Maiores bancos devem mais de R$ 124 bilhões para a União, diz Sinprofaz

Foto: Reprodução

Da Rede Brasil Atual

Maiores bancos do país devem mais de R$ 124 bilhões para a União

‘São recursos do povo. Verbas que poderiam ser investidas em áreas como infraestrutura e Previdência’, critica presidente do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz)

Os grandes bancos comerciais do Brasil são destaque entre os maiores devedores com a União. Juntas, as instituições financeiras somam mais de R$ 124 bilhões, de acordo com levantamento realizado pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), divulgado ontem (5). A natureza de tais débitos envolve itens como Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), atividades de seguros, capitalização, resseguros, planos de saúde e previdência.

De acordo com o relatório, do montante, R$ 7 bilhões correspondem à dívida com a Previdência, R$ 107,5 milhões são referentes ao FGTS e R$ 117 bilhões representam o restante. Os dados inspiram críticas à proposta de reforma da Previdência, capitaneada pelo presidente Michel Temer (PMDB). “Existe dinheiro, muito dinheiro. Existe um órgão responsável pela cobrança que está cada vez mais sucateado, porque não existe interesse do governo em que esse dinheiro seja cobrado. Fazer uma reforma na Previdência dizendo que a conta, mais uma vez, tem que ser paga pelo trabalhador é muito delicado”, disse o presidente do Sinprofaz, Achilles Frias.

“Os bancos devem R$ 124 bilhões. São recursos do povo. Verbas que poderiam ser investidas em áreas como educação, saúde, segurança pública, infraestrutura e mesmo a Previdência, mas não é cobrada”, continua. A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional possui a área de Estratégias de Recuperação de Créditos para cobrar os valores. Essa dívida pode ser ainda dividida entre situação regular ou irregular. As irregulares correspondem a R$ 82,6 bilhões e representam valores com cobrança ativa em andamento, sem garantia ou penhora de bens em execuções fiscais. Já a dívida em situação regular representa R$ 41,8 bilhões.

Para o senador Paulo Paim (PT-RS), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência, destinada a investigar o déficit no setor, alegado pelo governo federal para mover a reforma, “os grandes devedores partem pela seguinte linha: devo, não nego e não pago. Eles vão continuar brigando na Justiça dentro dos instrumentos que o processo permite. Infelizmente, não são empresas pequenas. São bancos como Bradesco, Itaú, Caixa, Banco do Brasil. Dívidas de bilhões”.

Frias ainda alerta para a possibilidade de o Estado negligenciar ainda mais tais cobranças. “Essas dívidas, que deveriam ser revertidas para o povo, podem ser privatizadas por projetos existentes no Congresso, de autoria e articulados por parlamentares ligados ao governo. Ou seja, deputados e senadores querem privatizar a dívida da União por meio de securitização, concessão, seja qual terminologia for, para permitir que os bancos que devem R$ 124 bilhões cobrem ou não suas próprias dívidas, deixando a população à mercê e sem esses recursos”, afirma.

“Enquanto o governo penaliza o cidadão, tributando severamente os trabalhadores e os pequenos e médios empreendedores por um lado, por outro, permite que os bancos do Sistema Financeiro Nacional fiquem livres de cobranças, e no futuro, com as dívidas privatizadas para eles mesmos, tenham o poder de nem sequer cobrar suas dívidas”, completa. Para o senador à frente da CPI da Previdência, “o discurso que é dado pelo governo é sempre o mesmo, que tem que penalizar o trabalhador mais uma vez, se não o Brasil vai quebrar. Mas eles não cobram os grandes devedores. E querem que a gente não reclame”, diz.

A tabela da dívida do Sistema Financeiro Nacional é pública e pode ser vista aqui.

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. Itaú

    No total, o grupo Itaú tem uma dívida de quase R$2,9 bilhões, espalhada em mais de 30 cnpjs diferentes. R$185 milhões correspondem a dívidas previdenciárias. A maior parte (95%) está refinanciada via Refis.No entanto, tem R$142 milhões em situação irregular.

    Essa dívida equivale a 15% do patrimônio líquido do banco Itaú, que cresceu 20% no ano passado.

    Setúbal defende a reforma trabalhista e a da previdencia sem pestanejar. 

  2. Em todos esses levantamentos

    Em todos esses levantamentos esquecem de explicar que são LANÇAMENTOS EM FASE DE CONTESTAÇÃO administrativa ou judicial, portanto NAÕ SÃO DIVIDAS ainda. Dirigentes de empresas de capital aberto tem OBRIGAÇÃO de contestar autuações fiscais, se não fizerem poderão ser processados pelos acionistas. Boa parte dessas autuações caem na contestação

    porque as leis fiscais brasileiras são muito complexas, obscuras e permitem interpretação pro e contra o fisco em alta escala.

    • Andre: essa de agora pegou

      Andre: essa de agora pegou mal. Dá aimpressão que você está dizendeo que os lançamentos foram fabricado e são fajutos.

      Vá lá que o relatório contem mais de 1.300 páginas. Cobrar de você uma manifestação pormenorizada, em tempo de notícias relâmpago, seria cruel.

      Mas você poderia, pelo menos, ter dado uma olhadela na “resposta ao pedido”, assinado pelo Coordenador-Geral de Estratégias de Recuperação de Créditos da PGFN, antes de vir com essa defesa incondicional das “maiores” instituições bancárias, tidas e sabidas por salafrárias, na questão tributária.

      Tanto, que são as maiores fomentadoras das reformas trabalhistas e previdenciarias, não que estejam preocupadas com o desenvolvimento de Pais. Mas, tão somente, com seu débitos com o erário público.

      • Eu me atenho aos fatos. Voce

        Eu me atenho aos fatos. Voce acha que o BANCO DO BRASIL, uma dos mais presentes na lista, deixa de pagar divida previdenciaria e tributaria só de sacanagem? Um dos maiores devedores da União é hoje a PETROBRAS por dividas tributarias

        voce acha que discutindo é só por malandragem? São lançamentos CONTESTADOS mas que o Fisco acha que são devidos e o contribuinte não.. A grande divida do Itau é pelo agio pago na fusão com o Unibanco, a União quer eceber R$18 bilhões, está sob forte contestação. Essas listas de devedores que saem nas midias são para causar impacto, na Previdencia os maiores devedores são sempre os mesmos , VARIG, TRANSBRASIL, VASP, empresas falidas com dividas teoricas incobraveis.

        Quanto aos bancos e ao sistema bancario brasileiro eu sou neste blog o MAIOR CIRITICO DO SISTEMA, com mais de 60 artigos publicados e preparei um projeto de lei criando a Agencia Reguladora dos Serviços Bancarios, que está  com uma Senadora progressista ára ser apresentado, visando proteger os clientes contra os abusos dos bancos.

         

         

    • Dívida ativa da União

      Conforme se pode ver ao ler o anexo à matéria, o montante trata de dívida ativa da união, que são créditos tributários que já foram lançados, contestados pelo contribuinte, julgados em duas instâncias administrativas e estão na fase em que constituem título executório. São dívidas sim.

      • A listagem mistura varios

        A listagem mistura varios tipos de situação, na coluna de regularidade há “Regular” e “Irregular, há dividas em regime de REFIS, a inscrição na Divida Ativa da União se dá após a fase do processo de conhecimento mas na execução, na fase de embargos, a Divida já está inscrita e mesmo assim ainda está em fase de embargos à execução. Tambem são inscritas em divida ativa (CDA) creditos contra massas falidas, de dificil recuperação.

         

    • A culpa é sempre dos outros

      Bem, deve ser alguma encrenca sob judice. O fisco “acha” uma coisa e o autuado “acha” outra e parte para a contestação. Se fosse fácil, tranquilo,  o donos do poder entre 2003 e 2016 teriam resolvido essa pinimba.  

  3. E o CARF e a ZELOTES?

    O Itau conseguiu enfiar no itauuuuuu da Receita uma dívida de 25 BI por decisão do CARF. 5% da ZELOTES!

    https://oglobo.globo.com/economia/carf-decide-favor-do-itau-em-processo-de-25-bi-de-impostos-21186804

     

    Lucro líquido de 6,1 BI no primeiro trimestre de 2017. Esse valor é 

    19,64% maior que o registrado no mesmo período de 2016.

     

    http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/itau-unibanco-tem-lucro-liquido-de-r-61-bilhoes-no-1-trimestre.ghtml

     

    E comprou a conta da Aposentadoria do INSS. Quem vendeu essa conta para o Itauuuuuuu? Quanto levou de COMISSÃO pela entrega dessa conta bilionária do Governo Federal que deveria estar em bancos públicos? 

     

    Quem é que investiga e denuncia isso?

     

    PGR, Judiciário, MP e PF não podem porque foram escalados pelos banqueiros agiontas e sonegadores donos dos bancos para dar sustentação ao GOLPE e estão muito ocupados em procurar donos de Sitios em Atibaia, pombal de luxo no Guarujá, pedalinhos e outras fantasias para publicar na Globo/Mossack-Fonseca.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  4. Capitalismo brasileiro

    Nossa antiga e querida CVRD é hoje a maior devedora da União, com mais de 40 bilhões.

    O capitalismo brasileiro é uma piada: Quanto maior a empresa mais recursos de sonegação ela tem. As empresas brasileiras agem como times de futebol, extremamente endividadas com a União, mas com dirigentes ricos ganhando milhões.

  5. Solução parcial…… passar de um bolso para outro…….

    Será que essa afirmação do Sinprofaz está absolutamente correta? Entre os bancos estão citados Banco do Brasil e Caixa. Ora, se essa dívida fosse liquida e certa essas duas instituições jamais estariam inadimplentes. Não parece piada o Governo dando calote nele mesmo? Sei lá, só acho que o blog deveria ser mais cauteloso e investigar melhor o assunto. Aliás, esqueceram de incluir na “chamada” do post os respectivos logotipos das instituições a que me referí. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome