Janot diz à Folha que acredita que vários executivos usarão a delação premiada

Jornal GGN – Rodrigo Janot, o procurador-geral da República, deu entrevista à Folha. O ponto central foi a Operação Lava Jato, sua visão do que deve acontecer com a detenção de tantos executivos de empreiteiras e os próximos passos previstos na lei. Fez também um balanço de seu trabalho no Ministério Público, rebatendo críticas de que em sua gestão teria recomendado o arquivamento de muitos inquéritos. Leia a entrevista a seguir.

da Folha

Escândo na Petrobras

Prisões vão levar executivos a abrir o jogo, diz procurador

Rodrigo Janot espera novas delações, agora de empresários presos na sexta

Ele rechaçou críticas de que recomendou o arquivamento de muitos inquéritos no Supremo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, espera que a prisão de executivos e presidentes de grandes empreiteiras do país na operação Lava Jato faça com que muitos dos detidos busquem o instituto da delação premiada para tentar reduzir o tamanho de suas penas.

“Isso é um rastilho de pólvora. Quando um começa a falar, o outro diz: Vai sobrar só para mim?’. E aí eles começam a falar mesmo.”

Questionado sobre a possibilidade de haver uma quadrilha operando no desvio de recursos da Petrobras, Janot afirma que “em princípio sim, tudo indica que sim, mas está cedo para falar ainda”.

À Folha, o procurador fez ainda um balanço de sua gestão no comando do Ministério Público e rechaçou críticas de que recomendou o arquivamento de muitos inquéritos no Supremo Tribunal Federal desde que assumiu o cargo, em setembro de 2013.

NOVAS DELAÇÕES

Isso é um rastilho de pólvora. Quando um começa a falar, o outro diz: Vai sobrar só para mim?’, e aí eles começam a falar mesmo. Todos vão negociar. Se um abrir a boca, abre todo mundo. Um me perguntou: E se eu não tiver ninguém para entregar?’ Eu disse: Sempre tem, você pode se entregar, se entregue, autodelação’. Eu só não aceito perdão judicial [no acordo de delação]. Se for um crime que tenha já semiaberto, sempre que for possível eu vou botar o aberto. Vá cumprir pena em casa, sem problema nenhum.

EMPREITEIROS

Em principio é fraude em licitação, lavagem de dinheiro, crime contra o mercado e corrupção ativa.

Elas [empreiteiras] diziam que eram alvo de concussão [exigência de dinheiro por parte de funcionários da Petrobras]: Eu sou obrigado a dar, senão eu não consigo participar desse negócio e eu morro à míngua’. Se puder me explicar como a fraude à licitação decorre de concussão, eu concordaria com a tese. Como a concussão te obriga a fazer um cartel, fraudar uma licitação e ganhar um dinheirão? Está sendo extorquido para ganhar dinheiro? Para ter que botar US$ 100 milhões no bolso? Vamos combinar, não é. A delação quebrou com essa ponte.

PRESÍDIOS

A gente ainda vai pegar esse dinheiro. Hoje são cerca de R$ 700 milhões bloqueados [dos empreiteiros]. Se as empreiteiras vierem [fazer delação], nas cláusulas do acordo, vamos colocar a exigência para a construção de presídios. Nós vamos ter que fazer licitação para construir? Não. Eles vão me dar é in natura’.

POLÍTICOS

São muitos fatos e muitas pessoas. Há também muita gente que não tem foro, mas tem relação com o fato. O que estamos investigando? Pagamento de propina com dinheiro desviado da Petrobras. As empreiteiras faziam o retalho das licitações. Teu lote é aquele, teu lote é aquele outro. Eu pego meu lucro, engordo ele, os outros engordam mais. Essa diferença entre meu lucro e o que engordei vai irrigar o sistema. Desse dinheiro, pelo que entendi do [ex-diretor da estatal] Paulo Roberto Costa, você tem dinheiro destinado a caixa dois de campanha.

INTERFERÊNCIA

Estava visível que queriam interferir no processo eleitoral. O advogado do Alberto Youssef operava para o PSDB do Paraná, foi indicado pelo [governador] Beto Richa para a coisa de saneamento [Conselho de administração da Sanepar], tinha vinculação com partido. O advogado começou a vazar coisa seletivamente. Eu alertei que isso deveria parar, porque a cláusula contratual diz que nem o Youssef nem o advogado podem falar. Se isso seguisse, eu não teria compromisso de homologar a delação.

LEGADO DA LAVA JATO

O sistema republicano e a Justiça começam a mudar de paradigma. A Justiça de três, quatro anos para cá, não é mais uma justiça dos três Ps, de puta, de preto, de pobre. Ela está indo em cima de agente político e de corruptor. Acho que [essas novas operações e prisões] serão o grande propulsor da reforma política. E esse sistema é corruptor mesmo, se continuar esse sistema não vai mudar nada, pois vamos derrubar essas pessoas e outros virão ocupar esses espaços. O efeito que estou apostando é a reforma política.

ARQUIVAMENTO

Eu arquivei 65 inquéritos, desses, cinco envolvem o senador Cícero Lucena (PSDB-PB). Em dias separados pegou uma motoca, botou caixa de som e começou a fazer propaganda eleitoral. Instauram-se cinco inquéritos, crime eleitoral, ambiental e de trânsito. Outros cinco da Kátia Abreu (PMDB-TO). Uso de armas da República em papel da CNA (Confederação Nacional da Agricultura). Há caso de deputado que cometeu crime quando era prefeito, mas foi verificar e ele não era prefeito no período. Arquivei um do senador Fernando Collor (PTB-AL). Alguém num avião ouviu que o Collor havia mandado matar o PC Farias e abriram inquérito de homicídio. Você precisa ter um mínimo de elementos para abrir inquérito. No STF se perguntavam como esses casos poderiam estar lá, ocupando a pauta do Supremo. O que eu fiz? Tirei o que tinha de lixo. E mais vai sair. Dizem que eu arquivei só do PT. São 20 do PMDB, 8 do PSDB e 3 do PT.

INQUÉRITOS ABERTOS

Eu requisitei a instauração de 29 inquéritos. Coisas que têm fundamentos. Também apresentei 11 denúncias contra parlamentares. Isso sem contar o trabalho na Lava Jato, na operação Ararath [que apura crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro em Mato Grosso]. A atuação está visível.

Colaborou AGUIRRE TALENTO, de Brasília

 

15 comentários

  1. Ao menos esse procurador é

    Ao menos esse procurador é chapa branca e companheiro.

    Tomara que ele alivie para o companheiro Duque.

    • O aparato midiático-penal tende a aliviar para os tucanos

      Tomara que ele alivie para o companheiros Franchiscini,  Álvaro Dias….

      Autor da CPI da Petrobras recebeu dinheiro de empresa investigada pela Policia Federal
      O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) responsável em protocolar no Senado a instalação da CPI da Petrobras, também está na lista de pagamentos de empresa investigada na Operação lava jato

       

       

    • Meu caro, engana-se na definição.

      Quem usa a lei tanto para punir os do partido do governo como os de oposição não é chapa branca nem companheiro, é Procurador da República, e pelo que eu saiba a República não pertence a partidos.

  2. O pig tá reclamando de que mesmo

    Dizem que eu arquivei só do PT. São 20 do PMDB, 8 do PSDB e 3 do PT.

    E não nos esqueçamos de que foi o pig que exigiu a derrubada da PEC-37 que previa punição servera para engavetadores como o Rodrigo de Grandis, que engavetou o trensalão tucano, disso o pig não reclama. É muita bandidagem prá meu gosto. Bandidos disfarçados de jornalistas.

  3. MPF e investigação
    Não gostei de um PGR falar que delação pode trazer mais elementos para o processo. Fazer apuração, descobrir é a função precípua do MP. Falar em possível delação e que essa possível delação pode trazer novos elementos é no mínimo …

    Kakay o advogado dos poderosos publicou um artigo na Folha que acho interessante a leitura.
    http://noticias.uol.com.br/opiniao/coluna/2014/09/13/delacao-premiada-da-a-palavra-do-criminoso-confesso-a-forca-da-verdade.htm

    • Os riscos da delação premiada

      Há vários artigos sobre os riscos da delação ‘premiada’ e põe prêmio nisso, para alguns bandidos delatar virou profissão…eles roubam, delatam e são absolvidos…o Youssef por exemplo já foi delator várias vezes, como por exemplo no processo do Banestado, quando quase 30 bilhões de reais foram roubados dos cofres públicos  no governo FHC e ficou por isso mesmo…no “mensalão” tivemos um delator da Veja, me esqueço o nome dele..ah sim…Lúcio Bolonha Funaro …por ocasião do “mensalão” o GGN publicou vários artigos sobre os riscos da delação premiada.,,com uma breve pesquisa achei este, o relato de um policial que se diz estarrecido diante da fábrica da delação “premiada” 

      http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/o-toma-la-da-ca-da-delacao-premiada-e-da-denuncia-anonima

    • Ivan, citar uma ODE a HONRA DE CRIMINOSOS!

      Caro Ivan, não estamos falando de delação de companheiros políticos vítimas de ditadura, também não estamos falando de processos feitos durante regimes de excessão sob tortura. A nossa Presidenta Dilma deixou bem claro isto no tempo em que ela era ainda ministro e respondeu a aquele escroto de senador do DEM.

      O que estamos falando é de criminosos que se apropriaram de imensos recursos do herário público (mais de 50% das ações da Petrobrás são do Estado Brasileiro), logo a 

      ODE A HONRA DE CRIMINOSOS feito pelo advogado dos criminosos é algo verdadeiramente nojenta, e não achei nada interessante a leitura do ADVOGADO DE PORTA DE CADEIA DE RICOS, que está acima nominado.

      Uma delação, premiada ou não, era algo que qualquer pessoa correta deveria fazer quando se der conta do crime cometido, principalmente pessoas que tem o EXATO CONHECIMENTO do que estão fazendo.

      Ninguém é obrigado a dar propinas a agentes públicos para conseguir favores e agindo como um a quadrilha de malfeitores se organizar para otimizar seus lucros. Grandes empresas internacionais já tem em seus princípios a interdição de práticas desleais de concorrência. Não estou dizendo que a lógica capitalista seja uma lógica moral, mas o que digo é que dentro da legalidade imoral da lógica capitalista, quem foge desta deve ser vítima da traição de seus comparsas, e quem mais rápido entregar tudo será o beneficiado.

      Podemos até achar meio distorcida esta forma de fazer justiça, mas com ela se recupera pelo menos grande parte do que foi subtraído e o mais importante, leva os acordos de criminosos para lesar o bem público para ambientes restritos, escondidos e vergonhosos.

      Não entendo porque colocar ênfase num discurso de um advogado que se vê seus constituídos traídos na entrega feitas pelos comparsas de crime.

      Criminoso é criminoso e a polícia e o ministério público deve utilizar todas as armas possíveis para pega-los, pois pelo que eu saiba atos de corrupção não são registrados em cartório.

       

  4. Será que a delação combinada(sic premiada) vai pegar amigos

    Como já comentou muito bem o Ivan Bispo, o correto seria o MPF sair a campo investigando ao invés de se pautar na palavra de bandidos interessados em lascar o PT para tirar o corpo fora…

    Será que a delação combinada(sic premiada) vai pegar amigos do peito como Franschicini…

    Francischini escondeu um dos suspeitos da Lava Jato

    Considerado um dos canais de vazamento da Operação Lava Jato da Polícia Federal — que investiga a atuação do doleiro Alberto Youssef —, o ex-delegado e deputado federal Fernando  Francischini, do partido Solidariedade (ex-PSDB), deixou de divulgar um dos nomes que surgiram nos grampos da polícia: ele próprio.
    Seu nome foi diretamente envolvido nas negociações entre Yousseff e o deputado Luiz Argolo, também do Solidariedade.
    Lá pelas tantas, Argolo diz a Yousseff que está fechando um acordo “que acho que vai dar certo”. “Francischini fica na liderança fazendo o papel combinado com a gente e eu farei como primeiro vice-líder o encaminhamento em prol do governo e do Palácio. Já falou comigo.”
    Luiz ArgoloA conversa se refere a um suposto acordo entre Argolo e a empreiteira OAS, representada pelo diretor Mateus Coutinho. Por ele, Argolo prestaria apoio ao Palácio e deixaria Francischini trabalhando na ponta contrária, de interesse da OAS.
    Yousseff gostou do combinado:
    — Ótimo, esse é o jogo. Depois colocamos Francisquini no bolso. Um de cada vez!
    E elogia a esperteza de Argolo:
    — Você é fodinha!
    Depois, Argolo pergunta a Yousseff se deve aceitar a Comissão de Orçamento ou a vice-liderança do partido. Yousseff recomenda a vice-liderança, porque assim vai estar com o governo e terá mais controle sobre Francischini.
    Provavelmente a estratégia de Francisquini, ao comandar o vazamento seletivo do inquérito Lava Jatos, foi ganhar imunidade dos jornais. De fato, vazaram até conversas entre o deputado André Vargas e Yousseff usando o nome do ex-Ministro da Saúde Alexandre Padilha em acordos totalmente improváveis.
    Mas o acerto de Yousseff e Argolo, bastante provável – dado o fato de Francischini integrar o Partido de Argolo – permaneceu blindado.
    No GGN http://www.contextolivre.com.br/2014/06/francischini-escondeu-um-dos-suspeitos.html

     

  5. Fica claro que a procuradoria quer investigar o passado.

    Não sei porque o desânimo de alguns demonstrado em outros textos, para mim ficou claro que os processos do passado que foram engavetados por falta de provas voltarão a pauta, e o PGR entendeu que empreiteiro preso canta que nem passarinho.

    Se estivissemos nos Estados Unidos, na Itália ou em outros países em que os grupos que formam cartéis em construção civil tem origem da “lavagem de dinheiro” de atividades mafiosas, teríamos ossos duros de roer. Porém os carteis brasileiros vem do meio empresarial corrente que sobrevivem em torno do Estado através de benesses mais fortes do que meros subsídios e favorecimentos legais.

    Estes senhores não tiveram antepassados com histórico de hospedagens no meio prisional, não se enchergam num presídio qualquer convivendo com os profissionais do crime de baixa renda, a imagem de uma cadeia afinam as suas cordas vocais e se bem interrogados contam tudo, não há na sua base “Uomini d’onore”, a estrutura fundamental para existência de grupos mafiosos. Logo, eles se sentem sós, apoiados por advogados (que enorme apoio!), logo cantarão e se ouver um bom maestro cantarão em coro.

    Senhores, a corrupção baseada em empresas liberais é frágil e facilmente desmontada, pois a base de tudo é simplesmente o apoio do governo, e se este não existe!

  6. o que me impressionou mais é


    o que me impressionou mais é que janot sabe do golpe da

    república das araucárias (conluio tucano-cbn-mpf-pf?)

    e não tomou nenhuma medida até agora.

    a ver…

  7.  
    E o senador Aluysio

     

    E o senador Aluysio Espumoso Nunes 300 mil? Quando será isolado pra não morder seus pares? 

     

    Orlando

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome