Felizmente, Sartori perdeu, por Paulo Brondi

O Superior Tribunal de Justiça reformou a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, no “Caso Carandiru”, e restabeleceu a condenação dos policiais militares envolvidos no massacre.

Foto Agência Brasil - Demolição Carandiru

Felizmente, Sartori perdeu

por Paulo Brondi

Boa – e rara – notícia vem de Brasília: o Superior Tribunal de Justiça reformou a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, no “Caso Carandiru”, e restabeleceu a condenação dos policiais militares envolvidos no massacre.

O relator do caso, na corte superior, Ministro Joel Paciornik, entendeu corretamente que não havia justificativa para a anulação do julgamento pelo júri com fundamento na tese da “decisão manifestamente contrária à prova dos autos”.

Isso porque, consoante bem ressaltou o relator, há nos autos provas que ora favorecem a tese da acusação, ora favorecem a tese da defesa. Sendo assim, a opção do júri pela tese que compreende ser mais plausível não se assemelha à “decisão manifestamente contrária à prova dos autos”, razão pela qual sua votação condenatória deve permanecer incólume.

Aliás, o STJ apenas fez valer sedimentada jurisprudência da Casa.

No mais, a corte superior reforçou que o quesito relativo à participação do réu em delito praticado na companhia de outros acusados pode ser formulado de maneira genérica, se não há possibilidade fática de pormenorizar a conduta de cada corréu.

Dessa forma, o STJ determinou que ao TJSP caberá apenas analisar a quantidade de pena imposta aos condenados, já que, no que concerne ao mérito (condenação ou absolvição), a causa se encontra resolvida.

No mais, outra boa notícia vem à baila: Ivan Sartori, desembargador aposentado e então relator do processo, apoiador de primeira hora de Jair Bolsonaro, foi vencido.

Alvíssaras!

Paulo BrondiPromotor de Justiça – Ministério Público de Goiás

Este artigo não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome