Joaquim e Gilmar e o ensino didático da chicana

Nos últimos anos, os Ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa se tornaram o espelho do Judiciário. Graças ao seu fascínio por factoides e por holofotes, à capacidade de atender às demandas ds grupos de mídia, Gilmar mais, Barbosa menos, tornaram-se a vitrine de um poder, em geral, discreto e impessoal. São os magistrados que mais aparecem, que mais se expõem, que mais tem o amparo da mídia. Por consequência, tornaram-se a cara do Judiciário.

As prerrogativas da magistratura são um dos pilares do funcionamento do Judiciário. E a independência de que dispõe o Juiz, uma garantia para o funcionamento da democracia.

Esse poder superior, no entanto, é utilizado de maneira abusiva por juízes inferiores. E quando personalidades mesquinhas, pequenas ganham poder, os maus exemplos espraiam-se sobre a imagem de todo o Judiciário.

Uma das piores práticas é a chicana, o uso de expedientes visando postergar decisões – contra ou a favor de réus. Quem é do meio conhece. A opinião pública – que acredita no Judiciário como o último espaço de defesa dos direitos – está sendo apresentada agora.

Tome-se o caso de José Dirceu. Foi condenado pelo STF. A condenação liquidou com sua carreira política, abortou sua atividade partidária, humilhou-o, derrubou-o, jogou-o ao chão. Perto dos 70 anos, é um inimigo caído no campo de batalha. Mas não basta.

A sentença que liquidou com sua carreira política preservou-lhe pequenos direitos: o de cumprir a pena em regima semiaberto, trabalhando. Barbosa tem impedido esse direito pequeno meramente como demonstração de poder e vingança, um sujeito menor, atrabiliário, com uma postura indecente valendo-se exclusivamente de um poder pontual, o de presidente do STF. Para tanto, instrumentalizou-se com um lugar-tenente pequeno, esse juiz Bruno Ribeiro, da Vara de Execuções, inventando argumentos para não conceder o direito. Passarão os tempoa, e a imagem atual de Bruno o acompanhará por toda sua carreira, como exemplo do desrespeito à imagem de um poder que cabia a ele – como juiz – defender e preservar.

Leia também:  Defesa de Paes usa tese de Flávio Bolsonaro para pedir foro especial

Com suas arbitrariedades, Barbosa conseguiu o impensável: vitimizou o outrora poderoso José Dirceu; e comprovou que todo o lero-lero dos grupos de mídia contra a ditadura e a favor do estado democrático de direito não vale para os adversários.

Já Gilmar Mendes pede vistas em um julgamento já decidido pela maioria do STF: 6 dos 11 votos a favor do fim do financiamento privado de campanha eleitoral. Seu voto em nada mudará o resultado final. Mas, pedindo vistas, impedirá que a decisão seja aplicada nas próximas eleições.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

89 comentários

  1. CHICANEIROS !!!!!

    Esses sim, os verdadeiros CHICANEIROS, que não desejam que o julgamento do mensalão termine nunca e o financiamento de campanha continue como sempre foi. CHICANEIROS da pior espécie, pois contra brasileiros e contra o país. Mas espero que um dia a coisa mude, já que não se vive sem esperança! Espero tb que o CHICANEIRO Gilmar compre um apartamento em Miami e se vá do Brasil, junto c/ o CHICANEIRO MOR.

  2. Dois chicaneiros. Barbosa e Mendes

    Os dois ministros do Supremo que encenaran a história do chefe dos capangas de Diamantino são dois chicaneiros que não merecem ser ministros do STF.

  3. Nao podia ser pior

    Eu achava, na epoca da Satiagraha, que nao podia ter pior que Gilmar Dantas segundo Noblat. Mas no STF nada mais me surpreende.

    Deviamos re-instituir a Monarquia e nomear O Supremo Presitente, REI. E voltar com a guilhotina, para os Inimigos do regime.

  4. O Nassif gostaria de

    O Nassif gostaria de continuar…mas seu compromisso com o bom jornalismo o impede. 

    Continuemos nós: São dois verdugos, Gilmar e Barbosa, indignos de exerceram as funções que exercem na República e com apoio integral de uma mídia lasciva e antirepublicana, habitada por jornalistas igualmente indignos da profissão que exercem que comandam um exército de seguidores cegos em seu ódio a tudo o que podemos chamar de civilização.

     

  5. O Nassif gostaria de

    O Nassif gostaria de continuar…mas seu compromisso com o bom jornalismo o impede. 

    Continuemos nós: São dois verdugos, Gilmar e Barbosa, indignos de exerceram as funções que exercem na República e com apoio integral de uma mídia lasciva e antirepublicana, habitada por jornalistas igualmente indignos da profissão que exercem que comandam um exército de seguidores cegos em seu ódio a tudo o que podemos chamar de civilização.

     

    • “São dois verdugos, Gilmar e

      “São dois verdugos, Gilmar e Barbosa, indignos de exerceram as funções que exercem”:

      Muito pelo contrario, eles SAO a cara do judicario brasileiro, do juiz brasileiro:  canalhas que documentadamente mentem e agem fora da lei porque tudo lhes eh permitido legalmente.

  6. “Barbosa tem impedido esse

    “Barbosa tem impedido esse direito pequeno meramente como demonstração de poder e vingança, um sujeito menor, atrabiliário, com uma postura indecente valendo-se exclusivamente de um poder pontual, o de presidente do STF”:

    Tapando o sol com a peneira de novo, nao vai adiantar, Nassif:  cade o resto do puteiro?

    Eles sao a cara do judiciario porque SAO MESMO a cara real do judiciario.

  7. Direto ao ponto Nassif, com

    Direto ao ponto Nassif, com sua categoria, a justa indignação, a independência e coragem de um Jornalista de verdade.

    Interessante também é observar que mesmo em outras épocas quando o PT é que atacava (diga-se de passagem que quando era radical na oposição o PT realmente acreditava nas suas convicções, não combatia ferozmente -talvez com alguns exageros e em alguns momentos com alguma insensatez – os casos de corrupção e a desigualdade social por desonestidade ou oportunismo), enfim, mesmo nesta época o Nassif sempre teve as mesmas posturas de defesa da cidadania, da sobriedade, e do estado democrático de direito. Ressalte-se, portanto também, Nassif, a sua coerência.

  8. A culpa maior é dos politicos

    A culpa maior é dos politicos que tambem nada fazem, por que até agora não criaram uma lei que regulasse o prazo para os ministros quando pedem vistas? por que muitas vezes interessa que sentem num processo indefinadamente, como o que dá direito aos funcionarios publicos terem a sua data base.

  9. O Judiciário no Brasil

    O Judiciário no Brasil acabou.

    Depois da cena que toda a Nação acompanhou pela TV Justiça, quando dos embargos infringentes, no julgamento do recurso ao crime de formação de quadrilha, quando Joaquim Barbosa afirmou em alto e bom que sim, ele exarcebara a dosimetria da pena apenas para evitar a prescrição do crime e não sofreu, por parte dos demais ministros e do MPF, nenhum tipo de retaliação legal, os Ministros do STF desmoralizaram definitivamente o Judiciário brasileiro. 

    Após a confissão do crime  por parte de JB, fez-se um silêncio sepucral entre os Ministros e, depois, ficou tudo por isto mesmo.

    Essas chicanas relatadas pelo Nassif são café pequeno diante do que vimos naquela sessão do STF.

    E, o mais espantoso, é que o fato foi escondido pela mídia velhaca de toda a opinião pública.

    • Isto não foi pior do que

      Isto não foi pior do que MENTIR AO VIVO E A CORES quando negou por três vezes que o inquérito 2474 não tinha nada que pudesse beneficiar os réus da AP 470, respondendo a uma pergunta do ministro Celso de Mello e repetida três vezes por este.

      O 2474 é aquele inquérito que só este farsante MENTIROSO conhecia e o manteve sob segredo até que oe réus da 470 fossem condenados, porque desmontava toda a farsa criada por ele e os procuradores safados que foram agraciados com ótimos empregos e enormes salários nas bancas privadas após deixarem os cargos.

      Estes empregos foram pagamento pelos serviços prestados e os salários provavelmente não são pagos pelo empregador de fato, mas pelo empregador oculto.

      • Concordo, mas esse fato é

        Concordo, mas esse fato é mais difícil de provar do que o outro.

        Quanto ao julgamento dos embargos infringentes, o capitão-do-mato confessou o crime em tempo real para toda a Nação ouvir e ficou tudo por isto mesmo.

        A pusilanimidade dos membros do poder judiciário do país é imensa.

  10. Joaquim e Gilmar e o ensino didático da chicana.

    Ao ver esses dois chicaneiros sorrindo um para o outro e se dando muito bem, percebi tardiamente que aquelas “rusgas” durante os julgamentos não passou de puro teatro.

  11. e o Lula, não entra em campo ?

    O único com estatura para chacoalhar esta estrutura é o Lula. O desgaste da ação seria imensurável, mais provavel é que se espere até novembro quando o ditador deixa a presidencia do STF.

     

  12. O problema é que além de tudo

    O problema é que além de tudo são arrogantes e prepotentes. Estão acabando com a imagem do STF que sempre foi uma instituição discreta; ninguém, sequer, sabia o número ou o nome dos ministros. Tivessem o mínimo de dignidade e sumiriam do STF para que os que são, de fato, magistrados, pudessem tentar salvar o que ainda resta da Corte. GM conseguiu a façanha de ser interpelado judicialmente por uma parcela da sociedade e o patético JB, perdeu a coragem para encarar as urnas e, com isso, retirou a chance do Ministro Lewandowski, salvar a imagem da Corte, como, aliás, fez durante o tempo em que Dom Joaquim estava de férias, licença, ou sei lá eu… O ódio cego que move esses dois doentes, colocou o STF contra parcela significativa da sociedade; a situação já ultrapassou José Dirceu , faz tempo. JB, foi pra cima de um Governador… Perdeu a noção de tudo; assumiu, de vez, que é o representante dos donos dos grupos de mídia no Brasil; não é o pateta do JB que coloca Senado, Câmara, STF, MPF e parte do Exceutivo de joelhos, são os grupos que ele representa e contra os quais nunca se pode nada por aqui; os mesmos que nos atiraram no inferno que durou 21 anos; deixou que respirássemos um pouco e vão nos jogar nele, outra vez.. Os ministros que se envolveram nessa imundície, especialmente, Ayres Britto, GM, JB e Fux, não teriam qq pudor em agir como Ustra, Malhães e Fleury, como muito bem lembrou o IV Avatar. O fato é que num colegiado de 11 membros, temos apenas 3 magistrados; o resto, togado ou fardado, é a mesma coisa. Uns no comando; outros só na base da ordem unida. Inacreditável.

  13. Me lembro que no julgamento

    Me lembro que no julgamento da AP470, JB criticou Lewandowski por este ter citado noticias de jornais e que este deveria se ater aos autos somente. Agora vemos JB dar importancia a fofocas de jornais para fazer chicana com o Ze Dirceu. Alguem tem esse video?

  14. Muito triste

    Dois chicaneiros profissionais arrogantes e nove obedientes omissos. Que triste retrato deixarão para as futuras gerações,  essa passagem nebulosa pela corte suprema, onde são tomadas decisões que afrontam direitos constitucionais, onde não é permitido a punição de bandidos camuflados pela mídia e onde as questões pessoais estão acima da justiça. Muito triste.

  15. É inacreditável que temos na

    É inacreditável que temos na Corte Suprema do país figuras como o Joaquim, Gilmar e Fux. Francamente, o que o Joaquim faz com o Dirceu é inominável.

  16. Não gosto de covardes safados

    Barbosa e GM estão se valem de artifícios para não cumprir aquilo que foi determinado pelo Plenário da Corte. O ministro carcereiro bateu recorde em termos de abuso de poder, uso arbitrário das próprias razões e tudo mais o que vc possa imaginar de pequeneza numa pessoa, Barbosa é expressão da covardia através do aparato estatal, o que o coloca no mesmo patamar de torturadores como Fleury, Malhães e Brilhante Ustra, esses  garotos de recado desta ditadura midiático-penal, o Senado é a  única Instituição autorizada a puxar o cabresto destas bestas quadradas mas fazer isso é comprar uma briga com uma imprensa que sabe que a AP 470, é desde o seu início, sua obra, um erro brutal q ela(imprensa) não permite que seja desmascarado perante a opinião publica(da) e ninguém vai querer comprar briga com os barões da mídia ainda mais em época de eleição…

  17. Caro Nassif e demais
    Dificil

    Caro Nassif e demais

    Dificil quem não criticou Lula pela escolha desse personagem, eu inclusive, hoje vejo com um olhar diferente.

    Será que a escolha de JB pelo Lula, não foi com a intenção de demonstrar a podridão do STF, e JB caiu que nem um patinho, nessa história toda?!

    Quanto a incomunicabilidade de ZD, para mim também é intencional, ele é tido como mentor do PT, uma vez ele refém, sem chance de falar, de dar a dica, de dar seus pitacos no PT, o PT ficaria a deriva, e perderia a eleição.   

    Saudações

     

    • Nem Juiz ele consegue ser

      A intenção tem sim sua estratégia eleitoral, a mídia fez mutirão para que o julgamento da AP 470 coincidisse com as eleições, a intenção era evitar a vitória de Haddad, não conseguiram mas conseguiram a vitória de “éticos” como ACM Neto. A AP 470 continuará sendo usada com propósitos eleitoreiros além da vingança de classe contra Zé Dirceu, a Globo não perdoa o ex-ministro por ter pulverizado a verba destinada a publicidade do governo, o próprio JB ouviu de Dirceu que chegaria um dia em que as indicações se dariam por competência e não mais por indiciações políticas e Barbosa é uma pessoa ressentida e um ressentido jamais consegue ser grato e cortez, pelo contrário, nutre ódio mortal contra quem um dia a ajudou, não foi por outro motivo que uma banca de psiquiatras reprovou Barbosa num concurso para ingresso no Itamarati, o ministro-carcereiro como sendo portador de um perfil inadequado para o exercício da diplomacia, imagina só o Rei Joaquim Diplomata! O país estaria em apuros a todo momento por causa de suas peripécias para agradar a mídia e o senhorio: Por causa dos holofotes, nem Juiz ele consegue ser!

  18. Pelo que está fazendo com

    Pelo que está fazendo com Dirceu o ministro Barbosa mostrou ao Brasil como deve agir um ser desprezível. Exemplo vivo para que futuras escolhas para o STF nunca mais sejam pelo mesmo critério. Que tenha sido o último.

  19. Brilhante Ustra no STF

    Lamentável que nestes 50 anos de golpe que desencadeou a ditadura militar e  cessou a continuidade de um país promissor, o ministro-carcereiro JB use o poder do Estado e uma rede de forças tipo VEP, MP-DF, mídia etc, para vingar-se de um opositor político contral sente um ódio mortal. Como bem apontou IV Avatar, JB está sim, no mesmo patamar de fascínoras como Brilhante Ustra, Fleury e Malhães. Sabemos que estas criticas que aqui fazemos enfurecem ainda mais o ministro carcereiro, o que o torna ainda mais tirano e malvado, pois continue com suas malvadezas sr. Ministro, não vamos parar de apontar o que és: Entrarás para a história como um torturador safado, isso é fato.

    • Poço de ódio contra Dirceu

      Eu quis dizer da vinganga que Barbosa pratica contra Dirceu, se bem que o serviço é também para a Casa Grande ávida de sangue na senzala: Para vingar-se de um opositor político, Barbosa nutre contra este um ódio mortal. 

  20. Alguem tem o Barbosometro? um

    Alguem tem o Barbosometro? um contador regressivo da saída do Barbosa da presidencia? . . . . .

  21. O chefe de capangas?

    Salvo melhor informação, parece que já ouvi o Joaquim Barbosa dizer ao Gilmar Mendes que ele, Joaquim Barbosa, não era um de seus capangas de Goiás. Isto dito com todas as letras no plenario do STF dá a medida certa em que se transformou aquela corte. Qualquer um que tenha advogado,  por tempo minimo que seja, sabe que o Judiciário é tão corrupto quanto o Executivo e o Legislativo. Mas a corrupção  do Judiciario é a mais nefasta e perniciosa de todas..

  22. Barbosa nos traz lembranças horríveis da Ditadura de Militar.

    Pior que um Judiciário Indiferente é um Judiciário Opressor !(pra Barbosa).

    Pior que um Judiciário indiferente é um Judiciário Parcial !(Essa é Pro Gilmar)

    Tem ser humano que após uma luta árdua vencendo barreiras quaze intransponíveis

    atinge o Topo mas alia-se aos vencedores , mantem cativo os vencidos e fica tranquilo numa zona de conforto.

    Até que chega um dia em que seus pares o considem um estranho no ninho, mesmo com toda demonstração de fidelidade a elite e aí quando encontra-se em vulnerabilidade novamente, se desespera e clama aos seus antigos aliados , mas ,

    Ajudar um traidor éo mesmo que agasalhar uma serpente venenosa por debaixo do suvaco. 

     

  23. Fazendo a cabeça da juventude

    O pior é que os dois estão fazendo escola. O Gilmar (que aparece na foto com cara de caixão de defunto) e o Barbosa estão conquistando discípulos muito mais jovens. Que vergonha, não é Boris Casoy?

    • Sim, há essa desinformação

      Como disse o Papa Francisco recentemente, a imprensa comete o grande pecado da desinformação, isso é certo, por outro lado não podemos ficar em silêncio, até mesmo pq não há barulho de Folhas, Globos, Vejas e Estadões que impedirão que o mentirão seja desmascarado

  24. A impressão que tenho

    Nassif!

    Ao ler seu/meu/nosso desabafo fica em mim o sabor de uma impressão inversa, a de que somos cães latindo enquanto eles, a caravana, passam. Não estão nem aí.

    • Vejo de outro modo

      Sim, eles não estão nem ai prá nossos gritos e questionamentos mas que seja assim, que quanto mais a vítima grite, que o torturado torture, isso é deles,  na falta de rédeas, o torturador se torna perverso e depravado, uma hora o povo terá acesso à verdade, como ocorreu no caso Ibsen Pinheiro, o qual teve o mandato cassado por causa de uma matéria  da Veja que, posteriormente, seu editor reconheceu como sendo inverídica, no entanto isso provocou a cassação, ele não teve seu mandato restituido mas pelo menos a população teve a percepção de que o parlamentar foi vítima de  vingança política: O caso Ibsen Pinheiro – quando mil vira um milhão, por Valéria Cristina, na Isto É

      A Revista Veja trouxe, em sua reportagem de capa de novembro de 1993, uma informação bombástica que seria repercutida por toda a imprensa, causando grande impacto na política e também na sociedade brasileira. O “furo” conseguido pelo jornalista Luís Costa Pinto (Lula), à época editor da revista em Brasília, iria banir para sempre da vida pública um político em plena ascensão e tido como sério candidato do PMDB às eleições presidenciais. O alvo?Ibsen Pinheiro, ex-presidente da Câmara dos Deputados, notabilizou-se pela atuação dos processos de impeachment do ex-presidente do Brasil Fernando Collor de Mello e da CPI do Orçamento, que culminou na cassação dos famosos “anões do orçamento”. Na versão de Costa Pinto, Ibsen Pinheiro também fazia parte da mesma Máfia do Orçamento. Associação feita após a “descoberta” da movimentação de um milhão de dólares nas contas do deputado.

      Ibsen foi cassado e o episódio foi discutido e tido como um dos erros mais destrutivos da história recente da imprensa brasileira, comparável somente, talvez, em termos de repercussão e estrago a outro famoso caso, o Escola Base, já relatado aqui.

      Onze anos mais tarde, a Veja transforma-se ela própria em notícia após a confissão do mesmo Costa Pinto de que tudo não passava de uma “armadilha” da oposição e de erro sabido, porém não assumido por ele e pela publicação durante todos esses anos. No relato enviado ao próprio injustiçado, o jornalista acusou Waldomiro Diniz, então assessor do atual ministro José Dirceu (PT-SP), de ter vazado uma “falsa prova”.

      Mea-culpa pela metade

      No mea-culpa feito pelo jornalista há ainda a admissão de que a revista identificou o erro nas contas de Waldomiro: não seria US$ 1 milhão, mas apenas US$ 1 mil. Mesmo após a constatação do erro, a Veja, com a edição praticamente fechada, decidiu encontrar alguém que sustentasse a versão de US$ 1 milhão, ao invés em vez de simplesmente descartar a reportagem ou ao menos publicar duas versões – a equivocada e a mais bem apurada, retratando a lambança. Coube ao deputado Benito Gama (PFL-BA), membro da CPI, sustentar o erro com a frase: “É fundamental não errarmos nas contas de Ibsen. E não erramos”.

      Hoje, como se sabe, todos erraram – fontes e jornalistas. E o fizeram de forma irresponsável e proposital. Ou o jornalista errou na apuração e na confiança cega e ingênua nas fontes sem sequer questionar um possível interesse político no enfraquecimento da imagem de um forte adversário, ou errou por absoluta falta de ética e responsabilidade profissional. No fim das contas, por uma ou outra motivação, não importa, um mea-culpa tardio não devolve a carreira perdida nem repara os problemas causados em todos os aspectos da vida de um injustiçado pela grande mídia.
      ________________________________________________________

       

      Do site Ética na Comunicação Digital, por Marcelo Bernstein, na UniverCidade, em 30 de abril de 2008

       publicado por RGold  http://etica-na-comunicacao-digital.blogspot.com.br/2008/04/o-caso-ibsen-pinheiro-quando-mil-vira.html P.S. – No relato enviado ao próprio injustiçado, o jornalista acusou Waldomiro Diniz

      Na época Waldomiro Diniz provavelmente ligado a Anthony Garotinho, que o indicou para a Casa Civil após a vitória de Lula

       

      • ACUSE-OS

        “Acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é. Devemos sempre acusar os outros para não descubram quem somos”.

        Carlos Lacerda

         

         

      • ACUSE-OS

        “Acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é. Devemos sempre acusar os outros para não descubram quem somos”.

        Carlos Lacerda

         

         

  25. Ninguém humilha ninguém. Só você pode sentir-se humilhado

    Caro Nassif,  “A condenação liquidou com sua carreira política, abortou sua atividade partidária, humilhou-o, derrubou-o, jogou-o ao chão. Perto dos 70 anos, é um inimigo caído no campo de batalha”…

    Eleitoralmente – mandato – é quase certo que Dirceu não disputará mais eleição.

    Atividade partidária, não foi abortada, nem será. Dirceu sairá da prisão mais forte que antes do julgamento. Provavelmente dispute a presidência do partido na próxima eleição.

    Quanto a “humilhou-o”, Ninguém humilha ninguém. Apenas você pode sentir-se humlhado. Dirceu não se sente. Humilhado é Joaquim Barbosa, porque tem complexo de inferioridade.

    É verdade que Dirceu, perdeu uma batalha. Mas, a guerra ainda não acabou. Acredito sinceramente que a História fará justiça a ele. A vitória momentanea dos seus adversário é apenas isso, uma vitória momentanea.

    http://blogdobriguilino.blogspot.com.br/

     

     

    • um ser moralmente insignificante

      Concordo com suas palavras. Gostaria aqui de lançar um convite a todos que compartilham de nosso pensamento para que façamos uma corrente de força para apoiar José Dirceu. Sugiro que copiem sua foto (na minha identificação aqui no blog) e usem em seus perfis, até que a justiça seja feita a esse brasileiro perseguido por um insignificante despeitado.

  26. Se o judiciário brasileiro

    Se o judiciário brasileiro fosse coisa séria estes dois já teriam sido expelidos há tempos, porque ambos são MENTIROSOS comprovados.

    Não é possível  respeitar uma corte onde há integrandes que MENTEM  para  defender interesses nebulosos.

    E o senado, para que serve?

  27. Passamos anos e anos

    Passamos anos e anos engolindo a isca da mídia,  denunciando, criticando, avacalhando mesmo com o legislativo e o executivo – em última instância nossos representantes – e só arranhando, de vez em quando, o judiciário, com uma insinuação aqui, outra lá, de que era uma verdadeira caixa preta, que não precisava dar satisfações a ninguém. Deputados, senadores, governadores, prefeitos e presidentes precisam, periodicamente, se submeter à avaliação de seus eleitores, apresentar projetos, enfim, se expor e podem ser cobrados por promessas não cumpridas, por dinheiro mal gasto, etc… Esse pessoal do judiciário faz um concurso ou recebe uma indicação, se aboleta até os 70 anos e não tem que prestar contas a ninguém. Os senadores, que teriam a competência de por fim ao descalabro de alguns juízes, se calam e permitem que continue a “festa” particular de tortura, desrespeito à lei e à Constituição. JB, a face mais visível desse poder, nos agride diariamente. Afronta o direito e coloca a descrença na justiça como mais um direito negado à sociedade.  

  28. As chicanas de Joaquim Barbosa

     

    Na condição de presidente do STF, Joaquim Barbosa concede liminar para suspender decisões judiciais, inclusive do STJ, e engaveta o agravo regimental contra a decisão dele, não levando a questão ao plenário, fazendo com que a decisão pessoal dele (Joaquim) permaneça como definitiva.

    O governo de Minas tem sido beneficiado com essa prática abusiva do Sr. Joaquim Barbosa. 

  29. Os petistas são inocentes. Os poderosos de fato estão soltos

    CUNHA: “BARBOSA TEM QUE DIZER O QUE EU DESVIEI”

     

    Ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha desafia o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, a provar o crime de peculato do qual foi condenado na Ação Penal 470; “Não há um real de desvio e eu pago por um peculato”, disse hoje em discurso na tribuna; ontem, o 247 publicou em primeira mão os argumentos apresentados pelo parlamentar na revista lançada hoje no Congresso que, segundo ele, explica “o que Barbosa disse e o que existe de fato nos autos”; de acordo com Cunha, o presidente do STF “trabalha com informações seletivas”; Barbosa apontou como desvio o que veículos de comunicação, como Globo, Abril e Folha, pagaram às agências de Marcos Valério a título de comissão

     

    11 DE DEZEMBRO DE 2013 ÀS 17:35

     

    247 – O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) desafiou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, a apontar o que foi desviado por ele, conforme aponta sua condenação pelo crime de peculato na Ação Penal 470. “Não há um real de desvio e eu pago por um peculato. O ministro Joaquim Barbosa tem que dizer o que é que eu desviei. Ele não diz porque não sabe, porque não consegue, porque não existe”, afirmou o deputado em discurso inflamado na tribuna da Câmara na tarde desta quarta-feira 11.

    O ministro relator da AP 470 apontou como desvio o que veículos de comunicação, como Globo, Abril e Folha, pagaram às agências de Marcos Valério a título de comissão. Hoje Cunha justificou, sobre o episódio, não ter sido o responsável por decidir nem por assinar o contrato com uma nova agência de publicidade com a Câmara na época em que era presidente da casa. Conforme aponta a revista lançada hoje por ele, e divulgada ontem em primeira mão pelo 247, o contrato foi firmado pelo então deputado Aécio Neves (PSDB-MG).

    Cunha também acusou Barbosa de trabalhar com informações seletivas. Segundo o parlamentar, o presidente do Supremo “dá as costas” às suas provas e trabalha apenas por sua condenação no STF. “É ou não é um ministro que trabalha com informações seletivas? Eu mesmo respondo: é”, exclamou. A publicação que ele distribuiu aos deputados, intitulada “A verdade, nada mais que a verdade”, explica “de forma didática”, de acordo com o petista, “o que o ministro Joaquim Barbosa disse e o que existe de fato nos autos”.

    Recebendo o apoio dos colegas e principalmente do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que lhe concedeu “o tempo que fosse preciso” para sua explanação, o parlamentar alertou aos deputados que “esse processo ainda vai ter muita coisa para gente discutir”. “Engana-se aquele que pensa que ele vai se encerrar em breve, com a prisão deste ou daquele, ou quando se passar o julgamento dos embargos infringentes”, complementou.

    Como o deputado ainda tem direito a recurso por formação de quadrilha no caso, tem liberdade garantida até 2014, quando o STF deverá julgar os chamados embargos infringentes. Mesmo assim, ele lembrou que sua prisão pode ser decretada a qualquer momento e que, quando isso ocorrer, cumprirá sua responsabilidade. “Semana que vem pode ser decretada a minha prisão, ou posso ir para regime fechado. Vou cumprir o tempo, não tem problema, vou cumprir porque é minha responsabilidade, mas não cumprirei calado”.

     

     

  30. Parabens Nassif

    Parabens Luis Nassif pela coragem e lucidez. Você explicita no seu texto o que muitos de nós sentimos, como comprovam os comentários postados. Espero que possa continuar por muito tempo ainda. Cecilia Binder

  31. Por que será que o advogado

    Por que será que o advogado de José Dirceu ainda não impetrou um HC contra a arbitrariedade do Sr. Joaquim Barbosa? Ora, a prisão de José Dirceu é incontestavelmente e flagrantemente ilegal!!

  32. Isso, vamos acabar com o Barbosa!

    Esse artigo me fez lembrar a VEJA… não deixou Tom Jobim em paz durante um minuto até que ele morreu. Seu crime? Fazia sucesso e era amado.

     

    O processo do mensalão só conseguiu mandar alguém pra cadeia porque o Barbosa estava lá para impedir as chicanas protelatórias e as manobras escabrosas do Levandovski e do Tófoli. O que fazemos, então? Vamos atacar o Barbosa!… Vamos atacá-lo porque ele é temperamental e chato…

     

    Tsc, tsc… Dos petistas fanáticos (pleonasmo) eu não espero outra coisa. mas é triste ver gente boa da mídia se portando dessa forma.

    • Normal vindo de vc

      Não me estranha que vc, fã de carteirinha de Jânio Quadros, seja fa(nático) de Barbosa tmbm, aguardamos sua biografia sobre Barbosa, mas se atenha aos fatos, menos imaginação por favor, deixe isso para as novelas da Globo…rsss

      COLUNISTA DA FOLHA COMPARA BARBOSA A JANIO

       

      Segundo Rogério Gentile, presidente do STF reproduz traços de um personagem “temperamental, autoritário e agressivo”

       

      7 DE MARÇO DE 2013 ÀS 06:19

       

      247 – Ainda são tímidas, e quase inexistentes, as reações dos meios de comunicação tradicionais à agressão cometida por Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, ao jornalista Felipe Recondo, do Estado de S. Paulo. Nesta quinta, um dos poucos a abordar o assunto é Rogerio Gentile, da Folha, que comparou Barbosa a Janio Quadros. Leia abaixo:

      Joaquim da Silva Quadros

      Rogério Gentile

      SÃO PAULO – Aplaudido nas ruas por sua atuação no caso do mensalão, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, comporta-se cada vez mais como se fosse uma espécie de Jânio Quadros do Judiciário: temperamental, autoritário e agressivo.

      Durante o julgamento, a despeito do mérito das suas posições, foi frequentemente deselegante com seus colegas, interrompendo suas falas, utilizando-se de ironias e sorrisos mal disfarçados para tentar desqualificar seus argumentos ou simplesmente agredindo-os quando nada disso funcionava. Em uma das sessões, em pé, disse ao ministro Lewandowski que ele deveria “votar de maneira sóbria”. Em outra, perguntou se o colega “advogava para os réus”.

      Anteontem, Barbosa se superou. Ao ser abordado por jornalistas, antes que um deles conseguisse completar sua pergunta, respondeu, descontrolado: “Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo, como você faz sempre”. Ao entrar no elevador, ainda teve tempo de dizer: “Palhaço”.

      Os jornalistas pretendiam repercutir com Barbosa nota divulgada por associações de juízes na qual criticavam o ministro por ele ter dito em entrevista que a magistratura tem mentalidade “pró-impunidade”. No documento, as entidades disseram que Barbosa “parte do pressuposto de ser o único detentor da verdade”.

      Jânio, em seu tempo, também abusava da agressividade. Na campanha de 1985 para prefeito de São Paulo, por exemplo, disse que Fernando Henrique Cardoso só faltava recomendar maconha para a merenda escolar. Em outra ocasião, ao reclamar da imprensa, perguntou: “Quando vem um repórter quadrúpede me entrevistar, como quer que eu o trate? Como bípede?”.

      Ao assumir a presidência do STF, Barbosa fez um importante discurso no qual disse ser preciso reconhecer que existe um grande deficit de Justiça no país. E defendeu um Judiciário sem firulas, floreios ou rapapés. Poderia ter acrescentado, também, sem destemperos e personalismos.

       

      • Barbosa = Jânio = UDN

        NÃO SE DESESPERE. 

        JÂNIO QUADROS VEM AÍ !

        “O moralismo autoritário”. “Uma ascensão meteórica”. “Bonapartismo”.

         

         

        “O falso carisma”

        “A quebra do sistema partidário”

        “O bonapartismo”

        “O moralismo autoritário”

        “O entreguismo e as pazes com o FMI”

        “Uma ascensão meteórica”.

        “Modesto, de família simples”

        “Sem fortuna ou tradição política”

        “Conquista rapidamente espaço político até então partilhado por bacharéis, (sociólogos, economistas), comerciantes, (banqueiros) e fazendeiros da UDN”.

        “Não se desespere ! Ele vem aí (com a vassoura para varrer a roubalheira)”.

        Revelava-se “a fantasia delirante do candidato a caudilho, dominado pela magia dos extremos, com a falsa imagem da sua predestinação”. 

        “Além do recurso à demagogia teatral, a atuação seria sempre marcada pela alta incidência de contradições e ambiguidades, numa taxa muito acima do ‘normal’ que se concede como inevitável a qualquer governante”.

        “Os palanques transformam-se em verdadeiros palcos de tragicomédia… Uma esdrúxula mistura de radicalismo e kitsch popularesco – a soma de Lênin a Carlitos.”

        “Muitos o tomaram como um Messias.”

        “Poucos denunciaram o charlatão.”

         

        Estes são trechos extraídos do magistral opúsculo (88 páginas) “O Governo Jânio Quadros”, de Maria Victoria Benevides, da Brasiliense, coleção “Tudo é História”, de 1981.

        Vem a propósito da consolidação da candidatura de Joaquim Barbosa na eleição de 2014.

        (Clique aqui para ler “Janio faz o diagnóstico do marketing eleitoral de Barbosa”.)

        Como se sabe, a UDN tenta primeiro o Golpe.

        A vestimenta é irrelevante – pode ser uma toga ou uma japona.

        Desde que os pobres continuem pobres e os ricos mais ricos.

        Quando o Golpe parece difícil – apesar de o julgamento de exceção do mensalão (o do PT) ter sido o “Golpe quase perfeito” -, em última instância, a UDN tenta o Golpe eleitoral.

        A UDN já tentou o Dr Jatene (ideia do ACM).

        Tentou o Silvio Santos (proeza do Jorge Bornhausen, hoje ideólogo-mor do Dudu Campriles.)

        O “Caçador de Marajás” foi um Janio.

        A Bláblárina, que segundo o último Globope, sofre visível desmatamento eleitoral.

        E até o Dudu, que o Janio, em boa hora, chamou de embuste no Governo e fora do Governo.

        Dudu, como se sabe, tem tanta chance quanto o Náutico.

        Joaquim Barbosa torna-se A alternativa.

        Como diz o Príncipe da Privataria, aquele que comprou a reeleição e se faz de Tartufo: qualquer um deles serve,desde que não seja a Dilma.

        Barbosa entra na categoria do “qualquer um deles”.

        Já se sabe no que dá isso.

        É só perguntar à Maria Victoria.

         

         

        Paulo Henrique Amorim

         

         

         

    • Sr. leitor da veja:

      responda-me por que o ínclito ministro deixa um réu condenado ao regime semi aberto todo esse tempo no regime fechado? E tem mais algumas questões levantadas não apenas pelo Nassif, mas por muitos juristas respeitados neste país. E que eu saiba nenhum deles é petista. Essa afirmação sua de que somente os petitas fazem essas declarações é bem típico de pessoas odiosas, sem argumentos e com visão pequena. Ou, a exemplo do barbosa, tens ódio figadal dos petistas e isso lhe turva a visão?

  33. Juizes

    Barbosa e gilmar transitam do mau carater para o caso patológico de personalidade. O restante do stf e nosso senado ficam devendo uma solução para nossa nação. Impeachement neles.

  34. Preparando o retorno do Dirceu

    Nassif,

    O Joaquim Barbosa está preparando o retorno triunfal do José Dirceu.

    Está “desenterrando” sua carreira política.

    Ele acabará sendo presidente do Senado e do Congresso.

    Aí, alguns juízes do STF vão tremer. Sem necessidade, porque o Dirceu não agirá da mesma forma que JB.

    Mas alguns projetos colocando ordem nas coisas se moverão.

  35. O gilmar medes, todos nós

    O gilmar medes, todos nós sempre soubemos, é empregado dos grandes capitalistas e, está na justiciaria, somente para itrabalhar para eles e, por isso, tornou-se grande latifundiário. Já,o joaquim barbosa, é doido mesmo. Levou suas frustrações pessoais (é evidente, isso) ao conseguir um cargo que jamais iria conseguir senão em um governo trabalhista e inclusivo. Joaquim barbosa, faz tempo, deveria ter pedido licença de cargo de presidente, pois está COMPROVADO que  age por instintos e não por saberes. Antes do Lula, a ignorante política classe média, nem sabia que existia stf e, se perguntarem quem faz parte do stf, hoje, responderão: joaquim barbosa. Esclarecedora essa resposta do analfabetismo polítco que sempre carecterizou essa classe,

  36. Essa ação perdeu o tom do

    Essa ação perdeu o tom do espetáculo no dia em que a tese da formação da quadrilha foi enterrada. Nem o Pizzolato é mais mencionado. Agora, a justiça brasileira precisa de uma análise profunda, isso precisa. O STF, salvo algumas exceções, é reflexo do autoritarismo que dá suporte aos grupos poderosos de sempre. Quanto aos dois antagonistas da democracia brasileira do momento não passam do chorume que sobra do lixão. Já cairam de podre, de tanta autoexposição. Grampos e celulares, bandidos e capangas, enredos velhos e obscuros.

    • Mas, o Pizzolato, não foi

      Mas, o Pizzolato, não foi aquele que fez parte da quadrilha mor, instalada na cupula do governo do PT, para desviar dinheiro público  ?  Ouvi isto reiteiradamente nas mídias, no julgamentos e revista. Afinal, foi traçado todo um caminho pelo PGR e assistentes . Cupula, BB, desvio, dinheiro publico, compra de membros do parlamento (meia dúzia? de deputados?) , banco, lavagem.

      Agora me explica, pois sou burro…

      Por que o MPF, que “cuidou” deste caso, não inseriu-denunciou o Pizolatto, o “mor do desvio do $$ publico “, no crime de quadrilha??????????

       

       

       

       

  37. A atuação do ministro Joaquim

    A atuação do ministro Joaquim Barbosa na condução dessa AP 470, incluindo essa fase da execução da pena, no futuro próximo se tornará CASE. Mas não nas faculdades de Direito, mas das de medicina psiquiátrica, 

    Parece-me que o BRABOrsa projetou todas as suas frustrações para cima desse réus, ou seja, se tornaram o “travesseiro” para ele diariamente socar,

    Ou será que o alvo é outra pessoa ou entidade?Digamos, Lula. Por que não?

    Talvez instintivamente, ou até mesmo racionalmente, o sr. Joaquim BRABOrsa esteja num processo de purgação de seus demônios interiores. Não seria o caso, por exemplo, do ódio ou da revolta da criatura contra o criador?

    Bom reler Frankenstein de Mary Shelley.

     

  38. Hipócrita! Falastrão!

    Hipócrita! Falastrão! Dissimulado! Que o Ministro Gilmar Mendes é a favor do financiamento de campanhas políticas por empresas privadas todos nós sabemos inclusive as estátuas da Praça dos Três Poderes. Ele e o Dias Tóffoli vem travando um duríssimo duelo desde o ano passado, o primeiro a favor e o segundo contra, inclusive no TSE, onde o Gilmar Mendes também pediu vista, paralisando, deliberadamente, um julgado relatado pelo Tóffoli, considerado por alguns como um dos maiores especialistas em direito eleitoral do país, que impunha fortes restrições às doações de empresas privadas para campanhas políticas já para as eleições de 2014, através de uma interpretação mais extensiva da própria lei eleitoral, que já proíbe as concessionárias do poder público de fazer doações. Entretanto, as empresas que compõe esses consórcios não estão proibidas de doar o que torna o dispositivo um tanto quanto inócuo. A ideia do Ministro Dias Tóffoli era dar efetividade a lei e fechar essa “brecha jurídica” a corrupção. A questão que se coloca aqui é: com maioria já formada no STF, por que pedir vista da ADI 4650 que tramita a anos no Supremo e é aguardada com grande expectativa pela Sociedade Civil que combate o desvio do dinheiro público? Explico: essa semana, a toque de caixa, a CCJ do Senado Federal aprovou o projeto que acaba com o financiamento privado. E o PSDB, que sempre esperneou, esbravejou e se indignou, apresentou voto em separado em dezembro, xingou, blá, blá! Durante a votação, “estranhamente” não se opôs à aprovação, chegando o Senador Álvaro Dias(PSDB-PR) a votar a favor (pasmeeeeeeeeee!!!!! ) e o Senador Aloysio Nunes(PSDB-SP) chegou a dizer que, embora contra, não pediria vista porque não tinha emenda. Oi??? Qual o jogo? Se for aprovado o projeto de lei o julgamento da ADI 4650 perde o objeto e voltamos à estaca zero no STF! Se a ADI 4650 for acatada pelo STF e o julgamento for finalizado com o voto de todos os ministros, inclusive do Gilmar, ela passa a valer para as eleições de 2014. Já a lei se aprovada no Congresso Nacional e promulgada pela Presidente Dilma não valeria para as eleições de 2014! Tio Gilmar combinou o jogo com o PSDB na base de: deixem o projeto passar que eu seguro a ADI. Esses caras são bons “filhos da p…”, temos que admitir! E aí descobrimos que não temos maioria no Congresso Nacional para acabar com o financiamento de campanhas políticas por empresas privadas. E embora tenhamos maioria no STF para proibi-la, o “minoritário” Ministro Gilmar Mendes pode, legalmente, “sozinho” frustrar o desejo de toda a sociedade que foi às ruas em junho de 2013 cobrar moralidade da classe política e o fim da corrupção! Fazer o quê? Diga você aí cidadão-eleitor-contribuinte! Que tal iniciarmos um movimento popular junto com a OAB, CNBB e o MCCE(Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral) lançando mão de uma petição online no site avaaz.org solicitando que o Ministro Gilmar Mendes libere o seu voto na ADI 4650 a tempo de que este julgamento seja válido para as eleições de 2014? E aí? O que acham?

  39. Gilmar, Gilmar, Gilmar! Esse cretino não aprende!

    Gilmar, Gilmar, Gilmar! Esse cretino não aprende! Está fazendo uso do mesmo expediente que foi utilizado por ele no pleito de 2010 quando foi flagrado por um repórter da Folha em uma conversa nada republicana com o então candidato José Serra(PSDB-SP) que o havia solicitado que votasse segundo os interesses do PSDB numa questão em que também já havia maioria formada pelo placar de 7 X 0! Isso tudo as vésperas do pleito. Era uma questão pacífica, sem muita controvérsia jurídica onde seria decidido descartar ou não a exigência do título de eleitor, ou apenas um documento com foto naquele pleito. A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos era apontada por tucanos como um fator que poderia beneficiar Serra e prejudicar sua adversária, Dilma Rousseff, já que se acreditava que os eleitores da candidata do PT, majoritariamente, possuíam menor nível de escolaridade. Não me recordo se esse julgado se deu no TSE ou STF. Por último, me lembro bem que em um post ainda no ano passado o próprio 247 já havia “cantado essa pedra” que essa “figura” do Gilmar iria mesmo pedir vista e segurar o resultado final! Canalha! Ah! Encontrei! Vejam a reportagem da folha. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2010/09/806923-apos-ligacao-de-serra-gilmar-mendes-para-sessao-sobre-documentos-para-votar.shtml

    • Mas é essa a minha questão

      Mas é essa a minha questão com o financiamento de campanha no STF; agora toda a eleição é isso; eles ficam lá segurando as regras e acabam decididndo em cima da hora. Não tem como não pensar que a ideia é atrapalhar a eleição. É ficha-limpa; é necessidade de título; é fidelidade partidária é criação de partidos; é financiamento…. O fato é que toda a eleição é a mesma coisa. E aí? Como serão financiadas as eleições de 2014? por enquanto, como sempre… e, se GM, devolve e JB coloca em pauta em cima da hora como foi com a necessidade do título de eleitor?

  40. O Código de Processo Civil

    O Código de Processo Civil tem dois instrumentos para defender o contribuinte da involuntária morosidade do Judiciário: tutela antecipada e liminar.

    Se o juiz vê que a parte tem razão, com muita evidência (como alguém que tem nome inscrito no Serasa e apresenta todos os recibos da dívida paga), pode dar a tutela judicial antecipadamente, e conceder o pedido.

    Se o juiz vê que a tradicional demora do processo pode resultar seu próprio resultado, como um cardíaco à espera de uma cirurgia grave (cujo direito não seja evidente a ponto de conceder tutela antecipada), então concede a medida liminar.

    Esses 2 institutos foram inventados para defender o cidadão da demora involuntária do Judiciário, mas também da chicana das partes, que protelam o final do processo recorrendo mesmo sem qualquer possibilidade de vitória.

    Essa percepção sobre a demora existe há muito tempo. No começo do século passado já existia, e na CLT havia a primeira previsão. Mas chegou à lei comum em 1994, apenas, coincidindo com a explosão do número de processos judiciais. Desde que a Justiça tornou-se fenômeno de massa, essa noção existe.

    Agora, pelo trabalho da imprensa livre, chegamos à conclusão de que é necessário defender o contribuinte da corrupção da máquina estatal. 

    Para o futuro, pouco importando o nome do ministro ou sua coloração partidária, entendemos o risco de um ministro poder  sentar em cima de um processo durante meia década sem qualquer punição.

    Jogando com as prerrogativas da liberdade de convicção, do poder geral de cautela, da liberdade de analisar os autos pelo tempo necessário, podem utilizar para fins meramente políticos a magistratura, à qual chegaram sem as dificuldades do concurso público e sem o exercício da carreira, onde aprenderiam o imenso valor de cada um desses institutos para preservar a decisão justa.

    Em exemplo concreto, titubeando em cima de uma suposta governabilidade, jogaram a decisão sobre a correção das poupanças e do FGTS por 20 anos, para a geração seguinte custear. Enquanto isso os juros e correção monetária correram a ponto de deixar o processo impossível de se decidir sem um resultado desastroso. Em meia década de decisões vacilantes sobre a AP 470, influíram sobre ao menos 2 eleições. Senão no resultado final, ao menos no foco das discussões políticas, e afundaram o debate político brasileiro no criminalismo.

    Recentemente o Legislativo concedeu ao STF a possibilidade de escolher o que vai julgar, exigindo uma subjetiva “repercussão geral” para que as partes possam recorrer. Também concederam um poder imenso de influenciar a máquina pública, com as súmulas vinculantes. Poderes grandes, que exigem responsabilidades ainda maiores daquele colegiado.

    Os exemplos de processos que ficam parados por décadas, sem qualquer justificativa ao contribuinte, estão nas pesquisas de algum blogueiro, que está se dando ao trabalho de catalogar e lançar essa compilação em algum lugar da mídia livre, mais dedicada ao jornalismo.

    Decisões que já contam com maiorias definidas, e que sofrem protelação da publicação do resultado pelos pedidos de vista, também não são novidade. A notícia de que algum ministro tenha mudado sua opinião porque após as vistas tenha vindo algum novo argumento genial, nunca vimos, o que demonstra a inutilidade do instituto.

    É chegada a hora de o Legislativo discutir uma cláusula STF, em que, a exemplo da tutela antecipada, o presidente seja obrigado a proferir o resultado do julgamento assim que a maioria é alcançada. Não o fazendo no prazo correto, que a decisão passe ao vice-presidente. Em um órgão colegiado, quanto menor o poder do indivíduo, melhor para a instituição.

  41. FOI FEITO PARA ISSO SIM

    FOI FEITO PARA ISSO SIM

    Quanto pagaria a GLOBO (aqui denominando a imprensa golpista com sede no Brasil) para que os militares que mantiveram José Dirceu preso na ditadura dessem cabo dele ? E quanto pagariam aos vermes que prenderam e torturaram José Genoíno que aproveitassem a ocasião e o matassem ? Quanto não ganhariam tais jagunços por um tal serviço ?

    E quanto a GLOBO não daria a alguém, nos tempos de hoje, para que prendesse, torturasse e colocasse sob risco de morte, indefesos numa penintenciária, os dois inimigos ? Quanto não ganhariam tais jagunços por um tal serviço ?

    E que tal se, de onde menos se espera, a GLOBO recebesse gratuitamente, nos tempos que correm, um tal serviço ? Não de um jagunço subserviente, no sentido de alguém pago para fazer um serviço sujo, mas exatamente de alguém que brada não ser subserviente. De alguém que, por motivos diversos, tivesse coincidentemente cristalizado seu ódio de vida na figura destes mesmos inimigos da GLOBO, e se pusesse em marcha circunstancial para exterminá-los.

    “Que feliz coincidência”, exclamariam cinicamente os senhores da GLOBO, “jamais poderíamos esperar uma realidade tão doce quanto nossos desejos mais doces”. Ter tudo isso sem pagar e ainda ter um baita lucro, apenas montando um espetáculo de audiência e manipulação, bastando lustrar os egos de uma tal figura e ludibriá-lo, apontando-o como futuro presidente, o “menino pobre” que mudou o Brasil. Qua…qua…qua, diria um certo ministro pausadamente, contando a história para seus jagunços do centro-oeste.

    Pena que em 5 de abril, espetáculo findo, cortinas arriadas, conto do vigário da GLOBO consumado, covardia de encarar “os poderes do povo” nas urnas assumida, reste a este senhor, sob pena de ser escorraçado, à moda Collor, pelos próprios “amigos circunstancias” da GLOBO, proteger-se sob sua toga ditatorial e se arrastar com a coluna vergada para a Casa Grande até o final de seu mandato no supremo, prestando mais alguns serviços sujos, tais como manter, em sessões de tortura judicialescas, as suas patas e caninos sobre os “seus” presos petistas, como um carcereiro, segurando suas cabeças para a GLOBO exibir como troféu até as eleições, e subservientemente afinar a voz contra os crimes dos medalhões mafiosos na corja política do PSDB, DEM, PPS e agregados.

    Para em seguida se aposentar, mergulhando na mediocridade de um dos rodapés mais fétidos e vergonhosos da história brasileira. E, quem sabe, virar sócio de Gilmar Mendes na Casa Grande de alguma fazenda do Mato Grosso.

  42. chincanas de j.barbosa e gilmar mendes

    j. barbosa tirou férias quando o presídio de pedrinhas passava por uma gravissima rebelião, que não mereceu uma menção sequer do presidente do stf. agora ela acusa o governo do DF de perder o controle do sistema prisional.  so a folha mesmo  pra levar a serio um despautério desse.

     

  43. STF – O que já não tinha crédito acaba se afundando

    O Gilmar Mendes, mais uma vez, acaba com o pequeno crédito que a mídia havia auferido ao STF. O Ministro pensa que o povo está ausente das suas manobras, mas hoje existe um grande interesse de boa parte da população, que tem poder multiplicador, nos poderes constituídos . Mesma coisa o que o PSDB está fazendo com os casos envolvendo Petrobras somente no ano de eleição, tanto os corruptos quanto os oportunistas serão julgados nas eleições.

  44. Estes dois agem da forma que

    Estes dois agem da forma que agem pois sabem que o judiciário é intocável, não é um poder como os outros (legislativo e executivo), os representantes do legislativo e do executivo quando erram, são cassados sofrem “impeachment” , contudo Gilmar e Joaquim Barbosa sabem que eles podem cometer todos os erros, devios,e arbietrariedades e “chicanas”, agem tranquilos pois nenhuma punição virá sobre eles, o Senado é omisso e fraco a OAB é covarde , vendida e tem uma postura seletiva e partidária em casos de injustiças.

    Portanto, somente Deus para deter Joaquim Barbosa e Gilmar dantas,  e eles continuam  desmoralizando tanto o STF quanto o judiciário. 

  45. HISTÓRIA

    “Com suas arbitrariedades, Barbosa conseguiu o impensável: vitimizou o outrora poderoso José Dirceu; e comprovou que todo o lero-lero dos grupos de mídia contra a ditadura e a favor do estado democrático de direito não vale para os adversários.”

    Dificilmente o mensalão constará da história em nossos livros didáticos.No máximo se dirá que que empresários e políticos foram condenados pelo STF num rumoroso e polêmico julgamento.Duvido que será aceito a versão da inconfindência do século XX.

  46. concurso


    nunca saberemos quem é o responsável pelo “perfil desejado do aprovado”, apresentado às empresas contratadas para aplicarem os concursos para a magistratura.

    mas é certo que esse ‘responsável’ é um reacionário.

    até quando?

    é necessário um expurgo ético no judiciário.

    uma grande faxina em todas as instâncias.

  47. Gilmar Mendes

    Existem absurdos no Brasil que não dá mesmo para entender. Gilmar Mendes tem ficha longa de absurdos, e continua a fazer absurdos com a maior de cara de pau. Sem vergonha ele por fazer, e sem palavras para descrever os que ficam observando sem fazer nada. A Veja e o Globo, tão investigativos e morais, porque será fingem não ver?

  48. Chicanas de Gilmar e Barboza-STF

      Quanto ao Juiz Gilmar, sem comentários, exceto um futuro IMPEDIMENTO. Já o ministro Barboza nem passou em um exame psicotécnico, que acusou desvios de personalidade, se bem me lembro. Ocorre-me um pensamento, uma dúvida. Alguém pode me informar se ele tem ou não CNH…

  49. Mudanças formais.

    Entendo que esses “caras” só se sentem deuses por toda a formalidade que os rodeiam.

    Troque-se a vestimenta que usam (togas) por paletós…

    Retire-se o uso do tratamento ministro pelo termo Juiz… que é o que eles são

    Entre outras regalias, as quais sequer conhecemos… jamais pensáveis para “aqueles que os sustentam” em cargos que aproveitam para usufruto pessoal.

    Talvez “eles” se sentissem mais humanos, pensassem como pessoas e julgassem com equidade.

    Simples assim.

     

     

     

  50. Como militante do direito e

    Como militante do direito e da democracia digo que devemos iniciar um movimento junto a sociedade civil e entidades como a OAB, a CNBB e o MCCE(Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral), as mesmas que propuseram a Ação de Inconstitucionalidade buscando banir a “doação de dinheiro” de empresas privadas para campanhas políticas junto ao Supremo, e partir agora para lançar mão de uma petição online no site avaaz.org solicitando que o Ministro Gilmar Mendes declare o seu voto na ADI 4650 a tempo de que este julgamento seja válido para as eleições de 2014. Os Ministros Luiz Fux, relator da ação no STF, e o Ministro Dias Tóffoli, considerado por alguns como um dos maiores especialistas em direito eleitoral do país, lembraram que os partidos políticos tem até o dia 10 de junho de 2014 para fixarem, livremente, os valores das verbas do fundo partidário para as eleições deste ano! Ou seja, não há qualquer impedimento legal para que seja não adotada essa sistemática ainda este ano. Se não pressionarmos o Gilmar Mendes ele NÃO VAI LIBERAR SEU VOTO, mesmo sendo minoritário e tendo perdido o debate no plenário do STF que já fez maioria pelo placar de 6 x 1! Entenderam? O Supremo precisa concluir esse julgamento até o final de maio! Se ele não concorda ele precisa dizer isso nos autos da ADI 4650, não somente nos microfones que a “mídia amiga” põe a sua disposição ou nas palestras país afora como a proferida no V Encontro Anual da Associação dos Advogados de São Paulo, que aconteceu nesta sexta-feira (4/4). Afinal, juiz deve falar nos autos, e não pelos cotovelos! Ok?

  51. Afronta à Constituição

    Os honrados juízes do STF afrontaram a Carta Magna quando procederam ao julgamento, naquela instância, da maioria de réus da Ação Penal 470 que não tinham direito a foro privilegiado. O que dizer do que veio depois? “A teoria do Domínio do fato” onde se condena sem provas; a teoria de que “ele não tinha como não saber”; “a verdade é uma quimera”; “a literatura jurídica me permite condenar”. Um festival de absurdos promovidos pela mais alta Corte sob a batuta de uma mídia sedenta de sangue das maiores lideranças petistas. O que se vê hoje é a continuidade desse festival de arbitrariedades, agora mais do que nunca encarnado na  figura iracunda do juiz Torquemada, Joaquim Barbosa. Não acredito que o Judiciário no Brasil possa funcionar a contento sem que haja algum poder que lhe faça um contrapeso, sob pena de deixar a sociedade à mercê de arbitrariedades tais como aquelas que foram cometidas antes, durante e depois da Ação Penal 470. Sobre Gilmar Mendes, o Professor Dalmo de Abreu Dallari disse tudo em artigo que escreveu quando este ferrenho defensor dos privilegiados postulava uma vaga no STF.

  52. CONSTRANGEDOR É O SILÊNCIO DA

    CONSTRANGEDOR É O SILÊNCIO DA OAB-BRASIL E SECCIONAIS. COMO ADVOGADO ME SINTO COMO NÃO REPRESENTADO.

  53. O sistema cognitivo não é

    O sistema cognitivo não é lógico, é psicológico. Isso explica o apoio que estes senhores encontram em parte da sociedade para cometerem ilegalidades. Autoridades máximas do Judiciário, pessoas que deveriam dar o exemplo de cumprimento da lei, cometem ilegalidades para que a punição aplicada a réus sirva de exemplo. Realmente não tem lógica nenhuma. 

  54. Me parece que o prazo de

    Me parece que o prazo de saída do JB do STF era na sexta feira e ele não saiu.

    Eu sempre acreditei que ele não seria candidato. Muito mais poder ele possui aonde está. Quando sair da presidencia, perde tudo. Deve estar preparando alguma, até lá.

    • Se prender mais alguns

      Se prender mais alguns salafrários, prá mim está ótimo!

      Quanto ao semi-aberto, não é só o pobrezinho do Dirceu não, A GRANDE MAIORIA DOS PRESOS não consegue de forma satisfatória gozar deste benefício no Brasil, por falta de vigilância ou instalações penais. Ele está sendo tratado sem privilégios neste quesito, portanto.

      Detalhe: veja o tipo de trabalho que ele pode labutar:

      § 1º – O condenado fica sujeito a trabalho em comum durante o período diurno, em colônia agrícola, industrial ou estabelecimento similar. (Alterado pela L-007.209-1984)

       

      • Humm…

        Calvin, fica tranquilo que os verdadeiramente salafrários não serão perseguidos por Barbosa

  55. Chicana por encomenda

    Nassif,

    .. a indignação expressa em seu texto é compartilhada pelo mundo civilizado, tenho certeza …

    .. porém, sabemos que enquanto não houver uma força maior esse estado de coisas tende a se agravar … os chicaneiros só encontram limites quando encontram uma força que os limite …

    .. é inacreditável, p.ex., que a oab (minúscula mesmo), ainda não tenha se manifestado sobre essa questão, tampouco a cnbb (novamente minúscula) …

    .. porque já não se trata apenas dos pppp, mas de uma questão de Estado, de segurança jurídica, de processo civilizatório … não importa mais a quem servem os chicaneiros ou de analisar o mau-caráter desses juízes … não se trata mais de entender os motivos que os acolhem …

    .. é preciso que esse estado de excessão tenha um fim imediatamente e de como isso pode ser efetivado … ou seja, qual força pode interromper esse processo ? ou, existe alguma força em nossa democracia que pode interromper esse processo ?

    .. os que achávamos que poderiam intervir nisso  acovardam-se vergonhasamente, a começar pelos demais juízes daquela corte, aqueles que pensávamos pudessem denunciar publicamente aqueles chicaneiros … porém, acocoram-se covardemente … penso nas duas mulheres que ocupam espaços lá, talvez mães e esposas, já percebidas como cúmplices nessas chicanas judiciais … penso no recolhimento do levandovisk (agora minúsculo e impotente), ou no ridículo das bravatas semânticas de um barroso, todos tão delicados e educados, porém apequenados …

    … vou parar por aquí, para interromper o vômito, o medo, a vergonha que aqueles chicaneiros nos cobrem diante do mundo civilizado ..

  56. Barbosa e Gilmar maculam o STF

    A pessoa que ver com bons olhos as atitudes arbitraria, ditadoras e violadoras de direitos praticadas pelos Ministros Joaquim e Gilmar, a serviços do poder midiático. Sua personalidade pode defini-se entre uma das duas; Ou é “insana” ou “alienada mental”. Pois defender o nome de um ditador, arrogante, pré-conceituoso a chefe do Executivo Nacional. É o mesmo que pedir, que o Brasil mergulhe em tempos obscuros de violação do Estado Democrático de Direitos.

  57.   E ELES falam como arausto

      E ELES falam como arausto da moralidade é dos políticos , faz vergonha estes dois ministros.

  58. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome