Recado do Nassif: há um golpe em andamento

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Prossegue o desmonte

27 comentários

  1. Eu tenho mais preocupação é com os nossos nobres do STF e Congresso do que Bolsonaro! O Brasil só vai ter jeito quando mudar essa constituinte velha e ultrapassada!

  2. O Brasil já caiu na arapuca do Bozo…
    De mansinho, sem fazer nada para a recuperação da economia, estamos vendo o barco que vai afundar…
    Tiraram 43% das Forças armadas, 30% da educação, falta sabermos o percentual da saúde…
    O que vamos ter?
    Vamos ter greve e muita greve!
    Funcionários públicos poderão ter salários parcelados, atrasados…
    E o que vai acontecer com os bolsonaristas armados?
    Teremos uma bagunça e ele dá o bote…
    Por que não é crível que Guedes não saiba onde isso tudo vai dar com estes cortes!
    Não é crível que ele e o Bozo não tenham conversado sobre este assunto!
    Ele sabe muito bem o que acontecerá…

  3. Bolsonaro (e sua incrivelmente medíocre gangue) é um imbecil socio-politico.
    Aliás, como Hitler também era …
    Há 2 problemas novos acontecendo:
    1) O Mitosco ganhou um outro nível de auto-confiança depois da visita ao “idol-boss” Trump. Why?
    2) O país está se acostumando rapidamente com um novo e anormal “NORMAL”…
    O resultado está sendo um país cada vez mais aleijado, dividido, desorganizado e caótico.
    Nada melhor para a pilhagem e a rapinagem desta tão privilegiada terra em riquezas naturais …
    E, seja por mediocridade de liderança, seja por opressão, tão pobre em riquezas humanas …
    Os abutres do poder planetário nos sobrevoam cada vez mais baixo, sob raios de escuridão.

  4. O golpe em andamento eh mais, menos, ou tao flacidamente broxa como Temer, Nassif???
    Pensando bem… o golpe em andamento eh mais, menos, ou tao viado quando tudo que Bolsonaro fala??????

  5. Os militares terminarão percebendo que Lula tinha mais a ver com eles, no aspecto positivo, do que o grupo que apoiaram nas eleições: O NACIONALISMO!

  6. Tá. Há fatos na história da humanidade que nos permite temer algo assim. Mas ainda aposto que essa turma não tem tanta inteligência assim para planejar isso tudo. Confesso que ainda tive mais medo dos aspirantes a bolshevique enrustidos que só não botaram as manguinhas de fora porque as FFAA não tolerariam.

  7. Nassif tem razão, há um golpe em andamento.
    Sempre achei muito mal contada essa história da Nova República e da redemocratização. O mesmo Brasil que fez a Independência com a Coroa portuguesa a bordo fez a democracia com os ditadores generais desculpados para sempre. Ou seja, “democracia” autorizada/consentida. Portanto, a ditadura nunca acabou. De repente, do escurinho do salão sai um capitão que escancara aquele poder remanescente. Mas na verdade usa-o como manto protetor de um lodaçal do sub-solo, um sistema marginal que usa a reintrodução nostálgica do militarismo para assaltar o poder. De fato, parece que chegamos ao cúmulo e paradoxo de dependermos dos próprios militares para nos livrarmos do berne que veio encarnado na pele deles. O maior risco da História do País, de fato.

  8. 1 – a estratégia do núcleo miliciano do desgoverno de falar mal dos militares é apenas chantagem para garantir a manutenção do apoio ao clã, do qual o guru-cagão é o tutor que fala português – Bannon é o amigo “gringo”, rs, que já perdeu uma queda de braço com os milicos do partido republicano nos USA.
    2 – o problema no Brasil é que os ditos “democratas”, progressistas de esquerda ou centro-direita, são ou ingênuos ou também toscos, adeptos de estigmas e de preconceitos intocados que estão vindo à tona nesse momento de polarização. E por isso entram no jogo miliciano de disputar o apoio dos militares ou de criar falsa polarização baseada em simplismo (“se você não é isso, é obrigatoriamente aquilo”) e que agora está sendo jogado entre os golpistas no poder, para garantir apoio ou paralisar dissidências, e para estancar a sangria interna – já que a oposição parece incapaz ou desinteressada de mobilizar o povo, por enquanto; o que pode ser estratégia de deixar o golpismo se esvair por si mesmo enquanto se prepara e se poupa de desgastes inúteis, mas que não pode demorar muito se considerar que isso já está ocorrendo deste o Vampirão, ou seja, há 3 anos, e o país talvez não aguente…
    3 – Nada de surpreendente no que está ocorrendo, é esse o plano dos invasores dos USA desde que deram o Golpe, tornar o país ingovernável não apenas agora mas se houver um milagroso retorno do povo ao poder. Como agem os saqueadores quando invadem uma cidade ou um país? Destroem o passado, o presente e o futuro, porque não têm a menor intenção de permanecer por muito tempo, ao contrário, querem varrer o lugar do mapa – e se permanecerem, é para empatar qualquer reação e manter fora de combate seu inimigo (alguém tem dúvida de que o governo dos USA vê o Brasil real como inimigo?). E não é que é isso o que os USA querem fazer com a América Latina desde sempre? Bingo. Até parece que a mídia independente acreditou nas fake news eleitorais de nacionalismo, racionalidade das Forças Armadas (cujo exemplo deve ser o que fizeram com o músico do RJ, Evaldo, suponho), que o problema era só fazer algum sacrifício temporário para manter o PT Bicho Papão fora do poder – no que grande parte da direita e centro-direita, e até ditas esquerdas, admitida ou tacitamente apoiaram…
    Pois agora a reação ao resultado do desgoverno fascista apenas confirma que a culpa não é só dos eleitores do Vergonhoso, havia e há caldo cultural para aceitar a barbárie – a diferença é de graus e aparências, apenas – desde que o país mantenha seu histórico horror ao poder popular.
    Estou cansada de me repetir e de ver o mesmo blah, blah, blah todos os dias como aqueles filmes em que o mesmo dia recomeça indefinidamente, num loop interminável (leiam professor Sevcenko para um sopro de criatividade). Se um dos principais articulistas da resistência, num momento em que prevê um golpe dentro do Golpe, se volta para os artífices do GOLPE-COM-STF-COM-TUDO-PARA-ESTANCAR-A-SANGRIA-DA-LESA-PÁTRIA-QUE-AGORA-ESTÁ-NO-PODER, e não para a sociedade civil, seus colegas de classe média, para os movimentos sociais, ou para qualquer coisa que mereça algum crédito, é porque realmente merecemos essa mixórdia (eu ia dizer m* mas até isso o guru cagão estragou, o uso subversivo de palavrões, rs, de repente todo mundo virou puritano) que estamos virando.

    Desisto de comentar sobre o Brasil por tempo indeterminado.
    Aqui, apenas para falar de meio ambiente, que deveria ser a preocupação principal porque desastres políticos e econômicos a gente supera se quiser, mas catástrofe ambiental é algo que nos supera – e talvez por soberba de recusarmos nossa extrema burrice coletiva que ela atesta indubitavelmente, aceitemos o caos mundial porque não temos coragem de ser coerentes em atos e palavras. É tudo vaidade, e em breve, extinção planetária. A cada dia que escolhem a primeira, aceleram a segunda.
    Se escaparmos, que outra espécie assuma o controle (eu voto nos felinos, rs) porque a espécie humana é fadada ao fracasso e à auto-indulgência – sei porque herdei os traços.

    Paulinho Moska – O último dia (pensemos nisso todos os dias, como oração/reflexão matinal)
    https://www.youtube.com/watch?v=Zb4eqZqCZFo

    Sampa/SP, 09/05/2019 – 00:58

  9. A estratégia de tirar as FFAA da frente tem duplo objetivo, um internacional e outro nacional:
    1) O Brasil na América é o único país com capacidade de fazer frente aos Estados Unidos, desde que a economia esteja em crescimento (principalmente a indústria) e haja pela parte de um governo nacionalista a intensão de fazer forças armadas com capacidade de retaliação. O Irã com uma indústria muito menor do que a brasileira, com uma população muito menor, com poucos recursos minerais e com uma agricultura que não lhe garante uma segurança alimentar, consegue em poucas décadas fazer mísseis que impedem o movimento livre dos norte-americanos em suas costas.
    2) Se as forças armadas não possuírem o mínimo em estrutura e sejam levadas a uma dependência total de armamento no exterior e sirva mais como uma unidade de apoio as polícias militares (envolvidas com as milícias) elas perderão por completo a autonomia e terão uma forte tendência a corrupção no caso da luta contra as drogas.
    De posse destas duas observações fica claro que as destruição das forças armadas como uma unidade de combate militar para guerras externas, serve aos interesses hegemônicos do Imperialismo Norte-Americano e de quebra pode-se instituir no Brasil um Estado Mafioso.

  10. Falência institucional do Brasil: como se manifesta e a quem interessa?
    O Brasil se encontra diante de uma falência política institucional. A situação é gravíssima. Como se manifesta esta falência? A quais interesses serve?
    De um lado, esta falência se manifesta pelo processo de desgaste e desmonte da legitimidade dos altos escalões do poder: ministros do STF, Senadores, Deputados Federais e, agora, Generais e altos oficiais das Forças Armadas.
    Do outro, pela feudalização e anarquia que tomou conta do Estado. A fragilização dos altos escalões do poder da nação, que são responsáveis por submeter e controlar os poderes menores na escala hierárquica através da imposição de padrões universais de normas, autoridades e condutas públicas, jogou o país na anarquia política.
    Esta, expressa-se na desobediência, no xingamento e no enfrentamento aberto de funcionários públicos inferiores na escala hierárquica do judiciário, MP, polícias e Forças Armadas contra seus superiores.
    Colado a esta anarquia, formaram-se feudos nestas organizações estatais onde cada senhor, que é aquele que possui poder de mando e comando em alguma escala, impõe suas próprias leis, ameaça avançar com suas tropas contra seus antigos superiores e contra os quais estes ex superiores -cujo poder derivava da obediência à hierarquia de comando- perderam o controle.
    Vale lembrar: os ex superiores são os próprios responsáveis por esta tragédia, na medida em que foram os primeiros a desobedecer à autoridade maior da soberania popular ao endossar o Golpe de 2016.
    Era esta tragédia que Kelsen tinha em mente e pretendia evitar quando advogava pela obediência à hierarquia da norma, desde a normal fundamental, cujo um dos pressupostos é exatamente a obediência à soberania da vontade popular.
    Por isso o respeito à hierarquia é entendido como decisivo para a entrada de um país no concerto da modernidade jurídica e para evitar a feudalização do Estado.
    Paralelo a este movimento interno de disputa que derreteu a hierarquia de autoridade e poder, há uma imprensa inconsequente que chantageia autoridades vulneráveis em busca de verbas publicitárias ou que, por esperta que é, busca se aliar provisoriamente aos novos donos do poder.
    A aliança provisória se justifica pelo interesse maior de abocanhar sua fatia de picanha assada extraída do futuro, da cidadania e da dignidade do trabalhador.
    No fundo, presa ao seu narcisismo, esta imprensa nutre a ilusão de que conseguirá conter e controlar os novos donos do poder.
    Porém, estes a odeiam, exatamente por que também são vulneráveis e temem ser chantageados em seus negócios criminosos por ela. Por isso, ela mesma deverá ser servida como parte do cardápio deste banquete trágico de autodestruição de uma nação.
    Por fim, o quadro de desmonte da hierarquia, feudalização e anarquia se expressa na formação de novos grupos de poder civil constituídos por milicianos, contrabandistas, grupos criminosos e devotos ideológicos, religiosos e políticos extremistas.
    Estes últimos, empoderados em seu ódio, sua ignorância e livres para se armar não tardarão em promover chacinas e crueldades diversas para saciar sua psicopatia.
    Grande parte dos novos donos do poder se encontram umbilicalmente ligados a estes grupos, deles derivam sua força e por meio deles também intimidam os antigos donos do poder.
    Então, a quais interesses serve esta falência institucional do Brasil?
    Serve, primeiramente, aos novos donos do poder que emergiram dos subterrâneos da marginalidade e da criminalidade, para os quais a anarquia e a feudalização do poder estatal significa mais musculatura ao seu poder paraestatal, informal, criminoso, assim como blindagem contra qualquer investigação ou punição pelos seus crimes.
    A eles se associam os interesses criminosos do capital sem nação, sem responsabilidade social e humana dos grandes impérios financeiros e da indústria de armamentos.
    Por fim, serve à ambição imperialista de poder da elite política/militar/empresarial norte-americana, que investe pesado contra qualquer sinal de ameaça à sua hegemonia mundial e regional.
    O cenário está todo montado para que possamos regredir ao estado de natureza hobbesiano, estado da selvageria, da guerra de todos contra todos, da desconfiança, do risco e da ameaça constantes sobre a vida e a liberdade, da dor, da miséria e do ódio.
    Válber Almeida – Sociólogo, Doutor em Sociologia, Pós-Doutor em Socioeconomia e Sustentabilidade, Professor universitário.

  11. Nassif, deixa! Quanto maior eles sobem, maior será o tombo. Deus tá vendo tudo. E também é bom pra o povo que votou nele reconhecer o seu erro.

  12. E este pessoal com o ranço vingativo que possui e por ter ódio a tudo e todos, depois de armados não esperem coisa boa, muito menos juízo. Se hoje, afrontam as instituições e pessoas com palavras (já perderam o bom senso) apenas com armas virtuais e seus dossiês, imagine com armas de fogo nas mãos. Para qualquer um ser tratado como comunista, terrorista e um possível alvo, não vai faltar nada e aliás, esta é a principal promessa que os mais irados esperam Bolsonaro cumprir.

  13. E este pessoal com o ranço vingativo que possui e por ter ódio a tudo e todos, depois de armados não esperem coisa boa, muito menos juízo. Se hoje, afrontam as instituições e pessoas com palavras (já perderam o bom senso) apenas com armas virtuais e seus dossiês, imagine com armas de fogo nas mãos. Para qualquer um ser tratado como comunista, terrorista e um possível alvo, não vai faltar nada e aliás, esta é a principal promessa que os mais irados esperam Bolsonaro cumprir.

  14. Álvaro, constituinte velha e ultrapassada! Ela é de 1988 e muito boa, porém não bem utilizada. Agora menos ainda, afinal estávamos na ditadura. Percebe!

  15. Álvaro, constituinte velha e ultrapassada!? Ela é de 1988 e muito boa, porém não bem utilizada. Agora menos ainda, afinal estamos na ditadura. Percebe!

  16. na verdade estamos sendo golpeados desde a saída dadilma,
    ou até antes, desde o famigerado e infame mensalão….
    é porrada a toda hora….

  17. Falência institucional do Brasil: como se manifesta e a quem interessa?
    O Brasil se encontra diante de uma falência política institucional. A situação é gravíssima. Como se manifesta esta falência? A quais interesses serve?
    De um lado, esta falência se manifesta pelo processo de desgaste e desmonte da legitimidade dos altos escalões do poder: ministros do STF, Senadores, Deputados Federais e, agora, Generais e altos oficiais das Forças Armadas.
    Do outro, pela feudalização e anarquia que tomou conta do Estado. A fragilização dos altos escalões do poder da nação, que são responsáveis por submeter e controlar os poderes menores na escala hierárquica através da imposição de padrões universais de normas, autoridades e condutas públicas, jogou o país na anarquia política.
    Esta, expressa-se na desobediência, no xingamento e no enfrentamento aberto de funcionários públicos inferiores na escala hierárquica do judiciário, MP, polícias e Forças Armadas contra seus superiores.
    Colado a esta anarquia, formaram-se feudos nestas organizações estatais onde cada senhor, que é aquele que possui poder de mando e comando em alguma escala, impõe suas próprias leis, ameaça avançar com suas tropas contra seus antigos superiores e contra os quais estes ex superiores -cujo poder derivava da obediência à hierarquia de comando- perderam o controle.
    Vale lembrar: os ex superiores são os próprios responsáveis por esta tragédia, na medida em que foram os primeiros a desobedecer à autoridade maior da soberania popular ao endossar o Golpe de 2016.
    Era esta tragédia que Kelsen tinha em mente e pretendia evitar quando advogava pela obediência à hierarquia da norma, desde a normal fundamental, cujo um dos pressupostos é exatamente a obediência à soberania da vontade popular.
    Por isso o respeito à hierarquia é entendido como decisivo para a entrada de um país no concerto da modernidade jurídica e para evitar a feudalização do Estado.
    Paralelo a este movimento interno de disputa que derreteu a hierarquia de autoridade e poder, há uma imprensa inconsequente que chantageia autoridades vulneráveis em busca de verbas publicitárias ou que, por esperta que é, busca se aliar provisoriamente aos novos donos do poder.
    A aliança provisória se justifica pelo interesse maior de abocanhar sua fatia de picanha assada extraída do futuro, da cidadania e da dignidade do trabalhador.
    No fundo, presa ao seu narcisismo, esta imprensa nutre a ilusão de que conseguirá conter e controlar os novos donos do poder.
    Porém, estes a odeiam, exatamente por que também são vulneráveis e temem ser chantageados em seus negócios criminosos por ela. Por isso, ela mesma deverá ser servida como parte do cardápio deste banquete trágico de autodestruição de uma nação.
    Por fim, o quadro de desmonte da hierarquia, feudalização e anarquia se expressa na formação de novos grupos de poder civil constituídos por milicianos, contrabandistas, grupos criminosos e devotos ideológicos, religiosos e políticos extremistas.
    Estes últimos, empoderados em seu ódio, sua ignorância e livres para se armar não tardarão em promover chacinas e crueldades diversas para saciar sua psicopatia.
    Grande parte dos novos donos do poder se encontra umbilicalmente ligados a estes grupos, deles derivam sua força e por meio deles também intimidam os antigos donos do poder.
    Então, a quais interesses serve esta falência institucional do Brasil?
    Serve, primeiramente, aos novos donos do poder que emergiram dos subterrâneos da marginalidade e da criminalidade, para os quais a anarquia e a feudalização do poder estatal significa mais musculatura ao seu poder paraestatal, informal, criminoso, assim como blindagem contra qualquer investigação ou punição pelos seus crimes.
    A eles se associam os interesses criminosos do capital sem nação, sem responsabilidade social e humana dos grandes impérios financeiros e da indústria de armamentos.
    Por fim, serve à ambição imperialista de poder da elite política/militar/empresarial norte-americana, que investe pesado contra qualquer sinal de ameaça à sua hegemonia mundial e regional.
    O cenário está todo montado para que possamos regredir ao estado de natureza hobbesiano, estado da selvageria, da guerra de todos contra todos, da desconfiança, do risco e da ameaça constantes sobre a vida e a liberdade, da dor, da miséria e do ódio.
    Válber Almeida – Sociólogo, Doutor em Sociologia, Pós-Doutor em Socioeconomia e Sustentabilidade, Professor universitário

  18. Christiane Vieira esta pra la de correta. A sorte e que EEUU nao invadiu o territorio nacional nem mandou um estado vendilaho fazer a guerra no Brazil… A coisa esta feia… e dizer que o Robinson Pinheiro apooiu essa bagunca.
    Tdos falam dos evangelicos e ninguem menciona os espiritas Kardecistas nem os Militares Espiritas…todos caladinhos…
    A moite na praca da republica em Sao Paulo, mostra a realidade que esta se alastrando pelo Brasil.
    New Age e outros espiritualistas estam esperando que Jesus venha nos salvar…
    Estamos vivendo a loucura das loucuras…E hora de parar, pensar e cooperarmos com nossas comunidades para um Brasil melhor…direita ou esquerda nao corresponde quando a fome esta grassando o pais, a privatizacao da agua esta em andamento, eletricidade aumentando e preco de gasolina e de botijap de gaz…
    O basico vai fazer muita gente acordar pra realidade de que todos precisamos do basico para existir.
    Ai, os chamados economistas (nao considero economistas como cientistas de maneira nenhuma, sao apenas oportunistas. Um PIB que junta setor de servico com produtores reais de riqueza…esquece essa ciencia falsa)…

  19. Não entro no mérito da questão,principalmente por ter o senhor editor informações de alcova.Mas me permito discordar dele.A “balbúrdia” é grande,não vejo como se ajustar um “golpe” levando-se em consideração os desencontros dos grupos pelos nacos do butim,mesmo reconhecendo que um grupo golpista tenha uma maior capilaridade que os demais.Resumo da Ópera:”O Golpe Perde Força”.

  20. Duvidas(muitas),constatações(poucas) e digressões(algumas).

    1-Bolsonaro
    Me pergunto, cada dia mais, se não teríamos, todos nos de esquerda/progressistas(e os outros também), cometido um grande erro de avaliação e de estratégia…..acho que subestimamos o Bolso baseados no “primarismo” da criatura….talvez tenhamos esquecido que Bolso é,como ele mesmo disse recentemente, um soldado….Alguém que cumpre ordens, segue o plano…sem “duvidas” ou contestações, sem maiores reflexões.Que Bolso seja “fantoche” de alguém ou grupo, não tenho muitas duvidas, mas quem “puxa as cordinhas” tem plano, estratégia e método, também me parece bastante claro….
    Olavo de Carvalho? Talvez em parte, mas o quem tem como poder “real”,o “guru” Olavo? A palavra sem apoios reais, tem “pernas curtas e frageis”….Muito se falou de Steve Bannon e esta provado que aconselhou a família Bolso, mas eu vejo o Bannon mais como um “fazedor de reis”, um estrategista de campanha política….Tem um personagem que sempre esta nas “paradas”, sem que ninguém preste muita atenção, e com muito poder…..O secretario de estado Mike Pompeo(Michael Richard Pompeo)….Dando uma olhada na “ficha” do cidadão:

    Fonte-https://es.wikipedia.org/wiki/Mike_Pompeo

    “Michael Richard Richard “Mike” Pompeo (Orange, Califórnia, 30 de dezembro de 1963) é um político e empresário americano.
    Na Câmara dos Deputados, adquire a reputação de apresentar projetos de lei favoráveis aos irmãos Koch, que financiaram suas campanhas eleitorais.
    Em 13 de março de 2018, na qualidade de diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), foi nomeado Secretário de Estado dos EUA pelo Presidente Donald Trump. Anteriormente, ele havia atuado como representante do 4º distrito eleitoral do Kansas entre 2011 e 2017. Ele era membro do Tea Party dentro do Partido Republicano. Ele é o representante do Estado do Kansas na Comissão Nacional Republicana e foi membro da Delegação Italiano-Americana do Congresso. Em 18 de novembro de 2016, ele foi anunciado como diretor da CIA pelo Presidente eleito Donald Trump e confirmado pelo Senado em 23 de janeiro de 2017. Posteriormente, o presidente Trump nomeou-o secretário de Estado, substituindo Rex Tillerson.
    Sua nomeação foi criticada com base no argumento de que ele era a favor da espionagem em massa e de líderes estrangeiros, e que Edward Snowden deveria ser julgado e eventualmente condenado à morte. Ele também explica que quer uma CIA mais “agressiva, brutal, impiedosa e implacável”.
    É descrito como um dos “falcões” contra o Iran e a Venezuela”.

    Outras infos:
    Veio para a posse de Bolso, é membro da NRA e seria homenageado junto com Bolso no evento cancelado em NY…..

    Talvez sejam pistas/indícios para entender como um completo imbecil que seria tutelado pelos militares,no que todos concordávamos, passa, de uma hora pra outra, a tutelar toda a turma militar do governo…..Porque?Talvez porque os militares não concordem com a “aventura” militar Venezuelana?……Duvidas(muitas)…………

  21. mais armas -> mais mortes
    menos médicos -> mais mortes
    menos impostos no cigarro -> mais mortes
    mais impostos nos remédios -> mais mortes
    autorização para matar -> mais mortes
    menos educação -> mais mortes
    menos saúde -> mais mortes
    mais guerras -> mais mortes

  22. O NAZISMO GUERREAVA NA EUROPA E ÁFRICA, ESCRAVIZANDO E ELIMINANDO JUDEUS E DESTRUINDO A RÚSSIA no caminho para Moscou. Aí chegou ao seu próprio Inferno em Stalingrado, e à sua própria destruição e da Alemanha. Em 1942 na 5ª edição de “Psicologia do Inconsciente”, Jung, na Suíça neutra, reeditava a melhor descrição em palavras magistrais, APLICÁVEIS HOJE 77 ANOS DEPOIS, AO BRASIL, AMÉRICA E MUNDO:

    “…O HOMEM CIVILIZADO AINDA É UM BÁRBARO…UM AÇOITE DE FERRO ESTÁ À ESPERA, caso ainda se tenha a veleidade de responsabilizar o vizinho pelos seus próprios defeitos. A psicologia do indivíduo corresponde à psicologia das nações. …Em tempo algum meditar sobre si mesmo foi uma necessidade tão imperiosa…como nesta catastrófica época contemporânea.”

    “ …Muitos ainda procuram fora de si mesmos, UNS ACREDITAM NA ILUSÃO DA VITÓRIA E DO PODER,,,O autoconhecimento…a volta do ser humano às suas origens, AO SEU PRÓPRIO SER E À VERDADE INDIVIDUAL E SOCIAL, EIS O COMEÇO DA CURA DA CEGUEIRA QUE DOMINA O MUNDO DE HOJE.”
    —–
    Em junho de 1942, um dos médicos de Hitler apresentou a Jung na vizinha e neutra Suíça, que “um núcleo de oficiais alemães de alta patente estava preocupadíssimo com o COMPORTAMENTO CADA VEZ MAIS IMPREVISÍVEL DE HITLER, SOBRETUDO POR QUE ELE COMEÇARA A BEBER MUITO”. [A citação e as que seguem, são do livro “Jung, uma Biografia”, de Deirdre Bair, volume 2, páginas 164 e seguintes].

    Queriam que Hitler fosse discretamente observado e avaliado, de preferência por um psicanalista de um país neutro. COM O RELATÓRIO, “ESPERAVAM CONVENCER OUTROS FUNCIONÁRIOS E MILITARES AINDA HESITANTES, A JUNTAREM-SE A ELES NA DEPOSIÇÃO DE HITLER e para por fim a uma guerra que sabiam estar perdendo”, depois de Stalingrado. Jung recusou “citando não só as dificuldades em viajar atravessando fronteiras fechadas, mas também a saúde enfraquecida pelas privações da guerra. As desculpas foram aceitas e ele nunca mais teve notícias de ninguém tão próximo a Hitler.”

    “Wilhelm Bitter, um psiquiatra alemão… tornou-se membro dessa conspiração”…e solicitou a participação de Jung, A PEDIDO DO GENERAL WALTER SCHELLENBERG, O NÚMERO UM DO SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA. “Logo depois da derrota de Stalingrado, Schellenberg confessou que achava o Nazismo ‘inteiramente errado’”. Bitter disse “que só uma rendição incondicional imediata poderia salvar a Alemanha de uma futura ocupação Russa”.

    “QUANDO JUNG SE RECUSOU A DIAGNOSTICAR HITLER, O GENERAL PEDIU A DE CRINIS QUE O FIZESSE, ESPERANDO QUE ELE DESCOBRISSE A CONDIÇÃO DE INSTABILIDADE MENTAL DO DITADOR… uma vez que os patriotas alemães achariam mais fácil DEMOVER UM LÍDER DOENTE do que apoiar um golpe traiçoeiro”… “O objetivo era persuadir os conspiradores em potencial de que Hitler estava se tornando tão incapaz que ERA DEVER DELES contradizer suas ordens. Com ou sem seu consentimento esperavam chegar a um armistício… Schellenberg e os demais conspiradores achavam que o plano tinha boa chance… seria atraente para os ingleses.” Bitter foi escolhido para entrar em contato com Jung. Mas o plano se dissipou em agosto e os conspiradores tiveram que abandonar o projeto. Bitter se exilou na Suíça. Por esse malogro a guerra prosseguiu com seus horrores cada vez maiores, e em 20 de julho de 1944 o vice-almirante Canaris e seu grupo conseguiram explodir uma bomba para matar Hitler em reunião de alto comando, infelizmente apenas ferindo-o.

    Os horrores do Inferno aumentaram, havendo até o impensável, o “unthinkable”, “a Abominação da Desolação”, os Estados Unidos inauguraram (mau augúrio) a Era da Guerra Atômica explodindo duas bombas atômicas no Japão. Visando uma tentativa de hegemonia do Império Americano, mas conseguindo apenas a bipolarização do poder mundial com a Rússia. Depois vieram corridas armamentistas, imperialismo neocolonial americano sobre o Oriente Médio e outros. Após o fim da União Soviética, o parcial hegemonismo imperial do “Exceptionalistan”, com a fantástica doutrina do Excepcionalismo Americano, que é endossada por muitos pelo mundo afora. Finalmente, todos os desastres que ainda sofremos no mundo em consequência até hoje, mesmo passados 73 anos. E agora, com a volta da pressão Imperial Americana sobre a América do Sul, como estratégia geopolítica à progressiva decadência e problematização do poder do Império no Oriente Médio, de forma a continuar dominando importantes fontes de petróleo.
    —–
    HÁ MENOS DE DOIS ANOS ATRÁS SE CRIOU NO OCIDENTE UM SEGUNDO PRECEDENTE: Em 2017 nos Estados Unidos, UM GRUPO DE PSIQUIATRAS ELABOROU UMA SÉRIE DE ENSAIOS ANALISANDO A SAÚDE MENTAL DE TRUMP, editados no livro “O PERIGOSO CASO DE DONALD TRUMP”, pela professora de psiquiatria da Universidade de Yale, DRA. BRADY LEE. (Artigo de 05/01/2018 “Congressistas consultam psiquiatra sobre saúde mental de Trump”, em Mundo G1).

    57 DEPUTADOS (30% DO TOTAL), a maioria Democratas, e um senador Republicano, após alguns dizerem que estavam PREOCUPADOS COM O RISCO QUE REPRESENTAVA O PRESIDENTE PARA O PAÍS E PARA O MUNDO, COM SUA INSTABILIDADE MENTAL, redigiram um projeto de lei para uma comissão parlamentar especial sobre a “incapacidade presidencial” para determinar se “O PRESIDENTE ESTAVA PSICOLOGICAMENTE OU FISICAMENTE CAPACITADO PARA CUMPRIR SUAS FUNÇÕES”, INCLUSIVE COM O POTENCIAL DE DECLARAR GUERRA E COMANDAR AS FORÇAS ARMADAS AMERICANAS.

    Na Constituição Americana, além da possibilidade do impeachment do presidente, há a 25ª emenda que PERMITE AO VICE-PRESIDENTE COM A METADE DO GABINETE DECLARAR QUE O PRESIDENTE “É INCAPAZ DE EXERCER O PODER E CUMPRIR COM OS DEVERES DO CARGO, No caso de o presidente contestar a decisão baseada na 25ª emenda, o Congresso pode confirma-la por ao menos dois terços dos votos”.

    Em uma reportagem, disse o psicólogo John Gartner, professor da John Hopkins, “…Trump não tem apenas um, mas três transtornos mentais descritos no DSM – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria”. Ele conclamou outros especialistas de saúde mental em 2017 a pedir o afastamento do Presidente. “… A combinação de transtornos torna a sua personalidade mais sombria.“ Gartner disse que a postura antiética é a dos profissionais que estão calados. “Trump é um perigo iminente para qualquer um no planeta… Minha obrigação de avisar sobre o risco sobrepõe…”.

    Em um seu artigo, o psiquiatra Spitznas, em junho de 2017, falou de Trump como tendo uma paranoia delirante e transtorno de personalidade antissocial (ASPD) (sociopata), com impulsividade, megalomania, mitomania, irritabilidade e agressividade, falta de remorso, tudo segundo o “padrão ouro“ americano que é o DSM – 5. Pessoas assim “exibem cronicamente seus comportamentos negativos, e seus sintomas PREJUDICAM SIGNIFICATIVAMENTE SUA CAPACIDADE DE FUNCIONAR… Não se pode confiar em um indivíduo paranoide que não consegue discernir perigos reais daqueles que apenas imaginam. UM SOCIOPATA, POR DEFINIÇÃO SEMPRE ATUA EM SEU PRÓPRIO INTERESSE, ARRISCANDO A SEGURANÇA E O BEM ESTAR DE TODOS…”

    “Essa exposição de Trump eleva meu grau de certeza… o diagnóstico… não exige alto grau de sofisticação para ser feito… Um indivíduo imparcial que seja Bacharel em Ciências ou em Psicologia poderia chegar às mesmas conclusões que eu…”.

    “Mas tempos desesperados exigem medidas desesperadas [denúncias]…aderi ao movimento Dever de Advertência…”

    Em outra reportagem, a Dra. Brady Lee lembra que “… muitos dos sintomas apresentados por Trump são muito comuns… MAS É INCOMUM ENCONTRAR UMA PESSOA COM SINAIS DE PERIGO NA PRESIDÊNCIA.”.

    No Brasil de hoje enfrentamos caso mais grave.

    Entretanto Trump demonstrou esperteza, oferecendo-se para fazer um teste cognitivo Montreal, o MOCA, sendo aprovado nesse ligeiro teste de 10 minutos, o que desarmou o movimento da sociedade e dos deputados. Mas o neuropsicólogo David Morales afirma que esse método é pouco adequado… ”CHAMA A ATENÇÃO QUE TENHA SIDO UTILIZADO ESSE TESTE, PORQUE É COMO VOCÊ FOSSE AO MÉDICO E TIRASSEM A PRESSÃO SANGUÍNEA. É uma coisa muito elementar e simples”.

    No Brasil os militares há muitos anos atrás liberaram o DRAGÃO. Nos nossos dias o apoiaram pensando controlá-lo e aproveitá-lo para seu próprio poder. Agora, NA CASA DO SEM JEITO, ESTÃO VENDO SEM NADA FAZER, o resultado fugir a qualquer controle. DOENÇA requer medidas de emergência, face à possível INTROMISSÃO EM DESASTROSA GUERRA, QUE DE QUALQUER FORMA DEIXARÁ SEQUELAS DE ÓDIOS CÁ NO SUL POR MAIS DE 50 ANOS PELO MENOS. Os Estados Unidos podem se dar a isso, como com os Árabes, em que ódios já perduram por 70 anos, como reconheceu Bush, com alto grau de ingenuidade e desfaçatez. Quem será JORGE agora? Quem representará JORGE depois, nos próximos e difíceis anos? Alertem-se os militares que a CIA e a NSA podem assassinar como já fizeram várias vezes antes, altos comandantes.
    —–
    De acordo com a Enciclopédia Wikipaedia, verbete em inglês traduzido livremente, O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ESQUIZOTÍPICO é caracterizado por severa ansiedade social, DESORDEM DO PENSAMENTO, IDEIAS PARANOIDES, NÃO ENTENDIMENTO CORRETO DA REALIDADE, PSICOSES PASSAGEIRAS E FREQUENTES CRENÇAS NÃO CONVENCIONAIS. Pessoas assim sofrem de extremo desconforto em manter relações próximas com outras, principalmente porque elas pensam que seus parceiros guardam pensamentos negativos em relação a elas, e assim elas evitam formar relações próximas. Maneirismos peculiares na fala e estranhos modos de vestir são também sintomas dessa desordem mental. Podem reagir estranhamente em conversas, não responder ou falar para si próprias. Frequentemente interpretam situações como sendo estranhas ou tendo significado incomum para elas; crenças supersticiosas e paranormais são comuns. Tais pessoas frequentemente procuram atenção médica para ansiedade ou depressão ao invés de para suas desordens de personalidade.

    O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ESQUIZOTÍPICA OCORRE EM APROXIMADAMENTE 3% DA POPULAÇÃO E É MAIS COMUM EM HOMENS (4,7% DOS HOMENS E 3,7% DAS MULHERES NOS EUA). É classificada como Transtorno de personalidade do Cluster A (ou Grupo A) (transtornos estranhos ou excêntricos). É amplamente entendida com sendo do “ESPECTRO DA ESQUIZOFRENIA”. É caracterizada por uma comum DEGRADAÇÃO DA ATENÇÃO EM GRAUS VARIADOS. Ocorre concomitantemente com maiores transtornos depressivos, distimia (permanente humor depressivo) e FOBIA SOCIAL e pode ocorrer com transtorno obsessivo compulsivo, APRESENTANDO POUCAS CHANCES DE CURA. Mais frequentemente ocorrentes com o transtorno esquizotípico são os transtornos esquizoide, paranoide, evitante e border line. ALGUNS DESENVOLVEM ESQUIZOFRENIA, mas muitos não o fazem. DÉFICITS DE COGNIÇÃO SÃO SIMILARES AOS DE ESQUIZOFRENIA, MAS QUANTITATIVAMENTE MAIS SUAVES, mas um estudo de 2004 não apoia integralmente o modelo de que o transtorno esquizotípico seja simplesmente uma forma aliviada de esquizofrenia.

    NO CASO DE USO DE METANFETAMINAS PESSOAS COM O TRANSTORNO TÊM GRANDE RISCO DE DESENVOLVER PSICOSE PERMANENTE.

    A American Psychiatric Association, Associação Psiquiátrica Americana, descreve em sua caracterização DSM-5, que a Desordem de Personalidade Esquizotípica é definida como um “pervasivo” (penetrante, dominante) padrão de déficits social e interpessoal marcado por agudo desconforto com, e reduzida capacidade para, relacionamentos próximos, bem como por DISTORÇÕES E EXCENTRICIDADES DO COMPORTAMENTO COGNITIVO E PERCEPTUAL, INICIANDO NA PRIMEIRA FASE DA IDADE ADULTA e presente em uma variedade de contextos.

    Pelo menos CINCO SINTOMAS DEVEM ESTAR PRESENTES ENTRE OS SEGUINTES: (a) Ideias de referencia (delírios interpretativos de coincidências ou fatos corriqueiros); (b) Crenças estranhas ou pensamento mágico; (c) Experiências perceptuais anormais; (d) Modo de pensar e de falar estranhos; (e) Paranoia; (f) Afetos inapropriados ou constritos; (g) Comportamento ou aparência estranhos; (h) Falta de amigos próximos; (i) Excessiva ansiedade social que não diminui e resiste, de paranoia mais do que de julgamentos negativos sobre si próprio.

    Já a Organização mundial da Saúde World Health Organization, através da classificação ICD -10, que usa o termo “Desordem Esquizotípica”, classifica-a como DESORDEM CLÍNICA ASSOCIADA COM A ESQUIZOFRENIA, mais do que uma desordem de personalidade como no DSM-5. Define o ICD-10: Uma desordem caracterizada por comportamento excêntrico e anomalias do pensamento e do sentimento (afeto) QUE PARECEM COM AQUELAS VISTAS NA ESQUIZOFRENIA, embora não tenham ocorrido anomalias esquizofrênicas características em algum momento.

    Não há distúrbios dominantes ou típicos, mas alguns dos seguintes podem estar presentes: (a) Sentimento (afetos) não apropriados ou restringidos (o individuo parece frio ou distante, indiferente); (b) Comportamento ou aparência que é estranho, excêntrico ou peculiar; (c) Pobre relacionamento com outros e uma tendência a recuar ou retrair socialmente; (d) Crenças estranhas ou pensamento mágico, influenciando o comportamento e incongruentes com normas subculturais, ou inconsistentes; (e) Ideias cheias de suspeição ou paranoides; (f) Ruminações obsessivas sem resistência interior; (g) Experiências perceptuais incomuns incluindo ilusões somato-sensórias (corporais) ou outras, de-personalização (destacamento de si próprio, ficando o mundo fora da realidade, em experiência conturbadora) ou de-realização (alteração na percepção, mundo fica parecendo irreal, sem colorido emocional, sintoma dissociativo); (h) Modos de pensar vagos, circunstanciais, metafóricos, super-elaborados ou estereotipados, manifestados por falas estranhas ou em outras formas sem incoerência crassa; (i) EPISÓDIOS QUASE PSICÓTICOS OCASIONAIS E PASSAGEIROS com intensas ilusões, alucinações auditivas ou outras e ideias semelhantes a delírio (delusion-like), usualmente ocorrendo com provocação externa

    A desordem percorre um curso crônico com flutuações de intensidade. OCASIONALMENTE ELA EVOLUI EM ESQUIZOFRENIA ABERTA. Não há início ou ataque definido e sua evolução e curso são aqueles de uma desordem de personalidade. É mais comum em indivíduos aparentados a pessoas com esquizofrenia e é acreditado como sendo parte do ‘ESPECTRO’ GENÉTICO DA ESQUIZOFRENIA. 3 ou 4 dos sintomas acima citados devem apresentar-se continuadamente ou episodicamente no mínimo dois anos.
    13 de maio de 2019.

  23. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome