Com Tarcísio, São Paulo se prepara para futuros golpes

Agora, a corregedoria estadual quer tirar do Ministério Público Estadual o controle da legalidade na apuração de desvios administrativos.

Reprodução Redes Sociais via Correio Braziliense

Começou com o Secretário de Segurança de São Paulo, coronel Guilherme Muraro Derrite, trocando coronéis legalistas da Polícia Militar por capitães sanguinários da Rota. Está ocorrendo um massacre em Guarujá sem que se saiba de uma manifestação sequer do Ministério Público Estadual.

Agora, a corregedoria estadual quer tirar do Ministério Público Estadual o controle da legalidade na apuração de desvios administrativos. Ou seja, qualquer desvio será apurado por um corregedor diretamente indicado pelo governador Tarcisio de Freitas.

Tarcísio está preparando o bolsonarismo de São Paulo para futuros embates políticos e bélicos. Recorde-se que o golpe de 8 de janeiro não se consumou porque a Procuradoria Geral de diversos estados decretou estado de emergência, que obrigou os PMs a ficarem nos quartéis, sob pena de serem acusados de insubordinação.

São Paulo teve papel essencial graças aos coronéis legalistas da PM.

Agora, Tarcísio dá dois passos para assumir o controle dos contrapesos ao poder absoluto do governador. Os próximos passos será utilizar os poderes da corregedoria para perseguir funcionários “comunistas”, afastar aqueles que se disponham a resistir às manobras do governador e passar pano para futuras irregularidades.

Leia também:

Luis Nassif

11 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Uma observação apenas, o Derrite é Capitão e não Coronel e ele trocou o Estado Maior da PM, por Coronéis oriundos principalmente da Rota e não capitães!

  2. Quem sabe do Tarçisio é Paraisópolis onde o elemento participou de uma “fakeada” com vítima.
    Isso a globo não pesquisa e não dá.
    Pior, engajou toda a PM na Universal do Reino do Edir Macedo onde comparecem em mangotes fardados e armados para o perdão de seus assassinatos.
    É a república teológica no Brasil.
    Breve teremos que fazer um curso de “lingoas” para entender esse povo.

    1. O que é incomprrensível é que o fato ocorrido na campanha dele, grave suficiente para enterrar a sua candidatura não foi sequer investigado com rigor. Fosse, e a proverbial conveniência do vitimismo seria apurada alcançando no candidato o principal mandante.

  3. Tarcísio, dentre outras, é um deslumbrado confesso (em entrevista) de bolsonaro, quando em uma de suas muitas farsescas obras*, inaugurou a entrega de uma
    ponte (de governos alheios e/ou anteriores) e pegou carona de moto com bolsonaro que atravessou a ponte sem capacete e ao comentar o fato, bolsonaro respondeu que isto era proposital, pois a mídia iria comentar isso e portanto dar visibilidade ao event. Nesta entrevista Tarcísio exalta bolsonaro como um gênio, o que demonstra sua pobreza política. * Na verdade tudo que Tarcísio fez foi inaugurar pontes de madeira, pequenos trechos asfaltados de rodovias, muitas concessões privadas (seu foco principal), o infame sequestro da finalização de trechos da transposição do SF (que não acabou) e eficaz propaganda nas redes, o que acabou lhe rendendo o voto paulista para governador. Resumo: com distorcido espírito público, um perigoso e fiel deslumbrado.

  4. Sinceramente, três dias todo mundo repercutindo o Jair e manifestação. O gado caga, muge e anda pra esse palavrório. E os oportunistas de plantão sabem fazer e acontecer.
    Do Globo.

    Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (27) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que amplia a imunidade tributária de entidades religiosas e templos de qualquer culto.

    Com a aprovação pelo colegiado, o texto seguirá para votação em plenário. Por se tratar de emenda à Constituição, a proposta será aprovada se obtiver os votos de, no mínimo, 308 deputados, em dois turnos de votação.

    A proposta aprovada nesta terça prevê inserir na Constituição que os governos federal, estadual e municipal não poderão criar impostos sobre a aquisição de bens e serviços “necessários à formação” do patrimônio, geração e prestação de serviço, manutenção e funcionamento dessas entidades.

    Atualmente, já há proibição de cobrança de tributos sobre patrimônio, renda e serviços vinculados a atividades essenciais de igrejas e templos. Isso contempla, por exemplo, a isenção do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) aos edifícios em nome de uma entidade religiosa.

    O entendimento é de que a ampliação da imunidade, prevista na PEC, valerá inclusive para tributações indiretas, como, por exemplo, no imposto embutido na luz utilizada pela igreja ou no material de construção do templo.

    A medida também contemplará organizações assistenciais e beneficentes ligadas às entidades religiosas, como creches, asilos, orfanatos e comunidades terapêuticas.

    1. Isso é bom e isso é ruim. Bom porque o gado crentelho ficará ainda mais fortalecido e os seus vaqueiros mais ricos. Ruim porque para lavar dinheiro os doadores vão ter que doar muito sem contrapartida. Dinheiro vai chamar mais dinheiro, e para lavar dinheiro um prejuizo mínimo é necessário.

  5. Ele foi plantado aí pra isso.
    É República Velha na veia! Precarização da política, estagnação econômica econômica causada, intencional; bate-cabeça dos sem cabeça e até dos de alguma cabeça (maioria)… enfim, com direito a alguma aventura tipo “Revolução Constitucionalista”. De novo. Por São Paulo, é claro.
    Estultícia total.
    Os extremistas são extremistas porque são determinados. Sabem o querem e querem.
    “Se quero, posso; se posso, faço”.

  6. Tarcísio está de olho no planalto para 2026, e SP é o maior colégio eleitoral do país. Se puder ele vai, realmente, corroer o governo Lula por todos os meios. Mas abuso tem limite. Que ele não chegue a merecer uma intervenção federal por conta da violência que está permitindo acontecer por aqui.

  7. Quanto mais holofotes, mais são os olhos atentos e fiscalizadores de seus adversários, de seus oponentes, de seus inimigos e dos olhos investigativos da lei, que sabe muito bem quem ele é.

  8. Quanto a presidência, eu tenho percebido que desde o veto de Lula, em 5.6 bilhões das comissões parlamentares, quem tem mais se assanhado e quem também tenta ocupar os melhores espaços/tempos é Rodrigo Pacheco.
    A minha percepção é que ele já está seguindo um roteiro planejado.
    Pelo sim e pelo não, toda atenção será pouca para obsevar ele e Tarcísio.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador