O sistema se entrega a Bolsonaro, por Luis Nassif

A lógica de Bolsonaro é ser anti-sistema, o representante do país sombrio, da maioria silenciosa que nunca se viu representada na política. No parlamento, é o baixo clero. Na mídia, é personagem secundário, restrito aos veículos regionais. Ou limitando-se a ver o país através das lentes dos programas policiais e do filtro dos jornais nacionais, sempre na posição passiva.

Os bolsonaristas são cidadãos de um país anacrônico, que acompanhava, passivamente, o cosmopolitismo provinciano do Rio e de São Paulo, mas não se sentia politicamente integrado.

É o valentão da moto, que só consegue se impor fisicamente sobre os nerds, esses moleques exibidos que querem falar chic. São os grupos, as gangs que se formaram em torno de temas não-políticos, colecionadores de motos, de veículos antigos, valentões de bar, grupos religiosos, colegas de bar, irmãos de maçonaria. Ou apenas cidadãos classe-média que escondiam preconceitos e ódios, comuns à pré e a pós-modernidade e que, graças às redes sociais, se descobriram maioria em seus redutos.

Junte-se a esse grupos empresários que aprenderam apenas a ganhar dinheiro, sendo submetidos dia após dia ao liberalismo superficialíssimo do sistema Globo, condenando qualquer forma de regulação e de atuação do Estado.

Quando a Globo decidiu levar o povo para as ruas, para atropelar a Constituição, e o STF (Supremo Tribunal Federal) convalidou o golpe, esse Brasil soturno emergiu com toda força. Pensaram repetir as maiorias silenciosas de 1964 que, depois de usadas, foram deixadas de lado. Não se deram conta do poder de aglutinação das redes sociais. Eles, agora, têm voz própria e se valem da desorganização total no sistema, da quebra de todas as regras e leis, para ocupar espaços, trazendo consigo agentes oportunistas de todas as espécies. -derrotados políticos, economistas, lideranças que foram sucessivamente derrotadas no jogo eleitoral e que, agora, se julgam em condições de cavalgar o leão sem ser devorado.

Tudo isso ocorre no país de Macunaíma. Aproveitam-se do jogo Ministros do Supremo, ministros de tribunais, economistas de mercado, mais abaixo um pouco, promotores liberados para prender, juízes liberados para condenar, fazendo acertos de contas em cada canto do país. Abrem a jaula achando que vão parlamentar com o leão faminto.

E aí acontece o paradoxo.

O Brasil que saiu às ruas no sábado, nas históricas manifestações das mulheres, é o país civilizado, defendendo bandeiras adequadas aos tempos modernos. O Brasil anacrônico dos grandes meios de comunicação, segura a informação. A reação da maioria silenciosa é aumentar a adesão a Bolsonaro – se a pesquisa IBOPE foi efetivamente séria, captando um soluço ou uma tendência.

A cada jogada de cena combinada, nos debates de presidenciáveis, mais se esboroa o Brasil institucional. A cada autodesmoralização do Supremo, mais gás para a besta.

O antipetismo desvairado da mídia, o oportunismo de presidenciáveis, de explorar o fantasma do suposto autoritarismo do PT tem efeito multiplicado nas redes sociais. Revive as maluquices do “comunista-comedor-de-criancinhas” e é tiro nos dois pés. Não demoniza apenas o PT, desmoraliza as instituições, o “sistema” – que Bolsonaro, mais uma vez, anunciou que irá destruir. E até Ciro Gomes, o presidenciável com melhores propostas, embarca nessa aventura que, em vez de levá-lo para o segundo turno, poderá levar Bolsonaro ao poder.

O PT tem defeitos enormes. Mas o oportunismo do país institucional, de atribuir ao partido propósitos ditatoriais, para navegar nas águas fáceis do anticomunismo mais primário, tem um efeito multiplicador terrível na base, nos escaninhos das redes sociais de onde se alimenta o bolsonarismo.

E fica o Brasil institucional aguardando o momento em que FHC descerá do seu ego e engrossará a frente contra o atraso. Sabe o que vai acontecer? Nada. Será anulado com um pum que Bolsonaro reteve no hospital.

 

91 comentários

  1. pelo menos uma coisa boa em Bolsonaro
    “desmoraliza as instituições, o “sistema” – que Bolsonaro, mais uma vez, anunciou que irá destruir.”

    Pelo menos uma coisa boa o Bolsonaro poderá fazer: destruir de vez estas tais instituiçoes que vem se auto-destruindo por anos a fio! De repente, à partir dos escombros se construa o novo!

  2. Copo meio cheio ou meio vazio

    Por que continuam a substimar Bolsonaro?

    Tem-se duas opções: ou há a tentativa de entender a razão pela qual sua candidatura obtem ressonancia em tão diversos segmentos sociais, e a partir dai monta-se uma contraproposta moderna e inclusiva ; ou uma nova catarse no estilo Collor , muito mais dolorida e traumática, ocorrerá e a reconstrução dar-se-á a partir dos escombros.

    O bolsonarismo é mais que as redes sociais, assim como o nazismo foi mais que um putsch gestado em uma cervejaria bávara.

    • E falando do cafofim dele em

      E falando do cafofim dele em Paris, que num país decente a imprensa investigaria pra ver como ele comprou o mimo. 

  3. O sistema se entrega a Bolsonaro

    -> Pensaram repetir as maiorias silenciosas de 1964 que, depois de usadas, foram deixadas de lado. Não se deram conta do poder de aglutinação das redes sociais.

    -> agora, se julgam em condições de cavalgar o leão sem ser devorado.

    como foram as Marchas com Deus e a Família em 1964, os golpistas julgavam que o Golpeachment nada mais seria do que um par de barulhentas e sórdidas tardes de domingo.

    mas as hienas foram soltas. a cadela do fascismo está sempre no cio. as hienas copularam com ela. os filhotes amarelos experimentaram carne putrefata. despertou-se seu apetite insaciável. querem mais.

    -> O Brasil que saiu às ruas no sábado, nas históricas manifestações das mulheres, é o país civilizado, defendendo bandeiras adequadas aos tempos modernos.

    apesar da beleza e vitalidade do #EleNão, há um grave equívoco em sua origem, com risco de mais uma vez botar tudo a perder.

    Bolsonaro não é um caso isolado, não é um ponto fora da curva, não é uma aberração materializada do nada.

    Bolsonaro encarna fidedignamente as idéias e valores não apenas do grande empresariado, como de seus associados e serviçais, deixando exposta a face horrenda da lumpenburguesia brasileira.

    neste sentido, #EleNão é despolitizador. pois se apenas “Bolsonaro Não” fica implícito um SIM para: Alckmin, Meirelles, Amoedo, etc (e cabem muitos outros neste etc).

    numa conjuntura de gravíssimo acirramento, nunca antes uma campanha foi tão despolitizadora: precisamos é de um #ElesNão. um grande NÃO à classe dominante e a todos os seus serviçais.

    -> E fica o Brasil institucional aguardando o momento em que FHC descerá do seu ego e engrossará a frente contra o atraso.

    a esta altura, o menos pior que pode acontecer é o cancelamento das Eleições. para ter Eleições assim, é menos pior não ter. Eleição sem Lula é FRAUDE! Eleição é FARSA!

    a esta altura, devemos fazer uma intimação às FFAA, mesmo que isto nos custe muito caro:

    – basta! basta de hipocrisia! assumam o golpe! ou se coloquem do lado do Brasil e de sua população.

    “Em razão de não haver um projeto político nacional, com uma filosofia, ideologia e projeto de construção de nação, acabam prevalecendo, no Parlamento, as bancadas segmentadas de interesses específicos”

    Toffoli – 01/10/2018

    vamos ao cerne da questão:

    o que o “movimento” compreende como projeto nacional? formar e cantar em coro o hino à bandeira?

    enquanto são entregues o pré-sal, a Embraer, a Eletrobrás, a Petrobrás, a Amazônia, o nióbio, a Base de Alcântara, o aquífero Guarani, a biodiversidade, etc..

    .

  4. Caro Nassif,
    na mosca. O

    Caro Nassif,

    na mosca. O artigo é brilhante e vai no alvo da confusão estabelecida para desgovernar o país, minar-lhe as instituições e vender-lhe as riquezas naturais e a própria soberania.

    Estamos vivendo um momento de imensa vergonha nacional, onde não há uma reação vigorosa de setores que poderiam caminhar noutra direção, a da civilização, do respeito à Constituição e da defesa da nossa soberania enquanto nação que pode e deve se impor ao mundo como senhora do seu nariz.

    Triste constatar a covardia, a desinformação e a falta de conhecimento da nossa história política.

    Espero, sinceramente, que desssa crise que vivemos possam surgir homens e valores que nos reconduzam ao caminho do progreso e da justiça social com desenvolvimento.

    • “dessa crise que vivemos

      “dessa crise que vivemos possam surgir homens e valores que nos reconduzam ao caminho do progresso e da justiça social com desenvolvimento.”

      E de que cartola sairão esses homens? Porque a maior parte da “elite” brasileira seja do judiciário, do empresariado, da grande imprensa, das forças armadas apoia o que está aí e o que virá. E sobram o preconceito, o autoritarismo, a ignorância, a insensibilidade social e a falta de patriotismo. E como se não bastasse tudo isso teremos agora um estado neo pentecostal.

      Homens íntegros, brasileiros decentes, humanistas estão sendo destruidos pelos camarotes, katiguiris, dallagnois e toffolis. Olha a humilhação a que está sendo submetido o íntegro juiz Lewandowski pelos seus pares do STF! Uma classe dirigente decente não surge de uma hora pra outra, é preciso décadas para a sua formação. 

       

    • “dessa crise que vivemos

      “dessa crise que vivemos possam surgir homens e valores que nos reconduzam ao caminho do progresso e da justiça social com desenvolvimento.”

      E de que cartola sairão esses homens? Porque a maior parte da “elite” brasileira seja do judiciário, do empresariado, da grande imprensa, das forças armadas apoia o que está aí e o que virá. E sobram o preconceito, o autoritarismo, a ignorância, a insensibilidade social e a falta de patriotismo. E como se não bastasse tudo isso teremos agora um estado neo pentecostal.

      Homens íntegros, brasileiros decentes, humanistas estão sendo destruidos pelos camarotes, katiguiris, dallagnois e toffolis. Olha a humilhação a que está sendo submetido o íntegro juiz Lewandowski pelos seus pares do STF! Uma classe dirigente decente não surge de uma hora pra outra, é preciso décadas para a sua formação. 

       

    • “dessa crise que vivemos

      “dessa crise que vivemos possam surgir homens e valores que nos reconduzam ao caminho do progresso e da justiça social com desenvolvimento.”

      E de que cartola sairão esses homens? Porque a maior parte da “elite” brasileira seja do judiciário, do empresariado, da grande imprensa, das forças armadas apoia o que está aí e o que virá. E sobram o preconceito, o autoritarismo, a ignorância, a insensibilidade social e a falta de patriotismo. E como se não bastasse tudo isso teremos agora um estado neo pentecostal.

      Homens íntegros, brasileiros decentes, humanistas estão sendo destruidos pelos camarotes, katiguiris, dallagnois e toffolis. Olha a humilhação a que está sendo submetido o íntegro juiz Lewandowski pelos seus pares do STF! Uma classe dirigente decente não surge de uma hora pra outra, é preciso décadas para a sua formação. 

       

    • “Espero, sinceramente, que

      “Espero, sinceramente, que desssa crise que vivemos possam surgir homens e valores que nos reconduzam ao caminho do progreso e da justiça social com desenvolvimento.”

      E de que cartola sairão esses homens? Porque a maior parte da elite brasileira seja do judiciário, do empresariado, da imprensa, das forças armadas apoia Bolsonaro e se regozija com o que virá. São iguais. E sobram o preconceito, o autoritarismo, a ignorância, a insensibilidade social e a falta de patriotismo. E como se não bastasse tudo isso teremos agora um estado neo pentecostal.

      Homens íntegros, brasileiros decentes, humanistas estão sendo destruidos pelos camarotis, katiguiris, toffolis e dellagnois. Olha a humilhação a que foi submetido o íntegro juiz Lewandowski pelos seus pares do STF!

      Uma classe dirigente decente não surge de uma hora para outra. E quem vai querer trabalhar num governo cujo judiciário segue a constituição do Moro? 

  5. Liberalismo e Meritocracia como forma de “auto-elogio”

    “A vaidade é meu pecado favorito”… dizia o diabo no filme “Advogado do Diabo”…

    E foi aí que a mídia direitista fisgou a classe-média… na vaidade.

    A mídia criou uma fórmula para a pessoa se auto-elogiar nas redes sociais. Um discurso que une a vaidade pessoal, a auto-promoção e ao mesmo tempo é útil ao sistema.

    1-“SOU A FAVOR DA MERITOCRACIA… IMPLICITAMENTE SEI QUE SOU MERECEDOR DOS PRIVILÉGIOS”

    Não é difícil encontrar nas rede sociais os defensores da tal meritocracia… no meu caso ele são os mais narcisistas dos meus amigos. Aqueles que sempre defenderam seu time de futebol e sua religião como projeções de si mesmos… agora arrumaram outra forma de se admirar: “a meritocracia sou eu”.

    2-“LIBERALISMO PARA OS FORTES… DEFENDO POIS SOU FORTE”

    “Trabalho duro, esforço pessoal, dedicação… é isso que falta a todos vocês… não a mim… defensor ferrenho do liberalismo, sem Estado para ajudar.” Mais um discurso excelente para quem quer esconder que só chegou na posição atual graças a ajuda do papai e da mamãe. Geralmente isso salta tanto aos olhos e a pessoa ouviu tanto essa “ofensa” a vida inteira que agora é a hora da vingança: EU SOU LIBERAL!!! MERITOCRATA!!! 

    3-PERFIL STEVE JOBS… MAS SEM APPLE, SEM IPHONE, SEM IPOD

    Se igualando em arrogância aos gênios de mercado… porém sem a tal genialidade. Defensores do “faça você mesmo” montando franquias… defensores do “selfmade” que herdaram a padaria do pai. Palestrantes de Facebook… compartilham vídeos com dicas de investimentos… apesar de ter comprado ações apenas uma vez na vida e ter pagado mais taxa de corretagem e taxa por operações do que ganhado dinheiro… a vida de investidor é bem diferente do que a que aparece nos filmes.

    4-“NÃO LIGO PARA OS POBRES… POIS SOU BEM SUCEDIDO”

    É claro que todos são contra o Bolsa-Família, o SUS, o investimento do Estadp… claro. Que ótima maneira de gritar ao mundo: VEJAM COMO SOU BEM SUCEDIDO!!! NÃO PRECISO DE NADA QUE O ESTADO VEM A OFERECER!!!

     

  6. Humm, ainda tô com fome

    Essa análise não me saciou

    Vejo a coisa como algo mais abrangente e profundo, difícil de ser sintetizado

    Lembro que quando da abertura o primeiro ato da sociedade foi ter se permitido palavrão e mulher pelada nas bancas de jornal

    Aqui a democracia nunca foi valor de consumo  ..político e política sempre foram atirados (pelos vivaldinos) na vala da malandragem, da vantagem indevida

    Bolsominions são uma fração disso tudo (que inclusive já estavam inceridos no fora dilma e vem Aécio)

    Preocupa-me mesmo a outra maioria que apoia bolsonaro  ..os desinformados que pensam entender e saber dos interesses envolvidos, ou dos fanáticos religiosos, daqueles que não se sentiram atendidos ou GRATOS ao governo de LULA, ou daqueles que mesmo vendo, ainda não acreditam ou não souuberam valorizar o que a realidade mostrou do novo Brasil  (refiro-me as DEZENAS de conquistas sócio econômicas obtidas por LULA da Silva)

    em tempo – em viagem a ES e BA convivi com maioria lulista recentemnte  ..mas NÂO me faltou ver gente RADICAL (doutores até) que duvidam da existência da pré sal, que acreditam na quebra da Petrobrás pelo PT, que acham que o filho de LULA é DONO da Fazenda Santa Barbara no Pará (de Daniel Danas) e que o PT quer fazer disso aqui uma Cuba (um país que segundo Ricardo Amorin só tem 3 coisas que funcionam, saúde, moradia e segurança)

  7. Um último e desesperado apelo!

    Mais uma vez temos o petismo x o antipetismo, só que dessa vez numa situação mais fragilizada ao PT, com o Lula preso e calado pelo Judiciário, some-se a isso a delação do Pulha e os títulos cancelados, que afetam os rincões lulistas, e temos uma derrota anunciada no segundo turno (se houver). Faço aqui um último e desesperado apelo. Ciro ganha de Bolsonaro, é o único ainda assim, tem recebido cada vez mais adesões da classe artística progressista e não tem a rejeição dos dois líderes das pesquisas. É certo que sofrerá deuncias descabidas caso passe ao segundo turno, mas com uma união progressista em torno de si, tem que ter uma rejeição muito aumentada nos 20 dias seguintes para que perca a eleição. Pode ainda trazer apoios de centro. Vamos de Ciro que isso não é brincadeira, é um país sofrido e expoliado pelas elites! CIRO 12 antes que seja tarde!

      • Concordo.

        Concordo, mas é o que tem pra hoje. Basta o PT apoiá-lo que está resolvido esse problema. O PT é meu partido de preferência também, mas Ciro é meu candidato!

  8. Acertos e erros
    Perfeita a sua análise Nassif. Os erros do PT ao trocar seus princípios por governabilidade, o deixaram exposto as críticas do senso comum averso a política. Depois de anos sendo vidraça, a esquerda percebe o ódio dos que ficaram a sombra. Ser uma oposição séria e construtiva à visão liberal é o melhor caminho. Se vender novamente, jamais!

  9. Essa pesquisa Ibope

    Essa pesquisa Ibope totalmente fora da curva, como se explica? Estava certo que era manipulação, tipo, Globo adeiru ao Coiso. Mas aí fiquei matutando o que pode ter acontecido para o dito cujo subir 4 pontos? 

    A unica coisa que aconteceu foi o #elenão gigantesco no sábado. Ou não? O que mais? Aí me lembrei, Nassif. A entrevista do Coiso ao Datena. A gente tem que sair da bolha da classe média esclarecida que foi em peso ao elenão.

    É como voce disse, esse programas vespertinos sobre violência na TV aberta. A gente não presta atenção, mas o pessoal da classe média baixa e baixa presta, e bastante. Em muitos botecos, pé sujos, biroscas e pequenos comércios a TV fica ligada é no Datena, não na Malhação da Globo.

    Datena mostra o mundo cão que a Globo não mostra. É uma realidade muito mais próximo do povão do que a que vem do Projac e do Jardim Botânico. E qual a mensagem que passa? “O trabalhador assaltado por vagabundos maconheiros e traficantes, e esse pessoal defendendo direitos humanos”. 

    Daí para o Bolsonaro é um pulo. “Bandido bom é bandido morto” 

     

     

  10. É hora do Haddad ser LULA – falar ao povo!

    O PT tem atras de si uma arma poderosa, que é seu passado!

    Acusam o PT de Comunista ou radical?

    Mas, foi o partido que teve sua presidente honesta desposta injustamente sem que o partido desse um tiro!

    E que lutasse contra a injustiça da justiça apenas se apegando às leis?

    Teve seus membros caçados ao mesmo tempo em que liberavam opositores sem que o partido incitasse a violência!

    Teve seu líder preso num processo claramente injusto que apesar de tudo se submeteu a uma justiça injusta?

    Qual partido mais investiu na justiça?

    Se era para cometer crimes deveria fazer investimentos?

    Basta que o Haddad não faça como a Dilma, que falava de economia para economistas, que entendiam o que ela falava mas que desejavam lucrar com tudo e por isso tomavam o rumo contrário!

    Fale para quem não sabe ou não conseguem ver essas dicotomias entre quem acusa e a história do PT!

    Não fale como se estivesse faland para seus amigos acadêmicos que conseguem perceber essas contradições com clareza!

    Fale com simplicidade e verdade da forma como o LULA falaria ao povo!

  11. Neste momento

    a bolsa sobe 3% e o dolar cai 1,5%. A Globo com a sua corretora Órama deve estar ganhando rios de dinheiro. Assim como a maioria dos empresários “industriais” e comerciais do país que devem ter mesas de negociação nas suas empresas. O Brasil virou um cassino. A burguesiaTODA agora é rentista antes de tudo.

    E o Nassif falando em crise institucional…

    Não há crise para a lumpenburguesia brasileira. Assim que chegarem ao governo vão privatizar até as ruas. E a Globo, Nassif, tá rindo da censura, porque ela não vive de jornalismo.

    Simples assim.

  12. Ou o IBOPE é mais uma manipulação
    Ou o IBOPE é mais uma manipulação, ou o crescimento do Boçalnaro, sem nenhum fato relevante a seu favor, se deve ao pesadíssimo jogo na internet.

    Tenho repetido aqui há semanas: recebo diariamente, em varios grupos de zap, terabites de material (memes, videos, piadas, etc.) pró boçalnaro, antipetista e esquerdofobico, e nada, absolutamente nada em contraposiçao (eu que fico catando uma coisa aqui e outra ali pra nao deixa-los falando sozinhos).

    Fico me perguntando: o que se passa na cabeça desse pessoal da propaganda do lado progressista? E as estruturas partidarias, servem para quê, pra tomar café?

    Muitos já disseram que “a esquerda perde para si mesma”…

    É irritante.

    Acho que ficam “compartilhando” so ali na mesma tribozinha a que pertencem, nem se ligam no que está acontecendo nas tais redes sociais. Ou então, a coisa é bem pior, estão distraifos com pornografia, so pode ser.

      • então  ..do que entendi,

        então  ..do que entendi, MUITOS jovens não foram ouvidos, visto que a pesquisa IGNOROU quem não votou na eleição passada

        Assim, de malandragem em malandragem  ..de maquiagem em maquiagem  ..junte a isso a URNA FRAUDAVEL de Carmem lucia (que só BOZOssauro reclama enquanto os progressistas fingem que tá tudo bem) e já já a direitalha milico-judiciária emplaca o BOZO e tudo fica parecendo uma resposta natural aos “desmandos e destruição” dos governos do PT pois, afinal, as pesquisas já indicariam uma vitória do Capitão

         

        • Mesmo onde o voto é
          Mesmo onde o voto é facultativo o procedimento nao é “se o eleitor votou nas ultimas eleiçoes”, mas se ele pretende ir votar na eleiçao que vai acontecer. O pessoal do IBOPE sabe disso. E sabe que as eleiçoes anteriores foram municipais, que despertam interesse um tanto menor; e as ultimas ocorreram no auge da histeria antipetista…

          Nao sei se quiseram de alguma maneira aferir o impacto do cancelamento de milhoes de títulos…sei lá.

          De qualquer modo, o aumento de intençoes de voto entre as mulheres também é muito estranho.

          Cada ponto percentual representa algo como um milhao e meio de votos. Conseguir tantos votos assim etre uma pesquisa e outra… Sem nenhum fato relevante…

  13. VIVER NUMA BOLHA

    Sua análise está equivocada em muitos aspectos. Bolsonaro é fruto da insatisfação com o PT e aparelhamento do estado, esse ficando custoso, enquanto os caciques do partido enriquecem a despeito da fome do povo. O pobre está saindo dessa bolha, por isso agora vai ser no primeiro turno, pois o MITO está crescendo entre as mulheres e os pobres na última semana como nunca se viu antes na história desse país! Você no final pede socorro a FHC, é isso memso? Que ridícluo, faz o povo rir e ficar ainda mais alerta, quanto mais declarações insensatas dos ispecialistas, mas votos o PT perde! Já votei no Ciro e em Lula, mas me custou muito caro, não voto em petista nem pra síndico de prédio! E olha que reconheço que tem petistas moderados que são trabalhadores etc, mas vivem na bolha, faezr oquê!

  14. A Revolta dos medíocres e canalhas

    Lendo o artigo, chego a uma mesma conclusão já apontada por outras pessoas:

    Os Bolsomínions, os milhões de votos em Bozoflato, não são exceção, ou fruto de desconhecimento.

    Tem muita gente que é simplesmente machista, misógna, homofóbica, cheia de ódio, preconceito, frustração.

    Nós, animais humanos, carregamos insitntos preconceitos em todos nós, é algo infelizmente natural. Mas muitas pessaos coma DEVIDA FORMAÇÃO EDUCACIONAL E MORAL CORRETA separam o que é bom do mal, o que é justo do injusto. Masd muitos não tem tal formação, e são dominados pelso mais toscos instintos.

    Em um país como o Brasil, com a educação em frangalhos, e com valores morais perdidos ou pervertidos por uma Globo, ou por pastores evangélicos picaretas (sei que há bons pastores, falo dos edir macedos e malafaias da vida), muitos brasileiros estão tendo formação moral e de caráter com base nestes professore e exemplos. Imagine o tipo de lixo humano que se está formando. E este lixo humano formado que, consicentemente, abertamente, quer sim morte a gays, repressão a negros, mulheres subalternas e amélias.

    è preciso uma formação moral decente. è preciso valores morais socializantes, fraternos, solidários.

    O erro do PT foi incluir milhões no mundo do consumo, mas não priorizaer dar uma educação formadora de bom caráter. Resultado: essas epssoas foram catequizadas pelos vaores da sociedade de consumo, o qual perverteu e corrompeu milhões! O svalores da cultura e moral capitalista são egoísmo, ganância, individualismo, competitividade agressiva, preconceito prévio, materialismo. O resultado são milhões de bolsomínios que querem consicentenmente sim ditadura, repressão, rota na rua, pau nos pays, nos negros, nas minorias.

    Não basta dar renda e dinhero pro cidaão comum: é preciso da r formação educaional de qualidade e formar caráteres que se importam e respeitem o próximo.

  15. Bolsonaro não é anti-sistema,

    Bolsonaro não é anti-sistema, muito pelo contrário.  Se a besta for eleita, veremos o sistema fazendo tudo o que sempre desejou: mercado sem qualquer regulação, fim dos direitos sociais, fim da soberania, etc, etc… e, no momento em que o Bolsonaro ameaçar os interesses do sistema, será evacuado.  No sistema não tem lugar para o povo nem para um pais independente.

  16. Desculpem, mas vocês não

    Desculpem, mas vocês não acham os caras e caras que votam naquele que nem quero dizer o nome, uns imbecís? Nos tempos da revolução de 64 eu era da direita também e também uma imbecíl , quando lembro tenho vontade de chorar. Foi necessário me submeter a uma psicanálise para mudar de lado ou seria uma imbecil até hoje. Socorro!

  17. A elite não tem jeito……
    e
    A elite não tem jeito……

    e elite é que detém o capital e os meios de produção, o resto é capacho, sim, vc que se acredita alto funcionário público, capacho, político, capacho, diretor de empresa, capacho também……..

    Acabo de ler o artigo de um desses da elite, a verdadeira, que se quer pronunciar moderno e de visão larga mas com um texto eivado do pior ranço elitista.

    Não tem acordo, se o povo quiser pegar o seu quinhão será na marra……

  18. A reta final…

    Faltando menos de uma semana para as eleições acho que seria importante fazermos uma constatação. Os eleitores do Bolsonaro fazem nele um voto de protesto geral contra a política partidária, contra o PT, a corrupção geral e etc. Apenas que cansaram de discussões entre PSDB/PT em temas de alta política que, embora relevantes, não atingem as suas expectativas imediatas. Eleitor de Bolsonaro não que nem saber o que o candidato fala e inclusive releva a sua ignorância, mas apenas quer acabar com o chamado “sistema” e quer ter certeza que amanhã poderá andar pela rua sem disparos nem assaltos, com o posto de saúde aberto e que haja emprego. Esse é o que Haddad deveria tocar no debate, do tipo: eu poderei resolver isso!

  19. A popularidade de Bolsonaro
    A popularidade de Bolsonaro advém da raiva e medo dioturnamente plantada pelos meios de comunicação nos anos que precederam o golpe. Foi a maneira que eles tinham de tirar um governo voltado para o povo. Acirraram o ódio e criaram descontentamento, ampliaram preconceitos. Foi um jogo de vale tudo, contando mais em induzir o psdb. Agora, o Edir Macedo pulou de vez no barco do bossal e a Globo se vê entre lidar com ele ou o Haddad ,que já disse que vai regulamentar a mídia… quem você acha que vão bater?? Sempre vão poder se eximir dizendo que a escolha do bossal foi feita pelo povo.Bolsonaro reflete a raiva que existe dentro de nós todos, partidários dele ou não. Ele se alimenta desta raiva e a compreensão disso é vital para aqueles que pretendem combatê-lo. Diversas vezes vi petistas alimentando o anti-petismo, quando embarcam na onda do eles x nós, quando rotulam os “coxinhas “, quando usam do escárnio e preconceito para combater escárnio e preconceito… teremos ser muito melhor que isso para mostrar não que somos melhores, mas que existe uma forma melhor de agir , diferente do ódio. Isto não termina nas eleições. Ele ganhando ou perdendo, todos os fatores que nos levaram ao precipício não irão desaparecer magicamente.

    • Explicou muito bem sem os
      Explicou muito bem sem os rococós intelectuais…..

      É o velho dividir para conquistar, com um bode expiatório, um boi de piranha chamado Lula…..

      Enquanto a malta se pega num debate insano, os abutres vão fazendo a festa, com o beneplácito da mídia,que só existe para isso mesmo, torcer e distorcer a história em favor da classe dominante.

      Marilena Chauí explica isso muito bem em seus livros, por isso é também tão odiada…..

    • A grande vítima dos meios de

      A grande vítima dos meios de comunicação, caso bolso seja eleito, será o denominado povão. Este sim cairá num buraco sem fundo, tantos serão os chutes que levará. Quase tudo que bolso prega está voltado para oprimir ainda mais a classe já oprimida. O ódio que propaga contra as minorias não tem como objetivo atingir as de classe média para cima. Os métodos covardes desse fascista recairão sobre os mais desprotegidos. Seu vice já deixou isso muito claro. 

  20. Concordo, mas, a não ser que

    Concordo, mas, a não ser que eu tenha lido mal (pq não?), falta um tipo, que é aquele que considera parte da “elite culta” do país e que vê seus “valores” supostamente solapados pela população ignara. Claro, sua participação histórica na formação da população ignara, sob o chicote, é superada por um discurso que beira à “vocação natural das elites ao comando” e que, por isto, tudo justifica. 

    Não parece haver contradição de que esta “elite culta” possa votar igualmente em Bolsonaro, do mesmo modo que parte da população ignara o fará. Afinal, pode haver o momento seguinte: “Estamos no poder, não. Estou no poder.”

    Parece haver formas diferentes de conservadorismo, que se aglutinaram em torno de Bolsonaro: conservadorismos político, econômico, religioso, “cultural” (entre aspas, pois religião constitui e estrutura a cultura, por exemplo). Muitos deles não se identificam mais com tucanos num nível nacional. 

    No que se refere ao micropolítico, Nassif, não são poucos os casos de contradição, em que pais resposáveis são anticidadãos, oportunistas a qualquer toque, ou que um discurso pretensamente liberal em alguns aspectos se transforma ou é superado por uma prática que descamba em violência e obediência ao grupo. 

  21. Pela Lei de Murphy, Bolsonaro já está eleito

    Minha leitura é outra. Ciro Gomes cantou a pedra semana passada. Referindo-se ao PT, disse o candidato: “não é mais possível, para mim, andar com eles na política”.

    A equipe de estrategistas do Ciro resolveu apostar tudo nesta reta final para chegar ao segundo turno.

    Esta estratégia de bater forte no PT e de renegar aliança com o partido é a parte central desta estratégia.

    Ao que indicam as lições da teoria dos jogos em Ciência Política, no momento em que Ciro propalava esta frase, sua equipe de assessores já estava amarrando alianças com aquela parcela da direita que é resistente a Bolsonaro e ao PT, mas simpática a Alckmin, Marina e Amoêdo.

    Somente neste contexto a frase de Ciro ganha sentido: não foi mais um de seus arroubos, mas a busca de selar esta aliança com este setor antipetista, mas, também, não-extremista.

    O movimento das oligarquias midiáticas e jurídicas evidenciam esta aliança: estão batendo direto em Bolsonaro e seu Vice, assim como, desde domingo, Haddad e no PT.

    A própria proibição da entrevista com Lula é parte desta estratégia para evitar turbinar a candidatura Haddad nesta reta final e, assim, tentar favorecer a única candidatura que se mostra relativamente aceitável para esta direita, que é a do Ciro.

    Porque será que Ciro não se pronunciou contra este atentado à liberdade de imprensa?

    Com o desgaste contra o Bolsonaro e Haddad, o esquecimento de Marina, Amoêdo e Alckmin, objetivava-se transferir votos da direita para Ciro.

    Porém, ao que indicam as pesquisas de ontem, o efeito foi na direção contrária: estagnaram o crescimento do Haddad e turbinaram Bolsonaro.

    De um modo ou de outro, os campos políticos de centro e esquerda no Brasil adotaram uma estratégia perigosa. É claro, as elites políticas objetivam, em última instância, o poder, e o que se vê, em primeira mão, é isso.

    Por isso, não se poderia esperar qualquer gesto de grandeza por parte destas elites, nem no campo das esquerdas e centro, nem no da direita e conservador.

    Deste modo, dizer que a melhor estratégia para derrotar o mal maior que se avizinha, ou seja, o nazismo, seria o PT ceder a cabeça de chapa para Ciro ou Ciro aceitar vir como Vice do PT ou, mais, ainda, que todas as esquerdas se unissem em uma só candidatura contra o nazismo, é puro exercício de idealismo e ingenuidade.

    As esquerdas, no Brasil, ainda não atingiram este grau de maturidade e civilidade.

    A expectativa de todos é que esta aliança ocorrerá no segundo turno.

    Porém, esta estratégia tem tudo para fracassar.

    Ninguém vai impedir o crescimento do Bolsonaro frente ao Haddad, até porque a direita vai fechar com o Bolsonaro.

    Não adiantará o Ciro vir à público dizer que apoia Haddad, porque a frase “não é mais possível, para mim, andar com eles na política” será replicada ao infinito para desacreditar sua moral política, e isso dará alguns milhares de votos a mais de eleitores de Ciro para Bolsonaro.

    Em outras palavras: as oligarquias não querem Bolsonaro, estão simpáticas a Ciro nesta reta final, mas, num segundo turno fecharão com Bolsonaro.

    Como estratégia para chegar ao segundo turno, Ciro fechou com esta direita, mas, sua frase de efeito para selar esta estratégia reduzirá o poder transferência de votos no segundo turno para Haddad.

    A postura hegemônica do PT atingiu aquilo que se previa: o Brasil chegou ao final deste primeiro turno não somente polarizado, mas, também, como o PT isolado e as esquerdas em frangalhos.

    E, como diz a lei de Murphy: se tudo indica que uma coisa vai dar errada, é porque esta coisa vai dar errada.

    Tudo indica que a estratégia de aliança das esquerdas e centro no segundo já fracassou, isto é, tudo indica que Bolsonaro será o próximo presidente do Brasil.

    E quem será o principal culpado?

    Não existem culpados, ou, se insistirmos em buscar culpados, poderíamos dizer, para lembrar a fábula da esfinge: “é o homem”. Resta-nos continuar interpretando a história.

    • ô cirista

      Ô cirista, o PT é o partido preferido de 30% dos eleitores. O PT com Haddad possui mais do que o dobro de intenção de votos do seu candidato e está assegurado no segundo turno. No segundo turno, as pesquisas recentes indicam que Haddad ganha ou empata tecnicamente com o Bolso. E aí, Haddad não é competitivo? Tua acha que se o PT cedesse ao Ciro a cabeça de chapa, com o PT de vice, também não haveria polarização? E  quanto as alianças com a direita, o PT nunca teve problemas com isso e certamente haverá  mais conversas no segundo turno. Vivemos hoje no mundo inteiro o recrudescimento da extrema direita, é um fenômeno mundial. O Brasil não ficou fora desse movimento. Em eleições Tudo pode acontecer, eleições se ganham e se perdem, mas o PT fez a escolha que lhe cabia.

         

    • A esquerda petista em

      A esquerda petista em frangalhos vai eleger a maior bancada do Congresso. O problema não é a esquerda, é a manipulação da direita. É a falta de patriotismo e a barbarie das elites brasileira.

    • Há culpados, sim.

      Se o fascista vencer, existem culpados SIM !!!

      São os estrategistas do PT que boicotaram a formação da frente democrática. E a razão é profundamente egoísta e mesquinha: preservar a hegemonia do PT e seu protagonismo futuro (vide entrevista dada ao Nassif).

      Como ninguém é responsável ???? Há responsáveis e isso precisa ser dito, apesar dos ataques e ofensas que virão daqueles que se negam a observar a realidade.

      • Será que você realmente leu o

        Será que você realmente leu o texto do Nassif? Veja só esta passagem. Os grifos são meus:

        “O antipetismo desvairado da mídia, o oportunismo de presidenciáveis, de explorar o fantasma do suposto autoritarismo do PT tem efeito multiplicado nas redes sociais. Revive as maluquices do “comunista-comedor-de-criancinhas” e é tiro nos dois pés. Não demoniza apenas o PT, desmoraliza as instituições, o “sistema” – que Bolsonaro, mais uma vez, anunciou que irá destruir. E até Ciro Gomes, o presidenciável com melhores propostas, embarca nessa aventura que, em vez de levá-lo para o segundo turno, poderá levar Bolsonaro ao poder”.

        Já não sei o que me assusta mais nos últimos tempos: se a ignorância abissal dos bolsonaristas ou a convicção cega dos ciristas. E me preocupa se o Ciro, caso caia em si, ainda será capaz de conter essa sua tropa. 

      • Vai se catar.
        O Ciro iniciou,

        Vai se catar.

        O Ciro iniciou, continuou e agora finaliza a sua campanha lambendo a bota dos coxinhas e desprezando o PT. Que eleitor do PT votaria em Ciro se ele fez questão de distanciar-se do partido? Mesmo assim não é ele o culpado. Quem votar em Bolsonaro será culpado da barbarie e da bagunça em que esse país se transformará. O Judiciário, a imprensa e parte da elite brasileira são os agentes principais dessa monstruosidade.

  22. Há exatos 2 anos:

    A eleição de 2016, que elegeu Dória em primeiro turno, deu-se dia 02.10.2016. Na véspera, dia 01.10.2016, às 20p7, Lino Bpcchini, ex-Carta Capital, foi o único que interpretou corretamente as pesquisas, e alertou para o risco altíssimo de não ter segundo turno. Eis: 

     

    Lino Bocchini

     1 de outubro de 2016 · São Paulo ·  

    As bases das duas pesquisas de SP divulgadas há pouco são completamente diferentes: o DataFolha ouviu 4.022 pessoas sexta e sábado, e o Ibope, 1.024 pessoas quinta, sexta e sábado. Ou seja, o Datafolha é mais mais próximo do clima desta noite de sábado e ouviu mais gente. Neste caso é mais confiável e é a pesquisa melhor para Haddad. O problema é outra novidade: talvez NÃO TENHA segundo turno, e Dória vire prefeito já neste domingo. Logo, por amor a São Paulo, peça voto para o Haddad para TODO MUNDO que você conhece, online e off line, até o último minuto de urna aberta neste domingo.

     

  23. A estranha aproximação entre Bolsonaro e Capitão Nascimento

    Essa nova expressão utilizada pelo candidato da direita delirante “contra o sistema”, aliada àquela postagem de seu filho com uma imagem de uma pessoa torturada por apoiar o #Elenão, remete às cenas dos filmes “Tropa de Elite”. De apontar o problema do “sistema” de forma genérica, como se não houvesse solução fora da ação do “Capitão Nescimento”. Seria esse o modelo do “heroi” que Bolsonaro quer fazer colar em si?

  24. Neofascismo
    Muitos analistas vêm se esforçando na tentativa de esclarecer o fenômeno neofascista no Brasil e no mundo.

    De acordo com o Rui Costa Pimenta, com quem concordo, isso só irá aumentar.

    O neofascismo, que nada mais é do que uma exacerbação da ideologia liberal, colhe seus apoiadores entre o exército crescente de frustrados com o capitalismo fim de linha.

    Sem qualquer vínculo social como um emprego estável, sindicatos ou associações, esta multidão de empresários de si mesmo usada pelo liberalismo que não cumpre sua promessa implícita de ascensão social e prosperidade pela meritocracia, assim desagregada e totalmente alienada quanto ao real funcionamento classista da sociedade, facilmente sublima seu ressentimento sob a forma de ódio, apontando-o contra os inimigos que lhes são permanentemente indicados pelas classes dominantes do patriarcado capitalista em suas diversas configurações, como estratégia de desviar o efeito do descontentamento de suas causas verdadeiras, o que fatalmente os colocaria na berlinda:

    Que o ódio seja usado contra as esquerdas, mulheres, minorias, imigrantes, gays, desvalidos e assim por diante.

    O sistema opressor e coercitivo do capitalismo fim de linha tem que continuar, custe o que custar. Isso não pode mudar, jamais.

    Ou o capitalismo fim de linha em sua etapa financeira impagável é denunciado e confrontado a fundo e a sério ou estamos perdidos:

    “welcome to the barbary”.

    • bom post.

      Concordo plenamente.

      Na familia de minha mulher, varios deles querem votar do nazista. Boa parte foram ou são trabalhadores. 

      Trabalharam a vida inteira e pouco conseguiram. 

       Acreditam fielmente no que diz o pig.

      Tenho uma biblioteca, muito boa, à disposição deles, NUNCA me pediram um livro. Têm orgulho de não lerem um livro por ano!

      Dizem que não precisam, é só teoria, o que vale é a prática.!!!! 

      Lastimável. É algo que foge a minha compreensão.

       

      • A questão vai além da

        A questão vai além da cultural.

        Às vezes me pergunto se aqui no Brasil não temos um “Adimirável Mundo Novo”, onde o soma são as religiões (neopentecostais, canção nova, etc).

        As pessoas estão totalmente cegas, fanáticas.

        A família de minha cunhada é composta em boa parte de pessoas humildes, que vieram do campo, e evangélicos. Exceto pela minha cunhada, são todos direitistas e pró-Bolsonaro, o defendem com unhas e dentes com os discursos mais pueris e absurdos possíveis. Chega um momento que você se imagina discutindo com um terraplanista, ou pior, com alguém que afirma que o céu é verde e não azul.

        Já da parte de minha esposa, são quase todos católicos e coxinhas ao extremo, por enquanto pregam voto o Amoêdo mas tenho pra mim que a migração ao Bolsonaro é só questão de tempo. Há por exemplo primas e tias de minha esposa que levam à sério aquele tal de Padre Paulo Ricardo, o tal que anda com Bolsonaro e Olavo de Carvalho.

        O que tenho a dizer é que estou com medo.

        Muito medo.

        Seremos congoleses sob o jugo dos belgas.

  25. Pois é… E ontem o Bolsonaro

    Pois é… E ontem o Bolsonaro e o Mourão mudaram o discurso dizendo aceitar o resultado das urnas. O que será mais que foi acertado com a Globo, STF e o Moro? 

    De qualquer forma dou dois meses para os bolsomitos se lascarem se o mito for eleito. Inclusive os bolsomitos da Globo/imprensa e do Judiciário. 

  26. A república de bananas que insiste em não evoluir

    A questão é que temos uma elite mesquinha, egoísta, esnobe, que adora ostentar, subdesenvolvida, e ainda por cima, preconceituosa. Já a nossa classe média são os Home Simpsons do JN, altamente manipuláveis, mal informados e limitados. Um povo que dizia ser cordial, gentil, alegre, hospitaleiro, agora se mostra fascista, intolerante e violento. Pelo complexo de vira-latas, gostam é de “puxar o saco” de estrangeiros. Não querem ser Europa, preferem se passar pelos “la cucarachas”, desviando das sandálias de borracha. Boçalnaro é o idiota que os representa: obtuso, preconceituoso, misógino, homofóbico, racista, falso moralista e sem nenhum projeto econômico ou de governo. Apenas promete, de forma contundente, acabar, massacrar os pobres e as minorias, aumentando a desigualdade social. Tudo que a outra parte quer. Não representa apenas o retrocesso, é a personalização do atraso, a bala de canhão que veio afundar o país e firmá-lo de vez como a “republiqueta oligárquica de bananas”, ou como os “economistas” querem, o cassino da jogatina, do dinheiro fácil, dos mercenários e especuladores financeiros.    

     

    P.S.: Há também os pobres e ex-pobres que renegam as suas origens.

  27. VN – Vergonha Nacional

    O programa de ficção JN, formado por uma equipe de picaretas demotucanos, hipócritas, vagabundos, tornou-se propaganda política para o Boçal. Ontem, 01/09, fez o script completo de uma propaganda, atacou o adversário Haddad, colocou a justificativa do inominável a respeito de um assunto sem importância, não passou o grande ESCÂNDALO do momento, a acusação da ex-mulher sobre corrupções, “renda extra”, omissão de patrimônio do seu candidato do PSL e não mostrou as manifestações contra o idiota obtuso limitado. Cansamos de ser enganados! Bando de safados que prestam um desserviço à sociedade! Não deixam o país evoluir, representam o atraso!

  28. Achei inadequada a postura de

    Achei inadequada a postura de Haddad no debate da record. Diante daquela savaraida de ataques, os mais baixos deveriam ter recebido resposta. Tomando como exemplo uma luta de boxe, ficar com a guarda baixa diante do oponente não é aconselhável.

  29. Nao tem nada perdido.
    Porem a
    Nao tem nada perdido.

    Porem a campanha do PT tem que focar no essencial.

    1) Comparação de biografias e trajetória

    2) Mostrar o que os governos do PT fizeram. O que Jair nunca fez e colar ele e suas propostas no temer.

    3) Mostrar os absurdos que ele fala principalmente defendendo a morte de cidadãos. Ex: Bolsonaro, quem conhece nao vota.

    4) Fugir da pauta identitaria até porque o PT ja tem esses votos. Haddad precisa falar com o cidadao médio. Por ex um setor desprezado pelo PT sao os pequenos empresários, o dono da lojinha de colchões ou camisetas, que na verdade é um empregado sem direitos. E os varios tipos de trabalhadores do setor de serviços informais. O encanador, o eletricista, o professor de pilates ou cross fit.

    O PT e Haddad precisam deixar claro que vao Governar para todo o País. Como alias ja fizeram. E baterem forte r mostrarem quem é o ouro lado. Tetao tempo de sobra no 2 turno. 10 min por dia. Essa onda ainda vai virar. O que nao pode fazer é se acovardar.

  30. Ciro: convoque uma frente democrática
    Ciro Gomes deve liderar, imediatamente, a formação de uma Frente Democrática para derrotar o fascismo e reconstruir o Estado Democrático de Direito.
    Está mais do que evidente que o antipetismo alimenta o ódio, que é o combustível do fascismo.
    O apelo dramático do empresário Ricardo Semler é um grito pela liberdade, racionalidade, civilidade, democracia.
    Ciro: assuma seu papel de líder político e convoque à união os democratas ! Mostre que você não é apenas um bom quadro técnico.

  31. Última Semana, Acordem, é o Ibope e a Globo. Novidade?

    Impressiona-me o efeito de pesquisa solo sob total controle do inimigo, com grandes possibilidades de ter sido manipulada à margem de erro ou …, jogar feito marionetes de lá pra cá e de cá pra lá, pessoas que se dizem politizadas, no derrotismo exacerbado, fazendo exatamente o jogo dos manipuladores e mostrando uma inconsistência absurda.

    Os resultados das pesquisas estão onde sempre estiveram e como querem, o stablishment, não a gosto, foi empurrado à opção Bolsonaro e vamos para o segundo turno, Haddad e Bolsonaro, com tudo que se tem direito nesse país do direito seletivo e que vem ou não ao caso.

    Portanto, nada de desesperar ou esperar algo de onde não virá nada, nós é que devemos fazer a luta e vence-los, como feito nas últimas 4 eleições.

    Contaremos com nossas forças e nossos sonhos, como sempre, para convencer corações e mentes que o Brasil pode e deve ser não do passado, do atraso e da desigualdade, mas do presente, moderno, justo e soberano, como foram os governos de Lula.

    Chega de esperar a normalidade, quando se sabe que é o fazer na dificuldade que faz-nos ganhar o jogo em que eles detém a força e nós a razão e os obstáculos, para faze-la compreendida. Portanto a luta até domingo, para segunda iniciarmos a batalha do segundo turno.

     

     

  32. Ser ou não ser

    O candidato de extrema direita se diz anti-sistema. Não se pode discordar muito disso, especialmente no que diz respeito ao sistema político-partidário, vide seus dois partidos da coligação. Embora, isso seja parcialmente verdadeiro, porque grande parte dos políticos e partidos tradicionais de direita do sul e sudeste, principalmente, estão na sua campanha. Além disso, o sistema econômico-financeiro, burocrático-militar e religioso (evangélico) também o apoia. Então, trata-se de uma meia verdade.

    Por outro lado, a maior parte do sistema político-partidário não integra sua campanha. E é aí que os incautos podem estar se ilundindo. Ao confundir mudança com melhoria. Achando que só é possível mudar para melhor. Nunca para pior. Será?

    E com se não bastasse isso, imagine o tiro no pé que darão os barões da mídia, os grandes banqueiros e empresários, nesse último caso, os poucos que sobraram, ao levar para o poder central do Brasil um exército de Bolsonaroleones. Porque suponho que o núcleo central de um futuro governo, toc, toc, toc, será formado pelo mito-imperador e seus filhos.   

    Digo isso, porque se na campanha, com apenas três pessoas – o candidato, o vice e o assessor econômico – já estão batendo cabeça, imagina como será no governo central.

    O que acontecerá, quando parte de sua base social (médios e pequenos empresários e trabalhadores – afinal, ninguém ganha eleição sem o voto de uma grande parcela dos trabalhadores) começar a reivindicar: emprego, aumento salarial, investimentos, gasolina mais barata, controle da inflação, etc.

    O que ele irá fazer para atender a dois senhores:

    o mercado financeiro e o capital internacional X os médios e pequenos empresários e a massa de trabalhadores (funcionários públicos, inclusive militares, assalariados e desempregados).

    Vai dar uma de Napoleão ou de Nero?

  33. O sistema se entrega a Bolsonaro

    a considerar:

    – a magnitude dos atos do #EleNão deixaram a Direita à beira de diversos ataques de nervos – que já estão acontecendo, entre eles as sucessivas cabeçadas entre Bolsonaro/Mourão/Paulo Guedes;

    – este talvez seja o principal motivo da manipulação escancarada da última pesquisa IBOPE;

    – a Direita já sabe que as urnas mais uma vez não vão dar vitória ao seu projeto anti-Povo e anti-Nação;

    – grande parte da Direita hesita em mergulhar num golpe militar aberto – continuam rachados;

    – eis o desafio para cada um de nós, seja qual for a geração a que pertençamos:

    “Minha geração não pode desaparecer entregando um estrago destes para as novas gerações que vão surgir.”

    Luis Nassif – 01/10/2018

    .

    • Prezado Arkx,
      Se possível, me

      Prezado Arkx,

      Se possível, me esclareça aqui uma coisa: 

      1) mais cedo, você dizia que o #EleNão seria despolitizador, pois traria implicitamente um SIM para: Alckmin, Meirelles, Amoedo e outros tantos (que não ameaçariam os intentos da Direita, penso eu);

      2) se o Ibope foi manipulado, me parece que seria em desfavor do candidato com mais chances de disputar o segundo turno com Bolsonaro, o candidato do PT, Fernando Haddad (que para você é um farsante, ratinho amestrado, ou mesmo um futuro presidente garroteável que, portanto, não ofereceria riscos à Direita, como o próprio Lula e o lulismo não representaram, muito pelo contrário);

      Se assim é, então, do que, ou de quem, eles tem medo? De um #ElesNão (à classe dominante e a todos os seus serviçais)? Mas quem poderia encarnar esta ameaça nas eleições se não o candidato farsante garroteável ou Lula e o lulismo (no comentário matutino você dizia: “Eleição sem Lula é FRAUDE!” anteposto a um “Eleição é FARSA!”)? Qual é, então, o fantasma que os assombra?

      Atenciosamente,

      • O sistema se entrega a Bolsonaro

        a discussão política deve ser franca e leal, mas dura. assim como é a vida… dura.

        prá começar, dispenso totalmente as formalidades, do tipo “Prezado”, ” Se possível” e “Atenciosamente”, principalmente numa área de comentários na web.

        este tipo de tratamento dificilmente é autêntico, serve apenas para tentar encobrir uma hostilidade mal dissimulada.

        não quer dizer que seja o seu caso, justamente por isto afirmo que dispenso formalidades. e isto vai fazer o sentido correto que estou pretendendo mais abaixo.

        -> Se assim é, então, do que, ou de quem, eles tem medo? De um #ElesNão (à classe dominante e a todos os seus serviçais)?

        -> Mas quem poderia encarnar esta ameaça nas eleições se não o candidato farsante garroteável ou Lula e o lulismo

        esse falso enigma eu aqui já respondi inúmeras vezes. nenhum problema em responder ainda mais uma vez, principalmente levando em conta a gravidade do momento.

        por que Dilma foi chutada (sem resistência) para fora da Presidência? por que Lula foi preso (também sem resistência)?

        mesmo com seu Plano Levy, e todas as contra-reformas em versão mitigada que começou a implementar, Dilma jamais poderia cometer o austerícido na profundidade e velocidade exigida pela classe dominante.

        por que jamais? porque seria um suicídio tanto frente a sua organização política (o PT) quanto frente a sua base social.

        a classe dominante dispensou Dilma, Lula e o Lulismo pois já não mais necessita de gestores para pacificar os conflitos sociais.

        em duras palavras: não precisam mais de pelegos. nem mesmo do PSDB!

        a classe dominante não quer mais negociação.

        por isto partiu para a expropriação pura e simples do patrimônio público, para a sumária cassação de todos os direitos longamente conquistados às custas de muito sangue.

        enquanto isto, o Lulismo insiste em se manter, e se oferecer despudoradamente, para um “pacto civilizatório” impossível, porque firmado com necrófilos. ou seja: querem devorar a nossa carne, mas só depois de apodrecida. eles são perversos.

        Dilma e Lula jamais ofereceram resistência, pois a opção política sempre foi se manterem viáveis para algum tipo de acordo posterior. se ferraram. e nos ferraram.

        qual a dificuldade de se compreender isto? todos os fatos e dados desde 2005 a isto comprovam!

        vou colocar de outro modo: a classe dominante passou a dispensar totalmente as formalidades, do tipo “Prezado”, ” Se possível” e “Atenciosamente”. e veio prá cima da gente, com muito sangue no olho.

        boa parte da classe dominante quer #EleSim, preferem um austericídio drástico e imediato através de violenta repressão. em outras palavras: matar uns 30 mil, no linguajar sem formalidades de Bolsonaro.

        estamos lidando com uma classe dominante escravocrata, colonial, anti-Republicana e Monarquista! eles, os “coisos” se julgam nobres, uma estirpe superior.

        a única coisa que a classe dominante teme é o Poder Popular. as multidões nas ruas, principalmente se forem multidões politizadas e organizadas.

        nosso único caminho para derrotar a classe dominante é retomar a organização autônoma popular, pela base, nos locais de moradia, trabalho e convivência.

        .

        • Tá certo… Entendi o recado!

          Tá certo… Entendi o recado! Mas você, como de praxe, foge da resposta, desqualificando seu interlocutor de saída, a meu ver (mas sempre posso estar enganado) confundindo dureza com grosseria. Penso eu que a discussão política, além de franca, leal e dura, com a vida é dura, também precisa ser direta. E você dá muitas voltas e acaba desviando da pergunta. Como se diz, não dá o papo reto. Tento mais uma vez.

          Se

          – > a única coisa que a classe dominante teme é o Poder Popular, as multidões nas ruas, principalmente se forem multidões politizadas e organizadas

          que não há, na sua avaliação, já que o

          – > #EleNão é despolitizador;

          como é que

          – > as urnas mais uma vez não vão dar vitória ao seu projeto anti-Povo e anti-Nação?

          se não há

          – > a organização autônoma popular, pela base, nos locais de moradia, trabalho e convivência;

          o que deixou:

          – > a Direita à beira de diversos ataques de nervos?

          O #EleNão despolitizador ou a possibilidade de vitória do ratinho amestrado farsante garroteável? O que, afinal, nas urnas assombra tanto a classe dominante se não aquela organização política (o PT) e sua base social (qual seria?), diante das quais a Dilma não poderia cometer suícidio e por isso foi chutada (sem resistência) e que a impedia de realizar o austericídio na profundidade e velocidade exigidas pela classe dominante? O que temem, então? Moinhos de vento? O que os impede de adotar o #elesim de uma vez por todas?

           

          P.S.: folgo por você entender que a minha formalidade talvez não seja para encobrir uma hostilidade mal disfarçada. Como poderia, se mal o conheço? E nem você a mim, vale lembrar. Quero crer que esteja mais próximo daquilo que Walter Benjamin certa vez denominou de “caráter destrutivo” , que desobstrui caminhos, “nem sempre brutalidade, às vezes com refinamento”. Walter Benjamin: eis aí um autor, entre outros tantos de sua geração, que dá o que pensar nesse momento tão sombrio que enfrentamos. 

          • O sistema se entrega a Bolsonaro

            -> foge da resposta, desqualificando seu interlocutor de saída, a meu ver (mas sempre posso estar enganado) confundindo dureza com grosseria.

            em momento algum lhe desqualifiquei. e muito menos fui grosseiro. tb não fugi da resposta, mais direto e franco do que fui, aí sim poderia resvalar para a grosseria.

            ocorre que não lhe dei o tipo de resposta que vc acha que é uma resposta.

            compreenda: temos uma discordância de paradigmas. temos formas diferentes de conceber e pensar a realidade política. o que não torna de modo algum inviável nosso diálogo.

            vou então mais uma vez localizar onde está especificamente nossa discordância.

            – a forma de governo assim denominada Democracia Liberal Representativa foi concebida para ser justamente um instrumento de controle da população. para se evitar que as amplas camadas oprimidas viessem a ter autêntico protagonismo, mas se conservando uma aparência de participação;

            – é justamente por isto que a medida que a participação de fato aumenta, o golpe de estado entra na ordem do dia. este é o beco sem saída da Democracia Liberal Representativa;

            – nenhuma transformação social efetiva pode ser encaminhada única e exclusivamente, ou mesmo prioritariamente, através da via eleitoral/institucional.

            as eleições, sejam estas ou quaisquer outras, qualquer que seja o resultado, mudam muito pouco, quase nada. este é o seu design. e esta é a nossa discordância de paradigmas.

            -> O que temem, então? Moinhos de vento? O que os impede de adotar o #elesim de uma vez por todas?

            em resumo: Bolsonaro é despreparado demais, inflexível demais e com acesso demais ao poder militar. seu governo trará mais imprevisibilidade do que as agências de risco julgam ser razoável.

            Bolsonaro é como Collor, no sentido de ser a última cartada eleitoral neste momento da classe dominante.

            e assim como Collor, ou se deixará tutelar ou também será descartado.

            -> Walter Benjamin: eis aí um autor, entre outros tantos de sua geração, que dá o que pensar nesse momento tão sombrio que enfrentamos.

            concordo 100%.

            mas onde estão os Walter Benjamin agora no Brasil? e mais importante, como Walter Benjamin analisaria este momento do Brasil? ou seja: pensar como Walter Benjamin para podermos analisar o Brasil justo agora.

            .

          • Sabe, não sei se temos uma

            Sabe, não sei se temos uma discordância de paradigmas. Concordo com os limites da democracia representativa liberal que você aponta, assim como concordo que nenhuma verdadeira transformação social se dará exclusivamente pela via eleitoral/institucional, mas pela mobilização popular, como tantas vezes você já apontou. Também com as críticas ao caráter limitado e desmobilizador do lulismo que sempre você faz.

            Penso aqui em Marx, quando dizia que a burguesia não apenas forjou as armas que iria derrubá-la (justamente a democracia liberal) como aqueles que as empunharia. Mas num país cuja história está marcada pelo horror da escravidão que ainda se faz presente, deitando suas marcas nos corpos das camadas populares pela violência extrema, agenciada pelas classes dominantes desde sempre por meio dos mecanismos estatais sobretudo e sem qualquer limite, se a resistência e a consciência popular não se faz por vias que não encontramos nós, que nos abrigamos nos privilégios dados às camadas médias, apendemos pelos livros de história, mas de formas mais sutis, gingadas,  poderia dizer, para usar um termo caro aos capoeiras. 

            [video:https://www.youtube.com/watch?v=BNG7FWucLFw align:center]

            [video:https://www.youtube.com/watch?v=X73zvAZ72gg align:center]

            Por exemplo, quando Lula se deixa prender, bovinamente, e é transformado pela violência do estado na figura do “grande criminoso” com o qual as camadas populares acabam por se identificar (eis aqui um tema caro ao Benjamin que, num desvio da discussão dentro da Filosofia do Direito, procura dar um novo sentido para esta identificação), e insistem em tê-lo como seu candidato ou quem ele indicar, me pergunto se essa atitude das massas, mais do que uma falta de consciência, não poderia ser um gesto de pura resistência à vontade imposta pelas elites, de verdadeira desobediência civil, todavia silenciosa, gingada. Pois as nossas classes dominantes adorariam uma conflagração popular neste momento a justificar um endurecimento do regime, não?

            Se aqui a exceção sempre foi a regra, ou seja, se sempre vivemos sob regimes ditatoriais pontuados por momentos democráticos excepcionais, não seria afirmar a democracia até o limite do (in)suportável a possilibidade de se criar aquele verdadeiro estado de exceção de que fala Benjamin? 

            Sabe, nessas manifestações dos últimos tempos contra o golpe, a prisão de Lula e todas as arbitrariedades que temos acompanhado, quando em meio a amigos classe média que se indignam porque, afinal, “o povo” aceita tão mansamente tudo isto que está acontecendo, dizendo que o que eles deveriam fazer era se rebelar e não cantar, dançar e sorrir, minha companheira, que trabalha em escolas que atendem as populações periféricas daqui de São Paulo, costuma responder a estes algo assim: “fácil pra você, classe média, pedir que os pobres se rebelem porque, afinal, não é no seu corpinho que a polícia vai descer o sarrafo, não é”? E mesmo assim, lá estão eles, sorrindo, cantando, dançando, compartilhando histórias da luta diária pela sobrevivência em um país sempre tão cruel com eles. 

            Bom, acho que já me alonguei demais aqui, e de modo um tanto atabalhoado. Mas espero ter exposto minimamente meu ponto de vista. 

            Mas uma última coisa ainda gostaria de dizer. Você pergunta onde estão os Walter Benjamin agora no Brasil. Bem, eu diria que em você. Você é um belo exemplo de um uso consequente do pensamento benjaminiano para pensar o agora, muito distante do uso superficial, de apropriação de belas frases de efeito que muitos fazem por aí. Desde então, passei a acompanhar seus escritos com mais assiduidade aqui no GGN, faz alguns anos. Naquele momento, minha alma me sorriu. Talvez um sorriso de caveira, é bem verdade, mas um sorriso. Valeu!

            ps: esqueci de dizer no outro comentário acima, mas ainda fico curioso para saber o que você pensa da figura do presidenciável Ciro Gomes, e de suas declarações recentes. 

          • O sistema se entrega a Bolsonaro

            -> ps: esqueci de dizer no outro comentário acima, mas ainda fico curioso para saber o que você pensa da figura do presidenciável Ciro Gomes, e de suas declarações recentes.

            pô, mas tb já postei sobre isto várias vzs por aqui. não estou reclamando. não me entenda mal. estou apenas frisando que jamais deixei de me posicionar frente ao Ciro – ou mesmo qualquer outro assunto.

            faço minhas as palavras do Nender, o Tal: Ciro é um cara “que não inspira confiança nem mesmo quando sinceramente declara estar sendo falso!”.

            -> me pergunto se essa atitude das massas, mais do que uma falta de consciência, não poderia ser um gesto de pura resistência à vontade imposta pelas elites, de verdadeira desobediência civil, todavia silenciosa, gingada.

            sem dúvida! concordo totalmente. esse papo de que as massas são alienadas é de quem não convive com elas.

            há com certeza um déficit de politização, mas devida a falta de continuidade de experiência de luta.

            e há também a alienação intrínseca ao Capitalismo, permeando toda a nossa vida, o nosso modo viver.

            mas isto é bem diferente de simplesmente afirmar que “o povo é burro”.

            aliás, ontem dialoguei com um garçom, numa daquelas churrascarias de beira de estrada, e foi uma puta surpresa. a Venezuela entrou no assunto (está sempre presente). perguntei se ele conhecia a realidade da Venezuela. resposta: “- Morei lá por 8 meses em 2010.”. a conversa prosseguiu com ele expondo sua experiência e visão a respeito.

            -> não seria afirmar a democracia até o limite do (in)suportável a possilibidade de se criar aquele verdadeiro estado de exceção de que fala Benjamin? 

            compreendo e concordo. mas, veja só, esta é exatamente a proposta que permeia tudo o que escrevo. e também tudo o que já fiz, em militância social e política.

            evidentemente, sem ser suicida.

            -> “fácil pra você, classe média, pedir que os pobres se rebelem porque, afinal, não é no seu corpinho que a polícia vai descer o sarrafo, não é”?

            nasci e passei a adolescência numa periferia do Rio de Janeiro. até hoje mantenho a casa onde nasci. conheço este realidade em minha carne.

            -> Você pergunta onde estão os Walter Benjamin agora no Brasil. Bem, eu diria que em você.

            altamente lisonjeiro. no melhor sentido. mas, sem falsa modéstia, eu não chego a tanto. tampouco pretendo.

            não sou um pensador, nem quero ser. não tenho a formação necessária, no sentido acadêmico. minha área de atuação profissional sempre foi outra.

            tenho refletido muito sobre minha vida. e acho que quem não está fazendo o mesmo, está perdendo uma oportunidade única.

            tanto por causa da situação, como pela idade. você constata que já fez tanta coisa. e não foi o suficiente. vc vê que ainda há tanta coisa para viver. mas vc não é eterno. as demandas imediatas são imensas, mas não é vc quem escolhe as circunstâncias nas quais a História é feita…

            é difícil lhe explicar quem sou, como sou, como vejo e me relaciono com o mundo. sabe como é: “quem me vê sorrindo, pensa que estou alegre…”

            abração

            p.s.:

            naquela noite em que lhe respondi não fui grosseiro. ocorre que ficou implícito no texto uma certa irritação. percebi isto. eu tinha acabado de assistir uma entrevista do Carlos Eugênio “Clemente”, o último comandante militar da ALN, herdeiro de Marighella. o cara é de uma lucidez impressionante. como fomos abandonar pela estrada homens assim?

            .

        • Sua análise é muito lúcida.
          Sua análise é muito lúcida. Dei 5 estrelas.
          Mas nem tudo ainda está dito nessa história…

          Sua hostilidade com seu interlocutor é desnecessária.

  34. Estratégia para vencer.
    A estratégia para ampliar no segundo turno é abordar com ênfase a pauta econômica. Confrontar os indecisos com as propostas de supressão de direitos do candidato inimigo. Os temas identitários requerem um debate longo e complexo que não convence o senso comum. Torço que os marqueteiros do PT não se mostrem quinta coluna. Abordar e polemizar com o Coiso nessa fase da disputa é dar carne a jacaré faminto. Haddad também nada tem a ganhar nas sabatina solitárias promovidas pela imprensa mercantil. Já que não se pode forjar uma facada, é recomendável se abster dessas armadilhas. Afinal, o Coiso, consensualmente, não irá. Os votos a serem conquistados não dão importância se o Bozo é racista, misógino ou homofóbico. Somente a pauta econômica lhes pode sensibilizar.

    • It’s the economy, stupid!
      Os
      It’s the economy, stupid!

      Os conservadores nao-ideólogos podem ser convencidos pela questão econômica, o senso comum entende de autopreservação, e todos sabem que a economia pifou com o golpe, que com Lula tudo estava melhor.

      A esquerda tem que colar o golpe no Bolsonaro e associar ele a m*rd* de economia que estamos. Tem que colar Temer nele, a infecção do temer espanta que nem lepra, por isso tem que passar filmes dele condenado a Dilma e em seguida as c*g*d*s do entreguismo econômico.

      Sou empresário e converso com muita gente e garanto que discutir questões complexas como classe social, sistema capitalista ou geopolítica sem prévia conhecimento, leva a embates e resistência. Nunca duvide da teimosia do brasileiro!

      Mas as pessoas sabem quando a vida era melhor ou pior. O Bolsonaro ganha pela questão de segurança, então a esquerda tem que ganhar pela economia. E a economia sempre ganha.

  35. A farsa Bolsonaro, levado a

    A farsa Bolsonaro, levado a cabo pelo nosso grande”irmao” do norte é resultado planejado para a entrega de todas as riquezas brasileiras

    Enquanto avançam sem freios sobre o pré sal e outras riquezas, os conglomerados estrangeiros celebram sua vitória antecipadamente, pois temos um presidente esdrúxulo, com um candidato a presidente em primeiro lugar no Ibope que defende basicamente a mesma coisa que ele: a entrega de tudo que ainda tem valor das mãos do governo para os privados estrangeiros

    Enquanto voltamos no tempo lutando como poucos contra a ignorância, o preconceito e o analfabetismo político, metem a mão em nossos bolsos enquanto nos distraimos com porcos

    É a sedução e a enrolação perfeita, pegam uma justiça fraca e patética, carente de intelecto e a usam para subverter os valores de uma população de já fracos valores

    Usam uma mídia com pensamento de ameba para cabeças de ameba pensarem que vivem numa eterna Disneylândia e querem fundar um nação de tiro ao alvo à pobres, com a benção de um judiciário escroque

    Perdemos, ja perdemos muito, agora é correr atrás do prejuízo para que não nos vá os dedos também e revolucionar o que deveria ser revolucionário por natureza, procurar a justiça aonde ela já nao há, enfrentar um monstro criado em nossa sala de estar

    Ainda bem que a esperança veio na forma de mulher, que não saiu de nossas costelas, mas direto do amor, amor demonstrado pelo país, pela igualdade, pela compreensão, pela paz e pela certeza de que são donas do amanhã

    Ave alvissareiras

     

     

     

     

     

     

  36. Collor II

    <p>Bolsonaro é o novo Collor, primeira eleição, muita energia, vigor,agressividade pegando uma camada jovem sem experiencia mas seu grande trunfo foi que atraiu as viuvas do Aecio, este é o ponto principal, as viuvas do Aecio não enamoraram com Alckimin mas sim Bolsonaro, tanto estupidez deste candidato naõ atrairia muitos votos mas sim o antipetismo das viuvas

  37. O sistema se entrega a Bolsonaro

    Haddad acabou de proferir hoje mais uma das asneiras do Lulismo: “Parte expressiva da elite brasileira abandonou a social-democracia pelo fascismo”.

    não conhece História e quer ser Presidente do Brasil em meio a maior de todas as nossas crises?

    historicamente sempre foi assim.

    e ainda pior, foi própria a social-democracia alemã (SPD) quem pagou as milícias fascistas (as FreiKorps que dariam origem a SS) para assassinarem a pauladas Rosa Luxemburgo, e dezenas de militantes populares, em 1919.

    a social-democracia sempre foi cúmplice da abertura do caminho para a ascensão do fascismo.

    p.s.: querem lutar contra o fascismo e continuam melindrados com críticas a Haddad? a vida é dura!

    .

    • Taí, Arkx: toda vez que você

      Taí, Arkx: toda vez que você ataca o Haddad, fico curioso para saber a sua opinião a respeito das declarações feitas por Ciro Gomes. 

      • O sistema se entrega a Bolsonaro

        -> toda vez que você ataca o Haddad

        onde e quando aqui postei algo do tipo: NÃO votem no Haddad?

        é como lhe respondi abaixo, nossos paradigmas são diferentes.

        o que aqui sempre argumento é: VOTE CONSCIENTE!

        principalmente consciente do que é votar, do que são as eleições e do que  é a Democracia Liberal Representativa.

        aliás, onde está desta vez a campanha do VOTO CONSCIENTE? foi substituída pela campnha do VOTE EM QUEM LULA INDICAR…

        considere que o Capitalismo é um modo de produção inviável, sujeito a crises periódicas cada vez mais destrutivas. e os fatos e dados só vem a isto confirmar.

        a classe dominante, assim como a social-democracia, tem o sonho impossível de gerir este caos.

        chega o momento que o caos impõe a intervenção militar, como única forma de ainda se manter algum controle.

        é neste momento em que agora estamos no Brasil.

        .

         

        • Bom… Se dizer que Haddad é

          Bom… Se dizer que Haddad é uma farsa, um ratinho amestrado, que terá um governo facilmente garroteável, que ele não conhece a histporia não é um ataque, então realmente eu não sei o que poderia ser. Agora, de fato, você nunca disse “não votem no Haddad”. 

          No mais, com as questões que você coloca em torno do VOTO CONSCIENTE, estamos plenamente de acordo, meu caro Arkx (desculpe, não resisti). 

          • O sistema se entrega a Bolsonaro

            nunca disse que não “ataco” o Haddad. mas quanto a estes meus “ataques” a Haddad, não se preocupe tanto. pelo visto, minha participação neste Blog está em contagem regressiva.

            .

    • Estamos a quatro dias da

      Estamos a quatro dias da eleição, e um progressista vem desconstruir o único candidato que tem possibilidade de enfrentamento do fascismo que nos bate a porta de forma soturna, traiçoeira e trágica.

      Desde 2013 não conseguimos fazer uma discussão sobre o que acontece no Brasil, só elegemos culpados, principalmente à esquerda. Quando um cara aparece como alternativa para lutar contra esta onda conservadora que não tem limites no cinismo, não é hora de ficarmos em briga. A nossa união só virá com a ditadura de novo? 

    • O Brasil vive um emergência.

      O Brasil vive um emergência. Não é hora para esse discurso ultra-esquerdista que atira a mudança política que propõe para o dia de São Nunca. É preciso defender a democracia liberal da tentação ditatorial. Este é a opção que temos. O resto é conversa de quem não importa realmente os destinos do povo. Eu sou de esquerda mas se tivesse que optar entre Bolsonaro e Alkimin ou até Temer, votaria sem hesitar nestes dois últimos precisamente porque apesar de tudo dão garantias de liberdade de pensamento e acção política que o campo de Bolsonaro não dá. 

      Isto não é tempo para brincar ao bolshevismo.

    • Ao que parece, quem tem mais

      Ao que parece, quem tem mais chances de perder para o Bolsonaro no 2o turno é o Haddad, comparando até mesmo com o Alckmim. Se quisessemos impedir o fascismo deveriamos nos unir em torno do Ciro Gomes. Portanto essa história de barrar o fascismo não parece ser sincera. 

      O pessoal do PT as vezes parece que votaria no Bolsonaro se fosse ao 2o turno com o Ciro. 

      Até agora, de todas as declarações do Ciro que vi, sempre o vi chamando o Haddad de democrata, nunca de extrema esquerda. Pessoal está forçando a barra e vai nos levar pro fundo do poço. Será isso que querem? Para surgir como salvadores da pátria?

      • Engraçado, Rafael, pois eu

        Engraçado, Rafael, pois eu tenho a impressão justamente oposta. Aqui mesmo no GGN, tem um tanto de apoiadores do Ciro nos últimos dias falando que, se ele não for ao segundo turno (e tudo indica que não vai), em “ligar o botão do F…”, pois jamais votariam no PT. Já aqueles que declaram voto no PT, muitos amigos petistas e simpatizantes do partido, e isso desde o início da corrida eleitoral, quando Lula ainda era pré-candidato, nunca titubearam em dizer que votariam no Ciro se ele estivesse no segundo turno, mesmo com toda a postura ambígua de Ciro com relação a defesa não só do Lula, como dos princípios democráticos, incorporando muitas vezes o discurso da mídia no seu ataque ao PT. 

        Pense bem: quem é mesmo que se apresenta como o salvador da pátria, como o único que pode tirar o Brasil da beira do abismo, nas palavras que vem utilizando, dessa polarização “odienta” que Bolsonaro e o PT nos colocou? E que, embora diga não ser possível andar de braço dado com o PT, abre um sorrisão para a iniciativa capitaneada pelo Lemann e sua fundação, suspeita de fomentar e abrigar os movimentos proto-fascistas que ajudaram a criar o clima para o impeachment da Dilma?

  38. Nassif, outra vez não temos medo de ser felizes!
    Nassif, o fato dos dois institutos pertencentes à Globo e FSP terem colocado Bolsonaro à frente de Haddad não me assusta, uma vez que se dependesse deles Lula jamais teria sido eleito presidente e muito menos Dilma. O meu susto é observar que estão conseguindo transformar anti-democratas em anti-petistas, como se esse partido dominado por sindicalistas dependentes do capitalismo para existir tivesse da noite para o dia encarnado um Comunismo de há muito superado pela luta anti-neoliberalismo em todo mundo. Justo o PT, especializado em negociar com o patronato melhores condições de trabalho e de vida para os assalariados, justo Lula, que transformou BSB em chão de fábrica ou palco para as coalizões partidárias que permitiram que ele realizasse a maior negociação humanista planetária, obtendo em troca uma vida digna para 60 milhões de pessoas e a equiparação do Brasil às maiores potências, via BRIC´s? Chegou a hora, caro enxadrista, de desmistificar essa farsa: nem o PT ou Lula são comunistas, mas, sim, trabalhistas em luta por melhores salários, empregos, saúde, educação e outros direitos humanos básicos que juntos são chamados de Democracia. Quem se opõe a esses direitos são os escravagistas de sempre mancomunados com uma elite econômico-financeira empenhada em converter o Estado democrático em monstro a ser exterminado enquanto sobrar um pré-sal, uma jazida e todos os demais bens pertencentes à Nação brasileira. Com 1,5 milhão de associados em 2015, o PT não é nenhum Deus ex machina, nenhum deus surgido da máquina e muito menos Lula é uma divindade onipotente que poderia ter extirpado todos os males da vida pública nacional nos 13 anos em que ele e Dilma ocuparam o palácio do Planalto. Para tanto, teriam de eliminar os 500 anos de acúmulo de toda sorte de males entronizados em nossos três poderes por uma iniciativa privada oligárquica criadora e mantenedora da corrupção como mola mestra de sua prosperidade. Essa mesma oligarquia ou elite que nesta reta de chegada mobiliza uma mídia falida para instilar ódio aos petistas ou lulistas, convertendo o Judiciário em latrina de guilhotina, esse instrumento medieval de decapitar ou cortar cabeças de quem se insurgisse contra os déspotas que governavam a plebe de então, que agora precisa de ser alertada. O grande mito que foge aos debates, proíbe seu vice e assessor econômico de falarem, acaba de soltar um vídeo na webb que se apropria do grande slogan “Sem Medo de Ser Feliz” que no começo do milênio consagrou o fim da hegemonia tucano-peemedebista, através desse mesmo Lula que ao aceitar o cárcere pré-eleitoral e todas infâmias que estão vitimando a cidadania prestes a ir às urnas, deve estar lembrando a velha canção, plenamente confiante de que nós também a cantamos, antídoto contra o pessimismo derrotista com que tentam nos derrubar nesta reta de chegada. Não tenhamos medo, pois ousar promover “Elenão” à condição de favorito e vencedor, depois das mulheres e nós todos termos saído às ruas contra ele no último fim-de-semana, demonstra apenas que a democracia e a cidadania continuam vivas e presentes. E, quanto mais o PIG/IBOPE/DATAFOLHA nos subestimam e tentam iludir, mais felizes seremos ao derrotá-los na eleição que se avizinha!

  39. Vamos as ruas fazer corpo a
    Vamos as ruas fazer corpo a corpo para derrotarmos o fascismo e a NECROPolitica…….essa Ibope eh faz parte da campanha da Globo contra Lula….não temos motivo para ficarmos com vergonha de votarmos no candidato de Lula, que foi preso por essa elite assassina que não aceita a independência, o progresso e muito menos que este país pertença ao povo brasileiro e sim aos banqueiros e bilionários. …..chegamos ao ponto de vermos pessoas aceitarem terem seus salários reduzidos, 13.salário e aposentadorias cortadas só para viverem uma suposta satisfação ideológica vendida de forma criminosa pela Globo…

  40. O PT não quer participar de

    O PT não quer participar de uma frente democrática. O PT quer ser o poder. Se não for ele o dono, não quer brincar nem deixa a bola com os amiguinhos. Seus candidatos são os mesmo da ladroeira do PT. Sem tirar nem por. Exceto, claro, os que estão presos. Veja nos estados. Os mesmos. E a culpa é do Ciro e da Marina?  A hipocrisia, a covardia e a roubalheira (houve, sim) do PT nos trouxe até aqui e vai nos levar pro fundo do poço. E o poço vai afundar com o nosso peso. Bozonauro vai ganhar e afundar o futuro e vender o presente do país. Mas, em 2 anos ele cai e assume seu vice. O sonho dos militares. Daí, tudo de novo, mas do velho modo: prisão, tortura e roubalheira. Estes nossos militares são diferentes dos de 64. Aqueles eram nacionalistas. Estes, entreguistas.

  41. This is true?

    “O antipetismo desvairado…”

    Foi dado motivos fundamentados ou não para que tudo acontecesse em escala desproporcional. Falhas na disputa de poder em alta escala deriva de forma incontrolável para outros patamares e , inevitavelmente, foge ao controle do piloto.Mas nada ainda está perdido , inclusive as aspirações de Zé Dirceu. O ano de 2019 vai ser divertido em qualquer cor.

     

  42. Se Bolsonaro chegar ao poder!

    Bolsonaro no poder, significa a manutenção da regra básica dos golpistas.

    1 – manter a usura sem fim.

    2 – Obter recursos vendendo estatais e riquezas brasileiras difundindo o liberalismo como opção!

    Manter essa cartilha e a falta de recursos aliados a uma visão ultra-liberal vai agudizar o problema!

    A grosso modo “A ponte para o futuro” é uma grande “Pirâmide Financeira” onde as regras são leis que são usadas por seus criadores – os golpistas, onde o topo é ocupado pelo sistema financeiro, grupos internacionais e bilionários que vão comprar ativos brasileiros, o próximo segmento a ser atendido são dos grupos econômicos e por isso apoiam ferozmente Bolsonaro que manterá a reforma trabalhista, da previdência e etc.

    Como toda Pirãmide Financeira isso uma hora vai ruir e ai quem paga?

    O terceiro grupo será atendido se e somente se houver uma nova explosão inflacionária drenando ainda mais recursos dos mais pobres!

    Nessa processo ele terá problemas cada vez maior com o que restará de democracia…

     

  43. O maior obstáculo ao PT

    O maior obstáculo ao PT nestas eleições não é o Bolsonaro, mas um fantasma muito mais assustador, que se chama Fraude Eleitoral. Quando o time do Bolsonaro entrou em campo, um time de “profissionais da eleição” capazes de tudo, tudo o que puderem fazer para levar seu cliente à vitória na eleição, por seus comentários firmes de recheados de horror e de tiradas escatológicas, o time já dizia claramente que ia ganhar a eleição, e que era melhor “Jair se acostumando”. Bolsonaro tinha 5% das intenções de voto, e eles já davam a entender que tinham a certeza da vitória. Que sabiam como conquistá-la, e que os meios pata tal poderiam ser quaisquer uns, sem que nada de ético ou qualquer limite moral pudesse atrapalhar sua meta. A proibição do papelzinho impresso já pode ter sido uma conquista da estratégia bolsonarista. Já que não há escrúpulo algum naquele time, e que isso pode ser observado pela imundície que são seus vídeos de contra-informação e propaganda, então a fraude para ele pode ser uma opção escolhida desde o começo. E agora, que alguns membros do time começaram a falar gratuitamente da possibilidade de fraude por parte dos petistas, uma coisa completamente impossível de acontecer, as desconfianças aumentaram a ponto de quase explodirem. Pode até ser muito tarde, mas o mínimo que o PT e o PC do B poderão fazer é constituir uma equipe muito bem preparada para estudar em profundidade este problema e analisar quais são os principais pontos de risco,, e quais as principais providências defensivas que poderão ser tomadas para dar combate a essa poderosa arma, mesmo que seja um combate de pouca monta. Melhor o pouco que nenhum cuidado.    

  44. Para além das eleições de
    Para além das eleições de outrubro…

    https://outraspalavras.net/brasil/polemica-duas-formas-do-mesmo-poder/

    Polêmica: duas formas do mesmo poder
    POR INÊS CASTILHO
    – ON 02/10/2018
    CATEGORIAS: BRASIL, DESTAQUES, ECONOMIA, POLÍTICAS

    Nas eleições deste domingo, está em disputa apenas a forma política de gerir a crise brasileira: o PT oferece a ordem na conversa; Bolsonaro, a ordem na porrada

    Por Fabio Luis Barbosa dos Santos | Imagem: Maria Blanchard (1881-1932)

    Na superfície, a eleição presidencial brasileira parece complexa. Apesar do golpe e da prisão, o PT desponta como favorito a dez dias do pleito, enfrentando uma temível cria da ditadura. O que está em disputa nesta eleição? Quem é o candidato do capital? Qual a estratégia da burguesia? E a resposta da esquerda? A seguir, enfrentarei estas questões.

    1.
    Para a burguesia brasileira, a economia não está em disputa nas eleições: quem vencer enfrentará os problemas do neoliberalismo, com mais neoliberalismo. Seja pela via utópica de um “neoliberalismo inclusivo” pregado pelo PT, seja pelo ultraneoliberalismo dos tucanos ou de Bolsonaro.

    O que a burguesia disputa é a forma política de gestão da crise brasileira. Qual será a cara do arranjo institucional, jurídico e cultural que substituirá a Nova República, definitivamente condenada.


    No plano imediato, há duas vias colocadas.

    Segundo suas próprias palavras, Lula oferece credibilidade e estabilidade. A credibilidade de que fala não é com os de cima – duramente afetada, mas com os de baixo: o que Lula falar, a sociedade aceitará. Em outras palavras, o lulismo oferece sua capacidade de convencimento e neutralização popular, como via da ordem. Se Dilma foi a sombra de Lula, Haddad se projeta como o avatar desta política.

    No polo oposto complementar, está Bolsonaro. Como entendê-lo? Bolsonaro é a resposta assustadora de uma sociedade assustada. Quem está sem trabalho tem medo da fome, e quem trabalha, tem medo do desemprego. Todos têm medo da violência, e também têm medo da polícia.

    Em um contexto de desprestígio das formas coletivas de luta, Bolsonaro promete a ordem pela truculência. Como Trump nos Estados Unidos, Erdogan na Turquia, Modi na Índia, o uribismo na Colômbia ou o fascismo na Itália – todos atualmente no poder. Portanto, Bolsonaro não está sozinho: é uma tendência, não uma aberração.

    Em síntese, trata-se de vias distintas para gerir a colossal crise brasileira: o PT oferece a ordem na conversa, enquanto Bolsonaro propõe a ordem na porrada.

    2.
    Na impossibilidade de Alckmin, Meirelles ou Amoedo, qual destas vias é preferível para o capital?

    Se vencer Haddad, será um problema governar. O dilema do poder será como entocar de volta a cobra do antipetismo. Como convencer aqueles que embarcaram na correria do impeachment e da prisão de Lula a aceitar que tudo isso desemboque em Haddad?

    Vencendo Bolsonaro, será um problema para os governados. Sua base entre os poderosos é frágil, sua rejeição popular é alta e sua índole, imprevisível. A questão é: quem disciplinará o disciplinador?

    Haddad como Bolsonaro são respostas provisórias e necessariamente instáveis de uma burguesia que se reorganiza.

    3.
    Para além do imediato, o sentido da movimentação burguesa é na direção Bolsonaro. Pois o fim da nova República também compromete os tucanos. É isso o que explica o NOVO – tão “novo” na política quanto é “democrata” o DEM. Expressa uma burguesia intuindo que novos tempos exigem novas respostas: é o Bolsonaro que ainda não saiu do armário.

    Porque o que a direita está incubando é um bolsonarismo sem Bolsonaro.

    Na França, a fascista Marine le Pen se queixa daqueles que se uniram para derrotá-la no segundo turno. Porque, afinal, diz uma Le Pen inconformada, elegeram alguém que implementa suas políticas, mas sem fazer alarde.

    Por baixo da poeira das próximas eleições, a burguesia brasileira forja seu Macron. O cruzamento de Bolsonaro e Amoedo pode ser João Dória.

    4.
    Entre a derrocada do lulismo, que se configurou na rebelião de junho de 2013, e um bolsonarismo confiável, que está no forno, a burguesia brasileira se repagina. Este reordenamento se expressa na dispersão de candidatos. Como em 1989, quando começava a Nova República, a burguesia busca um caminho, mas agora para enterrá-la.

    No meio tempo, especula qual o melhor esparadrapo para estancar a sangria desatada pelo golpe. Racionalmente, parece Ciro Gomes: o antipetismo se sentiria contemplado e o “ele não”, respiraria aliviado.

    Mas as cobras soltas pelo golpismo desafiam a razão. Qualquer governo que vier será necessariamente instável – como foi Collor.

    Neste contexto, os tucanos fazem sua autocrítica: melhor teria sido deixar Dilma sangrar, do que conspirar pelo golpe e compor com Temer. Foram com muita sede ao pote, e agora estão condenados à paciência.

    A burguesia e os tucanos calculam quem é mais útil para queimar e ser queimado, na expectativa de fundar sobre esta terra arrasada a nova ordem à sua semelhança.

    5.
    E a esquerda nisso tudo?

    Paradoxalmente, revela mais dificuldade em captar a mudança. Para a direita, está claro desde junho: o tempo do neoliberalismo inclusivo se foi. Transitou-se da conciliação para a guerra de classes. É esse o pano de fundo da agonia lulista.

    Que o próprio Lula não se dê conta do seu anacronismo, é esperado. Que o PSOL seja tragado por este autoengano, é uma trágica miopia. Em lugar de se diferenciar do PT tateando o novo pela esquerda, a candidatura Boulos vai na direção da simbiose, em condições cada vez mais rebaixadas.

    O lulismo é uma política que navega nas águas da ordem. Neste momento, só o que pode ressuscitá-la como alternativa burguesa é o ascenso das massas. O paradoxo é que isso só acontecerá se rompidas as amarras do lulismo – como em junho. Mas quando isso ocorrer, os revoltosos perguntarão: toda essa correria para Lula-lá?

    Se a cobra do antipetismo é difícil de guardar, o além do petismo será muito mais. Por isso não interessa, nem a Lula, o povo na rua.

    Ao resignar-se a coadjuvante do ex-presidente, a candidatura Boulos corrobora o sequestro da esquerda na lâmpada mágica do lulismo. Para além de suas contradições internas, esta política perdeu o lastro na história: por isso não se repetirá, senão como farsa.

    O lulismo não é o antídoto ao fascismo, mas um entorpecente que dificulta a compreensão do que se passa. Só com luta escaparemos da barbárie, não com morfina.

    6.
    Independentemente do resultado, o vencedor desta eleição já é Bolsonaro. Porque foi quem pautou o debate. O eixo da discussão deslocou-se para a direita, insulando ainda mais o debate estrutural. Por outro lado, este pleito a esquerda já perdeu, porque nem entrou no jogo.

    Para voltar à primeira divisão da política, precisará atualizar diagnóstico e estratégia. Enquanto isso, assistiremos as derrotas se acumularem, sem sequer disputar os rumos da história.

    Fabio Luis Barbosa dos Santos. Professor da UNIFESP, autor de “Além do PT. A crise da esquerda brasileira em perspectiva latino-americana”.

  45. Ciro como responsável?

    Não concordo de maneira nenhuma com insinuação de que Ciro ajudará Bolsonaro. Ciro seria o único que ganharia dele, mas não vai ao segundo turno porque o PT o sabotou de todas as formas! O PT foi o responsável pelo aparecimento do Bolsonaro e é o PT que irá eleger para Presidente! A arrogancia do PT, seus dirigentes e o próprio Lula! É hipócrita o discurso de que Ciro fala isso ou fala aquilo, quando tapamos o ouvido para que o PT vem falando ha muito tempo. 

  46. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome