Governo estuda privatizar ou liquidar 100 estatais

Ministro da Infraestrutura diz que o Executivo irá recorrer à iniciativas de parlamentares para acelerar desestatizações 
 
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil
 
Jornal GGN – O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que o governo estuda privatizar ou liquidar cerca de 100 estatais. A declaração aconteceu após a segunda reunião ministerial, no Palácio do Planalto, nesta terça-feira (8). 
 
Segundo informações da Agência Brasil, sem dar detalhes, o ministro destacou que o processo de privatizações deve começar ainda este ano, e isso inclui a entrega de trechos de ferrovias, rodovias e portos à iniciativa privada. Somente no modal rodoviário, a previsão é de um total de 5,6 mil quilômetros com novas concessões.
 
“É possível colocar em prática se você pensar que há muitas subsidiárias. Obviamente, a gente está falando não só de privatizações, mas também de liquidação de empresas que não fazem mais sentido”, destacou em entrevista exclusiva nesta manhã, à rádio CBN. O ministro argumentou que as liquidações “vão desonerar o orçamento” da União para “sobrando dinheiro para investir em outras prioridades”. 
 
Com esse objetivo, o governo Bolsonaro sairá em busca de negociações com a iniciativa privada, prosseguiu Tarcísio à rádio, priorizando a área de infraestrutura. 
 
“Não há mais recurso fiscal. Para prover infraestrutura, vamos ter que contar muito com a iniciativa privada, por isso, nosso foco nas concessões, nas parcerias público-privadas”, justificou. 
 
Para acelerar a implementação, o governo vai recorrer a iniciativa de parlamentares que tramitam no Congresso e tratam de licenciamento ambiental, papel de agências reguladoras e atualização do marco de desapropriação. Tarcísio arrematou que o Executivo continuará dando prioridade “a questão fiscal e a reforma da Previdência” para “afastar o risco de insolvência do país.”
 
Pouco antes de assumir, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que a Caixa e o Banco do Brasil não estavam “no radar” do plano de privatizações do seu governo. Nesta segunda-feira (07), durante o discurso de posse na direção da Caixa, Pedro Guimarães prometeu reestruturar do banco estatal, e isso incluirá a venda de participações em empresas controladas, seguros, cartões, asset (gestão de ativos) e loterias. 
 

3 comentários

  1. Quem vai controlar o fluxo de
    Quem vai controlar o fluxo de propina? Sérgio Moro, suponho. O COAF está nas mãos dele. Portanto, Moro poderá cobrar uma modesta comissão para garantir que a farra financeira dos vagabundos de Bolsonaro não mande ninguém para a prisão.

    Se ele dividir a grana com o PGR a mutreta ficará tão segura quanto a Privataria de FHC. Isso explica porque Moro quer um “mano” dele naquele cargo.

  2. Vamos concordar com uma

    Vamos concordar com uma coisa: Um governo que não se dispõe a fazer nada e que acredita que o mercado se regula sozinho realmente não precisa de enhuma estatal,de nehuma agência reguladora,aliás,não precisa nem de governo.

  3. A farra da privataria irá
    A farra da privataria irá fazer a alegria dos banqueiros, dos especuladores, o Brasil vai ser o território Eldorado dos concentradores de renda. A liquidação do Brasil é uma tragédia iminente e a maior corrupção consentida pelo poder judiciário, já que com os recursos, todos irão faturar sua comissão e a tal “dívida pública” inventada continuará existindo, levando o país de volta às solas do FMI, encaminhando o Brasil na rota da miséria e absoluta recessão! Uma politicaria retrógrada, bancada pela elite do atraso! De fato somos o povo mais idiota do mundo ao colocarmos essa tralha corrupta ao poder!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome