Erika Hilton denuncia pastor por incitar ódio contra comunidade LGBTQIA+

André Valadão já havia sido denunciado por outro caso de ataques à comunidade LGBTQIA+

Deputada Erika Hilton é fotografada enquanto fala na Câmara dos Deputados
Deputada Érika Hilton (PSOL). Foto: Câmara dos Deputados/Agência Câmara

A deputada Érika Hilton (PSOL) pediu a prisão do pastor André Valadão por incitar os evangélicos a matar LGBTs. A deputada protocolou denúncia ao Ministério Público de Minas Gerais.

O caso aconteceu na cidade de Orlando, na Flórida, durante um culto. No vídeo, o pastor aparece destilando ódio contra a comunidade LGBTQIA+. 

“Agora é a hora de tomar as cordas, de volta e dizer: pode parar, reseta. Mas Deus fala que não pode mais.”

“Ele [Deus] diz: ‘Já meti esse arco-íris aí. Se eu pudesse, matava tudo e começava de novo. Mas prometi que não posso, agora tá com vocês’”, disse o pastor.

A fala do pastor soou como uma incitação para que evangélicos matassem pessoas da comunidade LGBT.

A denúncia da deputada Hilton foi anexada a outro procedimento de investigação aberto pelo MPMG contra o pastor, também por ataques a homossexuais

Em suas redes sociais, Hilton se pronunciou: “não aceitaremos mais incitação a crimes de ódio disfarçados de religiosidade”, escreveu em sua conta do Instagram.

“Deus não odeia o orgulho [LGBT]. Deus não quer nossa morte.”

Érika Hilton, deputada pelo PSOL

A deputada federal e presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, também cobrou uma punição para Valadão. 

“Pastor bolsonarista André Valadão tem que ser punido por incitar o ódio e ataques contra a comunidade LGBTQIA+. Não dá pra normalizar esse absurdo”, disse Gleisi Hoffmann.

Isadora Costa

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador