newsletter

Assinar

O MPF se tornou um partido político?

Já são três citações sobre Aécio Neves na Lava Jato.

A primeira foi quando o doleiro Alberto Yousseff passou informações detalhadas sobre as propinas de Furnas para Aécio. O Procurador Geral da República Rodrigo Janot mandou arquivar.

Ontem, o Ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal) acatou novo pedido de Janot e arquivou o inquérito aberto para apurar as menções do delator Ceará a Aécio alegando contradições nos depoimentos.

Para ser arquivado, é porque foi aberto um inquérito. Só se soube do inquérito quando do anúncio do arquivamento. Sigilo absoluto, enquanto vazavam informações sobre o senador Fernando Collor (até objetos íntimos foram alvo de vazamento) e sobre o deputado Eduardo Cunha.

Em casos similares, de contradições nos depoimentos, como em relação ao senador Lindberg Farias, ocorreu o oposto. Paulo Roberto Costa disse que o ajudou através de Yousseff. Em delação, Yousseff garantiu que nunca viu o senador. O caso tornou-se público e Janot ordenou que o inquérito prosseguisse. Dois pesos, duas medidas.

Ao mesmo tempo, Janot mantém na gaveta da PGR o inquérito aberto contra Aécio em 2010, por lavagem de dinheiro em uma conta em Liechtenstein em nome de uma offshore com sede em Bahamas. E empenhou-se pessoalmente em derrubar o inquérito aberto contra o senador Antonio Anastasia.

Enquanto isto, a Lava Jato trata como escândalo instalação de torres de telefonia em Atibaia e os procuradores do Distrito Federal vazam inquérito sobre os financiamentos do BNDES, sem ouvir o outro lado, escandalizando até informações banais – como o fato de uma cliente contumaz do BNDES, como a Odebrecht, liberar financiamentos em prazo inferior ao de um novo cliente.

Na primeira fase, a Lava Jato identificou brilhantemente todo o esquema de corrupção, inclusive prendendo os corruptos. Foi um período saudado pela recuperação de parte do dinheiro roubado.

Na segunda fase, perdoou um a um os delatores que aceitaram entrar no jogo político – que consistia em delatar os políticos do lado de lá e nada falarem sobre os do lado de cá.

A luta contra a corrupção foi um álibi para a luta política. Agora poderão voltar à sua vida normal, como Yousseff depois da delação premiada no caso Banestado.

Lição que fica: você pode praticar tranquilamente sua corrupção, desde que aceite fazer o jogo político dos seus inquisidores.

O caso Fifa

Sobre a cooperação internacional nas investigações do FBI sobre a FIFA.

1.         A Globo é peça central nos episódios, pois fechou os maiores contratos de transmissão com Ricardo Teixeira e João Havelange. Em todos os países, a emissora e a empresa de marketing formam um todo único. É o caso da empresa de J.Hawila com a Globo.

2.         Os Ministérios Públicos da Argentina, Uruguai, Chile, México há mais de um ano enviam  regularmente informações ao FBI para apuração dos crimes da FIFA, dentro do modelo da cooperação internacional,. O Brasil é o mais atrasado dos países da América Latina, o que tem provocado estranheza no próprio FBI.

3.         O MPF solicitou ao FBI as informações levantadas sobre a conexão brasileira do escândalo. No Rio de Janeiro, uma juíza de primeira instância barrou o envio e ordenou a devolução do material. Esse episódio ocorreu há um ano. Até hoje o MPF não logrou derrubar a determinação.

O que separa países civilizados de repubiquetas é o exercício da isonomia, a noção de que a aplicação da lei pressupõe o primado da isonomia.

Pergunto: por acaso o Brasil tornou-se uma republiqueta, para aceitar passivamente essa quebra total de isonomia?

Pode ser que sim. Pode ser que não.

Mas não dá mais para esconder-se das críticas sob o argumento de que há interesses ocultos da parte dos críticos. Pouco a pouco, a imagem do poder defensor da cidadania, dos direitos difusos, o avalista dos tratados internacionais, vai se diluindo e abrindo espaço para uma imagem pouco dignificante, dos que se deixam seduzir pelo excesso de poder.

 

Média: 4.6 (73 votos)

Recomendamos para você

119 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

  INVESTIGAÇÃO - ACUSAÇÃO -

 

INVESTIGAÇÃO - ACUSAÇÃO - JULGAMENTO

            Desde o primórdio dos tempos a grande preocupação das sociedades organizadas era a construção de um sistema de solução dos conflitos.

            Chegou-se, assim, a figura de um "terceiro superior" (Juiz) e estranho aos conflitantes.

            No início, esse "terceiro superior" acumulava as funções de investigação, acusação e julgamento.

            Surgiu, então, a necessidade de que esse "terceiro superior" fosse um alguém neutro e imparcial (quem de nós não almeja um julgamento proferido por um Juiz neutro e imparcial?)

            Essa neutralidade e imparcialidade se daria pela separação das funções: quem investiga não acusa nem julga; quem acusa não investiga nem julga; e quem julga não investiga e nem acusa.

            É indubitável que quem investiga, e quem acusa, tenha interesse que suas posições sejam confirmadas no julgamento.

            A psicologia jurídica e inúmeras passagens do dia-a-dia confirmam esse subjetivo interior - e nem sempre percebido - interesse dos operadores do direito (Attavilla, Carnelutti e outros).

            Daí a origem do MP que - como órgão do Estado auxiliar da Justiça - se encarregaria da acusação, assegurando - juntamente com a Defesa de outro lado (em pé de igualdade) - uma maior independência, neutralidade e imparcialidade do Juiz Julgador.

            Forma-se, assim, o triple: as partes Acusação (a cargo do MP) e Defesa (a cargo do Advogado) ambas em igualdade de condições e, acima delas, o Juiz Julgador ("terceiro superior").

            Surgiram dois grandes sistemas: o Acusatório (separação completa das funções) e o Inquisitorial (o Juiz teria, ainda, algumas funções investigativas e acusatórias).

            Não é necessário acentuar que aquele é mais afeto aos regimes políticos democráticos, e garantistas, e este último, aos regimes políticos absolutistas, autoritários e ditatoriais (Carmignani, G.; Lucchini, L.; Carrara, F.; Cordero, F; Ferrajoli, L.).

            Existem ainda sistemas mistos, com preponderância de aspectos acusatórios sobre os inquisitórios.

 

            No Brasil o sistema é uma "colcha de retalhos". É acusatório, inquisitorial, corporativo e (marcantemente) ditatorial.

 

            Tomemos, por exemplo (para ser bem atual), o art 28 do Cód. de Processo Penal, fundamento do Min. Teori para arquivar o IP instaurado para apurar prováveis ilícitos de Aécio Neves. Ora, esse artigo foi ditado à época do Estado Novo (1941) e, hoje, contraria valores e princípios fundantes do Estado Democrático de Direito por nós adotados e inscritos na Constituição Federal cidadã de 1988. Não vale, portanto, a regra do art. 28 do CPP mesmo porque o MP é "titular" da ação penal e não "dono" da ação penal.

 

            Um bom exemplo do sistema acusatório onde se busca ao máximo assegurar a neutralidade e imparcialidade do Juiz Julgador, é o sistema francês.

 

COMO É NA FRANÇA 

            A pedido do MP ou da vítima (que querendo, para tanto, se constitui em Parte Civil), um Juiz de Instrução faz toda a investigação do caso.

            Ao final das investigações, as parte (MP, vítima - Parte Civil -, investigado e advogados) podem requerer a produção de outras provas complementares.

            Completadas assim as investigações (não havendo situação de pronto arquivamento), o Juiz de Instrução encaminha o processo para outros Juizes (em outro Juízo) que julgarão o caso (três juizes - coletivamente - proferem o julgamento após ouvir as partes em audiência).

            As investigações são secretas: mas o investigado pode abrir mão do segredo (o processo é guardado em armário fechado à chave pelo Juiz em sua própria sala onde trabalha apenas sua secretária-datilógrafa).

            O segredo é mantido não apenas em razão do princípio da presunção de inocência mas também em defesa do princípio da imparcialidade evitando que possíveis pressões exteriores (de qualquer espécie como, por exemplo, o da mídia) influenciem o animo do julgador.

            As partes podem recorrer dos atos do Juiz de Instrução.

            O Juiz de Instrução não tem o poder de determinar a prisão do investigado. Esta, só pode ser autorizada por um outro Juiz, o das Liberdades e das Detenções.

            Destarte, na França procura-se resguardar ao máximo a neutralidade e imparcialidade do(s) Juiz(es)  Julgador(es): o Juiz que faz as investigações, não prende, não acusa e nem julga.

 

A CONSTITUINTE. O MP. ANOMALIDADES

            Reportamo-nos à votação do Capítulo IV, seção I da CF na Constituinte de 1988.

            Havia uma aguerrida disputa entre o MP e os Delegados de Polícia para a ocupação de espaços. A Magistratura, de lado, passiva, assistia a disputa e se posicionava em não ter nenhuma dessas instituições atrelada a ela.     

            Havia um jogo de interesses corporativos.

            O texto original seguia o das Constituições Federais anteriores e era encampado pela grande maioria dos parlamentares (Centrão).

            Até à noite anterior à votação, essa era a posição amplamente dominante. Os Delegados de Polícia presentes no Congresso - naquela noite - chegaram a comemorar a vitória num hotel da cidade. Porém, naquela mesma noite, comandados por Nelson Jobim (professor da Escola do MP do Rio Grande do Sul) e Ibsen Pinheiro (Promotor Público, RGS) ocorreu uma reunião de líderes partidários e foi aprovado o texto atual. Na plenária, sem qualquer debate, os parlamentares constituintes votaram conforme a indicação de seus lideres partidários.

Notas:

            1. O lobby do MP paulista era comandado pelo promotor público Fleury Filho, então Secretário de Segurança Pública de Orestes Quércia a quem substituiu como governador de SP (há uma foto história da equipe de lobistas o MP com Ulisses Guimarães).

            2. Sepúlveda Pertence, Procurador Geral da República à época da Constituinte quando se despediu da função declarou: “Eu não sou o Golbery, mas também criei um monstro”.  Atuou como lobista.

            3. Não se discuta o poder de Jobim na Constituinte: acusado de intruduzir artigos na Constituição Federal, Jobim admitiu ao jornal O Globo ter inserido, sem submeter ao Plenário, dois artigos na Constituição. Um deles (revelou) era sobre a independência dos poderes. Sobre o outro artigo, ele nada explicou.

 

REFORMA URGENTE DO SISTEMA

            É evidente que nosso sistema não funciona por distorção essencial das funções de investigação, de acusação e de julgamento o que gera principalmente um desequilíbrio entre as partes (MP e Defesa) e perigosa ofensa à garantia de imparcialidade.

            Temos ainda agravadas essas disfunções pelo ativismo massivo de nossa mídia, de via única, a querer manipular os julgamentos.

            URGE, portanto, uma imediata reforma do sistema de investigação, de acusação e de julgamento garantindo-se - ao máximo possível - a paridade entre as partes e a necessária imparcialidade do Juiz Julgador, tristemente tingida por figuras como Moro, agentes da Força Tarefa do MPF, Conserino e outros. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Beca
Beca

A nivel estadual tá cheio de

A nivel estadual tá cheio de abusos economicos em tantas áreas e o MP não faz nada.

Parace que o monstro tem vida propria e age por interesses proprios;

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Antonio Coutinho
Antonio Coutinho

Nenhum dos acusados pelo

Nenhum dos acusados pelo autor do texto de retardar investigações e promover a impunidade pertence ao MPF. Ele culpa os procuradores por decisões exclusivas do PGR (que não tem nada a ver com eles), de tribunais e até de juízes do STF. Misturou alhos com bugalhos só promovendo a desinformação. Basta ler o texto, incompreensível que ninguém tenha notado. De repente é como se todo o Judiciário do país virasse MPF, que foi acusado até de não ser prestativo ao FBI como deveria. Não sabia que subserviência aos americanos era sinônimo de seriedade de um órgão público brasileiro.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Leandro Lanfredi
Leandro Lanfredi

mais que um partido político, uma alteração no Estado

Muito mais que uma seletividade anti-PT, muito mais que buscando o pré-sal o que a Lava Jato está mostrando é uma alteração na divisão dos poderes do Estado. Com o judiciário, um MPF se fortalecendo e muito. Um poder que sequer passa pelo sufrágio universal. Fiz um comentário em diálogo com este artigo:

 

http://www.esquerdadiario.com.br/O-judiciario-como-um-poder-inquestionav...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

  INVESTIGAÇÃO - ACUSAÇÃO -

 

INVESTIGAÇÃO - ACUSAÇÃO - JULGAMENTO

            Desde o primórdio dos tempos a grande preocupação das sociedades organizadas era a construção de um sistema de solução dos conflitos.

            Chegou-se, assim, a figura de um "terceiro superior" (Juiz) e estranho aos conflitantes.

            No início, esse "terceiro superior" acumulava as funções de investigação, acusação e julgamento.

            Surgiu, então, a necessidade de que esse "terceiro superior" fosse um alguém neutro e imparcial (quem de nós não almeja um julgamento proferido por um Juiz neutro e imparcial?)

            Essa neutralidade e imparcialidade se daria pela separação das funções: quem investiga não acusa nem julga; quem acusa não investiga nem julga; e quem julga não investiga e nem acusa.

            É indubitável que quem investiga, e quem acusa, tenha interesse que suas posições sejam confirmadas no julgamento.

            A psicologia jurídica e inúmeras passagens do dia-a-dia confirmam esse subjetivo interior - e nem sempre percebido - interesse dos operadores do direito (Attavilla, Carnelutti e outros).

            Daí a origem do MP que - como órgão do Estado auxiliar da Justiça - se encarregaria da acusação, assegurando - juntamente com a Defesa de outro lado (em pé de igualdade) - uma maior independência, neutralidade e imparcialidade do Juiz Julgador.

            Forma-se, assim, o triple: as partes Acusação (a cargo do MP) e Defesa (a cargo do Advogado) ambas em igualdade de condições e, acima delas, o Juiz Julgador ("terceiro superior").

            Surgiram dois grandes sistemas: o Acusatório (separação completa das funções) e o Inquisitorial (o Juiz teria, ainda, algumas funções investigativas e acusatórias).

            Não é necessário acentuar que aquele é mais afeto aos regimes políticos democráticos, e garantistas, e este último, aos regimes políticos absolutistas, autoritários e ditatoriais (Carmignani, G.; Lucchini, L.; Carrara, F.; Cordero, F; Ferrajoli, L.).

            Existem ainda sistemas mistos, com preponderância de aspectos acusatórios sobre os inquisitórios.

 

            No Brasil o sistema é uma "colcha de retalhos". É acusatório, inquisitorial, corporativo e (marcantemente) ditatorial.

 

            Tomemos, por exemplo (para ser bem atual), o art 28 do Cód. de Processo Penal, fundamento do Min. Teori para arquivar o IP instaurado para apurar prováveis ilícitos de Aécio Neves. Ora, esse artigo foi ditado à época do Estado Novo (1941) e, hoje, contraria valores e princípios fundantes do Estado Democrático de Direito por nós adotados e inscritos na Constituição Federal cidadã de 1988. Não vale, portanto, a regra do art. 28 do CPP mesmo porque o MP é "titular" da ação penal e não "dono" da ação penal.

 

            Um bom exemplo do sistema acusatório onde se busca ao máximo assegurar a neutralidade e imparcialidade do Juiz Julgador, é o sistema francês.

 

COMO É NA FRANÇA 

            A pedido do MP ou da vítima (que querendo, para tanto, se constitui em Parte Civil), um Juiz de Instrução faz toda a investigação do caso.

            Ao final das investigações, as parte (MP, vítima - Parte Civil -, investigado e advogados) podem requerer a produção de outras provas complementares.

            Completadas assim as investigações (não havendo situação de pronto arquivamento), o Juiz de Instrução encaminha o processo para outros Juizes (em outro Juízo) que julgarão o caso (três juizes - coletivamente - proferem o julgamento após ouvir as partes em audiência).

            As investigações são secretas: mas o investigado pode abrir mão do segredo (o processo é guardado em armário fechado à chave pelo Juiz em sua própria sala onde trabalha apenas sua secretária-datilógrafa).

            O segredo é mantido não apenas em razão do princípio da presunção de inocência mas também em defesa do princípio da imparcialidade evitando que possíveis pressões exteriores (de qualquer espécie como, por exemplo, o da mídia) influenciem o animo do julgador.

            As partes podem recorrer dos atos do Juiz de Instrução.

            O Juiz de Instrução não tem o poder de determinar a prisão do investigado. Esta, só pode ser autorizada por um outro Juiz, o das Liberdades e das Detenções.

            Destarte, na França procura-se resguardar ao máximo a neutralidade e imparcialidade do(s) Juiz(es)  Julgador(es): o Juiz que faz as investigações, não prende, não acusa e nem julga.

 

A CONSTITUINTE. O MP. ANOMALIDADES

            Reportamo-nos à votação do Capítulo IV, seção I da CF na Constituinte de 1988.

            Havia uma aguerrida disputa entre o MP e os Delegados de Polícia para a ocupação de espaços. A Magistratura, de lado, passiva, assistia a disputa e se posicionava em não ter nenhuma dessas instituições atrelada a ela.     

            Havia um jogo de interesses corporativos.

            O texto original seguia o das Constituições Federais anteriores e era encampado pela grande maioria dos parlamentares (Centrão).

            Até à noite anterior à votação, essa era a posição amplamente dominante. Os Delegados de Polícia presentes no Congresso - naquela noite - chegaram a comemorar a vitória num hotel da cidade. Porém, naquela mesma noite, comandados por Nelson Jobim (professor da Escola do MP do Rio Grande do Sul) e Ibsen Pinheiro (Promotor Público, RGS) ocorreu uma reunião de líderes partidários e foi aprovado o texto atual. Na plenária, sem qualquer debate, os parlamentares constituintes votaram conforme a indicação de seus lideres partidários.

Notas:

            1. O lobby do MP paulista era comandado pelo promotor público Fleury Filho, então Secretário de Segurança Pública de Orestes Quércia a quem substituiu como governador de SP (há uma foto história da equipe de lobistas o MP com Ulisses Guimarães).

            2. Sepúlveda Pertence, Procurador Geral da República à época da Constituinte quando se despediu da função declarou: “Eu não sou o Golbery, mas também criei um monstro”.  Atuou como lobista.

            3. Não se discuta o poder de Jobim na Constituinte: acusado de intruduzir artigos na Constituição Federal, Jobim admitiu ao jornal O Globo ter inserido, sem submeter ao Plenário, dois artigos na Constituição. Um deles (revelou) era sobre a independência dos poderes. Sobre o outro artigo, ele nada explicou.

 

REFORMA URGENTE DO SISTEMA

            É evidente que nosso sistema não funciona por distorção essencial das funções de investigação, de acusação e de julgamento o que gera principalmente um desequilíbrio entre as partes (MP e Defesa) e perigosa ofensa à garantia de imparcialidade.

            Temos ainda agravadas essas disfunções pelo ativismo massivo de nossa mídia, de via única, a querer manipular os julgamentos.

            URGE, portanto, uma imediata reforma do sistema de investigação, de acusação e de julgamento garantindo-se - ao máximo possível - a paridade entre as partes e a necessária imparcialidade do Juiz Julgador, tristemente tingida por figuras como Moro, agentes da Força Tarefa do MPF, Conserino e outros. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de João de Paiva
João de Paiva

A atuação de Rodrigo Janot,

A atuação de Rodrigo Janot, da PF e do Judiciário em relação à plutocracia e aos 'amigos' do campo sócio-econômico-político é simples  de resumir: aos amigos toda a proteção e garantias, legais ou não, morais ou não; aos 'inimigos', ou seja, aos adversários políticos o Direito penal do Inimigo. Vexatória, vergonhosa, flagrante, imoral e indecente a ação protetora de Rodrigo Janot em relação a Aécio Cunha e Antônio anastasia. Não menos vergonhosa tem sido a atuação de Teori Zavascki, ao acolher os pedidos de arquivamento de denúncias feitos por Janot em relação aos amigos deste. Vergonhosa e lamentável é também a decisão do pleno do STF ao cometer mais um estupro à Constituição Federal, negando aos cidadãos que tenham sido condenados em primeira e segunda instâncias, e que tenham direito a recurso aos tribunais superiores (STJ e STF), o direito de recorrerem em liberdade. De estupro em estupro (iniciados por Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa e outros) , o Estado Democrático de Direito vai sendo devorado pelo Estado de Exceção.

Seu voto: Nenhum
imagem de Odorico Carvalho
Odorico Carvalho

Fica claro que o empenho em

Fica claro que o empenho em manter o sigilo sobre o inquérito contra Aécio é inversamente proporcional ao empenho na busca de provas contra ele. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Como sabemos que a mídia tem

Como sabemos que a mídia tem pautado o judiciário, fiz um exercício de imaginação.

Exercícios de imaginação.

 

  1.  Empresa de concessão pública paga mensalidade de amante de Lula na Europa.
  2.  Irmã de ex-amante de Lula é funcionária fantasma no gabinete do senador do PT Delcídio Amaral
  3. Filho de Lula é sócio do homem mais rico do país.
  4. Dono de empresa de e-comerce em sociedade com a irmã de Daniel Dantas, filho de Lula expôs dados bancários de 60 milhões de brasileiros.
  5. Filho de Lula, proprietário de rádio em São Paulo, é o homem da Disney no Brasil.
  6. Primo de Lula tem a chave de aeroporto construído com dinheiro público em Guaranhus.
  7. Dona de fazenda vizinha à de Lula, construtora Camargo Corrêa constrói aeroporto que é utilizado pela família e amigos do ex-presidente.
  8. Deputados confirmam terem recebido R$ 200.000,00 para votarem a favor da emenda da reeleição de Lula.

 

Como seriam tratadas essas matérias na imprensa se uma dessas situações tivessem acontecido com esse nome trocado?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de João de Paiva
João de Paiva

GeCesar,   Brilhante teu

GeCesar,

 

Brilhante teu resumo de questões. Sugiro que as envie a todos os veículos da grande mídia comercial e armazene as respostas, se é que algum desses veículos tenha a coragem de  responder. Além disso, você pode enviar essas questões a algum parlamentar da esquerda, de modo que este possa enviar carta aos veículos de mídia, solicitando respostas a essas questãoes; de quebra, algum parlamentar de esquerda pode ler tais questões na tribuna das casas legislativas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Euler Conrado
Euler Conrado

Chegamos a uma situação de

Chegamos a uma situação de evidente formação de quadrilha: os barões da mídia e seus comentaristas lacaios, parte da PF, da justiça, do MP e de caciques do DEM-PSDB-PPS. É uma confraria de canalhas. Uma associação voltada para o golpismo, para proteger os “irmãos” da confraria mafiosa e detonar a imagem dos inimigos, especialmente do PT. Não dá nem pra chamar a esse embate de luta de classes, porque faltam personagens que representem os interesses do proletariado. Falta povo nessa história. Sobram figuras da elite que vivem de maracutaias, privilégios, subornos, sonegação e propinas de toda forma.

 

Num país sério, essa mídia golpista, seus proprietários, editores e principais comentaristas teriam sido submetidos a uma investigação rigorosa, para que a população conhecesse o que e a quem eles representam. No caso dos Marinho, COMO eles conseguiram acumular R$ 60 bilhões em patrimônio? Além da grossa fatia doada pelo estado nos três níveis (federal, estaduais e municipais) em forma de publicidade – uma verdadeira bolsa-mídia sem qualquer retorno útil para a sociedade -, há outras fontes e meios não conhecidos. Acordos com grupos internacionais, sonegação e patifaria no monopólio dos jogos, por exemplo.

 

O que essa gente faz contra os interesses do povo brasileiro é algo inaceitável. Conseguem blindar os amigos – FHC, Eduardo Cunha, Aécio, entre outros – e detonar sem piedade os inimigos, como Lula, Dilma, Zé Dirceu, entre outros.

 

O Brasil deve ser o único país onde a oposição de direita e golpista detém 100% de controle da mídia, enquanto o governo eleito pelo povo e os partidos de esquerda têm ZERO. Não conseguem se comunicar com o povão e ainda por cima, caso inaceitável por parte governo federal, paga para apanhar. Algo que nem mesmo a síndrome de Estocolmo poderia explicar essa generosidade do governo para com uma mídia partidária, anti-povo e canalha.

 

O Brasil deve ser o único país também onde a Polícia Federal é controlada pela oposição golpista, já que o governo se omite de cumprir suas atribuições e deveres constitucionais, em nome de um falso republicanismo. Até hoje a presidenta Dilma não nomeou um ministro da justiça.

 

Mas, enfim, agora pelo menos existem a Internet, os blogs sujos e as redes sociais para, ainda que com menos força do que os portais da direita, fazer frente ao bombardeio da mídia a serviço, sempre, dos piores interesses.

Essa novela envolvendo FHC em mais uma prática que desconstrói a imagem midiática dele, de bom moço, mantida pela mídia, talvez seja o menor dos seus crimes. Refiro-me não ao caso com a jornalista fora do casamento formal, mas a utilização do cargo de presidente para calar e exilar uma pessoa, a um custo altíssimo para o país – praticamente o presidente da república se tornou refém da Globo, da Veja e de uma empresa envolvida em esquemas de paraísos fiscais.

 

Mas, crimes maiores foram cometidos por FHC e sua equipe, como a privataria tucana, uma verdadeira doação de patrimônio público de centenas de bilhões de dólares para grupos de rapina internacionais e seus associados locais. E permaneceu impune. Permaneceram, todos eles, aliás. Assim como acontece agora, quando os caciques tucanos são poupados; ou quando as investigações contra banqueiros e barões da mídia sonegadores de impostos nunca avançam; ou quando as investigações contra Lula paralisam no momento em que esbarram no rabo comprido da família Marinho.

 

Ora, isso não é república, não é democracia, definitivamente. Isso é uma máfia com verniz de legalidade e moralidade. Moralistas sem moral, diante de um governo prostrado e de um povo manipulado – com percentual muito alto de lobotomização coletiva.

 

Mudar este cenário é uma exigência que se impõe. Para o bem do povo brasileiro, que não merece acordar e dormir com o pesadelo desses bombardeios midiáticos que só noticiam o caos, enquanto tramam negociatas e golpes em benefício da Irmandade de canalhas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Deveriam legalizar o Partido do Judiciário

Deveriam legalizar o Partido do Judiciário, com Gilmar Mendes como presidente de honra, em coligação com o PSDB podem galgar altos cargos, se bem que como está nem precisa legalizar: já existe de fato, o PJ tem uma gama de ideólgos tais como KataGuri, Rio Rei, Constantino e militantes tenazes como Moro, Dellagnol, Fenando Lima e delegados da PF. Janot fica só na moita para pedir ao STF o arquivamento da ladroagem apontada por réus da Lava Jato do correligionário Aécio Neves. A Globo atua como responsável pela comunicação, cabendo a emissora o serviço de agitação e propaganda contra os opositores sic inimigos petistas.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

 

...spin

 

 

Concordo com você, quanto ao novo "partido".

-

Prezado José Carlos.

E o mascote do partido seria um bode preto.

Concorda ?

-

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de j.marcelo
j.marcelo

Sim se tornou, claramente e

Sim se tornou, claramente e descaradamente!!!!!

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de José cabral
José cabral

O caso Aecio

Caro Nassif, como você não é nem precisa ser versado em detalhes técnicos acerca de arquivamento de investigações, provavelmente não sabe que tanto INQUÉRITOS, como também PEÇAS DE INFORMAÇÕES podem ser arquivados (art. 28, do CPP). Embora tudo esteja nebuloso, e as autoridades do MP fazem questão de que assim permaneça, é possível que no caso tenha ocorrido arquivamento de peças de informações, pois se trata de um procedimento bastante simplificado, no qual quase sempre é dispensado a oitiva de pessoas. No máximo são feitos pedidos de informações, que chegam através de advogados, tudo muito limpo, impessoal. Coleta e juntada de documentos, e pronto, vai para relatório. Então assessores se reúnem numa sala fechada, discutem e chegam às conclusões. Alto grau de subjetividade, não em cima de fatos ou indícios colhidos de fontes primárias. Nada de buscas, quebras, prisões nem falar. É tudo imaculado. Se fosse inquérito não seria dispensado a reinquirição dos delatores, provavelmente teria exigido acareação entre eles para sentir sinceridade nas afirmações, ou a falta dela. Exigiria a conferência de datas e locais, o confronto de documentos de saques e depósitos, e uma infinidade de "coisitas" que costumam deixar as pessoas nervosinhas e chateadas, principalmente quem culpa no cartório... Por ultimo, a cereja do bolo: a oitiva ou interrogatório do sr. Aécio Neves. E você acha que se tivesse chegado nesse ponto, haveria como manter sigilo. Só o trânsito desses delatores para Brasília seria uma pista de que algo sério estava em curso. E o grão tucanato ficaria calado deixando-o seu chefe à revelia de defesa? Nunca. O diferencial de fazer por inquérito ou peças de informação reside no fato deste ultima permitir controle total do resultado. Na primeira não há essa garantia porque assegura aplicação de uma infinidade de técnicas e incidentes capazes de ajudar a desvendar a verdade real. Nessa estúdio, caro Nassif, ninguém é inocente, pode crer. É por isso que até agora o PGR vem negando instaurar inquérito contra a figura impoluta da República. Portanto, ao escrever que o MP não viu fatos ou indícios capazes lhe assegurar o exercício da titularidade da ação penal, o ministro apenas reproduz a assertiva melancólica de quem não quis se empenhar na tarefa com afinco. A cidadania mais uma vez ficou órfã.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Escolher os inimigos

Quando os verdadeiros inimigos são muito fortes, é preciso escolher inimigos mais fracos.

Umberto Eco

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Manoel Junior
Manoel Junior

Bananal.

   Aqui em Mato Grosso , após a aprovação da famigerada PEC ,os Promoters estão recebendo até R$ 189.000,00 , ou seja, o Capital manda e o Judiciário obedece. Ai em Brasilia não deve ser diferente , pois tivemos o maior retrocesso na República,agora sim bananeira , pois já podem prender em 2ª Estância. Dai ,vocês acham mesmo que onde existe Tribunal com Ministro Empresário vai condenar o playboy?

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Manoel Junior
Manoel Junior

Bananal.

   Aqui em Mato Grosso , após a aprovação da famigerada PEC ,os Promoters estão recebendo até R$ 189.000,00 , ou seja, o Capital manda e o Judiciário obedece. Ai em Brasilia não deve ser diferente , pois tivemos o maior retrocesso na República,agora sim bananeira , pois já podem prender em 2ª Estância. Dai ,vocês acham mesmo que onde existe Tribunal com Ministro Empresário vai condenar o playboy?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

"Na segunda fase, perdoou um

"Na segunda fase, perdoou um a um os delatores que aceitaram entrar no jogo político – que consistia em delatar os políticos do lado de lá e nada falarem sobre os do lado de cá."

 

É a "justiça" monofásica. Os pernetas. Faz lembrar o jogo infantil das amarelinhas. As criancinhas jogam uma pedrinha e vão pulando com um perninha só até atingir a casinha. Essa gente ainda parece estar no jardim da infância. Meninada vestindo toga, pisando na barra. Que gracinha! Será que irão pulando com uma perninha só também no escândalo das merendas?

Seu voto: Nenhum (14 votos)

A Elite midiática e os 50 milhões de votos de Aécio Neves.

Aécio neves teve 50 milhões de votos.

A discussão que cabe sobre o Ministério Público Federal e o arquivamento das investigações de mais uma denúncia contra o Senador Aécio Neves é a discussão de que Aécio Neves, jamais poderá ser descartado do grupo dos apoiadores da Elite midiática, que hoje se arrola dona do Brasil, porque ele teve 50 milhões de votos nas eleições passadas.

O MPF, o Judiciário brasileiro como um todo, o grande empresariado nacional e patriota e a sociedade estão reféns da velha mídia capitaneada pela Rede Globo de Televisão.

Velha mídia tem Poder de decidir tantas coisas no Brasil, dentre elas o comportamento supostamente parcial do Procurador Geral da República. Até a decisão de destruir o Brasil em prol dos interesses do Mercado Global e do Império do Norte, à qual a velha mídia está ligada e conta para dar-lhe a sobrevida financeira, que não é apenas garantida pelo oligopólio midiático.

Em vencendo o candidato da velha mídia se faz o dever de casa. Privatizamos tudo que resta, teremos aliança plena entre Governo e interesses da Rede Globo, e as demais garras do PIG se refestelarão com as assinaturas de jornais e revistas agora em Plano Federal. E nesta barafunda toda, todos molham os bolsos de grana, muita grana saída da dilapidação do patrimônio público brasileiro, do surrupio de nossas riquezas naturais pelos gringos e do bolso do contribuinte via impostos.

Se esta Elite midiática pensa em vencer em 2018 é com Aécio Neves. E o cálculo que faço que seja ele é pensado nos seus pares dentro do PSDB: o partido da velha mídia com votos e preposto dela no Poder Político.

Imaginemos Geraldo Alckmin em São Paulo e Beto Richa no Paraná que desastres suas administrações. Não estão com pinta de ter grandes possibilidades de galgar à Presidência do Brasil.

Nenhum Governador, nenhum Chefe do Executivo do PSDB está em condições de se candidatar em 2018, pela pouca representatividade de suas administrações, marcadas por estados em beira de falência. O administrador recente perde votos neste embate do Governo/ Estado pintado, diariamente, como ineficiente pela velha mídia e que pegou no seio da sociedade a alcunha: Estado ineficiente e corrupto.

O PSDB não tem quadros além do Senador mineiro; nem para se candidatar a Prefeito de São Paulo com uma candidatura competitiva, capital do Estado que governam há mais de 25 anos.

Só sobrou Aécio Neves à Elite midiática pelo recall da Eleição passada e seus 50 milhões de votos.

O Senador Aécio Neves, tem um diferencial hoje, ele não Governa Estado nenhum, se me entendem, este é um fato positivo para ele. Não vai ser atacado por má-administração do seu Estado Natal e nem está na memória do eleitor paulista, maior eleitorado do País, e a falta d´água e a corrupção do trensalão, da merenda escolar, estas coisas; afora os embates com os estudantes secundaristas e a ideia de fechar escolas.

Ele é apenas um Senador, e no embate, cada dia mais acirrado, entre o partido velha mídia e a blogosfera progressista, é preciso de um atual outsider com ficha limpa, mesmo que seja por vias tortas.

Somente se Aécio Neves fizer uma besteira do tamanho de um bonde ele não será o candidato da Elite midiática em 2018.

José Serra não ganha nem para Prefeito, é um antipático, e não sabe se conter. Foi bater de frente com o Carnaval de Rua e a Avenida Paulista fechada aos domingos. E os paulistanos curtiram estas duas ações da administração Haddad.

Alckmin perdeu a mão, se misturar com um “janotinha” e sem noção das opiniões que dá como é o João Dória Junior é um erro político primário.

Num embate futuro, candidatura midiática e candidatura progressista, quanto menos estiver ligado aos governos estaduais, quanto mais estiver distante de cargos no Executivo melhor. Executivo, como disse, associado à incompetência e à corrupção, diariamente, nos noticiários da velha mídia. Se a economia piorar até 2018, como sonha a Elite midiática, Aécio Neves surgirá com o discurso do - Eu Falei, Eu avisei e será o candidato Salvador da Pátria.

A velha mídia (Elite midiática) está na campanha do ANTI faz tempo. Um sujeito neutro é tudo o que ela quer, pois, vai jogar todos os erros administrativos no adversário/ coligação (se o adversário não teve cargo no Executivo recentemente), assassinar a reputação do adversário de Aécio Neves e blindar o Senador mineiro.

50 milhões de votos não é nada desprezível. Em uma Eleição plebiscitária e personalista, como sempre é, a velha mídia pode eleger Aécio Neves, conquistando mais 2% ou 3% do eleitorado, na base do ANTI TUDO QUE ESTÁ AI.

Uma última colocação.

O Juiz Sérgio Moro não será candidato, porque daria muito na cara. Prende os adversários ou os tira da jogada e sai candidato? O povo desconfiaria na hora dos interesses nada republicanos da sua candidatura.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de João de Paiva
João de Paiva

Quanto ao que desejam o PIG,

Quanto ao que desejam o PIG, o PMP, o PPF e o PJ você tem razão. Mas você sobrestima o 'prestígio' de Aécio Cunha. Observe que ele PERDEU as eleições presidenciais em MG, estado que governou por dois mandatos morando no Leblon, e nos DOIS TURNOS. E Aécio só se reelegeu  governador e fez o sucessor (o apadrinhado e que na verdade tocava o governo dele, Antônio Anastasia) porque os adversários que enfrentou eram ainda piores e mais fracos do que ele (sou mineiro e bem sei quem é Hélio Costa). Na primeira vez que o PT apresentou um candidato expressivo e forte, Fernando Pimentel, faturou o governo de MG em primeiro turno.

A expressiva votação de Aécio em terras paulistas não foi por prestígio dele, mas conseqüência da patologia que acometeu SP e os estados do sul: o anti-pestismo. Com as ambições que têm Geraldo Alckmin e José Serra e sabendo do que são capazes esses caciques paulistas nos bastidores, Aécio pode ser 'moído' em uma semana. Basta que os caciques ponham os correligionários que têm na PF e no MP a serviço da 'causa' e coloquem no noticiário episódios como aquele do helicóptero apreendido com 445kg de pasta base de cocaína (helicóptero que era de propriedade dos filhos do senador Zezé Perrela, ex-presidente do Cruzeiro e amigo pessoal de Aécio - Aécio era recebido na tribuna de honra do Mineirão por Zezé Perrela) ou que seja remexido o caso até hoje não esclarecido do assassinado da modelo Cristiana Ferreira, para a imagem de Aécio ser enlameada. E não tenha dúvidas de que os caciques tucanos paulistas são capazes de perpetrar esses eoutros golpes ainda mais pesados. Aécio sabe disso; e não por outro motivo tenta desesperadamente o golpe rápido, com a destituição da presidente Dilma e do vice michel Temer; pensam Aécio e seus apoiadores que ainda dispõe ocandidato derrotado na última eleição presidencial de um 'prestígio, apoio ou "recall"' como conseqüência dos 50 milhões de votos que recebeu em outubro de 2014 e que numa eventual (pouco provável, como sabemos) eleição que decorreria da impugnação de chapa Dilma-Temer, ele possa chegar ao Palácio do Planalto. Se o golpe no TSE (liderado por Gilmar Mendes e Dias Toffoli) fracassar e Aécio e toda a oposição (além do PIG, PMP, PPF e PJ) continuarem a destruir a Economia e a Política no País, considero remotas as chances não apenas dele, mas de todos os caciques tucanos (e ex-tucanos de última hora, como Álvaro dias) alcançarem o objetivo de tomar o poder central.

Seu voto: Nenhum
imagem de ELISEU
ELISEU

JANOT NO STF INDICADO PELO AÉCIO

Alexandre.

JANOT NO STF INDICADO PELO AÉCIO

Sua tese me parece bastante verossímel.   Isso explica, a meu ver a blindagem do JANOT AO AÉCIO.  Com Aécio presidente,

quem será o próximo indicado ao STF ? JANOT >  escrevam aí !  Já está tudo acertado !  

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Jorge Moraes
Jorge Moraes

Mistério Privado . . .

A história detalhada de como tudo aquilo —  "Instituição essencial ... incumbindo-lhe a defesa ... do regime democrático ... e dos interesses ... individuais indisponíveis, etc ... etc.... " — acabou dando nisso — - "instituição essencial para o êxito do plano de manter íntegra a dominação do Capital e de sua ordem massacrante" — somente poderia ser contada pelos que privaram do planejamento e da execução do arranjo do golpe em curso.

Poderia, mas não vai.

O MP não é um partido político, propriamente; "apenas" age como se fosse. 

A "Instituição", tal como suas aparentadas, não têm, como missão precípua a "defesa do regime democrático etc...". Todo o aparato existe para preservar a ordem burguesa, a qual, não é, e não tem como ser, democrática.

Os exemplos trazidos pelo Nassif demonstram suficientemente a farsa, que não é do MP em si: vai além, muito além desse triste jardim.   

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Gabriel Moreno
Gabriel Moreno

Desculpa aos demais

Desculpa aos demais comentadores, e entendam isso como uma crítica produtiva (ou uma tentativa disso, pelo menos), mas precisamos parar de chorar e falar sobre estratégias. É claro que a direita vai ocupar os espaços que lhe forem concedidos, é assim mesmo. Eles não vão ficar quietos esperando algo cair do céu. Precisamos sair disso e pensar como neutralizar e reverter isso, diminuir esse poder político do MPF. Como? Sim, é um absurdo, é para se indignar, eles não foram eleitos por ninguém e não deveriam poder atuar dessa maneira, mas só denunciar isso não adianta. É preciso mais. 

Precisamos sair mais do imobilismo que a indignação nos dá e pensar mais em ações, em práticas. É um absurdo o PT, enquanto governo, ter deixado isso acontecer. É incompetência política. Não só prejudica o partido, mas prejudica a população, que escolheu um certo modelo de governo e isso é comprometido por uma força política conservadora que tenta se apropriar dele e deturpar isso. Acho que os articulistas e pessoas mais bem informadas do país precisam passar a circular mais esse tipo de informação, com ideias que realmente sejam possíveis de ser aplicadas e propositivas, com menos reclamação, choro e indignação. Ou então vamos para o buraco.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O povo nas ruas,  só isto

O povo nas ruas,  só isto poderia  inibir e fazê-los não serem tão ousados. Pura política. Mas como a mídia é um dos comandantes da maçonaria e controla as informações fica difícil o povo se manifestar a não ser que ocorra um fato grave.

Realmente estão usando os juizados de 1ª instância para as iniciativas graves, que desmoralizam eficácia da justiça, até agora sem reação à altura dos eleitores. Temos que denunciar imediatamente o ministro Zavaski é o representante deles, tanto para iniciativas conservadoras quanto para deter os recursos.

 

 

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Viu só na merda que deu....

Em vez de aproveitar a  chance da eleição em 2004  para "passar o rodo"  nos desmandos históricos, o "companheiro-mané", Lula preferiu bancar o republicano e esconder todos os  desmandos demo-tucanos embaixo do tapete da história:

* Podia faturar a Privataria Tucana e mandar a  conta prá quem de direito ( os  do limite da irresponsabilidade );

* Podia  pegar todo mundo listado no golpe do Banestado  ( que ódio do tucano infiltrado no PT, o José Mentor )

* Podia enquadrar a galera que meteu a  mão no caso SIVAM;

* Poderia  reeaver a CVRD, ou  mesmo recalcular seu valor real de venda !

 

Resumindo: Frei Chico nunca  deveria ter levado o moleque-mijão nas calças  pro sindicato..Nos teria poupado deste relato de covardia  moderna !!   Aliar-se  ao PMDB  foi a  pior merda que poderiamos ter feito em nossa  existência política...

Não vão conseguir passar o Brasil a  limpo, nunca mais na vida,...Com esse STF, este MPF  e  esta PF tucana  aí????

A  única  saída seria o bicho pegar numa revolução a lá Bastille !!  De outro jeito, esqueçam !!!

Melhor agora, seguir  a sugestão do promotor lider dos tucanos: Extinção total do PT, quer queira  o otário do FHC  ou não !!

Seu voto: Nenhum (6 votos)

 

A desgraça daqueles que não gostam da "arte maldita" da política, é ser governado por aqueles que gostam......

Se seguir sua equação e tirar as variáveis : Lula e PT, onde

você acha que estariamos?

O Lula ganhou uma eleição para presidente em 2004 e não poderes divinos,  a única coisa que concordo com você é que nos precismos derrubar a nossa bastilha, que pra mim é a globo, que tem tentáculos em todas as histórias de corrupção desse pais, tudo passa pela globo e com certeza ela capitaneia tofdas as  tentativa de derrubar o governo da Dilma e inviabilizar uma candidatura do Lula em 2018. Todo enrredo apresentado pelo juciciário sobre corrupção parece ser construído dentros dos escritórios da globo, tal o indíce de drama que é apresentado pela mídia para denegrir o Lula, a dilma e o PT.

Seu voto: Nenhum

Ana Bednarski

Diferentemente de você, o

Diferentemente de você, o Lula, como um bom líder, soube avaliar a real força de seus oposicionistas e tambés a real fidelidade de seus supostos aliados.

Ter uma suposta maioria popular a favor e as instituições contra, quais seriam as reais possibilidades de sucesso?

Quantos hoje, em função dos embates políticos, não passaram a perceber a política como ela realmente é?

A compreensão àqueles que defendem as políticas sociais, são infinitamente maiores do que 35 anos atrás.

A verdade tarda mas não falha.

 

Faça da fé e da persistência teu caminho, que a vitória será certa.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Jorge Moraes
Jorge Moraes

E desde quando querer é poder?

Chamar um "Mijão!", "Covarde!", "Moleque!" e quetais, dirigidas ao ex-presidente Lula servem, quando muito, para dar vazão a uma (pretensa) raiva.

Seu discurso contradiz, de forma flagrante, o pensamento exibido no pé do comentário.  

 

 

 

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Além da polícia da Lava Jato,

Além da polícia da Lava Jato, MPF, STF, temos muitas PMs no Brasil que estão agindo a mando dos governos do PSDB.

Olha o flagrante.

  Foto de Neuza Oliver Franqui.Neuza Oliver FranquiOntem às 17:55 · Socorro (São Paulo), SP ·  

A FOTO NÃO MENTE, E ESPECIALISTAS SABEM QUE NÃO É MONTAGEM, É A DISCARADA PM DE SP. AJUDANDO A LEVANTAR O PIXULECO! FALTA DE VERGONHA NA CARA! ISO É CRIME! PAGAMOS ESSES HOMENS P/ GARANTIR NOSSA SEGURANÇA, E NÃO PARA AJUDAR O FASCISMO E OS GOLPISTAS!!!! O QUE VC ACHA DISSO?

 

Seu voto: Nenhum (18 votos)

Uma ideia ou intuição dita de modo próprio pode servir de via de acesso em direção a percepção metafísica do ser e o quanto no universo ele é capaz de constituir por si mesmo para tal transcendência existencial.

Cadê a polícia para prender

Cadê a polícia para prender essa polícia? Não se pode contar com merendeiro.

Seu voto: Nenhum (14 votos)

Subserviência ou política do PSDB

Realmente inconcebível  a postura da PM do Alckmin. E notem que quase todos são negros ou quase negros se prestando à política fascista dos seus chefes, já que o representante de uma facção destes falou por telefone com o chefe da PM durante a manifestação.

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Roubo da merenda em SP. O MP vai como?

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/02/1741316-um-so-nao-teria-condi...

romério

Seu voto: Nenhum (4 votos)

É que o antipetismo é uma

É que o antipetismo é uma religião. E, assim como qualquer religião, uma vez convertido a pessoa considera isso sagrado, acima do bem e do mal, do certo e do errado. E essa religião antipetista converte também promotores de justiça e juizes, assim como parece ter convertido grande parte dos médicos. Não é que Moro e Janot sejam desonestos, talvez eles estejam tão somente convertidos ao antipetismo e aí a coisa fica sagrada para eles - acima das Leis até. Estou sugerindo, não sei se realmente é isso.

Vejo essa religião em amigos que são pessoas realmente do bem, que jamais condenariam alguém sem provas - mas que abrem mão delas quando diz respeito ao Lula, por exemplo. Por que? Porque é uma religião. Nada contra as religiões, até porque tenho a minha, mas pedir para um antipetista julgar o Lula é como (exagerando um pouco) pedir para um crente jugar Satanás. Um promotor antipetista considera, sem necessariamente ser desonesto, mais importante investigar um barco pra pescar lambari do que um helicóptero com 400 gramas de pasta base de cocaína, dependendo da proximidade de cada um desses dois veículos ao PT. Fazer o quê?

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de João de Paiva
João de Paiva

Você cometeu um erro: não

Você cometeu um erro: não foram 400 gramas, mas 445.000g, ou melhor, 445kg de pasta-base de cocaína, apreendidos no helicóptero dos Perrela, amigos de Aécio.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ôpa! trocar gramas por quilos

Ôpa! trocar gramas por quilos

Seu voto: Nenhum (1 voto)

É isso.É o que eu tenho

É isso.

É o que eu tenho tentado transmitir aqui: o papel da ideologia é esse; não fosse a infantil teoria antissocial do "sinistro 'projeto de poder' bolivariano petralha", propagada sem contraste por decadas e décadas, diuturnamente, essas crianças grandes não estariam tão sobranceiras.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

PJ não VOTA!

O Jornalismo acabou e a eleição não tem fim!

imagem de Bonobo de Oliveira, Severino
Bonobo de Oliveira, Severino

Não teriam sido 450 Kg de pasta base.

Só para esclarecer, acredito que a pequena porção de droga convenientemente esquecida pelo MP no Helipó era bem maior. E, quanto à pergunta, se o MP virou um partido político, eu creio que não. Virou uma loja maçônica a serviço dos interesses do Mercado. O que é pior. Porque se fosse um partido estaria submetido aos órgãos de fiscalização eleitorais. Seno uma maçonaria, tudo ocorre em sigilo, no ambiente sombrio das lojas.

Seu voto: Nenhum (16 votos)
imagem de Neideg
Neideg

Devem ter entregado de volta

Devem ter entregado de volta aos donos, com um pedido de desculpas.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Devidamente acrescidos de

Devidamente acrescidos de alguns kgs a mais, apreendidos daqueles que não tem padrinho.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Edna Baker
Edna Baker

Perfeito.

Perfeito.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Vai alem

   Que já é clara a opção em "fazer politica", dos membros deste 5o Poder , não a simplesmente movida pela ideologia individual de cada procurador, algo até certo ponto aceitavel, o problema tornou-se muito maior, pois as ações são coletivas, corporativas, o MPF age não como um "partido politico", mas como um corpo coeso, com veleidades ditatoriais, com a certeza de seu poder e da infalibilidade de suas descisões, contesta-los, mesmo que individualmente, acarreta a ira corporativa, portanto ultrapassou a tese de ser um "partido politico", eles se encaminham para uma ditadura juridica.

    Assenhoreado em seu protagonismo, este novo ente politico, associado a midia de massa, tambem atingiu esferas alem da juridica, pois suas atuações mais espetaculosas, refletiram e refletem continuadamente na economia nacional, declarações ou mesmo meras injunções proferidas por procuradores/juizes, açuladas e trombeteadas pelos seus "assessores de comunicação" ( a midia ), alteram "preços" - todos, ate cambio, cotações de empresas em bolsa, rolagens de divida, bonus internos e externos - elevam custos de licitações, de projetos de infraestrutura. E claro, eles sabem disto.

    Até mesmo na area internacional, o PGR/MPF, em certas e conhecidas ações ( Eletronuclear p.ex.), extrapolou suas competencias constitucionais, foi alem do Itamaraty, do MinDefesa, MinCinTec, ao negociar/revelar a concorrência externa, detalhes de programas estratégicos do Estado, até mesmo os criminalizando - ação inédita em todo histórico relativo a geopolitica, de qualquer Estado Nacional - pois proteger a inserção internacional de suas empresas, é prerrogativa básica de qualquer Estado, de todos seus entes politicos/economicos/judiciais.

    Portanto estes movimentos, vão muito alem de ações partidárias - ideológicas, são atitudes que revelam apetites ditatoriais, de uma necessidade deste grupo coeso, em controlar todas as instancias do estado, de tange-lo, conduzi-lo, de acordo com seus interesses, evidenciando nestas ações, um desrespeito profundo pela própria democracia, pelo VOTO, acreditanto que uma casta juridico - burocratica, possui o poder de reformar a democracia, coloca-la em seus "trilhos" ( os deles ).

Seu voto: Nenhum (5 votos)

junior50

Já comentei aqui anos e anos

Já comentei aqui anos e anos atrás: quem criou o "monstrinho" foi o bem intencionado Plinio Arruda Sampaio, relator da matéria na Constituinte. É óbvio que ele não imaginaria que a corporação viria a ser dominada por leitores da revista veja, estadaõ, globo e folha... Todos fazendo acerto de contas com o gremio estudantil e o diretório acadêmico.

Os cursos de Direito eram diferentes na época do Plínio. Não formavam somente concurseiros que matavam aulas de Filosofia, História e Sociologia só porque "isso" não "caia" em concursos.

Em outros tempos gostavam de "falar bonito" demais, mas prezavam algum conhecimento. Hoje, (ou ontem, pouco importa) é terno em Miami e qualquer outra moda que for: Aperol, antipetismo, Ilhas Fiji, peixe com crosta de gergerlim, single malte, trufa, Chateau sei lá de quem... e por aí vai.

O Umberto Eco morreu; lembro toda hora do "Cemitério de Praga" e dos fascistinhas "gourmet"...

Seu voto: Nenhum (3 votos)

PJ não VOTA!

O Jornalismo acabou e a eleição não tem fim!

imagem de Arthemísia
Arthemísia

Não sabia que Plínio havia

Não sabia que Plínio havia sido o relator da bomba na Constituinte, mas isso explica muita coisa. Plínio era promotor, não? Como eu já disse em outros comentários, a esquerda pouco ou nada sabe sobre o funcionamento do Estado. As boas intenções de Plínio não foram capazes de alertá-lo para o perigo de conceder poder a uma corporação, sem o devido controle social. Plínio, como muitos juristas de esquerda (a maioria deles católicos), acreditam na imparcialidade jurídica como um dogma. Pensão em insituições de criam poderes, mas poderes tendem a se reproduzir e a aumentar.

Essa não é uma crítica ao caráter de Plínio, entenda bem. Apenas aponto sua incapacidade de projetar um Estado para além das compreensões imediatas. Na ânsia de proteger a sociedade de um Estado autoritário como a ditadura brasileira, tornaram o Estado democrático refém de uma elite. 

Que pena que uma figura como Plínio tenha contribuído para algo assim.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Edna Baker
Edna Baker

Perfeito .

Perfeito .

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Meire
Meire

Sem dúvida. Seria MPF, mas é

Sem dúvida. Seria MPF, mas é o partido político com mais fichas sujas em seu quadro.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de M Gaspar
M Gaspar

É depois de muitos anos que

É depois de muitos anos que você começa a entender bem alguns fatos do passado. Vão surgindo documentos, depoimentos etc. Lembro de uma entrevista do FHC dada no final de seu governo, quando já havia consumado a vitória do Lula, um jornalista perguntou ao FHC se ele temia que pudesse ser revertido as privatizações e muitas medidas neoliberais da era FHC, o mesmo responde que não havia a mínima possibilidade, pois eles fizeram de um jeito que estava "tudo amarradinho". Bem amarradinho, principalmente, com um juiz no STF, GM, que faz o que faz por laços ideológicos e de retribuição. O PSDB aparelhou o Estado de tal forma que mesmo o PT no governo não consegue exercer força para governar. O Estado de São Paulo é outro que tem um aparelhamento enorme, que se o PSDB vier a perder as eleições para o governo do estado, quem ganhar é melhor fazer a faxina geral sem dó nem piedade, pois está arriscado a não governar. 

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Marco Vitis
Marco Vitis

Ciro ou Requião

Gaspar

De minha parte, nas próximas eleições eu vou de Ciro Gomes ou Requião.

É preciso um presidente destemido para enfrentar esses fascistas.

Seu voto: Nenhum (17 votos)

Prioridade

A prioridade tem de ser LULA 2018, para desmoralizar de vez os que o perseguem e para o bem do Brasil. Na sua falta, prefiro Requião.

Seu voto: Nenhum (19 votos)
imagem de asdrubal
asdrubal

então é melhor ir de

então é melhor ir de Requião....Ciro tem rabo preso com o Banco do Nordeste....

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Silvio L. Morais
Silvio L. Morais

Ministério Parcial Federal

Troque-se o nome do meio do MPF e fica tudo em casa. Rodrigo Janot foi capaz de dar uma entrevista - após o criminoso vazamento às vésperas do segundo turno - afirmando que "houve uma tentativa de interferência no processo eleitoral". Em primeiro lugar não houve uma tentativa; o que aconteceu foi que à luz do dia, na cara dura,  a tabelinha PF- MPF -juiz Moro -Mídia desfechou um golpe quase mortal na candidatura Dilma às vésperas do segundo turno.Alguém foi punido? Houve alguma investigação? Claro que, nesse episódio específico, o papel do Ministério da Justiça foi o de sempre, ou seja, um papelão. Citei esse episódio, poderia mencionar mais meia dúzi e não o faço apenas para não ser cansativo. Agora, suponhamos, apenas por um momento, que os indícios a respeito de todos os tucanos sejam frágeis (hipótese altamente improvável) e, portanto, o Procurador Geral da República fez bem em não expô-los a uma investigação inútil. Mas, mesmo considerando essa hipótese ingênua, tola e improvável, como é que fica a conta de Liechstein (Suíça)? Por essas e outras, meus caros, é que não abro mão de chamar o atual PGR de o "Engavetador Geral dos Malfeitos Tucanos e Afins". E volto ao meu velho bordão: o Ministério Público e o Judiciário são a maior Caixa Preta da República. Não acredito que possa haver uma democracia sólida e respeitável nesse país sem um controle externo do MP e do Judiciário. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Nosde
Nosde

É tudo mais simples e

É tudo mais simples e complicado. Não se trata de partido político ou congênere, trata-se de uma coisa em que os participantes não precisam combinar, não precisam se falar, eles intuem, é a ARISTOCRACIA . . . . e não creio que possa ser combatida por democracia, paises demonstraram como se lidar com isto . . . . jamais, jamais se irá fazer algo contra Aécio Anastasia  etc, o Janot é apenas um ilustre chefe de uma turma que pensa tal qual ele . . . . .

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.