Brasil respalda imposição de educação religiosa ou moral pelos pais

Na Assembleia Geral da OEA, país se une a Estados Unidos, Bolívia e Chile em torno de proposta que abre portas para ensino domiciliar

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Brasil, Estados Unidos e Chile deram respaldo a proposta apresentada pela Bolívia na OEA (Organização dos Estados Americanos) que autorizaria os pais a imporem educação religiosa ou moral aos filhos.

O texto discutido na Assembleia Geral da OEA nesta terça-feira (20/10), estabelece “o direito ou a liberdade dos pais de que seus filhos recebam educação moral e religiosa de acordo com suas crenças”.

Organizações da sociedade civil mostraram-se contrárias a essa regra, que abre portas para que o ensino domiciliar seja estabelecido e que as crianças aprendam conteúdos como a teoria da evolução, além de permitir a interferência dos pais na contratação de professores conforme suas crenças religiosas.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a proposta por criticada pelas delegações de Argentina, México, Canadá, Peru e Costa Rica, o que levou o material a ser amenizado, ressalvando que o interesse das crianças em relação ao ensino deve ser respeitado – mas a educação moral conforme a crença dos pais seguiu na proposta.

Brasil e Estados Unidos apoiaram o texto dentro do contexto da Aliança Internacional para Liberdade Religiosa, iniciativa lançada no ano passado que visa defender todas as religiões, mas que foi abraçada principalmente por evangélicos e católicos mais atuantes.

 

 

Leia Também
Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos
FAO revela que Brasil foi o país que mais perdeu florestas desde 2000
Nicolelis: Brasil deve estocar equipamentos e preparar população para nova quarentena
Repórteres Sem Fronteiras denuncia censuras indiretas do governo Bolsonaro e cita caso GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Em evento, Bolsonaro diz que agricultores não foram ‘frouxos’

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome