Os negócios de Jungmann e Etchegoyen

Acaba de ser lançado o IBRIC, uma consultoria privada de compliance, que se apresenta como ONG

Raul Jungmann foi membro atuante do governo Michel Temer. Coube a ele o papel de inserir os militares no jogo político, trazendo o general Sérgio Etchegoyen para a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência). 

O general foi o grande estrategista da ascensão do general Villas Boas e Braga Netto no jogo político. E coube a Michel Temer o papel de esfriar a atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) após a tentativa frustrada de golpe de Jair Bolsonaro, no dia 7 de setembro.

Agora, todos estão irmanados no rentável negócio do compliance – a consultoria visando melhor a imagem de empresas. Acaba de ser lançado o IBRIC, uma consultoria privada de compliance, que se apresenta como ONG

A entidade é presidida pelo general Etchegoyen. Jungman é Diretor de Relações Instiutionais. Advogada Geral da União durante o ínclito governo Temer, Grace Mendonça é Diretora de Integridade. O Conselho Deliberativo tem representantes das construtoras Mendes Jr e Andrade Gutiérrez.

O instituto tem como mercado especificamente o de infra-estrutura – não coincidentemente, o mais afetado pela Lava Jato. 

Segundo o portal da empresa,

“Nosso negócio: capacitar e fortalecer as empresas do setor de infraestrutura no Brasil por meio da Autorregulação nas áreas de ética, integridade, governança e sustentabilidade.

Nosso campo de atuação: Empresas do setor de infraestrutura, compreendendo projetistas, construtoras, montadoras, concessionárias e operadoras de serviços públicos e privados, fornecedores, prestadores de serviços, consultores e especialistas do setor”.

Uma das propostas do instituto é melhorar a imagem institucional do setor:

“Representação dos associados com stakeholders nacionais e internacionais – ser um vetor de transformação da imagem do setor perante potenciais financiadores, clientes, agências de rating, governo, entre outros

Melhoria da imagem do setor perante investidores – contribuir para que os investidores internacionais e nacionais reconheçam a competência e capacidade das empresas que assumiram o compromisso da autorregulação no Brasil”.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tadeu Silva

- 2022-05-12 13:18:23

Zum Zum Zum Zum Zum Zum, tá faltando Um, ou Dois, Três. Um palito de dente de araucária para quem adivinhar...

Olivier

- 2022-05-12 09:37:20

Parece aquele tipo de consultoria que cobra "pedágio" para deixar o seu negócio prosperar. Vale mais pelas agendas telefônicas dos sócios do que conhecimento de negócios.

andre rs t

- 2022-05-12 03:59:29

o brasil caiu de 6a. economia sib o PT para a 13a. sob a ponte para o inferno do golpe....a Lava Jato destruiu as empreiteiras e entregiu nossas riquezas ais EUA....e agora um bando de espertos quer lucrar fiscalizando a carcaca kkkk

juarez

- 2022-05-11 17:50:12

o tio do general deixou rastro no golpe contra Getúlio e ele no golpe contra Dilma. O próximo presidente deve eliminar os parentes dele do exército

MARCUS VINICIUS LOPES

- 2022-05-11 17:04:21

Ética, integridade? Ah, tá.

Neuza Maria Asperti

- 2022-05-11 14:32:37

PORQUE O TEMER AINDA NAO ESTA PRESO ?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador