Renan muda votos do PMDB e enterra reforma trabalhista, por Fernando Brito

renan_calheiros_lula_marques_agpt.jpg

Foto: Lula Marques/AGPT

Do Tijolaço

 
por Fernando Brito

Em entrevista dada na manhã de hoje, o líder do PMDB, Renan Calheiros, anunciou que vai usar seu direito de liderança e retirar os dois senadores que deram votos favoráveis à leitura do relatório favorável à reforma trabalhista tal como veio da Câmara dos Deputados.

A decisão inverte o placar registrado ontem, de 13 votos a favor e 11 contrários ao texto que agrada Michel Temer e “o mercado”.

Em gravação exibida pelo Poder360, Calheiros foi mais adiante e disse que, se fosse Michel Temer, teria demitido Henrique Meirelles por ter declarado que “com Michel ou sem Michel, vamos levar as reformas”, numa admissão explícita de que seguiria com as medidas independente da saída do presidente.

Temer, por sua vez,  articula, dentro do PMDB, a derrubada do atual líder do PMDB

Renan vai comparecer pessoalmente ao ato das centrais sindicais, cujos apoiadores começam a se deslocar para a Esplanada dos Ministérios, com previsão entre 50 e 100 mil pessoas. A PM de Brasilia, sempre avara nos cálculos quando a manifestação é de esquerda, admite que há 25 mil pessoas diante do Estádio Mané Garrincha.

Assine

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora