Na posse, Teich cita SUS uma única vez, para defender a economia

"Se a gente tiver mais desemprego e as pessoas perderem o plano de saúde, isso vai impactar no SUS", constatou o novo ministro da saúde

Jornal GGN – Em seu discurso de posse, na manhã desta sexta-feira (17), o novo ministro da Saúde Nelson Teich citou a palavra SUS (Sistema Único de Saúde) apenas uma vez, no contexto de defesa da retomada da economia para evitar mais desemprego.

Teich afirmou que fará uma gestão da crise do coronavírus afinado com outros ministérios. Prometeu “acompanhar os indicadores sociais” com a mesma intensidade com a qual discute o coronavírus. Porque “se a gente tiver mais desemprego e as pessoas perderem o plano de saúde, isso vai impactar no SUS.”

Em um segundo momento, mais ao final, ele acrescentou que trabalhará com um “grande time” que envolve “saúde pública”, “saúde suplementar” e o “empresariado”, que “quer ajudar” na pandemia.

Teich também comentou que “os mais frágeis, os mais pobres são aqueles que mais vão sofrer. Isso é natural em qualquer crise e a atenção para essas pessoas vai ser total.”

Como novo ministro, ele estabeleceu como prioridade “acompanhar diariamente a evolução [do coronavírus] nos estados e municípios.”

Ele criticou, porém, que decisões sejam tomadas com base em projeções ou informações não concretas. “Como falei antes: essa situação, com tanta incerteza, você não consegue planejar muito na frente, tem que analisar todo dia o que está acontecendo, ver o que aconteceu até ontem, fazer um diagnóstico e fazer um planejamento e executar.”

“O problema do desconhecimento é que as decisões são muito mais uma coisa que você acha, que imagina, do que uma visão clara do que vai acontecer lá na frente”, insistiu.

Assista ao discurso abaixo:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora