Ex-ministro do STF prova que Palocci mente em sua delação

Eros Grau mostrou com documentos que Palocci mudou depoimento dado 8 anos atrás para seguir o script da Lava Jato

Jornal GGN – Para conquistar um acordo de delação premiada e sair da cadeia, o ex-ministro Antonio Palocci mudou um depoimento dado ao próprio Ministério Público há 8 anos. Um contrato de consultoria para a fusão do Pão de Açúcar agora virou uma maneira fraudulenta de receber dinheiro do advogado Marcio Thomaz Bastos para acabar com a Operação Castelo de Areia.

Segundo informações da colunista da Folha Mônica Bergamo, essa contradição foi exposta pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Eros Grau, que enviou detalhes de sua reclamação à Justiça de São Paulo. Ele acusa Palocci de mentir na delação premiada.

Para sair da prisão imposta pela Lava Jato, Palocci disse à Polícia Federal que recebeu R$ 1,5 milhão de Thomaz Bastos em 2010 para que “ajudasse a enterrar a Operação Castelo de Areia, que investigava a empreiteira Camargo Corrêa por supostos crimes financeiros e de lavagem de dinheiro.”

Thomaz Bastos era advogado da empreiteira. Como prova para atacá-lo, Palocci mostrou o contrato que assinou com o escritório de advocacia em dezembro de 2009.

Só que esse mesmo contrato foi usado em 2011 para Palocci se defender de outra investigação. Na época, ele teve de explicar ao MP que recebeu o dinheiro de Thomaz Bastos porque prestou consultoria sobre a fusão do Grupo Pão de Açúcar com as Casas Bahia.

Agora, Eros Grau anexa aos autos documentos que provam pagamentos do Pão de Açúcar a Thomaz Bastos, que cuidou do processo de fusão. E os valores que foram repassados a Palocci pela consultoria prestada.

Ou seja, seguindo o caminho do dinheiro, a Lava Jato teria descoberto se Palocci fala ou não a verdade em sua delação.

Leia também:  Para OMS, mundo precisa se preparar para uma pandemia do coronavírus

“Em 2011, o próprio Grupo Pão de Açúcar apresentou ao Ministério Público Federal uma declaração oficial afirmando que o escritório de Thomaz Bastos de fato prestava serviços para viabilizar a fusão com as Casas Bahia e que ele havia contratado a consultoria de Palocci para ajudar no negócio”, acrescentou Bergamo.

Hoje a família de Thomaz Bastos pede que a Justiça analise os documentos apresentados por Eros Grau e suspensa a quebra de sigilo fiscal do advogado que faleceu em 2014.

Já Palocci alega que mentiu em 2011 ao MP, e que está falando a verdade agora. E que o dinheiro que recebeu de Thomaz Bastos por causa da consultoria do Pão de Açúcar viria de outro montante, de R$ 4 milhões, que sua defesa não detalhou à Folha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Pulhoci. Era assim que de forma sintética e bem humorada PHA falava dessa personagem. Precisa desenhar?

  2. Se houvesse um prêmio para o grau de Excelência em Jornalismo brasileiro, este premio deveria caber a Luís Nassif. É incrível o sem número de informações preciosas que seus artigos fornecem ao leitor brasileiro que valoriza e defende a SOBERANIA NACIONAL. ESTE, sobre as delacoes mentirosa de Palocci, é bom exemplo.

    Parabéns sinceros e calorosos, prezado Nassif.

    Ceci Juruá

  3. Nos governos federais (incluir aí estaduais, municipais, judiciário, legislativo, etc) é pacote aqui, pacote ali, pacote… mas afinal pacote é embrulho, que tasmbém é embrulhada e daí para virar rolo é um sopro. E quando alguém vira alvo de rolo, está literalmente enrolado mesmo!!! Aí se cria o campo fértil para jornalistas investigativos como Gaspari, Nassif, Mônica Bérgamo, etc, etc. Feliz da vítima quando um destes jornalista entra em campo (da vítima inocente, claro!) e expõe os fatos na mídia.
    Eu particularmente adoro esta classe, eles é que tornam importante as mídias. Boa sorte a todos!

  4. Palocci foi o Ministro da Fazenda escolhido por Lula. Mas em 2006, Lula teve que o demitir por causa do escândalo envolvendo lobistas da “República de Ribeirão Preto”. A gota d’água foi o depoimento do caseiro Francenildo, que teve seu extrato bancário quebrado ilegalmente por Matoso e Palocci.
    Mas engana-se quem pensa que Palocci foi afastado do PT. No ano seguinte foi eleito Deputado Federal e chegou a ser indicado como candidato a Presidente. Lula escolheu Dilma.
    Dilma eleita, Palocci foi nomeado Ministro-Chefe da Casa Civil. Seis meses depois, Dilma o demitiu por denúncias de improbidade administrativa.
    Na Lava Jato, assumiu propina de R$ 100 Milhões e foi condenado a 12 anos. Hoje, para reduzir a pena e manter alguns milhões em sua conta corrente, faz delações contra Lula e Dilma.
    Para pensar: (1) por que esse sujeito foi mantido na alta cúpula do PT, depois de tantas ocorrências criminosas ? (2) As delações que faz hoje não são coerentes com seu passado corrupto ?

    • São coerentes que ele é corrupto. Desde a Prefeitura de Ribeirão Preto! Agora de ele ser corrupto, todo um partido ser corrupto? Por denuncias sem nenhuma prova? Menos!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome