer em bancar no Congresso TUDO o que o comando central no poder desejar.

    Há no fundo, um grande paradoxo envolvendo as instituições nesse jogo pelo poder: Se o Nassif estiver certo e os militares “soltarem as amarras” do STF e da PGR contra Bolsonaro, QUEM GARANTE QUE ESSAS AMARRAS NÃO SEJAM RECOLOCADAS APÓS “O SERVIÇO FEITO?”

    Quem garante que a Lava Jato, sobrevivendo ao embate com o STF, não se fortaleça ainda mais num futuro próximo, com Moro bancado dessa vez, não por Bolsonaro, mas por Mourão e a alta cúpula das Forças armadas? Podemos ter a pior das ditaduras – a extrema direita do Judiciário e da mídia aliada, somada à inquestionável força dos militares no poder. Moro poderia até se dar ao luxo de adiar o sonho de se tornar ministro do STF. Na verdade, ELE seria a própria expressão do poder maior do Judiciário no Brasil – algo que, para nossa infinita vergonha enquanto nação, ele já foi, é e agiu como, em tantas oportunidades.

    Bolsonaro tem que cair? Evidente que sim!

    Mas o pior dos mundos em termos de democracia, justiça, civilidade, pode advir de sua queda.

  18. A introdução do vídeo é uma cantilena conhecida há muito. A palavra sistema foi muito usada na década de 1970.Este tal de sistema sempre existiu tanto sob a esquerda, como sob a direita.

  19. Não acredito que as Forças Armadas estariam dispostas a entregarem o Brasil ao crime organizado.
    Não se olvide a indústria da delação, ao terror espalhado junto a empresas nacionais e, agora, a venda de proteção através de contratos de compliance.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome