Questão – como decifrar o caso Kassio Nunes

A indicação de Kassio Nunes para o Supremo Tribunal Federal (STF) agradou o centrão, os Ministros da casa, os advogados garantistas, incluindo advogados alinhados com a esquerda.

Há algumas certezas na indicação.

1. Bolsonaro arreglou para o STF, devido aos inquéritos envolvendo o filho Flávio Bolsonaro. Deixou isso nítido na live que fez ontem, na frente do Palácio. Lá, afirmou que não é cabeça dura e que as pessoas precisavam confiar nele.

Não é cabeça dura quando a água bate no nariz, é óbvio. Como todo valentão, Bolsonaro espuma, quando dono da situação, e amarela, quando em desvantagem.

Por outro lado sabe que a história de “matar no peito” – promessa de Luiz Fux ao PT, para ser indicado Ministro – não é confiável. Como já escrevi várias vezes, assim como os corpos na física, há dois personagens totalmente distintos: o Ministro, antes de indicado; e o Ministro, depois de indicado. Por isso mesmo, tem que haver laços mais profundos para a indicação.

2. Os advogados garantistas gostaram da indicação pelo fato de Kassio ser um garantista.

3. Políticos petistas gostaram porque Kassio sempre teve bom diálogo com todos.

4. Ministros do STF gostaram porque um indicado ‘terrivelmente evangélico” seria um desastre para a casa.

Mas fica a dúvida: porque Flávio Bolsonaro gostou?

Hoje, na Folha, os repórteres Matheus Teixeira, Julia Chaib e Gustavo Uribe trazem peças interessantes para montarmos o nosso Xadrez,

Este parágrafo é essencial para a montagem da nossa teoria do fato:

A indicação de Kassio ao Supremo contou com a chancela de Flávio e de Frederick Wassef, ex-advogado da família, segundo aliados do presidente. Além deles, uma terceira pessoa teria chancelado o nome: Maria do Carmo Cardoso, juíza federal do TRF-1.

Agora, basta juntar as seguintes peças, sabendo que não são acusações, mas apenas indícios leves das teias de relações que se formam em Brasilia em torno de personagens do poder.

Peça 1 – O TRF-1

O TRF-1 é considerado um tribunal suscetível às demandas das partes. Por ter sede em Brasilia, funciona como uma jurisdição especial em todo território nacional.

Leia também:  Xadrez da entrada do país na era da ebulição, por Luis Nassif

Para alguns temas, há disputa para levar os casos para lá, como é o caso dos fabricantes de cigarros que não pagavam imposto. No TRF1 sempre conseguiam decisões favoráveis. Ele é o terror da Receita Federal.

Peça 2 – Wassef e o TRF-1

Uma das especialidades de Fredrick Assef, além de suas ligações com delegacias de polícia, é atuar pelos clientes junto ao TRF-1. Possivelmente é por aí que se entende o pagamento que recebeu da JBS.

Segundo a revista Crusoé, Wassef recebeu R$ 9 milhões da JBS. A informação foi levantada pelo COAF dentro das investigações sobre o caso Queiroz. Os pagamentos foram feitos entre 2015 e 2020.  Wassef explicou que  se referiam a serviços prestados à JBS no âmbito da Lava Jato.

Peça 3 – a JBS e o TRF-1

Reportagem da revista Veja, de 11 de setembro de 2017, afirmava que a JBS comprava sentenças no TRF1. As informações vieram de uma centena de documentos que o Ministério Público Federal recebeu com centenas de documentos, áudios, e-mails, mensagens de WhatsApp mostrando as tentativas recorrentes da JBS de comprar sentenças judiciais em Brasilia.

O dossiê revela as conversas entre o diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis e Silva, com a advogada Renata Gerusa Prado de Araújo, funcionário do departamento.

Nas conversas eles falam em pagamento em espécie em processos sob a relatoria da desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso, mãe de Renata, e pelo menos três Ministros do STF, Napoleão Maia, Mauro Campbell e João Otávio de Noronha.

Nem se tome por verdade. Nesse meio há muita venda de prestígio e apostas na chamada taxa de sucesso. O advogado diz que consegue o voto do julgador. Há duas possibilidades de votos: contra ou a favor. Se for a favor, ganha. Algumas vezes o julgador não tem a mínima ideia das apostas envolvendo sua sentença.

Leia também:  Defesa de Paes usa tese de Flávio Bolsonaro para pedir foro especial

O dossiê foi entregue ao MPF pelo advogado Pedro Betim Jacobi, ex-marido de Renata e contem diálogos bastante comprometedores, especialmente para a própria Renata.

Segundo reportagem da revista Veja,

“Neste diálogo, Francisco de Assis, diretor da JBS, aciona a advogada Renata Araújo para obter uma liminar com o ministro Mauro Campbell, do STJ. Seis dias depois, Renata menciona o acerto feito com um interlocutor não identificado: 500 000 reais para a medida cautelar (MC) e 1 milhão de reais para o recurso especial (Resp). O interlocutor teria pedido que o valor fosse pago na forma de “honorários” à própria advogada, que depois o repassaria. A irregularidade está na forma de remuneração: “pagamento em espécie”. O ministro Mauro Campbell negou o pedido da JBS

Maria do Carmo apareceu em outros episódios controvertidos, como uma disputa pelo manganês envolvendo a Icomi e empresários coreanos.

Depois das denúncias, Maria do Carmo tirou 60 duas de férias. Tempos depois em abril de 2018,  foi eleita corregedora do TRF1, em uma chapa que tinha como presidente o desembargadora Carlos Eduardo Maul Moreira Alves e como vice o desembargador Kassio Nunes. A reportagem da Folha confirma as relações entre Maria do Carmo e Kassio. Mas, como ela votou a seu cargo no TRF-1, certamente as conversas da filha não eram definitivas.

Peça 4 – Geovani Antunes Meirelles

Apelidado de “Jarrão”, é empresário influente em Brasilia. Mantém relação estreita com o ex-governador José Roberto Arruda (PR), marido da deputada federal Flávia Arruda (PR-DF). O casal oficializou a união na casa de Meirelles.

Quando Arruda foi preso pela Policia Federal, em 2010, em sua garagem havia dois veículos, um deles registrado em nome da Polytotal, empresa de Geovani Meirelles. Além disso, Jarrão mexe com postos de gasolina, outra área sempre na mira da Receita e, como tal, recorre frequentemente ao TRF-1..

Suas ligações com Wassef e Flávio Bolsonaro aparecem quando empresta uma casa, à beira do Lago Paranoá, em Brasilia, para Flávio Bolsonaro conceder uma entrevista para o programa “Em Foco” da Globonews.

Leia também:  Xadrez do dilema: impeachment ou morte, democracia ou golpe

Em entrevista ao UOL, Wassef disse que solicitou a casa de um cliente seu. A casa estava penhorada para uma empresa de factoring. No ano anterior, Jarrão foi condenado a 6 anos de prisão pela Justiça do DF, por crime ambiental., por “impedir ou dificultar a regeneração natural de florestas e demais formas de vegetação” à beira do Lago Paranoá.

Além disso, duas empresas de Jarrão, a Polytotal e  Atlas Taxi Aereo tem R$ 23 milhões em dívida ativa de tributos e contribuições previdenciárias.

Peça 5 – Ciro Nogueira

De posse do contrato de gaveta, os agentes federais rastrearam a empresa Geopetros – Geovani Petróleo e Derivados Ltda, associada à empresa Atlas Ltda, que tem contratos de prestação de serviços com as plataformas da Petrobras. Esses acordos também são alvo da Lava Jato.

O ponto de contato com Geovani com Ciro está em um inquérito que tramita no Judiciário do Paraná e no STF. A PF apreendeu um jatinho. Nas investigações descobriram um contrato de gaveta e chegaram à empresa Geopetros – Geovani Petróleo e Derivados Ltda, associada à empresa Atlas Ltda. Que prestava serviços à Petrobras.

Descobriu-se que Ciro tinha 37,6% do avião, assim como Wigberto Tartuce, o Wigão, 0empresário enrolado em desvios de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador, e com todo seu patrimônio bloqueado para garantir uma dívida de R$ 100 milhões.

À guisa de conclusão

O Xadrez acima não aponta nenhum dado que, diretamente, comprometa Kassio Nunes. Apenas coloca as primeiras peças no tabuleiro. Novas peças provavelmente aparecerão no decorrer dos próximos meses até que haja um julgamento justo sobre a indicação de Bolsonaro. Mas mostra mais pouco do dignificante mundo dos Bolsonaro, aquele que a pax brasileira com o Supremo e tudo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

12 comentários

  1. Eita Nassifão danado,antes que Kassio Piauiense esquentasse a cadeira de Celso de Mello,descobriu que o cara de coco também gosta de uma grana não contabilizada.Alto lá Nassa,só porque o cidadão é do Piauí não pode dá a mordidela dele?Ciro Nogueira rouba desde que saiu do berçário e nunca aconteceu absolutamente nadica de nada.Vai ver que no Estado que ninguém dava nada por ele,esconde o Rei dos Ladrões.

    7
    1
  2. Este submundo dá mais medo que as entranhas do inferno. É impossível que tenha anjos ali. No inferno, há uns decaídos que ainda são anjos.

    4
    1
  3. Essas “candidaturas” surgem do próprio meio jurídico. O Presidente, seja ele quem for, acolhe esta ou aquela. É uma tremenda criancice achar que no campo juridico estão todos quietinhos esperando o chefe do executivo apontar “você, vem cá, quer ser ministro?”

    5
    5
  4. As questões criminais familicianas “a serem resolvidas” seriam suficientes para explicar tamanha heterodoxia na indicação e no aparente acordão no fio do bigode entre tantos excelentíssimos e nobres senhores? Não parece. Tem mais coelho na cartola.

    Tanto para a direita de Gilmar Mendes (PSDB) quanto para a extrema-direita militar-miliciana de Bolsonaro, o resultado ideal do julgamento da suspeição de Moro é aquele que desmoralize o futuro político do marreco criminoso de Maringá e que, ao mesmo tempo, mantenha cassados os direitos políticos de Lula para 2022.

    Uma tal solução consiste em declarar Moro suspeito no processo do triplex, em cujos autos está o Habeas Corpus em causa, e, ao mesmo tempo, NÃO ATENDER um segundo pedido de Lula no HC, o de estender automaticamente a suspeição de Moro aos processos do sítio de Atibaia e do instituto Lula, com a desculpa esfarrapada de que suas sentenças não foram dadas por Moro – a primeira foi obra de Gabriela Hardt e a segunda será dada pelo juiz Luiz Bonat.

    Tal solução talvez explique porque Gilmar Mendes (PSDB) enrolou o julgamento para não permitir a Celso de Mello dar o seu voto no caso. Para Mello, dar um voto criminoso como este praticamente definiria seu futuro epitáfio – ‘Aqui jaz um juiz de merda’ (por Saulo Ramos) -, pecha que deseja tirar da sua biografia. Entretanto, a ação de Gilmar (PSDB) também foi ideal para Mello: simplesmente não votar e não favorecer o seu inimigo Lula. Tal solução, por outro lado, talvez explique porque Dias Toffoli, capacho de milico e miliciano, está se acovardando mais uma vez, não querendo mais voltar para a segunda turma do stf.

    É aqui que entra o juiz retirado da cartola fascista e esta pode ser sua encomenda, a bola que vai matar no peito num stf de má fama, homenageado e com serviços gratuitos ofertados em casas de prostituição como o Bahamas. Para liquidar Moro, faria maioria com Gilmar e Lewandowsky, e para liquidar Lula, contaria com Fachin e Carmén Lúcia. Em público, para agradar a esquerda otária que passsou a ter fé nele, Gilmar Mendes (PSDB), ‘docemente contrariado’, fará caras e beiços (ou seria ‘beiçolas’?). Em privado, será que não vai comemorar, tomando um uisquinho com FHC, Bolsonaro, generais, milicianos, neopentecossauros, agroboys e que tais – toda a aliança golpista neocolonial, antipovo e antinação, ‘com STF, com tudo’, que se instalou nestas bandas em 2016?

    26
    1
  5. Três observações que se fazem necessarias:
    1) A Colunata SOLTANDO O BRAÇO de autoria do acima assinado,já atingiu 9,5 graus da Escala Rischer.A grande maioria dos seus aficionados estão com problemas no cotovelo;

    2) Se a eleição presidencial americana for decidida por WO,o doidivana Veneziano do Site Entreguista abraçará de corpo e alma a causa Espírita.Qual vai ser a atribuição dele no outro lado,não saberia dizer.

    3) Um senhor chamado Wilson Ferreira que se deu o trabalho de escrever um texto de + de 200 linhas para justificar o maestrio de Trump no tablado do marketing político,já tem desculpa a dar quando a vaca for pro brejo.No caso,o boi.

  6. QUEROMEU!

    Lamento mas nunca ficou tão nítido, tão escancarado. E agora ficamos nós, classe média, sem saída; a única solução para nós, que não pertencemos a esse clube, é “locupletemo-nos todos.”

    Ô, barbárie que está nossa sociedade… né? Tão tá… virei bárbaro, também! E que ninguém pense em me culpar: só estou fazendo o que os “grandes” fazem…

  7. Pra mim a resposta mais fácil é a mais simples: Bolsonaro indicou um juiz “garantista” que vai facilitar a sua vida e de sua família. O caso Cássio não se compara com juízes indicados pelo Pt. O governo Bolsonaro está entregando tudo para os ladroes plutocratas e seus sócios internacionais. Não haverá conflito quando favorecer os bolsonaros para manter a “estabilidade” do governo e um juiz garantista cai como uma luva para o papel. Tem uma diferença fundamental entre os juízes indicados pelo Pt e por Bolsonaro. Os governos petistas eram pra ser derrubados, governo Bolsonaro é pra ser mantido até a destruição total dos direitos sociais de todos os brasileiros e da entrega de tudo o que for lucrativo no Brasil. E a imagem de hoje é o abraço bem apertadinho de Toffoli e Bolsonaro. Fossem outros os personagens eu até diria “abraço homoerótico”

    • Olá minha velha amiga Senhora Vera,tem lido minha Colunata? Perdoe-me,mas seria esse tal “abraço homoerótico” o mesmo que um casal de porco espinho fazendo amor?

  8. SOLTANDO O BRAÇO.04/10/2020 às 10:16hs.
    Alô alô fofoqueiros de plantão,cambio.Este espaço também é cultura,querem ver?

    VANDALISMO

    Meu coração tem catedrais imensas,
    Templos de priscas e longínquas datas,
    Onde um nume de amor,em serenatas,
    Canta a aleluia virginal das crenças.

    Na ogiva fúlgida e nas “colunatas”
    Vertem lutrais irradiações intensas
    Cintilações de lâmpadas suspensas
    E as ametistas e os florões e as pratas.

    Como os velhos templários medievais
    Entrei um dia nestas catedrais
    E nesses templos e risonhos ……..

    E erguendo os gládios e brandindo as hastas,
    Para o desespero dos iconoclastas
    Quebrei a imagem dos meus próprios sonhos!

    Este belo poema de Augusto dos Anjos,era o preferido do Papai,que declamava em suas boemias,entre um gole e outro de cerveja,ao luminar das lamparinas substituindo as luzes de neon.E eu,garoto de calças curtas,com um ar de encantado tudo ouvia e registrava.
    Papai foi o maior intelectual que meus olhos pousaram,advogado,professor e poeta,não necessariamente nesta ordem,como gostava de dizer.
    A invulgar inteligência do sertão da Bahia,Papai foi o maior clarão de luz da noite mais escura.

    Estamos conversado.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome