Moro envia ação contra Beto Richa à Justiça Eleitoral, mesmo vendo crime de corrupção

Foto: Agência Brasil
 
Jornal GGN – Seguindo ordens do Superior Tribunal de Justiça, Sergio Moro enviou nesta segunda (25), à Justiça Eleitoral, um processo que tem a campanha de Beto Richa como beneficiário de esquema de corrupção envolvendo propina da Odebrecht.
 
Segundo informações de O Globo, Moro enxerga na ação elementos de crime de corrupção e lavagem de dinheiro, e não apenas caixa 2. De qualquer forma, enviou o processo para a Justiça Eleitoral fazer cópias e poder analisar de quem é a competência. 
 
A decisão foi tomada depois que a Corte Especial do STJ acolheu pedido da defesa dos réus e determinou a análise de competência da Justiça Eleitoral.
 
Contrariando as defesas, Moro indicou que há nos autos indícios de que Richa teria recebido R$ 4 milhões para sua campanha em troca de beneficiar a Odebrecht em licitação para duplicação da rodovia PR-323, em 2014.
 
O magistrado, contudo, diz que quem atuou diretamente na negociação pela propina foi um ex-assessor da Casa Civil de Richa.
 
Segundo O Globo, Moro determinou que a Justiça Eleitoral, “oportunamente”, devolva o processo para Curitiba.
 
Moro, há algumas semanas, abriu mão de julgar um caso que envolve agentes do governo no Paraná que receberam propina em esquema nos pedágios do Estado.
 
Leia também:  Xadrez da grande disputa entre Sérgio Moro e Raquel Dodge pela atenção de Bolsonaro, por Luís Nassif

11 comentários

  1. Ah se fosse o Lula

    PF apreende R$ 2 milhões em busca em endereços de Aécio e aliados de Temer

     

    PF apreende R$ 2 milhões em busca em endereços de Aécio e aliados de Temer – Agência O Globo 

    BRASÍLIA – A Polícia Federal apreendeu nesta quinta-feira R$ 2 milhões durante as buscas realizadas em endereços de aliados do presidente Michel Temer e do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). A polícia não especificou os locais onde o dinheiro foi encontrado. 
    A Polícia esteve hoje em diferentes endereços ligados a Aécio Neves.

    A operação se estendeu ainda aos gabinetes no Congresso do próprio tucano, do senador Zezé Perella (PMDB-MG) e do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e à residência de Andréa Neves, irmã do senador. Os imóveis de Aécio são localizados no Lago Sul, em Brasília; em Ipanema, no Rio de Janeiro; e em Anchieta (MG). Ele também tem uma fazenda no município de Cláudio, no interior de Minas. Ainda houve ordem de prisão contra o procurador da República Ângelo Goulart Villela e uma operação contra homem de confiança de Cunha, Altair Alves Pinto.
     O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) também foi alvo de mandado de busca e apreensão. Eram procurados documentos e informações sobre um caso que tramita no Conselho acerca de uma disputa entre a Petrobras e a Empresa Produtora de Energia (EPE), de propriedade do grupo JBS e com sede em Cuiabá.MAIS CEDO, POR MEIO DE NOTA, A PF INFORMOU QUE FORAM EXPEDIDOS PELO MINISTRO EDSON FACHIN, RELATOR DA LAVA-JATO NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, 18 MANDADOS.Na operação de hoje cerca de 200 policiais federais cumpriram 49 mandados judiciais, sendo 41 de busca e apreensão e 8 de prisão preventiva nos estados de Minas Gerais (17 buscas e 3 prisões preventivas), Paraná ( 2 buscas e 1 prisão preventiva) , Rio de Janeiro ( 3 buscas), São Paulo (7 buscas e 1 prisão preventiva), Maranhão ( 1 prisão preventiva) e Distrito Federal (12 buscas e 2 prisões preventivas).
     Segundo a PF, as medidas visam coletar provas de corrupção e crimes contra a administração pública, entre outros crimes, nas investigações que tramitam no STF. 

    Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/pf-apreende-2-milhoes-em-busca-em-enderecos-de-aecio-aliados-de-temer-21358948#ixzz5Hdhfcjp2 

     

  2. Governo FHC recebeu US$ 100

    Governo FHC recebeu US$ 100 milhões de 

    Governo FHC(sic) recebeu US$ 100 milhões de propina da Petrobras, diz Cerveró O vazamento só ocorre após busca em gabinete do senador petista Delcídio Amaral, onde documentos citando o ex-presidente tucano foram apreendidos. Cerveró ainda cita o envolvimento do ex-presidente argentino Carlos Menem https://jornalggn.com.br/noticia/atualizado-governo-fhc-recebeu-r-1-bilhao-de-propina-da-petrobras-diz-cervero 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome