Para conservadores, ideologia de gênero é marxista e não cabe no Plano de Educação

Atualizada às 23h10

Jornal GGN – Após quase três anos tramitando no Congresso, a última redação do Plano Nacional de Educação (PNE) chegou para análise, na tarde desta terça (22), na comissão especial que discute o tema na Câmara dos Deputados. O grosso do projeto – que, entre outros pontos, direciona 10% do Produto Interno Bruno (PIB) para a educação – teria sido votado em definitivo e pela maioria expressiva dos deputados presentes na Casa, não fosse uma questão polêmica que despertou calorosas discussões: um trecho que defende o combate à discriminação de gênero e de orientação sexual. 

Mesmo com a intervenção de militantes, o discurso conservador de representantes de bancadas religiosas venceu a votação do PNE. Figuras como Jair Bolsonaro (PP), Pastor Eurico (PSB) e Marco Feliciano (PSC), infiltrados nos 45 do segundo tempo no grupo que debate o assunto, defenderam que o Estado brasileiro, apesar de laico, é formado por “maioria cristã” e, diante disso, dissera, não seria possível contemplar um texto que defenda o combate à discriminação e a propagação de políticas de combate à violência contra homossexuais ou mulheres, “pois isso fere os princípios da família cristã”.

O relatório do deputado Angelo Vanhoni (PT), relator do PNE na Câmara, incluia a superação das desigualdades educacionais “com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual”. O texto aprovado anteriormente pelo Senado era mais abrangente e não citava “gênero e orientação sexual”, e prevaleceu, fato que agrada os conservadores.

Defendendo o ponto de vista do grupo, Pastor Eurico alegou que as questões de gênero são reflexo de “ideologias marxistas” e, por isso, devem ficar de fora das salas de aula. “Não somos contrários à educação no Brasil e destacamos que não há uma ditadura religiosa nessa comissão. Mas devemos reconhecer que apesar da laicidade do Estado, a maioria da população é cristã. Não vemos por que razão um movimento [em defesa dos direitos das mulheres e do segmento LGBT, majoritariamente] quer introduzir no PNE a ideologia de gênero. A ideologia de gênero é marxista, é a mesma que se espalhou pela Europa e, no futuro, [os que a defendem] vão perceber que estão trabalhando contra si próprios”, sustentou o Pastor.

Bolsonaro, por sua vez, aproveitou a oportunidade para ressaltar que a rejeição desse artigo livra as escolas brasileiras, em definitivo, do que ele classificou como “kit gay”. “Com o não acolhimento desse destaque, ficaria de fora o Plano Nacional de Promoção de Cidadania e Direitos Humanos de LGBT. Esse é o kit gay que Dilma Rousseff disse que tinha recolhido, mas que está saindo do armário”, afirmou, em alusão ao projeto enterrado pelo PT em 2011.

10% do PIB para a educação

O segundo ponto polêmico na votação do PNE é a destinação de 10% do Produto Interno Bruto brasileiro para investimentos em educação. O impasse está entre congressistas que divergem sobre aplicar esse recurso apenas na rede pública ou também investir na privada e em núcleos de caráter filantrópico. 

Deputados do PSol destacaram que votaram a favor do PNE para não emperrar a discussão em torno das metas para a educação para os próximos 10 anos. Porém, ressaltaram que discordam totalmente de direcionar qualquer parcela desses 10% do PIB para a educação privada. 

O texto de Vanhoni diz que o investimento público deve ser feito em educação pública, embora estabeleça que, nos 10% do PIB, sejam incluídos programas como o Universidade para Todos (ProUni), o Ciência sem Fronteiras e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). 

A votação segue nesta quarta-feira (23).

 

41 comentários

  1. Quem não conhece compra. Um

    Quem não conhece compra. Um marxista, comunista ou qualqueer nome que se dê, nunca vai te dizer o que pretende realmente senão ninguém aceitaria.

    A ideologa de gênero tem como meta acabar com as distinções entre homenm e mulher.

    Ela é mais uma arma contra a primeira instituição da sociedade, a familia, o objetivo por trás da ideologia de gênero é destruir o conceito de familia,

    Antigamene o marxista tinha como objetivo direto o fim das classes sociais, o fim da exploração do homem pelo homem, fim do estado, fim do casamento monogâmico. Houve uma inversão em vez de alterar a sociedade por meio da revolução proletáriada se altera a (superextrutura) cultura .

    A familia tradicional  sustenta o modo capitalista de produção, a propriedade privada, os costumes por isso é alvo principal da revolução cultural.

     

     

  2. O ideal seria colocar enfase

    O ideal seria colocar enfase na promoção de campanhas contra TODO tipo de discriminação. É o melhor a se fazer. Não existem apenas esses tipos de discriminaçao contra minorias que apontam o texto do deputado do PT.

    Quem nunca foi discriminado por pensamentos políticos, por ex ? Qualquer um, por ser diferente em algum aspecto dentro de um grupo social qualquer, pode sofrer discriminação de diversos tipos.

    É isso que tem que ser ensinado nas escolas, é tolêrancia para com o próximo, quaisquer sejam suas posições, opiniões, orientações, caracteristicas físicas, etc.

    Ninguem pode ser discriminado por ser mulher, homem, homo ou heterosexual, nordestino ou sulista mas também não pode por ter pensamentos políticos por A ou B ou qualquer outro tipo de discriminação.

    Por que querem ter prevalência sobre determinado tipo de discriminação ? Não faz sentido.

    No caso, o texto do Senado é melhor, pois é mais abrangente, a própria matéria diz.

    É preciso pensar com a própria cabeça e não ficar a reboque de grupos quaisquer, nem mesmo rejeitar as coisas só porque pessoas de péssimo nível como bolsonaro e pastores mercenários apoiam. Estão usando falácias para impor posições.

    Neste caso, evidentemente o texto do senado é melhor por ser mais abrangente.

     

    • Concordo!

      Entre deixar o texto: ..a superação das desigualdades educacionais, “com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual”. Prefiro: “promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação”. 

      O segundo texto sem dúvida é mais abrangente, qualquer minoria vai estar incluída, sendo que o 1° gerava dúvidas em sua interpretação. 

  3. O PNE será um grande passo
    O PNE será um grande passo para o desenvolvimento da educação em nosso país, PORÉM DE MANERIA ALGUMA, OS NOSSOS REPRESENTANTES EM BRASÍLIA PODE ACEITAR A COLOCAÇÃO DESTA IDEOLOGIA DE GÊNERO. Os defensores desta ideologia alegam que devemos nos libertar de todos os preconceitos, mas isso é só uma maquiagem, para camuflar a verdadeira intenção, pois querem fazer das nossas escolas fabricas de homossexuais, não estou discriminando os homossexuais, mas eu  sou à favor da família!Devemos respeitar todas as opções sexuais, mas não impor uma educação sexual perversa como essa em nossas escolas!

  4. Ideologia do Gênero

    É incrivel como a galera colorida fica toda animada quando se discute assuntos do tipo preferência sexual.

    Ela chega até citar Jesus Cristo e suas máximas de amor ao próximo para defender sua preferência sexual, é brincadeira.

    Só que a discussão em torno do PNL e as preferências sexuais não tem nada a ver com a Ideologia do Gênero, cuja discussão acalorada entre uns e outros não tem o menor sentido.

    A discussão aqui é séria e nada tem a ver com preferência sexual. Trata-se da criança, da educação infantil principalmente que pode chegar numa escola onde não tem banheiro por sexo, como ela está acostumada ou terá banheiro ! e banheiro 2, e cada um escolhe o que quer. O alvo são crianças e a discussão tem que acontecer com pais que tem filhos em idade escolar. Estes são o alvo da discussão de todo PNL. Eles é que têm que decidir.

     

    Os partidos políticos tem interesses escusos atrás de suas propostas e aprovam o que lhes convém a despeito da preferência dos mais interessados ou daqueles que eles representam. Aí ficam as discussões no plano pessoal, em primeiro lugar os políticos que querem ganhar algum dinheiro ou outro interesse e depois os radicais contra radicais.

    É por isso que o povo tem que tomar o poder, mas tem que ser pelo voto e através de partidos novos que não apoiem a IG e não apoiem o Aborto e toda besteira que querem incluir em PNE ou qualquer lei contra o interesse do povo.

     

    É claro que o PT, partido de pulhas interesseiros e ladrões, querem destruir a família brasileira porque já retiraram Deus das instituições, daquelas onde as pessoas mais precisam dele, por exemplo, em clinicas terapêuticas. Agora querem destruir totalmente o conceito familiar porque a família apoia a democracia, a liberdade de escolha de profissão, escolha de empregadores, escolha do que desejar e não a limitação e cerceamento de seus direitos.

     

    Quero ver em Sta Bárbara do Oeste quando as crianças retornando do primeiro dia em que fizerem a exposição das crianças sobre como devem se comportar diante da sexualidade, sobre a limitação de direitos de escolher o banheiro por sexo (isto sim é discriminação) e depois dizerem as novidades aos pais totalmente aturdidas e confundidas os pais vão querer proibir a aplicação deste princípio hediondo, porque é totalmente irracional e idiota, confuso e altamente discriminativo contra os próprios diretos familiares da maioria.

    Por outro lado os partidos safados têm que informar à sociedade os assuntos em pauta que interessam à população. Têm que divulgar por todos os meios de comunicação porque os homo porque sabem de tudo e aparecem nas assembléias não econtram pais de famílias que estão trabalhando e não foram informados sobre os assuntos de seus interesses.

     

    Deveriam divulgar os partidos que apoiam a IG assim como o Aborto e todos os assuntos que interessam a população e as instituições da área de comunicação são uns pulhas também que obedecem o governo com mêdo de perder a concessão.

    No ano que vem tem eleições e gostaria que estes líderes pensassem um pouco melhor porque aí está um assunto que sempre defendi e agora é oportuno. Não tem que haver Intervenção Militar porque como dizem as FFAA são o bisturi e não vão fazer as mudanças que o povo precisa e o comandante do exército tem explicado muito bem isto. Também o Impeachmente não resolverá nada. Gostaria que os líderes de movimentos pensassem um pouquinho mais.

    Para terminar, pessoal raciocinem um pouco mais, vós homens e mulheres inteligentes e para isso aconselho youtube/com/user/ediss2014/videos

     termarE 

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome