Gilmar suspende julgamento da liberdade de Lula após 2 votos contra

Foto: Agência Brasil
 
Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes suspendeu o julgamento do habeas corpus (HC) do ex-presidente Lula, que estava em discussão na segunda turma da Corte, nesta terça (4). O pedido de vistas ocorreu após dois ministros, Cármen Lúcia e Edson Fachin, votarem contra a liberdade do petista.
 
Relator do HC, Fachin entendeu que o recurso de Lula serve para discutir a suspeição do juiz Sergio Moro. O pedido de liberdade foi apresentado após o ex-juiz da Lava Jato aceitar ser ministro da Justiça do governo Bolsonaro. Para a defesa, Moro provou, mais uma vez, que foi parcial e tinha interesse político na condenação e prisão de Lula. Fachin, por outro lado, não enxergou provas suficientes para esta tese.
 
“Não deixo de anotar que houve procedimetnos heterodoxos, mesmo que para finalidade legítima, exigindo contudo mais que indícios ou narrativas para causas aptas a viciar a prestação jurisdicional”, afirmou o ministro, segundo relatos do portal Jota.
 
A ministra Cármen Lúcia acompanhou Fachin em seu voto, e disse que o fato de Moro ter aceitado ser ministro não pode pconsiderado por si só parcialidade. “Segundo a magistrada é preciso prova documental suficiente para que se tenha conclusão no sentido de parcialidade e ruptura da neutralidade”, anotou o site. 
 
Antes de começar a votação, a defesa de Lula havia apresentado um pedido para adiar o julgamento. Isto porque os advogados protocolaram um novo pedido de habeas corpus na noite de segunda (3). Fachin se disse “pego de surpresa”, mas insistiu em levar o julgamento adiante. A demanda foi colocada em votação. Gilmar e o ministro Ricardo Lewandowski votaram para deixar o debate para depois do dia 11, quando o Conselho Nacional de Justiça deve julgar reclamações contra Moro. Sairam vencidos.
 
Segundo o Jota, Gilmar não deu sinais de quando deverá devolver o habeas corpus de Lula para julgamento. O Supremo já negou outros seis pedidos de liberdade ao ex-presidente. 
 
Nos bastidores, ventila-se que “a situação do ex-presidente Lula pode ser revisada em outras situações”. Uma delas será quando o recurso contra a sentença do caso triplex chegar à Corte. No Superior Tribunal de Justiça, um recurso já foi rejeitado pelo ministro relator Félix Fischer, que chocou, segundo relatos da Folha de S. Paulo, os colegas de tribunal. Eles esperavam que a apelação contra a condenação de Lula fosse discutida em plenário.
 
Esta semana, o jornal ainda divulgou que família e amigos de Lula têm pressionado por um pedido de prisão domiciliar.

14 comentários

  1. Em apoio ao advogado
    Em apoio ao advogado Cristiano Caiado de Acioli, eu quero dizer a toda corte do STF. que também condidero o Supremo uma vergonha, e que tenho vergonha de ser brasileiro quando a vejo.

  2. Em apoio ao advogado
    Em apoio ao advogado Cristiano Caiado de Acioli, eu quero dizer a toda corte do STF. que também condidero o Supremo uma vergonha, e que tenho vergonha de ser brasileiro quando a vejo.

  3. Tecla Zap do grupo do trampo no STF (ou seria trampa?)

    ‘ “Não deixo de anotar que houve procedimetnos heterodoxos, mesmo que para finalidade legítima, exigindo contudo mais que indícios ou narrativas para causas aptas a viciar a prestação jurisdicional”, afirmou o ministro, segundo relatos do portal Jota.’ 

    Tradução desjuramentada ou juradesmentida: “não deixo de anotar porque no futuro os ventos podem mudar e preciso deixar registrado que minha biruta continua girando a favor de quem tem o poder; a finalidade legítima é impedir que Lula fosse eleito ou interfira no Golpe, o coloque em xeque por defender o país e o povo, porque temos todos as togas presas em lugares que a CIA vai revelar quando já estivermos mortos e esquecidos, e nossos descendentes não sofrerão nada porque o Brasil, todos sabem, tem memória curta, hahahaha, na melhor das hipóteses amnésia ou síndrome de Estocolmo, quem sabe até nos agradeçam pelo papel crucial, literalmente, que reconhecerão nosso na recolonização pelos yankees depois destes perderem seu império do norte – nossos descendentes falarão inglês como neonativos em meio aos cativos falantes desta língua sinuosa tão cara ao juridiquês – fecha digressão da tradutora que invadiu área proibida dos sonhos do traduzido. Indícios só servem para condenar inimigos por atos indeterminados; narrativas válidas só as apresentadas em  powerpoint e o resto é juridiquês para fingir que se trata de ato jurídico legítimo – uma medrosa é uma medrosa é uma bad rosa é uma sad rosa numa mad prosa, entre medrosos ministros espinhosos e impassíveis de ressurreição – a tradutora enlouqueceu e finge psicografar o que são seus próprios pensamentos, rs.” 

    Sinceridade sem censura só no whatsapp, senhora/es ministra/os? E se a gente conseguir interceptar alguns whats e apresentar num ppt? Será que o sr. Tacla Durán poderá nos socorrer? Ou Snowden? Assange que poderia está estrategicamente preso sob ameaças de ir para a Guantanamo original ou sua réplica tropical em Curitibay. Ou seja, “tá dominado, tá tudo dominado, e com aumento de 16%!”. 

    Na verdade, só serão aceitos documentos chancelados pelo Departamento de Justiça (sic) ou Estado (sic) dos USA. Por que não falam em português claro?! 

     

    Sampa/SP, 04/12/2018 – 19:35 – alterado às 19:41 (em luto).  

  4. Gilmar suspende julgamento da liberdade de Lula
    Gilmar suspende porque sabe como utilizar os rituais que permitem subverter ao que lhes interessa.
    É um deboche. Nos fazem de otários, a todos nós brasileiros.
    “A justiça dos atuais justiceiros têm como parâmetro rezar sobre o que lhes convém e invalidar seus juramentos de servidores a cumprir a Constituição. Tornaram-se proprietários de um latifúndio chamado Brasil e, como tal, de seus escravos subalternos.
    Um país a deriva, sob comando de guardiões de privilégios, assim caminha com um povo, em sua maioria, despolitizado no mais alto grau de ingenuidade e falta de perspicácia analítica sobre os bastidores da corrupção em nome da Justiça.

  5. As respostas do Lula

    Há uma história triste de se contar pelo que representou,  mais que não deixa de ser comparável ao caso Lula. Conta-se que foi dado há um prisioneiro de guerra  americano  no Vietnam uma alternativa para ser libertado desde que respondesse a treis perguntas simples sobre a segunda guerra mundial. A primeira delas, era: qual país detonou a primeira bomba atômica? O americano mais do que depressa acertou a pergunta dizendo que fora os Estados Unidos da América. O vietcong então fez a segunda: qual o país atingido pela bomba e quantas pessoas morreram na explosão? O americano não titubeou, respondeu a acertando mais uma vez: o país foi o Japão e morrereram aproximadamente 200.000 pessoas. O vietcong fez então a terceira e definitiva pergunta para libertar o soldado: você precisa me dizer agora o nome e o endereço dos 200.000 mortos.É mais ou menos esse critério que Fachin usa com o Lula. 

  6. Cadê Zé Cardozo?

    O ex-Ministro da Justiça, o traidor, o ele diz sobre a condenação de Lula? Se perguntado, ele dirá que o SFT fará justiça e libertará Lula.

    Cabe ao PT e aos movimentos sociais lutarem  pela libertação do ex-Presidente  antes que ele morra na prisão.

  7. Vamos parar de ser ingenuos…

    … e obvio ululante que a confirmacao da condenacao de Lula pelo STF seria a cereja do bolo no processo.  E o STF pode reverter isso a qualquer momento, desmoralizando o Moro.  Here’s the deal: “Voce deixa a gente quietinho aqui… nao manda a PF contra a gente ou nossos amigos plumados e o Lula continua onde esta.  Se voce fizer gracinha, nos liberamos o cara e ele sai pelo mundo dizendo quem vc e, dr. Moro.  Igualzinho o Tacla Duran, so que com muito mais barulho fora do Brasil”. Lula e a moeda de troca do STF contra Moro.

  8. Parcialidade

    O texto afirma: ” A ministra Cármen Lúcia acompanhou Fachin em seu voto, e disse que o fato de Moro ter aceitado ser ministro não pode ser considerado por si só parcialidade. “Segundo a magistrada é preciso prova documental suficiente para que se tenha conclusão no sentido de parcialidade e ruptura da neutralidade.”” Tradução, provas contra quem detém o poder só com documentos  de valor comprovado. Se é verdade, “esquece” a ministra  (de propósito?) que, contra Lula, inexiste no processo do triplex qualquer prova documental, circunstância confessada pelo “juiz” ao se referir a ato de ofício indeterminado. E, além disso, abundam provas documentais de que o triplex era da OAS. Em resumo, ela também está sendo parcial.

    • Essa corja maldita absolve e

      Essa corja maldita absolve e condena quem quer! Esse  detalhe chamado “prova documental” só é usado quando é para safar a si mesmos ou aos seus “bandidos de estimação”!

  9. Só o povo
    Eles não se cansam de dar provas da parcialidade do judiciário, nas maiores das caras de pau da hermenêutica tupinambá.

    Só o povo seria capaz de libertar o Lula, se um dia o povo acordasse.

    Vive la France!

  10. Eu acho que parte do Judiciário está comprometida

    Tudo indica que uma boa parte do Judiciário está comprometida com o golpe e com a parcialidade processual contra o PT e em favor dos Tucanos e similares. Em forma corporativa, o judiciário (e seguem a reboque o MPF e a PF) protela, atrasa, arquiva e aplica todo tipo de artimanhas para não prender tucanos e similares, amigos de clube, companheiros de sauna e vizinhos em Miami, com medo de eventual delação premiada destes, que poderiam comprometer juízes e promotores. Já contra o PT ou réus simples, distantes socialmente e do convívio diário, é muito improvável que tenha havido promiscuidade, de modo que o judiciário deixa esses réus delatarem à vontade, desde que apenas contra Lula e o próprio PT.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome