Lava Jato deu crédito a Leo Pinheiro após mudar depoimento incriminando Lula

Diálogos revelam que depoimento sobre tríplex foi decisivo para que procuradores voltassem a conversar sobre delação com ex-presidente da OAS; antes disso Léo Pinheiro foi tratado com descrédito

Ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro. Foto: Luis Macedo / Agência Câmara

Jornal GGN – O depoimento do ex-executivo da OAS, Léo Pinheiro, foi decisivo para incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso sobre o tríplex de Guarujá (SP). Mas a versão do empreiteiro que determinou a prisão de Lula não foi sempre a mesma, como diversos jornais, incluindo o GGN, mostraram ao longo do processo.

A desconfiança era que a delação do ex-presidente da OAS pudesse ter sido, ao longo do processo, forjada pela Lava Jato para alcançar a finalidade de prender Lula. Pois é isso que revelam mensagens privadas obtidas pelo The Intercept Brasil e analisadas pela Folha de S.Paulo, publicadas em matéria neste domingo (30).

Os advogados do ex-executivo abriram negociações com a Lava Jato em fevereiro de 2016. Na mesma época, Lula foi denunciado pelo Ministério Público Federal sob a acusação de receber propina de R$ 3,7 milhões da OAS. Em troca, a empreiteira teria sido beneficiada em contratos na Petrobras. O montante que Lula foi acusado de receber correspondia, supostamente, ao tríplex em Guarujá e ao armazenamento e transporte do acervo presidencial.

Trechos revelados agora mostram que os procuradores da Lava Jato trataram Léo Pinheiro com desconfiança desde o momento em que ele se dispôs a colaborar com as investigações.

Depois de quase um ano, em abril de 2017, finalmente Léo Pinheiro apresentou uma versão incriminando Lula, e aceita no processo do triplex do Guarujá como provas da acusação contra o ex-presidente.

Segundo a última versão do empreiteiro, a OAS tinha uma conta informal para administrar recursos com o PT. Ele ainda havia sido orientado pelo próprio Lula a destruir as provas dessa relação financeira logo após o início da Lava Jato. Em um ano de tentativas de acordo com a justiça, era a primeira vez que Léo registrava um depoimento tão contundente e acusatório contra o ex-presidente.

Leia também:  Vacina da Índia: "Há possibilidade de Brasil ficar no fim da fila", alerta especialista

Em uma discussão entre os colegas da Lava Jato, em agosto de 2016, via Telegram, o promotor Sérgio Bruno Cabral Fernandes, ao abordar negociações com os advogados da OAS escreveu:

“Sobre o Lula eles não queriam trazer nem o apt. Guaruja. Diziam q não tinha crime. Nunca falaram de conta”.

A conversa com outros procuradores acontecia uma semana depois que a revista Veja publicou trechos de anexos da delação, afirmando que a OAS revelou a existência de uma conta secreta usada para fazer pagamentos ao ex-presidente.

Os procuradores se mostraram surpresos, porque a suposta “conta clandestina” divulgada na matéria da Veja, não tinha fundamento. Uma procuradora Anna Carolina Resende Maia Garcia ainda firmou que a revista teria mencinoado sobre a conta clandestina de Lula na matéria por ‘estelionato eleitoral’. “Tá no título mas não está no conteúdo”, escreveu.

Leia o trecho:

26.ago.2016

Anna Carolina 19:52:11 – Tinha isso de conta clandestina de Lula?
19:52:19 – Esses Advs não valem nada
Jerusa 19:53:02 – Nao que eu lembre
Ronaldo 20:45:40 – Também não lembro. Creio que não há.
Sérgio Bruno 21:01:10 – Sobre o Lula eles não queriam trazer nem o apt. Guaruja. Diziam q não tinha crime. Nunca falaram de conta.

27.ago.2016

Anna Carolina 08:00:43 – Li a reportagem e ela tenho quase certeza q ela está fidedigna. Só não achei a parte da conta. Talvez tenha sido mais um estelionato contra o leitor. Tá no título mas não está no conteúdo
Jerusa 08:01:59 – Foi o que pensei tb. Pq nao houve mencao a essa conta

Os procuradores também acusavam os advogados de Leo Pinheiro de vazarem informações para a imprensa que não tinham passado para o MPF. Como mostra esse trecho de mensagens trocadas, alguns meses antes, em março de 2016:

Leia também:  Xadrez da Antologia da ignorância institucional: o sistema judicial, por Luis Nassif

2 de março de 2016

Paulo Roberto Galvão 14:01:02 – Pessoal, só para comentar: a notícia de hj deixa claro que a intenção de acordo vazou da própria empresa, pois ninguém tinha recebido qq informação sobre o que eles falariam.
14:01:33 – Por sinal, a primeira notícia de versão do LP sobre o sítio [de Atibaia] já é bem contrária ao que apuramos aqui.

14 de março 2016

Athayde Ribeiro Costa 18:37:47 – Esse acordo não vale moralmente.
Anna Carolina Resende Maia Garcia 19:06:07 – O danado é que esse critério (moral) é rígido demais…rs. Ninguém vai passar por esse crivo
Sérgio Bruno Cabral Fernandes 19:13:36 – Por enquanto tmb não vejo como fazer esse acordo. A dúvida é se encerramos logo ou damos corda.

Léo Pinheiro foi preso em setembro de 2016. A partir dali as negociações para um acordo de delação com o MPF foram congeladas até 2017, quando ele, interrogado pelo então juiz Sergio Moro no processo do tríplex, disse que a reforma do apartamento era para acertos que a OAS realizou com o PT.

Alguns dias depois de prestar depoimento para Moro, o coordenador da força-tarefa da Lava Jata, Deltan Dallagnol pediu cautela dos colegas para fechar um acordo de delação com a OAS naquele momento, para não parecer “um prêmio” pela condenação de Lula.

13.jul.2017

Deltan 17:10:32 – Caros, acordo do OAS, é um ponto pensar no timing do acordo com o Léo Pinheiro. Não pode parecer um prêmio pela condenação do Lula

Clique aqui para ler todos os trechos disponibilizados pela Folha e o Intercept ao longo do processo de idas e vindas dos depoimentos de Leo Pinheiro.

4 comentários

  1. Pois é, e o cafajeste sergio moro não quiz dar crédito à denuncia de tacla duran contra o advogado zucoloto, padrinho de casamento de moro e sócio da mulher do cafajeste, alegando que palavra de réu não merecia crédito. Mas o mesmo cafajeste sérgio moro deu crédito a um réu condenado por ele mesmo (ele, cafajeste sergio moro), justamente leo pinheiro, apenas quando este mudou suas versões anteriores e incriminou lula com uma mentira. Ou seja, a cafajestice da lava jato é escancarada, agora, com as publicações obtidas pelo the intercxept………..e os ignorantes, devidamente imbecilizados pela midia golpista, ainda está saindo à rua hoje para apoiar o cafajeste sergio moro………mas espero que uma doença degenerativa, daquelas bem doloridas, mate lentamente o cafajeste e os idiotas que o apoiam……….malditos f.d.ps.

    1
    1
  2. As revelações do site “The Intercept Brasil”, mostrando o conluio entre o ex-juiz Sérgio Moro e a força tarefa da operação Lava Jato para condenar Lula sem provas, comprovam a existência de uma “conspiração política” contra o ex-presidente Lula, ficando, portanto, comprovada a parcialidade e a suspeição do ex-juiz Sério Moro no julgamento de Lula. “O Supremo Tribunal Federal tem agora o dever de retirar todas as consequências destas gravíssimas irregularidades que conduziram a uma condenação injusta e ilegal e, consequentemente, libertar Lula e anular a sua condenação”. “A corrupção é tão importante quanto a democracia e o Estado de Direito. “Mas no caso de Lula, ela foi usada para alimentar estratégias que o eliminassem do jogo político, a fim de permitir que Bolsonaro chegasse ao poder e, em seguida, ‘recompensasse’ Sérgio Moro, nomeando-o ministro da Justiça”, utilizando-se de “lawfare”, que é a manipulação das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política. É o uso indevido do Direito contra inimigos, objetivando a condenação e a prisão de Lula, mesmo sem prova, com respaldo do Departamento de Justiça dos Estados Unidos que os orientou para tirar Lula da corrida presidencial para que ele não fosse eleito Presidente da República. Essa gente deveria ser exonerada de seus cargos a bem do Serviço Público. As máscaras de Moro, Deltan Dallagnol e sua trupe, caíram! Foi necessário chegar aqui, no país do carnaval, um renomado, corajoso e o maior jornalista do mundo, o norte-americano, Green Glennwald, para denunciar o escândalo da Lava Jato, desferindo golpes fulminantes nessa corja de bandidos, através do site The Intercept Brasil, do qual é cofundador; desbaratar e acabar com a farra, e a farsa dessa quadrilha que está à frente da Lava Jato, deixando-a de joelhos. Acabou! Caiu a máscara dos algozes e perseguidores de Lula! A vida é assim: “Aqui se faz, aqui se paga!” “Quem com grampo fere, com grampo, será ferido!” É a lei do retorno. Cadeia pra essa corja! Parabéns, Green Glennwald! “In Lula we trust!” #LulaLivre #LulaPresoPolítico #LulaPerseguidopelaJustiça #LulaCondenadoSemProva #LulaInocente (Poeta nordestino, de Sousa, no Sertão da Paraíba)??????✊

    1
    1
  3. Não tem valor confissão obtida através de tortura, ainda que psicológica ou por meios indiretos, como o encarceramento por tempo indefinido.
    O Léo pode aproveitar a deixa para pedir anulação de seu processo.

  4. Desespero… E desilusão. Nossa “justissa” vai lavar as mãos. O STF não fará nada! A própria procuradora do MPF diz isso: esses senhores do STF têm cargo vitalício, um belo salário, imunidade total.. qual interesse destes juízes mexer neste vespeiro? Ir contra os generais que pressionam eles na cara dura, publicamente! Fora isso, um bando de coiotes na Paulista hoje… Bufando, xingando, espumando no canto da boca, idolatrando o juiz fora da lei. Tem que ser phodão para dar um basta nesta espetaqueira. Não vejo o STF fazendo isso! Tiveram oportunidade de estancar essa loucura. Preferem deixar do jeito que está e serem aclamados diariamente por esses bando de zumbis. Sim, dá muito menos trabalho. Triste demais!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome