MPF acusa BHP e Vale de articular ação para reduzir indenização de vítimas do desastre de Mariana

Gigantes da mineração também são acusadas de interferir em um processo judicial histórico que tramita no Reino Unido contra a BHP

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O Ministério Público Federal (MPF) acusou as mineradoras Vale e BHP Billiton de unirem forças com um advogado para reduzir a indenização das vítimas do rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, em Mariana, Minas Gerais. O desastre é considerado o maior crime ambiental da história. 

As gigantes da mineração, responsáveis pela Samarco – empresa que controla a barragem rompida, também são acusadas de interferir em um processo judicial histórico movido por 200 mil pessoas e grupos do Brasil que tramita no Reino Unido contra a BHP e que custaria cerca 6,3 bilhões de dólares, segundo informações da Reuters. 

Em um documento de 91 páginas, procuradores de Minas Gerais expõe indignação contra a decisão de um juiz que aceitou impor limites de compensação a nove requerentes e, depois, limitou os recursos para todas as vítimas de Baixo Guandu, no Espírito Santo, afetadas pelo rio de lama consequência do desastre.

De acordo com o relatório, as reivindicações de danos morais foram limitadas a R$ 10 mil. No entanto, outros detalhes da decisão estão sob sigilo, o que também foi contestado pelo MPF. 

Segundo os procuradores, o juiz decidiu o caso sob sigilo, sem a devida participação do MPF, apesar dos pedidos para acesso.

Para eles, a decisão colocaria fim às responsabilidades da BHP, Vale e Samarco pelas vítimas que aceitaram a indenização. Além disso, as vítimas que receberam pagamentos com base na decisão não teriam a oportunidade de pedir uma indenização adicional fora do país. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Aras pede “apuração preliminar” sobre reunião do GSI e Abin com a defesa de Flávio Bolsonaro

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome