Brasil tem mais faculdades de Direito que todos os outros países

Enviado por João de Deus

Do Acerto de Contas

Brasil 1240 x 1100 Resto do Mundo

Um dos conselheiros do CNJ, Jefferson Kravchychyn, informou um dado que seria ridículo, caso não fosse uma tragédia anunciada para nosso país: o Brasil já tem mais faculdades de direito do que o resto do mundo somado.
 
Isto mesmo que você está lendo: não importa os 1,5 bilhão de chineses, muito menos os 1,0 bilhão de indianos, nem os americanos, japoneses, africanos, etc.. Não tem para ninguém, o Brasilzão tem 1240 cursos de direito e o resto do mundo somado tem 1100.
 
Estima-se que hoje sejam 4 milhões de formados em Direito, dos quais 800 mil conseguiram passar no Exame e estão regularizados na OAB. Mais ou menos 2% da população brasileira se formou em Direito.
 
Não é preciso ser um gênio para perceber que está tudo errado.

 
Para começar, este desequilíbrio foi causado em parte pelo setor público, que passou a impressão que a melhor coisa da vida é passar em um concurso da área jurídica. Na verdade até é uma das melhores coisas da vida, porque a relação matemática entre salário/quanitidade de trabalho beira o infinito, mas a falácia está em achar que tem espaço para todo mundo nessa boquinha.
 
O segundo fato a destacar é a facilidade de ganhar dinheiro em cima da insegurança jurídica do país. Isso resulta em enorme perda de produtividade em todos os setores. É uma tragédia econômica e social em um país onde só pobre vai preso, e disputas jurídicas se arrastam por decadas.
 
Para finalizar, é uma meia verdade que a culpa é das faculdades de direito. Essa é a ideia que o MEC tenta passar, mas existem muitas faculdades boas, porém que não são milagreiras. É impossível formar um bom advogado quando o aluno deveria estar no MOBRAL. Essa é uma verdade que poucos gostam de falar. As faculdades privadas são incentivadas pelo mercado e pelo Governo a abrirem novos cursos, e nada parece mudar isso.
 
E nesta pisadinha, será preciso criar um serviço jurídico de telemarketing e de motoadvogado para empregar os 4 milhões de advogados (ou bacharéis).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Justiça eleitoral condena Haddad por caixa dois; defesa irá recorrer

40 comentários

  1. O artigo fala uma inverdade,

    O artigo fala uma inverdade, que no serviço público judiciário o trabalho é pouco.

    Que os salários são bons, sem dúvida, e até abusivos, no caso de Juizes, Procuradores, Desembargadores.

    O artigo também falha ao colocar a culpa no número de escolas de Direito um problema que é do mercado de trabalho e da educação secundária.

    O número de faculdades de Direito é um sintoma, não causa de nada.

  2. Equilibrando o mercado

    O assunto é que esta turma deve encontrar espaço para trabalhar. São milhões de processos abarrotando as prateleiras de tribunais.

    O trabalho para um advogado surge quando há disputas entre pessoas naturais e/ou jurídicas. Quanto pior melhor deve ser o Brasil para os advogados.

    Ainda, a verdade vai pelo ralo, pois, o advogado normalmente é contratado para evitar ao Cliente o constrangimento de mentir perante o Juiz.

  3. Indústria de indenizações – quem produz paga

    Esses 4 milhões de “adevogados” poderão ganhar a vida nababescamente na Justiça do Trabalho, uma mãe para o vagabundo e para o mentiroso e um “Moro” para o pequeno empresário. Lá, poderão arrancar sem nenhum constrangimento tudo que o pequeno empresário conseguiu juntar em sua vida toda. Na Justiça do Trabalho, mentir despudoradamente não dá punição alguma, é tudo um joguete para legalizar a extorsão do empresário, claro, com custas judiciais devidamente pagas, o honorário do perito e do advogado de defesa garantidos e 30% do ganho na causa limpinhos para o “adevogado” de acusação, sendo que a este o único trabalho é pegar a sua petição padrão e preencher as lacunas com o nome do “querelante”, e o nome da vítima, ops, “querelado”.

    • Quem foi “depenado” sabe

      Eu já foi depenado por advogados, em causas trabalhistas. Dividas com Garçons, de 300 foram para 3.000 e daí seguiram aumentando….

      Uma vez acompanhei um amigo na Justiça do Trabalho,com problemas perante um funcionário. O Juiz perguntou a ele se estava com o seu advogado, O meu amigo falou: Sr. Juiz, eu pretendo falar aqui apenas a verdade, será que preciso de advogado? O Juiz ficou sem graça. Ainda bem que ganhou a causa.

      Ainda tinha na justiça do trabalho, anos atrás, os tais de “Juízes classistas” que mamavam uma boa teta, e nem precisavam ser advogados.

  4. Justiça estadual; justiça

    Justiça estadual; justiça federal; ministérios públicos estaduais; ministérios públicos da União; tribunais estaduais; tribunais federais; tribunais superiores; STF; justiça e tribunais do trabalho; justiça e tribunais militares; procuradorias municipais, estaduais e federais; OABs; escritórios de advocacias (grandes, médios e pequenos); advogados autônomos; assessores jurídicos; delegados de polícia (estaduais e federais) ………………………………………………………………………………………………………

  5. Quase fiz o curso de Direito,

    Quase fiz o curso de Direito, ainda bem que pulei do barco na última hora. Ufa!

     

    Mas, convenhamos, com os salários baixos e frequentes espancamentos da PM (vide Paraná do Beto Richa) quem anima virar Professor no Brasil varonil?

  6. Os EUA também tem um enorme

    Os EUA também tem um enorme número de advogados autorizados a atuar em processos forenses (attorneys). Em 2011,eram 1,225 milhões. Na verdade quase todos os lawers se tornam attorneys, pois as escolas são boas e os exames de credenciameno são estaduais, o que gera exames bem fáceis em alguns estados. A origem de tantos advogados é a cultura do litígio que se criou no país, duramente criticada por Akio Morita, fundador e ex-presidente da Sony. Para contrastar, Morita aponta que cada ano o governo japonês só licencia 300 graduados em direito para atuar como advogados. E a cultura japonesa incentiva os acordos amigáveis. 

     Certa vez, quando trabalhava na AT&T, fui conversar com um engenheiro de patentes da empresa sobre o patenteamento de um transistor óptico que eu havia inventado. Comecei a explicar a ele como operava o transistor em linguagem para leigos, e ele me interrompeu pedindo que usasse a linguagem técnica da área. Em coisa de quinze minutos ele mostrava ter entendido tudo. Apontou-me que infelizmente o transistor não era patenteável porque o avanço essencial era a descoberta de um novo fenômeno optoeletrônico, e fenômenos e leis naturais não são patenteáveis. No final, lhe perguntei como um advogado pode entender tanto de ciência e tecnologia. Doutorei-me em engenharie elétrica pelo MIT e fiz um ano de disciplinas em direito de propriedade intelectual em Harvard, ele disse. Assim é que se forma um engenheiro de patentes, completou.

    Bem, no Brail temos 4 milhões de graduados em direito, mas nenhum é capaz de formular decentemente um pedido de patente. Não precisamos de engenheiros de patentes.

  7. Prezados Camaradas
    reportagem

    Prezados Camaradas

    reportagem da Carta Capital (edição n°873, págs 30 a 34) informa que “a justiça no Brasil Consome 1.2% do PIB ao ano ( R$ 68.4 bilhões), com despesas com pessoal consumino 89.4% da receita total, com 434932 funcionários em todas as suas esferas e divisões, com salário médio de R$ 10.800,00 mensais”

    Vamos fazer contas para o Brasil:

    * População: 203 milhões de habitantes

    * Advogados: 800.000 (1 advogado a cada 253 habitantes)

    * Juizes: 16927 (1 juiz a cada 11.992 habitantes)

    * Funcionários do judiciário: 434.932 (1 funcionário a cada 466 habitantes)

    E falta o MP em seus três níveis, que a reportagem não incluiu

    Agora dá para entender o peso que isto significa para o Brasil, sem falar na linguagem solene, pedante e vazia com que muitos dos juízes e advogados falam e escrevem; você começa a entender porque existem cartórios, processos sem fim; e logo vão exigir advogado até para atestar cópia autenticada

    Enquanto isso, faltam professores, engenheiros e médicos

     

    • ????

      Faltam professores, engenheiros e médicos? Juízes e advogados usam linguagem solene, pedante e vazia?

      No primeiro caso a afirmação é simplista e vazia: faltam em que lugar? Que eu saiba, o desemprego é geral e atingiu, também, as profissões citadas. Os médicos são razoavelmente remunerados e não querem ir para cidades pequenas e pobres onde os salários atrasam e não existe estrutura mínima para o exercício da profissão.

      A linguagem solene é inerente à atividade jurídica e é uma ferramenta importante dos operadores do direito mas, em tempos de internet e de pouca preocupação com a acuidade e eficácia do que se fala e escreve, acham que é pedantismo.

      É mais fácil criticar do que admitir a própria ignorância.   

  8. Prezados Camaradas
    reportagem

    Prezados Camaradas

    reportagem da Carta Capital (edição n°873, págs 30 a 34) informa que “a justiça no Brasil Consome 1.2% do PIB ao ano ( R$ 68.4 bilhões), com despesas com pessoal consumino 89.4% da receita total, com 434932 funcionários em todas as suas esferas e divisões, com salário médio de R$ 10.800,00 mensais”

    Vamos fazer contas para o Brasil:

    * População: 203 milhões de habitantes

    * Advogados: 800.000 (1 advogado a cada 253 habitantes)

    * Juizes: 16927 (1 juiz a cada 11.992 habitantes)

    * Funcionários do judiciário: 434.932 (1 funcionário a cada 466 habitantes)

    E falta o MP em seus três níveis, que a reportagem não incluiu

    Agora dá para entender o peso que isto significa para o Brasil, sem falar na linguagem solene, pedante e vazia com que muitos dos juízes e advogados falam e escrevem; você começa a entender porque existem cartórios, processos sem fim; e logo vão exigir advogado até para atestar cópia autenticada

    Enquanto isso, faltam professores, engenheiros e médicos

     

  9. …e daí vão reformar a
    …e daí vão reformar a Código de Processo Civil. Na comissão? Apenas advogados.

    Levanta a mão quem acha que vão prezar pela rapidez do processo?

    • /cPC

      O Código de Processo Civil já foi sancionado (Lei 13.105 de 16 de março de 2015. Quem o elaborou foi l Legislativo por nós, eleitores, eleitos.

    • Judiciário lento.

      É aí que você se engana meu caro. Nenhum Advogado é a favor da demora do processo. O que acontece é que, dependendo de que lado o Advogado está, a demora do processo faz o cliente esquecê-lo. Porém , quando a decisão acontece, o cliente reclama. O processo não demora por causa do Advogado. O CPC de 1973, inspirado em Liebman, um judeu italiano que fugiu do nazismo e veio para o Brasil , formava o mecanismo mais perfeito e democrático acerca do assunto. Não há nenhum recurso que não exista em grandes democracias. Uma coisa que estou vendo aqui e que quero esclarecer: Juiz não é e nem gosta de Advogado, posto que , inerte por Lei e pela natureza, é forçado a se mexer quando movimentado. Quando se mexe, ama um acordo. Acha que a demanda é sempre bobagem de quem não tem o que fazer e o Advogado, como agente imprescindível ao processo e quem materializa a demanda, não entende a pouca vontade que ele tem de trabalhar. O processo no Brasil é longo porque o Juiz não trabalha, mas também há outros motivos: A malandragem do brasileiro em não querer pagar o que deve e muitas vezes, usando a justificativa de que o outro o quer roubar. Tem gente que de tanto repetir , acaba achando que tem razão no caso, mesmo quando é mais do que claro o seu erro. Tem gente que até começa a repetir a história que o Advogado inventa para o próprio Advogado. As execuções , muitas vezes não são frutíferas. Poucos bens são exequiveis e quase ninguém tem os bens suficentes. Outros vão desviando ao longo do tempo e nunca mais aparecem, Agora vão diminuir alguns recursos. Verdade que pouca coisa de relevante para a celeridade do feito. Inventaram o processo virtual. Hoje o Advogado é responsável pela apresentação da peça processual, ordem dos documentos , juntada no processo e acompanhamento. Viramos servidores públicos sem nunca termos sido. Portanto, os que criticam o sistema burocratico do país , saibam que o Advogado é só o postulante em nome do clente, do particular e não é responsável por imposição de preços ( somente os honorários) , prazos e recursos cabíveis. O que não se deve esquecer é que o Advogado representa alguém e é só os interesses desta figura que move o trabalho do Advogado. Fazemos em Juízo , ou em uma postulação, aquilo que possa agradar o cliente. Em síntese: Quer não quer pagar a parte contrária é o cliente e nós só evitamos que isto aconteça. Quem não quer ficar na cadeia é o cliente e nós só tentamos fazer que isto aconteça. Simples.  

  10.  
    PQP…imagine a trabalheira

     

    PQP…imagine a trabalheira infernal dos vaqueiros da OAB para vacinar, organizar, e distribuir esse gado todo. Sendo necessário, primeiro, passar pelo exame de ordem. Posteriormente, separar em lotes de rebanhos menores para a destinação final. Antes porém, são escolhidas as reses de melhor porte. algumas para reprodução, outras para exposições, concursos e etc. Ao cabo, preenchidos os requisitos sanitários próprios, resta enormes rebanhos destinados ao abate e exportação.

    Descrevo aqui de maneira resumida para não enfastiar vossas senhorias. Caso desejem apreciar com mais detalhes esta absurda urdidura da engresilha cartorial nacional. A burocracia sob a qual todos brasileiros estão condenados a sucumbir. Abaixo reproduzo, sem autorização, providência que assumo agora.

    O comentário do colega Pedro Rinck*, que retrata a teia na qual tentam nos enredar. Depois, vejam só. Esses mesmos gajos, pretendem acabar com a corrupção….tão de brincadeira com a gente. Né não? Vejam o gilmar mendes, o moro, e, não olvidando jamais do joaquim barbosa, aquele heroi que nos trocou por Miami. Logo imitado por dona Cata Pretta, a especialista em capturar delatores para serem premiados por do Dr. Moro..

    A engresilha é tamanha, que o Pedro deixou de fora, a justiça desportiva, e os famosos tribunais de contas. Arre Égua! Ah! Mas esses não são advogados. E dai? A mutreta é da mesma procedência…ou não?

    Orlando

     

    Justiça estadual; justiça     Pedro Rinck *

    Justiça estadual; justiça federal; ministérios públicos estaduais; ministérios públicos da União; tribunais estaduais; tribunais federais; tribunais superiores; STF; justiça e tribunais do trabalho; justiça e tribunais militares; procuradorias municipais, estaduais e federais; OABs; escritórios de advocacias (grandes, médios e pequenos); advogados autônomos; assessores jurídicos; delegados de polícia (estaduais e federais)

     

  11. Somente o Direito?

     

    Para se formar em direito as faculdades precisam somente de saliva e giz.

    Como anda o ensino nas faculdades de engenharia?

    Quantas faculdades de medicina não têm um único cadáver?

    Quantas especialidades existem na medicina?

    O problema está no ensino brasileiro.

    • sobrinhonetto,

      talvez a explicação para este “fenômeno” seja bem simples: é o custo de laboratórios, além da saliva e do giz. 

      “Laboratório” para acadêmicos de direito está em toda parte, e às vezes com um atendimento ruim para o cidadão comum: delegacia, promotoria, tribunal …

      Agora, laboratório para uma faculdade de engenharia já custa um bocado e é muito mais raro do que “laboratório” para Direito.

      Algo semelhante vale para a medicina – o “laboratório” muitas vezes pode ser o ambulatório da prefeitura, ou um hospital bem simplesinho, mas mais raro de encontrar.

      E para montar uma faculdade é necessário ter professores e qualificados; curiosamente juízes podem acumular suas funções com a de professores. Daí, não é muito complicado convencer um juiz a ministrar umas aulas numa faculdade qualquer. 

      Em outras palavras, é bem mais fácil montar uma faculdade de direito do que uma de medicina ou de engenharia, onde giz e saliva fazem uma parte menor.

       

  12. Com salários de 70, 80 mil?

    Com salários de 70, 80 mil? TODO mundo quer!!! E viva o judiciário do Brasilsilsilsilsil!!

  13. É o câncer do bacharelismo,

    É o câncer do bacharelismo, outros estudos mostram como o Judiciário brasileiro possui uma participação ridiculamente mais alta no PIB se comparado a outros países.

    São recursos escassoz sendo empregados em uma classe improdutiva, que não produz um grão de arroz.

  14. Nassif;
    Além de tudo o que

    Nassif;

    Além de tudo o que mais revolta é que com todo esse imenso exército de operadores da justiça o “poder” judiciário no Brasil sempre foi e continua sendo o mais CORRUPTO, HIPÓCRITA (pois em pleno século 21 ainda usam saias para impor respeito) PERDULÁRIO, PARCIAL e ESTUPIDAMENTE LERDO de todos os poderes.

    A fonte de todos os males do Brasil ter um poder judiciário INEFICAZ

    O povo brasileiro paga muito caro para ser injustiçado.

    Até quando????

    Brasil o país dos bachareis em direito.

    Genaro

     

  15. E tem mais um detalhes.
    É o

    E tem mais um detalhes.

    É o curso superior preferido, da galera gente fina, que está enclausurada nos presídios espalhado pelo país.

    Será por que ?

    Outra coisa, não querendo desmerecer a profissão, até porque, o meu filho é advogado.

    Mas, advogado tem em tudo que é lugar, do pião da obra ao CEO de uma grande empresa.

  16. status quo

    … eis o misterio .

    ta bom demais como está.  nenhum tem interesse em melhorar o processo para o povo , seja criminal, civel, etc, etc ..

    uma reforma simplificadora  cairia bem .  mas vai desempregar muita gente.

  17. O papel do Advogado e o preconceito contra os profissionais

    Sinto um certo ranço contra os Advogados. Em alguns comentários, um repúdio ao profissional do Direito por este vencer ações ou cobrar honorários pelo seu trabalho. Ivan da Silva Brasílico, fala em Indústria de indenizações, pelo que senti se referindo a Justiça do Trabalho; Alexis, certamente dono de um restaurante, claramente se refere ao mesmo ramo de direito, dizendo-se depenado por Advogados e se vangloria de conhecer uma história de um amigo que se apresentou sem Advogado na Justiça do Trabalho e disse que só falaria a verdade e que por isto não precisava de Advogado. Isto por certo ocorreu antes de 1988, porque naquele tempo , era possível embrenhar-se pela Justiça do Trabalho sem a presença do Advogado , depois disso não. A ausência de representação processual leva a revelia e, normalmente á perda da ação.Outro confunde alhos com bugalhos: Advogado que atua em Juízo , a não ser que seja um defensor público ou procurador de uma pessoa política, não é funcionário público como um Juiz, Promotor ou Advogado de um órgão público. Logo não recebe salários nababescos e tampouco vive em escritórios bonitos. Enfim, o Advogado postula. Se ele leva a juízo coisas que você acha que não fez, cabe a você mostrar que não fez. Na Justiça do trabalho, por força de Lei e da Jurisprudência aplicável ( que não foi formulada por Advogados e sim por Juízes de tribunais superiores ou legisladores) o trabalhador é considerado hipossuficiente em relação ao patrão, pouco interessando o tamanho da empresa. O efeito disto é a inversão do ônus da prova.  Eu Advogo para empresas pequenas e também já vi o que vocês julgam injustiça e exploração. A mesma coisa ouvi do meu cliente , mas o processo é um jogo, não necessariamente da busca da verdade. É um jogo onde quem conta a verdade ou a melhor mentira ( o que geralmente acontece) ganha. Tirar o Advogado do contexto da Justiça , além de afrontar a Lei, tira a sua oportunidade de vencer a demanda. Na verdade o que se precisa é escolher bem o profissional que vai representá-lo. Sobre o assunto do post , que não vilaniza o Advogado , mas tão somente indica a existência de um número extremamente exagerado de cursos de Direito pelo país , eu entendo que: Amanhã teremos as eleições para as diversas subsecções e secções da Ordem dos Advogados do Brasil. Esta entidade, dormiu em berço explêndido ao longo dos anos e viu crescer o número de faculdades de direito sem o menor critério de ensino. Ressalte-se que, a má qualidade de ensino e da formação de profissionais não é uma exclusividade dos cursos de direito. Hoje temos médicos horríveis, engenheiros horríveis dentistas horríveis e que mostram a decadência do ensino de um modo geral. A OAB não é uma entidade de profissionais. Ela é uma autarquia , que é uma pessoa jurídica de direito público, necessariamente criada por Lei, com autonomia financeira e administrativa. A autonomia financeira é garantida por pagamentos de anuidades ( R$ 773,10 em SP) por Advogados e Estagiários inscritos na Secção. Quer motivo melhor para se ter um grande número de Advogados e estagiários? Portanto o número de faculdades é relativamente proporcional ao interesse das escolas privadas e da própria OAB.  

  18. Enquanto no eua, europa e

    Enquanto no eua, europa e asia as carreiras mais valorizadas são engenheiro, medico e cientitas, aqui só tem espaço e grana para advogados, profissionais que não acrescentam um ponto percentual ao PIB do país. É uma inversão total ao que é feito no primeiro mundo. O resultado é essa miséria que se pertutua e parece não tem solução.

    Enquanto no país juiz e procuradores ganharem mais do que empresários, não vai ter solução. 

    Não tem melhor salário do mundo do que ser juiz no Brasil. Nenhum lugar do mundo se paga tão despudoradamente bem como aqui. Isso é uma vergonha. Não que eles não mereçam ganhar bem, mas não se pode admitir, num país com as condições do Brasil, que um juiz ganhe 40, 50 e até 90.000 reais por mês. Isso é inadimissível. É por isso que as faculdades se multiplicam visando esses salários monstruosos para uma sociedade como a nossa. A justiça é última razão para tanto interesse pelo direito.

  19. Nassif, esta postagem deveria

    Nassif, esta postagem deveria ficar em observação.

    O tal blog “Acerto de Contas” faz referência ao link:

    http://leisenegocios.ig.com.br/index.php/2010/10/06/brasil-e-o-3°-colocado-em-numero-de-advogados-no-mundo/

    É uma postagem de 06/10/2010 e o  link já indica um conteúdo diferente.

    A informação da postagem aqui no blog não existe lá.

    Lá está escrito:

    Brasil é o 3º colocado em número de advogados no mundo

    Com mais de 713 mil inscritos na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) federal, o País está em terceiro lugar no ranking das nações que mais formam advogados no mundo. Os dados foram atualizados até 27 de julho de 2010.

    O primeiro lugar é dos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de advogados, seguido pela Índia, que está quase atingindo a marca obtida em terras norte-americanas.

    “É possível que a gente ultrapasse esses países em alguns anos”, acredita Marcelo Muriel, sócio do Mattos Muriel Kestener Advogados, que também integra o grupo latino-americano de arbitragem da Câmara de Comércio internacional. Muriel foi um dos palestrantes da Fenalaw, em São Paulo.

    • Será que falta simetria aos

      Será que falta simetria aos dados apresentados no texto?

      Tenho a impressão de que a fórmula de comparação foi somar advogados e bacharéis no Brasil e comparar com advogados

      formados e com a carteira da ordem da classe nos outros países, sem levar em conta os bacharéis que não podem exercer a profissão.

  20. ” O nó górdio da vexata quaestio” é mais embaixo!

    Pronto, resolveram achar mais um “judas” para as mazelas deste “patropi” – um não: alguns milhares!

    Com 4 milhões de graduados, quase 2% da população brasileira, e ainda se tem “insegurança jurídica no país”! Quer dizer que o “adevogado” veio para “complicar” –  atravancando o desenvolvimento da “pátria amada, salve, salve”!

    Luís Nassif, acho que tu não contemplaste este post em seu “Os Cabeças de Planilha”!

    Na próxima edição, “revista e ampliada”, taí uma boa dica!

  21. O imperador Pedro o Grande. . .

    O imperador Pedro o Grande da Rússia governou esse país de 1682 a 1725. Visando a modernização de seu país empreendeu uma viagem à Europa por 18 meses, escolhendo a Inglaterra como ponto de apoio e onde morou por muitos meses. Ao se despedir lhe perguntaram, o que mais tinha gostado da Inglaterra, ele respondeu: – “Gostei de tudo, principalmente do povo, mas só estranhei uma coisa ” –  O que foi?”,   – “O grande número de advogados existentes na Inglaterra”, –  ” E na Rússia então não tem muitos advogados? – “Não, só tem dois, e eu estou pensando seriamente em enforcar um deles, logo que voltar para lá”.

  22. É um pais onde a propriedade

    É um pais onde a propriedade foi mantida restrita a uma quantidade ínfima de pessoas, ao invés de ser democratizada, e os meios de produção baseiam-se em mão de obra barata e recursos abundantes. 

    Uma sociedade portanto que não preza pela produtividade nem pela eficiência. Não precisa de muito cientista, engenheiro, químico, estatístico. Por exemplo: pesquisa operacional para racionalização de produção e gestão de riscos que ocupa 20% da city londrina aqui quase não é conhecida.

    Como se resolvem os conflitos nos outros lugares? Rapidamente porque a vida é breve e tempo é dinheiro, todo mundo tem onde cair morto, se a proposta não te agrada parte para outra.

    E no Brasil vale a pena enrolar. Vale a pena para o advogado, para o judiciário e vale a pena para o poderoso, aquele que já é dono de tudo.

  23. Cartórios uma praga lusitana

    A colonização lusitana deixou a praga dos cartórios para retardar o crescimento do Brasil e atingir a todos e especialmente os mais pobres. Um trabalhador que ganha dois salários minimos que está comprando sua moradia por R$100.000,00 vai pagar mais de R$3.000,00 de cartórios e ficar horas nas filas e no final sendo mail atendido por funcionários mal-educados e arrogantes. 

  24. E a China, então?

    O argentino Andrés Oppenheimer, em seu livro Basta de Histórias, comentou sobre o grande número de argentinos graduados em História e Filosofia, contra uma quantidade relativamente menor de engenheiros e técnicos de informática, e comparou com a China, onde a esmagadora maioria dos estudantes procura os cursos de engenharia e raros se interessam por história e filosofia, sendo que a China tem tanto uma história quanto um legado em filosofia incomparavelmente maior que o da Argentina…

    Tanto o caso argentino quanto o brasileiro têm a mesma causa: o empreguinho público como ideal de sucesso profissional. Enquanto isso a China vai nos deixando para trás…

  25. É como eu sempre digo: pobre

    É como eu sempre digo: pobre do país que produz mais advogados do que engenheiros…. É sintoma de algo está muito, mas muito errado.

  26. E quem paga a conta

           O salário mínimo do país é de menos de R$ 800,00, o salário médio do professor é de menos de R$ 2.000,00; no país médicos ganham menos de R$ 8,000,00, há poucos médicos e professores, há poucos recursos em suma. Então, qual a razão da criação de mais 460, quatrocentas e sessenta, varas federais em dez anos. Isto mesmo,  as cerca de cem varas federais passaram  a mais de 550, quinhentos e cinquenta varas federais. Os gastos do governo federal com a justiça QUADUPLICARAM em dez anos. Qual a justificativa ?houve alguma melhora? O povo foi perguntado se era a favorável de aumento de gastos? 

  27. Comparado com a Alemanha, o

    Comparado com a Alemanha, o curso de Direito no Brasil é uma verdadeira piada. Sei muito bem disto, pois minha filha concluiu com nota máxima a primieira parte do curso na Universidade de Colônia e agora está fazendo seu doutorado, com excelentes perspectivas. Mas ainda assim, não terá concluído sua formação. Depois disto, tem de fazer dois anos de estágios obrigatórios em diversas áreas (por ex., uma repartição pública, uma empresa de seguros, um escritório de advocacia etc. etc.). Só então poderá prestar o exame final que é dificílimo. Ai, sim, estará apta a tornar-se advogada com todas as possibilidades profissionais da área. Depois de terminar a primeira parte da formação e antes do doutoramento, ela já pode trabalhar como advogada, mas apenas como uma espécie de assistente de advocacia. A conclusão dessa primeira parte dos estudos é feita com uma prova oficial (chamada de “Primeiro Exame Estatal”) que é muito mais difícil que o famigerado exame da OAB. No mínimo um terço dos candidatos é reprovado e o exame não pode ser repetido. Para chegar a este primeiro exame, são necessários cerca de cinco anos de estudo. Para a formação completa como jurista (primeiro exame, doutorado, estágios e segundo exame), pode-se contar com um prazo de dez anos. Junto com o curso de Medicina, a formação em Direito é considerada a mais difícil na Alemanha.

  28. Alto custo, muitos advogados e poucos juizes?

    Tribunal

    Casos pendentes

    Número de Juizes

    Numero de casos por Juiz

    São Paulo

    25.515.955

    2.501

    10.202

    Rio de Janeiro

    11.125.888

    805

    13.821

    Minas Gerais

    5.750.612

    1.068

    5.384

    Rio Grande do Sul

    4.436.773

    773

    5.739

    Paraná

    4.224.133

    809

    5.221

     

  29. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome