O IPCA a caminho dos 10% ao ano, por Luis Nassif

O Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) traz surpresas preocupantes.

O índice ficou em 0,96%. Dos 9 grupos que compõem o índice, os maiores aumentos foram em Habitação (3,10%) e Transportes (1,52%). Houve queda apenas em Saúde e Cuidados Pessoais (-0,65%).

O impacto sobre o índice final depende da variação dos preços do grupo multiplicado pelo peso do grupo nos gastos das famílias.

Dos 0,96%, quase metade, 0,48% foi no Grupo Habitação, e 0,32% em Transportes.

Em Habitação, a maior alta foi justamente em Energia, com 6,91%.

Repare que apenas a alta de energia pesou em 0,40% do índice, ou quase metade.

Em 12 meses, a variação do IPCA chegou a 8,99%. Desse total, 3,33% corresponderam ao aumento dos Transportes e 2,78% dos alimentos.

Para os próximos meses, haverá a pressão adicional da energia elétrica e as pressões já medidas pelo Índice de Preços ao Produtor.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome