Bolsonaro: Angra dos Reis não é Cancun, é Tijuana!

Angra não é o que parece. Tem mais de inferno que de paraíso, por André Rodrigues e Andrés del Río

Protesto de moradores contra a violência - Foto: Reprodução

Bolsonaro, Angra dos Reis não é Cancun, é Tijuana!

Por André Rodrigues e Andrés del Río [1]

Angra dos Reis está no centro do debate público no Brasil por motivos esperados e inesperados. O motivo esperado é a violência. Angra é uma das cidades mais violentas do Estado de Rio de Janeiro. Talvez o surpreendente seja o governador sentir-se o Rambo e, de um helicóptero, fomentar disparos aleatórios contra populações de favelas (mas ai não falamos de Angra e sim da masculinidade frágil do governador). A razão inesperada: o turismo. Angra dos Reis é um dos paraísos de América do Sul. É mesmo. Mas, lamentavelmente, Angra perde todos os dias suas fontes de receitas vindas turismo pela queda na quantidade de pessoas que frequentam uma cidade.

 

Angra do Reis: cidade submersa

Angra não é o que parece. Tem mais de inferno que de paraíso. Mas é melhor começar pelo início, para que todos compreendam.

Angra dos Reis é um lugar único no Brasil pela sua complexidade. Nesse território de mais de 800 quilômetros quadrados, convivem mais de 200 mil pessoas. Sim, verdade, Angra tem 365 ilhas, para desfrutar cada dia uma ilha nova. A questão é quem pode, quem tem acesso, já que e as diferenças sociais são gritantes. Temos a famosa Ilha Grande, um espetáculo ímpar. Em Angra dos Reis também impar é seu desemprego, aumento da violência e problemas históricos relacionados à terra.

Sobre a complexidade desse paraíso na terra, podemos falar de sua diversidade: Em Monsuaba está localizado o terminal marítimo da Petrobras. Além disso, existem as duas únicas usinas nucleares em funcionamento no Brasil, e uma outra em construção. Vital na indústria naval, tem o maior estaleiro da América Latina, conhecido como Verolme, hoje Brasfels. Atualmente, um estaleiro famélico. Dos mais de 10 mil empregados que havia há menos de uma década, hoje só quase 10% desse contingente veste o macacão típico da indústria naval. Existem além disso, profundos problemas com as terras e grilagem. E em geral os problemas relacionados à terra tem sentidos de filme de ação: muita violência, impunidade, pancada generalizada e negação de direitos aos mais vulneráveis.  Sim, o turismo não representa nem 1% do que deveria gerar de economia local. Mas não podemos culpar exclusivamente Angra por isso. O turismo no Brasil é cada vez menor, superando a tímida barreira dos 6 milhões turistas por ano, longe dos mais de 32 milhões que visitam o México. Ah, sim, Cancun fica no México, terra de turismo bem sucedido. E da violência como em Tijuana, criminalidade organizada e até recriada em seriados no Netflix.

Leia também:  O discurso como problema: Uma batalha de ideias no atual contexto político brasileiro, por Rafael Tauil

Falando nisso:

A política local atualmente está num forte namoro com o governador Witzel. E esse romance sombrio é embalado pela mesma toada da ideologia que vem se consolidando no Poder Executivo Nacional. Lembremos que o atual prefeito de Angra é Fernando Jordão, que foi o primeiro indivíduo que visitou Michel Temer quando finalmente Dilma foi separada do seu cargo. Um democrata.

Em Angra, Bolsonaro ganhou no segundo turno por quase o 75% dos votos válidos, tornando-se um dos espaços eleitorais mais fortes do candidato vencedor. Witzel, por sua parte, também superou a barreira dos 75%. Já o prefeito atual e parceiro da empreitada do helicóptero do governador-Rambo foi eleito em 2016 com o surpreendente apoio de mais do 82% do eleitorado. Angra é, enfim, um forte reduto do complexo Jordão-Witzel-Bolsonaro. Esse arranjo representa atualmente a articulação mais acabada de um alinhamento ideológico com alcance nas três esferas federativas: a ideologia miliciana. Sim, o helicóptero passear por Angra dos Reis e brincar de Rambo não é um evento aleatório, nem uma coincidência, nem uma ingenuidade, nem um mero circo de horrores. É o estado da arte atual da política nacional.

 

A política e a ideologia miliciana

Para além de um modelo de organização criminosa, as milícias são sustentadas por aparato ideológico específico: a defesa de um discurso que afirma que o combate à criminalidade – especificamente, ao tráfico – é o principal problema e deve ser exercido com a suspensão dos parâmetros de legalidade. Essa é a moeda do Tio Patinhas que aciona toda essa lucrativa rede criminosa. Foi assim com os primeiros grupos formados em Rio das Pedras, ainda no final do século passado; foi assim com os grupos de extermínio na Baixada Fluminense; foi assim quando Bolsonaro defendeu, no Congresso Nacional, que esses grupos eram necessários enquanto não houvesse pena de morte no Brasil; foi assim quando um de seus filhos parlamentares apresentou projeto legislativo para a legalização das milícias; foi assim quando o prefeito de Angra clama ao governo federal por tropas militares da intervenção e o número de mortes cometidas por agentes de segurança explode na região; é assim quando o governador sobrevoa a cidade no caveirão aéreo.

Leia também:  Para pensar sobre o futuro, depois do senhor Guedes e seu capitão, por José Luís Fiori

Essa ideologia, ao mesmo tempo legitima localmente os grupos milicianos (ou pelo menos os legitima diante dos poderes oficiais), autoriza o uso da força ilegal por parte das polícias. Um dos efeitos perversos dessa promiscuidade é que o Estado se torna fornecedor de mão de obra especializada para as milícias. É só lembrar que alguns quadros da Divisão Antissequestro se tornaram matadores profissionais a serviço das redes criminosas fluminenses. Um desses matadores egressos da Divisão Antissequestro foi preso pela morte de Marielle Franco. É previsível que os snipers que o governador admite estar empregando na capital e em Angra dos Reis possam se tornar a nova geração de matadores de aluguel empregados pelo crime organizado. Se eles já matam ilegalmente a serviço do governo estadual, com seus baixos salários, pouca coisa os impedirá de praticar o mesmo tipo de ação em benefício financeiro próprio quando as propostas chegarem.

Outra perversão da ideologia miliciana é a conversão do poder armado local em poder político. O controle miliciano dos territórios é sinônimo de controle sobre eleitorado. Não é mera coincidência, portanto, que prefeito, governador e presidente tenham sido recordistas de votos em Angra dos Reis. Sob a ostensividade da expansão das facções do tráfico de drogas para a cidade e a região da Baía da Ilha Grande (que agrega também os municípios de Mangaratiba e Paraty), as milícias se instalaram e se tornaram as principais agenciadoras das redes criminosas ali em atividade.

Leia também:  Acordo com EUA para explorar Alcântara ameaça desenvolvimento do Brasil, alerta pesquisador americano

Vejamos o fluxo do acontecimentos associados ao sobrevoo escandaloso do governador-Rambo: no sábado, dia 4 de maio, o governador publica seu tenebroso teatro de quermesse do combatente alado do crime nas redes sociais; no domingo, o Terceiro Comando Puro (TCP – que, pelo menos, desde 2018, possui uma aliança com a maior milícia do estado) empreende invasões contra áreas controladas pelo Comando Vermelho (CV); na segunda-feira, a Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (a força que estava pilotando o helicóptero e que foi anunciada pelo governador como a que estaria presente dali em diante para combater o crime) efetua operações que resultaram em, pelo menos, sete mortos; na sexta-feira, temos notícias na imprensa de vídeos de traficantes do TCP comemorando a conquista de áreas tomadas do CV.

O balneário de Angra dos Reis é veraneio tradicional das elites nacionais. Em seus momentos de descanso, os homens de poder costumam usar parte do tempo para tratar de negócios e alianças que muitas vezes não podem ser operadas sob a luz fria dos escritórios; são melhor azeitadas à beira do mar, acompanhadas de acepipes e drinques a gosto. Sabe-se lá qual era a agenda das conversas entre Witzel e Jordão no luxuoso hotel Fasano de Angra dos Reis, mas é possível prever que o resultado das ações que estão levando a cabo na segurança pública seja a consolidação de uma importante fronteira para as milícias.

Entre Val do Açaí, miliciano acusado de ser autor da morte de Marille frequentando o condomínio Portogalo, multas do presidente por pesca irregular em área de proteção ambiental e o infame turismo bélico praticado pelo governador, nossa Tijuana do Sul vai registrando os contornos dos arranjos mais preocupantes do cenário nacional presente. Quem entende Angra dos Reis nos dias de hoje, entende o Brasil.

[1] Doutores em ciência política pelo IESP, professores adjuntos do IEAR/UFF.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

13 comentários

  1. GAME OF THRONES BRAZIL – EPISÓDIO 8: A DERROCADA DA CASA BOLSONARO?
    Bem a Massa foi pra rua, a mídia cobriu vigorosamente os protestos, a chamada “mídia alternativa” no YouTube, num frenesi vingativo, entrou em êxtase e Mourão (em nome dos Militares) deu sua benção: “a manifesção é Democrática”. Em seguida, como em um script da Netflix, ecoam gritos, a esquerda, a direita (e pasmem até das corporações do Mercado!) para (mais um!!) impeachment presidencial! Humm. Muita calma nessa hora…
    Bolsonaro como não podia deixar de ser, reagiu com a classe de sempre e, com exceção ao uso das usuais ofensas, foi o único a ter uma leitura real do que estava acontecendo: “são todos massa de manobra”…
    Calma! Me explico… É óbvio que, como bem demonstra a nossa (triste) história política, quando o Complexo Golpista (Militar/Financeiro/Banksters/Midiático/Judiciário etc.) apadrinha as manifestações contra um governante, está dada a senha para derrubado do coitado (a) e sua vã ingenuidade seja conciliatória, seja fascista de que ganhar o Governo de uma Democracia Burguesa, significa ganhar o Poder… Bem longe disso…
    A robusta cobertura das manifestações estudantis pela mídia Global, nada mais é do que o uso de sua poderosa máquina de informação para manter o controle sobre a narrativa dos eventos. A despeito do heroico esforço dos canais de políticos do YT e outras bolhas sociais da esquerda em tentarem em vão disputar esse espaço no final é a narrativa golpista que vai prevalecer na expectativa de que, uma vez livre do estorvo bolsomita, garantir a continuidade de sua agenda ultra-liberal sob a batuta de um novo fantoche seja fardado ou de macacão…
    O nefasto manifesto suicida excretado ontem pelo acossado Presidente corrobora a tese de Nildo Ouriques de que, como já feito durante as fraudulentas eleições, a ultra-direita fascista, na voz de Bolsonaro, acusa o sistema (mecanismo) pelo seu retumbante fracasso, denuncia de forma contundentemente Marxista, o Estado como balcão de negócios das misteriosas corporações (burguesia) e, ao fazê-lo toma para si o discurso da esquerda cirandeira no armário e convoca sua fan base (Militares de baixa patente, PM, Milícias, Classe Média canarinho e mínios fascistas de toda ordem) para uma guinada ao Nazi-fascismo escancarado liderado pelo Mito. Não subestimemos a capacidade dessa gente…
    Com o tal manifesto, Bolsa cruza o rabicão e chama, esquerda e direita para porrada. Sem a presença de um ente mediador nesse que parece ser o último ato de um governo natimorto será violento, dramático e repleto de revelações bombásticas com consequências imprevisíveis para as já apodrecidas instituições da República e um desafio para garantia da governabilidade de quem quer que seja o próximo coitado a sentar no Trono, digo Cadeira Presidencial… Quem viver verá.

  2. Milicianos que se transformam em bandidos e que tenham relação com políticos não é novidade, muitos lugares do mundo houve isso, deram o nome de máfia. A novidade é governador e presidente se envolver com mafiosos.
    Contra políticos do alto escalão se envolvendo com mafiosos…
    Democracia absoluta
    Todo caos que vemos na politica, nacional e mundial, é por que tem pouca participação popular. Precisamos de uma reforma politica. O poder é corruptivo, quanto maior o poder maior a corrupção. Por isso que a politica tem que ter um controle maior do povo.
    Legislativo
    A primeira mudança seria no legislativo em seus vários níveis, onde os seus integrantes não seriam mais eleitos e sim sorteados entre os eleitores. Poderíamos começar com 50% do legislativo sendo nomeado desta maneira. A cada 2 anos haveria um novo sorteio para renovação do legislativo.
    Acredito que assim poderia aumentar o interesse do povo pela política.
    Por sorteio, este grupo de parlamentares seria bem heterogêneo, bem representativo da população brasileira.
    Com certeza, 50% destes parlamentares seriam de mulheres.
    Executivo
    Poderíamos eliminar as coligações partidárias. Cada partido apresentaria seu próprio candidato a Presidente, governador, prefeito e seus vices.
    50% do legislativo, o 50% não sorteado, seria eleito proporcionalmente aos votos dados aos candidatos do executivo.
    Para dar mais controle do executivo pelo povo, a cada dois anos haveria um plebiscito para confirmar ou não a permanência do mandatário no cargo. Caso o “não” vencesse seria feita uma nova eleição para aquele cargo.

  3. Milicianos que se transformam em bandidos e que tenham relação com políticos não é novidade, muitos lugares do mundo houve isso, deram o nome de máfia. A novidade é governador e presidente se envolver com mafiosos.
    Contra políticos do alto escalão se envolvendo com mafiosos…
    Democracia absoluta
    Todo caos que vemos na politica, nacional e mundial, é por que tem pouca participação popular. Precisamos de uma reforma politica. O poder é corruptivo, quanto maior o poder maior a corrupção. Por isso que a politica tem que ter um controle maior do povo.
    Legislativo
    A primeira mudança seria no legislativo em seus vários níveis, onde os seus integrantes não seriam mais eleitos e sim sorteados entre os eleitores. Poderíamos começar com 50% do legislativo sendo nomeado desta maneira. A cada 2 anos haveria um novo sorteio para renovação do legislativo.
    Acredito que assim poderia aumentar o interesse do povo pela política.
    Por sorteio, este grupo de parlamentares seria bem heterogêneo, bem representativo da população brasileira.
    Com certeza, 50% destes parlamentares seriam de mulheres.
    Executivo
    Poderíamos eliminar as coligações partidárias. Cada partido apresentaria seu próprio candidato a Presidente, governador, prefeito e seus vices.
    50% do legislativo, o 50% não sorteado, seria eleito proporcionalmente aos votos dados aos candidatos do executivo.
    Para dar mais controle do executivo pelo povo, a cada dois anos haveria um plebiscito para confirmar ou não a permanência do mandatário no cargo. Caso o “não” vencesse seria feita uma nova eleição para aquele cargo.

  4. Nunca vi tanta besteira escrita junta , mas e isso que se espera de quem crítica o governo . Angra dos Reis já está tomada pelo tráfico , assassinato faz muito tempo o que deveria fazer o governador então ? Pedir por favor para que os bandidos safados saiam gentilmente de suas casas e abandone a vida do crime ? Piada !

  5. Tudo isso se deve ao comandante do batalhão pois não deixa seus subordinados atuarem impondo que esta tudo muito bom eles os CMD só querem subir de patente que se dane a população 70% da Polícia de Angra está corrompida por suborno e muita grana envolvida não se tem uma corregedoria atuante nenhum policial que tem lancha , jet sky ,Corolla zero km sendo soldado ou cabo ou seja renda não bate , os que querem trabalhar que são minoria correm o risco de serem transferido com isso toda população daquela cidade sofre, sendo preciso o BAC, CHOque ou BOPE atuar na cidade, será que os polícias que se tornaram desde infância moram nessa cidade não sabem quem são ou não os narcotraficantes, hipocrisia achar que o Bope tem bola de cristal Angra tem policia sim é muito atoa que só pena a no próprio nariz porém hoje estão sendo expulsos de sua própria casa pois o mato cresceu , darei uma solução transfere todo efetivo e põe os CMD na rua para atuarem ao invés de mandar de dento do batalhão ou ficar lendo estatísticas.

  6. Tudo isso se deve ao comandante do batalhão pois não deixa seus subordinados atuarem impondo que esta tudo muito bom eles os CMD só querem subir de patente que se dane a população 70% da Polícia de Angra está corrompida por suborno e muita grana envolvida não se tem uma corregedoria atuante nenhum policial que tem lancha , jet sky ,Corolla zero km sendo soldado ou cabo ou seja renda não bate , os que querem trabalhar que são minoria correm o risco de serem transferido com isso toda população daquela cidade sofre, sendo preciso o BAC, CHOque ou BOPE atuar na cidade, será que os polícias que se tornaram desde infância moram nessa cidade não sabem quem são ou não os narcotraficantes, hipocrisia achar que o Bope tem bola de cristal Angra tem policia sim é muito atoa que só pena a no próprio nariz porém hoje estão sendo expulsos de sua própria casa pois o mato cresceu , darei uma solução transfere todo efetivo e põe os CMD na rua para atuarem ao invés de mandar de dento do batalhão ou ficar lendo estatísticas.

  7. Lamentável… Quem vai ou pensa em ir ao Estado do RJ , sempre pensa muito bem. O crime , o tráfico , a milícia já ocorre há muitos anos. No Governo Brizola iniciou os primeiros episódios real e de lucratividade com o tráfico , isto que eu me lembro. Em outros governos nada mudou. O Filme Tropa de Elite 1 já havia mostrado o que era a Política Ligada ao Sistema de Segurança . O crime e vantajoso aliado a Política corrupta que paga a Polícia. Mas enfim , chegamos ao Governo do PT , e muita coisa mudou. … Hoje qualquer um tem curso superior e se acha Doutor ou formador de opinião Pública e Especialista . Vivemos em um Pais de Desemprego , o crime sempre existiu e Agora em apenas 5 Meses queremos Culpar o Governo Carioca e Federal. Difícil heimmmm. Em 13 , 14 anos no Poder o PT CRIOU, GEROU , FINANCIOU TODO ESSE CRIME E ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA QUE EXISTE EM NOSSO PAÍS.

  8. Acredita-se que tudo é para o policial das ruas resolverem e não vêem (ou vêem sim) que só estão adoecendo os profissionais da polícia e causando terror na população.

    O suicídio e a farda: o silencioso sofrimento dos policiais no Brasil (VÍDEO) – Sputnik

    Os policiais brasileiros estão deprimidos e cometendo suicídio. A situação vem sendo objeto de estudo de pesquisadores e de protesto por policiais diante da falta de política de prevenção e de dados sobre a questão. A Sputnik Brasil ouviu cientistas e policiais em três estados brasileiros sobre o contexto desse cenário trágico.

    https://br.sputniknews.com/brasil/2019032013527246-suicidio-policia-militar-civil-tabu-video/

  9. Angra sangra e o Governador Witzel foi lá não para estancar a hemorragia, mas para intensificá-la.

    As milícias governam o Brasil e principalmente o Rio de Janeiro.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome