Xadrez do fator Hamilton Mourão, por Luis Nassif

No fascismo italiano e espanhol, nazismo e golpes militares na América Latina, a onda foi irreversível. Com o avanço institucional do país, o clima de ódio deveria cansar

Peça 1 – a onda da pacificação

É curioso como ocorrem as grandes inflexões na opinião pública. Cria-se uma onda que engole o mundo político, midiático, libera a besta das ruas, promovendo os surfistas que conseguem cavalgá-la e afogando os que são apanhados no contrapé.

Há casos em que a onda é tão forte que se torna irreversível. Foi assim com o fascismo italiano e espanhol, com o nazismo, e com os golpes militares na América Latina. Mas, na maior parte das vezes, dependendo do maior ou menor avanço institucional do país, o clima permanente de ódio cansa e as ondas refluem. Se não tem forças para completar o ciclo, e instaurar uma ditadura fascista, esvazia-se com o tempo.

Nesses grandes movimentos tectônicos, um bom governo teria enormes dificuldades para atender às expectativas criadas pelo imaginário. Mas quando a cara do governo passa a estampar cada vez mais a bocarra e a incompetência dos Bolsonaro, tem início uma nova onda, pequena no início, mas crescendo rapidamente, e que será hegemônica dentro de algum tempo: a busca de saídas para o país através da conciliação nacional.

Passado o pico do ódio, haverá um refluxo até que reste só a besta, a legião selvagem dos bolsonaristas, a 15 a 18% da população.

 

Peça 2 – a reorganização das forças hegemônicas

Na maionese bolonariana têm religiosos fundamentalistas, alucinados antiglobalistas, aventureiros empresariais. Mas, para os jogos de poder, o que conta forças políticas e econômicas. Entre elas, o antilulismo continua sendo peça central: na mídia, no mercado, no Judiciário e nas Forças Armadas.  Portanto, o próximo capítulo ainda será uma tentativa de reorganização dessas forças.

Leia também:  Organizações da sociedade civil alertam para fragilização das Áreas Protegidas Brasileiras

As guerras políticas internas (assim como as guerras reais) têm dois tempos: o das batalhas e o da consolidação da conquista. Dos estudos de Sun Tzu, sobre a arte da guerra, aos de Montesquieu, sobre a ascensão e queda do Império Romano, há uma literatura ampla mostrando a diferença fundamental entre a postura na guerra e a postura na vitória.

Terminada a guerra, a principal preocupação dos vitoriosos é desarmar os espíritos, mostrar senso de justiça, atrair os derrotados, mantendo seus poderes sob controle, mostrar-se justo, não tentar impor seus valores e costumes sobre os adversários. E há um conjunto de lições sobre as estratégias militares. Nunca se mostre como você é: se está forte, tente se apresentar como enfraquecido; se está fraco, mostre-se forte; nunca explicite o que você pensa, implemente A dando a entender que você quer fazer B.

É interessante comparar a conduta do general Hamilton Mourão com a do governador paulista João Doria Jr.

Dória conseguiu cavalgar duas ondas. A primeira, na prefeitura de São Paulo, apresentando-se como gestor antipetista. Quando o eleitorado da capital se deu conta de que não era gestor, a onda do antilulismo estava em plena ascensão, especialmente no interior, catapultando-o ao governo do Estado. Com isso, passou a apostar desmedidamente na sua intuição. E tenta repetir, para a próxima rodada, o mesmo discurso das rodadas anteriores.

Os romanos tinham um hábito interessante contra esses deslumbramentos. Sempre que um general voltava vitorioso da guerra e fazia a caminhada da vitória pela cidade, ao seu lado ia um escravo que murmurava: “Não se esqueça que você é humano”.

Dória persiste no discurso de guerra, perpetrando mesquinharias, como impedir que o MST (Movimento Sem Terra) faça sua reunião anual (para venda de produtos orgânicos) no Parque da Água Branca, ou cortando recursos para cultura, ou estimulando a violência policial. Está pensando em chegar mais longe olhando pelo retrovisor e pretendendo disputar os 18% do eleitorado. Fosse politicamente mais inteligente, haveria uma avenida aberta à sua frente, como contraponto civilizado a Bolsonaro.

Leia também:  No Congresso, líderes decidem votar acordo sobre base de Alcântara na próxima semana

Essa avenida – da busca da conciliação, como maneira de consolidar a direita – está sendo trilhada pelo general Mourão, seguindo à risca e com inteligência os manuais de estratégias militares.

Apresenta sempre o contraponto racional contra as maluquices de Bolsonaro, impedindo as loucuras do Ministro das Relações Exteriores, corrigindo as bizarrices perante o público interno e externo. É evidente que, ao corrigir o presidente, não pretende desfazer suas tolices, mas expô-las.

Vai além, com reconhecimento da necessidade de propostas de união nacional, aproximação com diversos setores sociais, a importância da diversidade, do meio ambiente, o entendimento sobre o que é uma economia moderna etc.

É possível que tenha descoberto as virtudes da democracia e do pluralismo, é possível que apenas esteja aplicando um dos princípios da estratégia militar de não se mostrar como é. De qualquer modo, é quem está crescendo sobre os escombros do bolsonarismo.

Nos próximos meses, Mourão se tornará cada vez mais ponto de convergência de empresários, políticos e mercado, desencantados com Bolsonaro. Quando a aliança estiver madura, não será necessário conspirar, nem dar golpe de gabinete para se desfazer de Bolsonaro. Basta aguardar as conclusões de uma das investigações em curso sobre suas ligações com as milícias, e contar com o desmanche de sua base política, obra do inacreditável Onix Lorenzoni.

Parte 3 – o fator Lula

Impressiona o fato de que, sendo prisioneiro político, impedido até de dar entrevistas, Lula consegue unificar a esquerda com suas mensagens. Aliás, o fato de ter se transformado em preso político unificou a esquerda, consolidando sua liderança até sobre os partidos mais novos, que cresceram em cima do desgaste do PT e da falta de arejamento do seu alto comando.

Leia também:  Bolsonaro trabalha para colocar Eduardo líder na Câmara, e PSL se divide

De qualquer modo, o desafio político consiste em ampliar o leque de alianças, abarcando o centro democrático e a centro-direita. Mas o PT tem encontrado dificuldades, com Lula preso.

Tem um candidato, Fernando Haddad, com penetração junto a muito setores progressistas e empresariais anti-PT. Mas a própria manutenção da prisão política de Lula impede avanços maiores, visando a conciliação nacional.

De qualquer modo, o PT vive um paradoxo. Não pode abandonar o protagonismo, junto às esquerdas, para não perder o bonde com a redemocratização – como ocorreu com o velho PC. Por outro lado, esse protagonismo impede o avanço das negociações e dificulta a montagem de uma frente ampla democrática.

A libertação de Lula seria o grande sinal para se começar a desenhar a paz nacional. Mas o STF (Supremo Tribunal Federal) permanece acuado e sem coragem de retomar o caminho da institucionalidade.

Com tudo isso, o jogo político continuará sendo jogado entre bolsonaristas e a direita mais racional, com o prestígio crescente de Hamilton Mourão.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

53 comentários

  1. Nassif, meu caro, o Lula não unifica a esquerda, muito pelo contrário, hoje ele a divide, divide também o país.

    Se o Lula quisesse a união e o bem do país, recuaria do protagonismo do PT , daria um tiro no peito do PT entrando para a História e abrindo caminho para um verdadeira esquerda , para nos tirar deste golpe .

    Mas aí já seria pedir demais para um jeca que chegou à Presidência, o qual por anos desfilou nos salões nacionais e mundiais sem um só subalterno a lembrar-lhe que é humano.

    • No início de seu comentário entendi que estava diante de uma viúva do Ciro, carpindo, coitada ! Ao final, trágico, se verifica que é uma conje do bolsonarismo, da “verdadeira esquerda”, tal qual o nazismo.

    • Exatamente! O ambiente de debate nos comentários dos artigos desapareceu (e o botão + comentários na maioria das vezes não funciona.

      Quanto ao conteúdo do artigo, quem quer estabilizar o regime político é a direita golpista (ou melhor dizendo, os representantes da burguesia tradicional).

      Não há nenhum motivo para uma “frente ampla democrática”. Principalmente, porque isso seria uma capitulação da esquerda frente ao golpe de Estado, com Lula preso, com um judiciário fora da casinha. O PSDB, que é o representante maior desse campo tradicional da burguesia, articulou o golpe de Estado, tem como agenda própria a agenda neoliberal de concentração de renda, privatizações, “reforma” da previdência, etc. Quanto às instituições, o que dizer da verdadeira tchutchuca de general que é o Dias Toffoli, fazendo casuísmo com cláusula pétrea da constituição só para ferrar o Lula? Não dá, não tem como a esquerda conciliar com esse estado de coisas. A esquerda tem mesmo é que ir pra guerra e confrontar, de acordo com suas forças, esse arranjo sinistro do golpe de estado.

      Quanto a esse pessoal blazé que se diz de esquerda e fala mal do Lula, quer o fim do PT, são apenas direitistas que não encontraram sua turma. Ou então, haja cegueira política!

  2. Boa noite, Mouro! Um belo o dia de hoje, não achas? A primeira noticia que li foi que o General foi aplaudido de pé em Harvard. Isto é um Fato Histórico!. O Vice-Presidente brasileiro falar sobre a Educação Brasileia para alunos brasileiros de Harvard e do MIT, em Harvard University, universidade privada, em Cambridge, estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. O Contraponto, fazer o mesmo em uma Universidade Pública Brasileira que se encontre no ranking das melhores do mundo ou da América Latina ou mesmo pela classificação do MEC. A pergunta que não cala: Será aplaudido o Vice? A UFRJ elegeu, por ela, sua primeira mulher como reitora em 100 anos. Gosto do que você escreve mas as vezes me vejo em sua analise dentro de uma curva analítica e estatística na qual o caos e emergência não são esperados muitos menos mensurados e modelados. A tal complexidade. No seu post colocou a foto da menina “estrangulada” na manifestação Coxinha…acho que quase ao mesmo tempo uma familia foi massacrada em Guadalupe RJ, pelas forças do Exercito Brasileiro. Está lá para quem quiser ver e ouvir: Na reportagem do Forum é possível clicar no perfil da pessoa que disponibilizou os vídeos via twitter e assistir todos…as pessoas gritando ” é morador!!!” na hora do massacre…O que é isso??????? Até quando? ( https://www.revistaforum.com.br/homens-do-exercito-atiram-em-carro-com-familia-e-matam-motorista-no-rj-veja-sequencia-de-videos/?fbclid=IwAR3yyouQWrAz2W23ryAFbZnjKTMSQF3pUqHjKOhM-HAhzs1lcEIg4ZfHO3g). Hoje Nassa, estou muito cansada. Cansei, mesmo. Você fala em curvas de ódio descendente…não sei não Nassa! Talvez na perspectiva política partidária…mas me parece que o ódio, saltou pro chão, pro asfalto faz tempo, e não vejo nenhuma dessas pessoas no patamar superior da decisão dando conta disso. Enfim… Hoje a “Galega” faria 69 anos…Talvez as pessoas não saibam da importância dela nos primórdios das lutas trabalhistas nesse país em plena Ditadura Militar. Sua coragem, sua irreverência…Seu Humor, Sua Alegria! Aquela pomba branca das primeiras camisas foi ela quem desenhou. Hoje, seu companheiro, está há um preso. Fato Histórico. Ao longo desse ano, esse fato e suas diversas interpretações para mantê-lo lá, preso, caem como um castelo de cartas. Eu o admiro muito. No seu lugar teria pego o primeiro avião e pedido um asilo político. No seu lugar teria inflamado esse país. No seu lugar estaria revoltada pelo porque não derrubam essas paredes e me levam daqui. Mas, Ele, não…Ele foi e se deixou prender, para provar que a Democracia pela qual lutou, sua proposta de pais, é forte, não é risível, líquida. Nesse seu caminho, foi sua Galega, seu irmão, seu neto…Deboas, eu não aguentaria. Mas em prol do quê, tudo isso? Penso eu…Ética! Um Ethos pessoal e Universal, como diria Leonardo Boff, que estão nele e o impedem de qualquer movimento que não seja pela legalidade. Nunca irá se medir por um Aécio, Temer, etc e tal…Mas é a minha interpretação da história. Então hoje se abre uma campanha internacional pela liberdade dele. E dela faço parte com o pouco que posso contribuir.

    • Anônimo, concordo em tudo com você. Sou grande admiradora de Lula. Tb não tenho 10% da coragem dele. Também teria pedido asilo político. Ele preferiu ficar. Penso que ele pensa que ainda pode contribuir muito para o país.

      • Bolsonaristas X Direita(mais)racional, e crescente do Gal. Mourão ?
        Não enxergo que esta partida que está sendo disputada entre estas duas frentes, a dos “cegos” que apesar dos desmandos e “peitadas” do Bolsonaro, contra os direitistas menos radicais que “apostam” na aparente coerência do Gal. Mourão. O que acho que está ocorrendo, é um plano de um grupo de militares, da ativa e da reserva, ora com um grande número de representantes, no staff da adm.federal, que estão alimentando este desgoverno, que só bate cabeças, até que a sociedade civil, exija que estes ministros e diretores da grandes estatais, expurguem este elemento, cuja biografia, é de pleno conhecimento das Fôrças Armadas, desde que ele foi expulso, por insubordinação à rotina militar, e por certa insanidade mental. Aí eles teriam duas alternativas;1) Voltar com tudo, ao regime idêntico ao da ditadura, aonde tudo seria comandado pelos militares, ou 2) o retôrno à plena democracia, com a convocação de novas eleições democráticas e sem a (má) influência das redes sociais(leia-se fake news) e a reconquista da confiança ainda ressentida, da sociedade civil. Eu particularmente, acredito que o Bolsonaro será defenestrado, antes de completar um ano de governo, mais temo que a 2@ alternativa, efetivamente ocorra.

  3. E por falar em ondas…
    Bolsonaro veio das profundezas oceânica dele mesmo e de muitos que votaram nele

    a meu ver, nazifascistas de sal que ao percorrerem o trajeto até à superfície, em busca de luz, desaparecem

    assim como é na luz que muitos demônios deixam de existir

  4. Apenas que, considerar o Mourão como direita racional, seria o mesmo que cuspir na cara da democracia; lembremo-nos, sempre e sempre, nos dizeres desse mourão-de-banhado desde seu aparecimento como candidato a vice: impropérios e vitupérios, atacando o estado democrático de direito e a nossa (ainda) constituição federal. Sem contar, pior, o que discursou hoje (aplaudido de pé, diz a mérdia de sempre), em harvard (num clubinho eou greminho estudantil dos aluninhos brasileiros, como ano passado): o Geisel não foi eleito, eu fui: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Ninguém votou no Bolsonaro pensando nesse daí. Não fosse o Bolsonaro e a demonização e criminalização do PT, pela dita grande mérdia e a vazajato, esse mourinho estaria fazendo discurso pro espelho no banheiro do tal clube militar (quem sustenta o dito clube militar?). Pois é… Melhor um tresloucado declarado do que outra serpente-escorpião.

  5. “Nunca se mostre como você é: se está forte, tente se apresentar como enfraquecido; se está fraco, mostre-se forte; nunca explicite o que você pensa, implemente A dando a entender que você quer fazer B.

    É possível que tenha descoberto as virtudes da democracia e do pluralismo, é possível que apenas esteja aplicando um dos princípios da estratégia militar de não se mostrar como é.”
    Segunda hipótese.
    Ele está se apresentando como um “Bolsonaro” eficiente, para concentrar renda e fortalecer a dependência americana.

  6. Só algumas considerações:
    1. Não se deve confiar em Mourão. Ele já deu declarações contundentes mostrando que é inimigo do país e do povo. Mudou agora? Duvido e faço pouco;
    2. Bolsonaro tem que ficar o maior tempo possível. Quanto mais ficar, mais expostas vão ficando as contradições de seu desgoverno, mais caos vai gerar e mais próximo a sociedade chega de um ponto de explosão, coisa que, claro, os donos do dinheiro não querem;
    3. Enquanto Bolsonaro ficar, nada anda. Se Mourão assumir vai implementar as medidas neoliberais com a força do exército;
    4. Nossas FFAA são inconfiáveis. Quanto mais tempo ficarem escorando o Bolsonaro, melhor. Mais exposta vai ficar erodindo ainda mais a confiança nela;
    5. Passou da hora do PT apresentar propostas de contra-ponto a esse governo;
    6. Haddad não é liderança nenhuma. Não tem estatura, nem tino, nem preparo, nem nada;
    7. A coisa só se resolve com o povo nas ruas. No papo não sai nada;
    8. Deviam escutar mais o Rui Costa Pimenta.

    • Sua análise é bem melhor que a do nassif.
      Desgraça de país que ousa considerar mourão como saída de bolsonaro. Díficil saber qual dos dois é mais inimigo do Brasil e do povo brasileiro.
      O Brasil caminha a passos céleleres para o abismo.
      Nosso futuro é a argentina e não a venezuela como estes burros bozos ficam zurrando.
      UM país onde burros ignorantes chegam ao poder e estes burros ignorantes mantém preso incomunicável aquele que poderia resolver o problema terá o que merece.
      CAOS.

    • Concordo com TUDO! Todos os 8 itens, incluindo o Rui, claro! Acho até que, se generais tomarem o poder, fecharão o congresso e aprovarão “na marra” todas as reformas anti-povo. No melhor (ou pior) estilo 1964…

    • concordo plenamente com vc. deixem Bolsonaro desgovernar. Mourao é traidor.
      E no artigo a parte do PT não está de acordo com realidade

  7. Aquela foto lá encima que mostra 3 trogloditas enforcando uma mulher não tem nada de estranho, os agressores estão fazendo o que devem fazer, exercendo suas expertise. Só não o fariam tivessem votado pelo menos em Alckmin ou Meirelles, mesmo não sendo garantido 100%. Agora, o que também não é estranho, mas trágico, muito trágico, é aquele, ou aquela, não dá para saber direito, PM, assistindo a tudo de camarote.

  8. Desculpem a sinceridade, mas a ignorância de boa parte da população merece é um bolsonaro como presidente. Pena que agente também tem que aturá-lo. Quanto ao mourão, eu acho que é bem pior pra população porque tem a cara de bom moço que a nossa hipócrita classe média, que saiu às ruas pra destruir o país, gosta. Imagina ele fazendo caras e bocas, pedinto a reforma da previdência? A sua aprovação seria muito mais fácil, e com ela o fim das polítcas sociais do brasil.

  9. Um passarinho me contou que nos anos anteriores à derrubada da Dilma, uns periquitos de 4 estrelas rodaram o Brasil visitando outras aves de mesma patente. O tema era simples: Vamos dominar e governar o bananal, de novo. Contra “kumunismu” pregavam mas do alinhamento ao grande irmão do norte e que permitiriam a desnacionalização e a entrega da soberania além do empobrecimento e escravização do povo, nenhum pio. Que importância tem milhares de cidadãos jogados na rua se a nossa situação melhorou com mais dinheiro, mordomias e garantias para a nossa igrejinha e da nossa famiglia
    O que hoje acontece é golpe intensamente e longamente preparado com muitíssimos traidores do torrão natal envolvidos. Os sócios são visíveis quer no poder, quer na indústria e comércio, na imprensa e nas “zélites”.

  10. …”Direita mais racional”…

    Chamar de “mais racional” só porque nao sao uns celerados é quase um ato de desespero.

    O Paulo Guedes deu mostras de ser “mais racional” mandando o Mercosul se danar e fazendo brindes grotescos a Olavo de Carvalho. Sei. O Mourao falando do salario minimo…

    Lula é troféu. Pra derreter essa taça falta muito.

  11. Quem ganhou a eleição foi o atual mandatário. É equivocado pensar que esta figura não esteja representando o papel a ele destinado. A sua eleição representou bem isso: Um fantoche que consegue aglutinar todo tipo de idiotice reinante no país. Mudou a idiotice? Se não mudou não há motivos para pensar que a figurar cairá.
    O jogo está sendo jogado. As peças são as mesmas do golpe. Agora,dizer que o PT quer o protagonismo das esquerdas não corresponde a realidade dos fatos. O PT é,hoje,o único partido, não somente de esquerda, realmente estruturado como partido no país. O seus protagonismo não é uma questão de querer,mas uma questão de sua inserção nacional. O partido,desde o primeiro momento,até antes das eleições,vem buscando formas de aglutinar forças e,por muito pouco,contra todas as forças do mal reunidas,não as venceu mas,mesmo assim,conseguiu eleger a maior bancada para a câmara federal.
    O que ocorre,e até normal após anos de poder,é uma ausência de novos líderes. É esta ausência que impede um avanço maior das esquerdas e não o desejo do PT de ter o protagonismo dela.
    Se bem lembrarmos, o presidente Lula,ainda na eleição do segundo mandato da presidenta Dilma,já dizia que o PT poderia abrir mão da cabeça de chapa na eleição seguinte e,inclusive,apontava um provável candidato,o governador de Pernambuco,Eduardo Campos que,posteriormente viria a falecer.
    Assim,como tudo é possível,a hipótese levantada pelo post não pode ser descartada,mesmo porque nosso país vive um período golpista onde o aniquilamento de todos os partidos centristas impede qualquer forma de diálogo que tenha o mínimo de representatividade,facilitando,assim,a área golpista.

  12. SE o futuro do Brasil estiver nas mãos de um general doutrinado pelos gringos, tipo Mourão, não se tenha dúvida de que será distópico. A distância entre um Mourão e um Geisel é a mesma que separa nosso país dos EUA. Estamos literalmente roubados.

  13. É BOM JAIR SE ACOSTUMANDO COM O DESMANTELO

    EXÉRCITO MATA COM
    72 CÁPSULAS NO RIO
    Eis o que Moro deve chamar de “sobre (sic) violenta emoção”
    O Exército BraZileiro “foi educado” para isto mesmo: exterminar o povo brasileiro.

    https://www.conversaafiada.com.br/brasil/exercito-mata-com-72-capsulas-no-rio

    É BOM JAIR SE ACOSTUMANDO COM O DESMANTELO

    Bolsonaro faz declarações xenofóbicas e chama Brasil de “lixo”
    Jair Bolsonaro aparece em uma reunião fazendo declarações xenofóbicas, criticando o Brasil e admitindo que estava se aproximando dos EUA para tratar da Amazônia

    https://youtu.be/sJ5Iiq5sm4Q

    Como o Brasil é muito grande, nós podemos chama-lo de LIXÃO.

    Mas o pior: logo depois Bolsonaro se declara incompetente para administrar o LIXÃO.

    Disse ele: “Desculpem as caneladas, não nasci para ser presidente, nasci para ser militar, mas no momento estou nessa condição de presidente e, junto com vocês, nós podemos mudar o destino do Brasil. Sozinho não vou chegar a lugar nenhum”.

    https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-04-05/nao-nasci-para-ser-presidente-nasci-para-ser-militar-diz-bolsonaro-em-evento.html

    Veja bem, ele não é presidente, ele está na condição de presidente do LIXÃO. E pede socorro a todos os presentes no evento em que ele reconheceu toda a sua INCOMPETÊNCIA.

    Ora porra! O cara passou quase 30 anos como deputado, mamando nas tetas do contribuinte e das milícias, e depois de se eleger presidente do LIXÃO, através de uma eleição fraudulenta, diz que não gosta de ser presidente e que sua vocação é ser militar!?

    RENUNCIA, CRIATURA PESTILENTA!

    MOURÃO, O OPORTUNISTA

    MOURÃO AVISA: EXÉRCITO NÃO QUER A CONTA DOS ERROS DE BOLSONARO

    Durante encerramento da Brazil Conference, nos EUA, neste domingo (7), o vice presidente Hamilton Mourão disse que os militares têm a preocupação de que as trapalhadas do governo de Jair Bolsonaro sejam colocadas na conta das Forças Armadas por conta da grande participação no governo; “Se nosso governo falhar, errar demais, não entregar o que está prometendo, essa conta irá para as Forças Armadas, daí a nossa extrema preocupação”, disse

    https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/389466/Mour%C3%A3o-avisa-Ex%C3%A9rcito-n%C3%A3o-quer-a-conta-dos-erros-de-Bolsonaro.htm

    MOURÂO, reconheça: Bolsonaro e você (nessa ordem) são os melhores quadros do exército brasileiro. Não foi à toa que que os generais desse mesmo exército fizeram de tudo (e bota tudo nisso) para elege-los. Não tire o seu da seringa.

  14. Eu repudio o general Mourão. Ele despreza a formação étnica do povo brasileiro, é um militar entreguista e considera herói o torturador coronel Brilhante Ulstra.
    Pelo amor de Deus, Nassif. Pare de apresentar Mourão como uma saída racional para o caos.
    Mourão é pior do que Bolsonaro, porque é hipócrita e traidor também do próprio Bolsonaro.

  15. Isso de não se mostrar o que é já levou um ex-presidente pra cadeia e tem outro com as horas contadas, o brasileiro já cansou de políticos 2 caras e a paciência está acabando.

  16. A turma dos zés-botina só estão esperando para completar o ciclo do golpe tirando o capetão da frente……

    A tragédia é que ´para o povo seriam piores……teriam o uso da força e da caneta aliadas……não melhorariam a situação do povo por se aliarem a lojistas e o que de pior existe na trolha chamada mercado…….
    E tragico como alguns ainda menosprezam a força de Lula…..caso contrário por que o mantém preso há tanto tempo através de inumeras e vergonhosas patranhas juridicas? Por que as “novas” lideranças de esquerda não aproveitaram o vácuo deixado por sua prisão?

  17. Sua análise acaba levando a uma sinuca de bico: Mourão como contraponto racional e opção mais adequada que Bolsonaro, sustentado pela construção de uma imagem apaziguadora, inclusiva, teria que promover a libertação de Lula e reconhecimento da injustiça da condenação. Sem isso não há apaziguamento. E, com a libertação de Lula Mourão desaparece como conciliador social, espaço natural de Lula.
    Parece que a tensão secular promovida pelas classes dominantes, dessa vez, só será dissolvida por um indesejável confronto sangrento. Só um milagre evita esse acerto de contas.

  18. Nassif, antes de tudo, você já devolveu ao governo os 800 mil em dinheiro que a justiça lhe acusa de ter recebido dos governos petistas para comprar suas opiniões ditas jornalísticas? É bom esclarecer isso aos seus leitores.

    Quanto ao ocorrido acima, a moça, débil mental, sem dúvidas, atacou as pessoas com um objetivo perfurante, conforme a própria imagem comprova, e foi imobilizada por esses homens. Descontrolada e impossibilitada de prosseguir com seu plano, optou pela melhor estratégia da esquerda. O vitimismo. Tentou se furar a si própria para tentar incriminar os homens que a seguraram, conforme também pode ser visto na mesma imagem. Feito o papel de vítima, o resto da narrativa fica por conta dos blogs sujos petistas que receberam, segundo a justiça, uma boa bolada pra isso.

  19. Talvez seja necessária uma contenda fraticida, de norte a sul do país. Para depois sairmos do inferno e nos reorganizar como nação.
    Posto que hoje o Brasil é o que sempre foi um amontoado de pessoas iludidas sob alguns símbolos nacionais, que não conseguem unir o povo numa verdadeira NAÇÃO.

  20. Eu vejo uma diferença entre Bolsonaro e Mourão (aquele que classificou o 13° de jabuticaba, entre outras pérolas)…um é um ignorante incapaz de sequer fingir boa vontade para agregar apoio público. O outro, um ignorante, mas ardiloso o suficiente para saber dançar conforme a música.
    Nessa toada, o país vai descobrir que no subsolo do fundo do poço tem outro alçapão…

  21. quem elegeu o Mourão foram as propagandas fake , apagar lula só vai aumentar as comparações , não é nem trocar seis por meia dúzia. LULA é único. lacrou.

  22. Muito bom ouvir uma voz inteligente e lúcida dentro de tanta bobagem dita ultimamente. Orgulho de ver um conterrâneo com tal capacidade.
    Grata

  23. Há vida fora da prisão. ..O PT precisa reconhecer os mal feitos…Lula já o fez…É um recomeço. ..uma refundação…Fora isso continuarão no fundo do poço. …

  24. A troca do Bozo pelo mourão pode ser bastante simples como o Nassif demonstra.
    Bozo além de imbecil é canalha. Mourão também. Mas o “brilho” de bolsonabo é insuperável. É capaz de fazer qualquer um sentir vontade de se enterrar num buraco, de tanta vergonha. O entreguismo dele, é desmedido…um sem noção no sentido mais amplo do que significa.
    Os bolsominions são os piores midiotas. Midiotas que começaram a cozinhar seus cérebros pela televisão mas se deslumbram quando conheceram o Olavo “do carvalho” e aquele mar de fake news e esgoto de WhatsApp, spotinik, antagonistas e outros “troços”. Os bolsominions ficarão realmente restrito a uns 5% da população, se muito. Em seu tempo.
    Mil vezes melhor mourão que bozonazi.
    Ainda assim, Hamilton é um canalha e imbecil.
    Do mesmo modo que não se pode esperar nada de bom dos milicos.
    Muito chão até esse país voltar ao eixo..se é que volta.
    Mas antes de mais nada: fora Bolsonaro!

  25. Está difícil participar do blog .
    Infelizmente !
    Trava, não consigo logar. Já troquei de senha agumas vezes.
    Já não entro aqui há um bom tempo.
    Antes passava horas lendo as notícias e comentários.
    Sara que só comigo que está acontecendo tecendo isto

  26. A liberdade de Lula é ponto essencial se esse País quiser voltar a seguir um rumo minimamente “limpo” no jogo da política. Tem que passar a régua e recomeçar. Foram longe demais nos desmandos que ferem a Democracia. A besta fera, a que devia continuar ridiculamente representando os 18%, saiu às ruas, batendo à nossa porta e na nossa cara.

  27. Democracia absoluta
    Todo este caos na politica mundial é por que tem pouca participação popular. Precisamos de uma reforma politica.
    Legislativo
    A primeira mudança seria no legislativo em todos os níveis, onde os seus integrantes não seriam mais eleitos e sim sorteados entre os eleitores. Poderíamos começar com 50% do legislativo sendo nomeado desta maneira. A cada 2 anos haveria um novo sorteio para renovação do legislativo.
    Acredito que assim poderia aumentar o interesse do povo pela política.
    Por sorteio, este grupo de parlamentares seria bem heterogêneo, bem representativo da população brasileira.
    Com certeza, 50% destes parlamentares seriam de mulheres.

    Executivo
    Poderíamos eliminar as coligações partidárias. Cada partido apresentaria seu próprio candidato a Presidente, governador, prefeito e seus vices.
    50% do legislativo, o 50% não sorteado, seria eleito proporcionalmente aos votos dados aos candidatos do executivo.
    Para dar mais controle do executivo pelo povo, a cada dois anos haveria um plebiscito para confirmar ou não a permanência do mandatário no cargo. Caso o “não” vencesse seria feita uma nova eleição para aquele cargo.

  28. Nassif, parei de escrever quando o movimento de infiltração dos comentários se tornou que a insuportável fase dois desta suposta ( e inocente ) besta ( besta das ruas, como você classifica ) da manipulação , e que acabaria por falsificar, ao fim, a eleição de 2018.

    No entanto, nunca parei de ler. O comentário da ‘Anônima’ acima, escrito Anônimo, de 07.04, deveria estar emoldurado e publicado na ‘front page’ do GGN

  29. Bolsonaristas X Direita(mais)racional, e crescente do Gal. Mourão ?
    Não enxergo que esta partida que está sendo disputada entre estas duas frentes, a dos “cegos” que apesar dos desmandos e “peitadas” do Bolsonaro, contra os direitistas menos radicais que “apostam” na aparente coerência do Gal. Mourão. O que acho que está ocorrendo, é um plano de um grupo de militares, da ativa e da reserva, ora com um grande número de representantes, no staff da adm.federal, que estão alimentando este desgoverno, que só bate cabeças, até que a sociedade civil, exija que estes ministros e diretores da grandes estatais, expurguem este elemento, cuja biografia, é de pleno conhecimento das Fôrças Armadas, desde que ele foi expulso, por insubordinação à rotina militar, e por certa insanidade mental. Aí eles teriam duas alternativas;1) Voltar com tudo, ao regime idêntico ao da ditadura, aonde tudo seria comandado pelos militares, ou 2) o retôrno à plena democracia, com a convocação de novas eleições democráticas e sem a (má) influência das redes sociais(leia-se fake news) e a reconquista da confiança ainda ressentida, da sociedade civil. Eu particularmente, acredito que o Bolsonaro será defenestrado, antes de completar um ano de governo, mais temo que a 2@ alternativa, efetivamente ocorra.

  30. Gostei do texto.Muito coerente com os acontecimentos. As interferência também são verdadeiras. Porém o que mais me preocupa é o balanço rasteiro dos militares, que aos poucos foram se apropriando do que não é seu. Este Brasil falido aonde desperta muita cobiça. Por breve povo brasileiro, rodeia dos de leões nesta Arena.

  31. Estes convescotes de alunos brasileiros em Harvard não são organizados pela filha de um ministro do STF?
    Deve ter uma equipe de claques pois batem palmas pra qualquer um.
    Segundo um filósofo da antiguidade:
    „A administração é uma questão de habilidades, e não depende da técnica ou experiência. Mas é preciso antes de tudo saber o que se quer.“
    Esta turma que foi inacreditavelmente alçada ao poder está desbundada, não tem a mínima idéia do que precisa ser feito para recolocar no trilho o país, que se encontra desgovernado desde o golpe do impeachment.
    E batem palmas em Harvard? Sim, é claque, com certeza.

  32. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome