Os sinais de ressaca na campanha sobre a AP 470

É curioso o estágio atual da mídia frente a AP 470. Ainda há espaço para os carniceiros, os estimuladores da manada. Mas, em momentos cada vez mais frequentes percebe-se um cansaço, uma certa lassidão que sucede os grandes episódios orgiásticos, seja na guerras sangrentas ou na pornografia. São sentimentos similares, denotadores da falta de limites.
 
A manifestação de Ives Gandra da Silva Martins – que, antes da Folha, já externara o mesmo desconforto na insuspeita revista da Associação Comercial de São Paulo – é significativa, por partir de uma das fontes preferenciais do  establishment midiático. 
 
O desconforto não é apenas em relação à teoria do domínio do fato – que poderá reverter contra os advogados em suas causas futuras. É também em relação à postura de magistrados, à perda de referenciais de cortesia, ao deslumbramento com os refletores.
 
A ele se somam manifestações de colunistas mais independente, pequenas brechas na muralha para abrigar o desconforto de outros juristas, advogados, análises mostrando a inutilidade do carnaval para as eleições de 2014.
 
Os objetivos não alcançados
 
A ofensiva midiática teve dois objetivos. O primeiro, desviar o foco da cobertura da CPMI de Carlinhos Cachoeira. O segundo, o de não apenas condenar, mas liquidar, humilhar, destruir, salgar a terra por onde passasse José Dirceu, pelo desplante de ter afrontado a mídia em diversas ocasiões.
 
Faz parte de uma lógica imperial: quem ousar se interpor no caminho da mídia precisa ser totalmente destruído como tática de disuasão.
 
Ninguém ganhou com essa demonstração irresponsável de poder.
 
Perdeu a mídia, perdeu o país e, principalmente, perdeu o Supremo.
 
Em nome da vingança atropelaram-se normas básicas de direito individual. Caminham para transformar réus em vítimas. Se preso, Dirceu se tornará herói em vida, ao invés da pessoa que, para garantir  a governabilidade ao partido, singrou por águas turvas
 
O que era para ser a punição exemplar de práticas políticas condenáveis, transformou-se no oportunismo mais rasteiro, revelando a outra face da mesma moeda de corrupção política: quando agentes se valem seletivamente dos vícios do sistema para jogadas oportunísticas. 
 
A hipócrita política brasileira
 
De fato, não há diferença entre réus e alguns dos julgadores. Todos fazem parte da mesma tradição de hipocrisia do modelo político brasileiro.
 
O jogo sempre é o mesmo. Há um conjunto de vícios no modelo. Partidos de oposição se fortalecem denunciando os vícios de quem está no poder. Quando conquistam o poder, repetem os mesmos vícios. Aí a nova oposição passa a criticar os vícios, utilizando-os de escada para reconquistar o Poder. Mas ninguém se preocupa em corrigir os vícios, porque todos se beneficiam deles – quem pratica e quem denuncia.
 
Ao julgar seletivamente os vícios do PT, ministros do Supremo agiram com a mesma hipocrisia dos partidos políticos. Não há diferença. Pertencem todos ao mesmo lodo institucional, no qual impera a esperteza, jamais o compromisso de aprimorar as regras do jogo.
 
A ressaca
 
Agora, tem-se essa lassidão. Há um incômodo generalizado no sistema judiciário, pelo fato da face pública do poder ser um Gilmar Mendes, um Luiz Fux, um Joaquim Barbosa, e nao mais um Moreira Alves ou mesmo um Celso de Mello. Um incômodo generalizado entre jornalistas independentes – que trabalham ainda na velha mídia – pelo fato de, na fase mais dura do macartismo, nao terem podido externar sua indignação com o antijornalismo praticado.
 
À medida que cessa o álibi da guerra total, vai caindo a ficha geral sobre o estrago que esses tempos de devassidão jurídica provocaram na imagem do Judiciário e na esperança daqueles que ainda acreditavam que o escândalo é a espoleta para as mudanças. No país da jaboticaba, não é: é apenas o holofote para levantar o ego togado de ministros de pouca grandeza.

89 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José X.

- 2013-09-25 01:29:10

Também acho que é manobra
Também acho que é manobra claramente oportunista desse pessoal DESCARADAMENTE direitista e anti-PT. Deixaram TUDO acontecer, sem abrir a boquinha, pra agora ficar dando uma de gente decente ? Ora vão se catar...Tem que ser muito, mas muito ingênuo mesmo pra acreditar que o Ives Gandra (Ives Gandra, minha gente, supenumerário da Opus Dei) está preocupado com a "injustiça" contra o Zé Dirceu.

Ramalho12

- 2013-09-24 19:33:31

AP 470, Mentiras e Videotape

Vídeo resumo de reportagens investigativas da revista Retrato do Brasil (apud Blog do Miro) mostrando que

 

 

 

 

 

 

 

o Relator e os dois procuradores gerais foram infiéis às provas. Em tese, suas excelências cometeram crime. As notícias indicam que o julgamento precisa ser anulado.

Ver o vídeo é essencial para entender em que consistiu o julgamento da AP 470, especialmente a participação de Joaquim Barbosa e Roberto Gurgel.

 

LiTiSeAs

- 2013-09-24 19:04:07

"O PT utilizou caixa 2, o que

"O PT utilizou caixa 2, o que é ilegal, mas todos os partidos o fazem." (grifos meus)

Caro Cunha, digo a voce e a todos: CAIXA 2 só existe na política porque a sociedade adimite, faz ou aceita.

Em vários lugares, seja comércio, prestadores de serviço, autonomos etc - não vou alongar-me - quando vai se pagar, vem o velho dito "COM NOTA/RECIBO", "com nota/recibo é tanto e sem nota/recibo é tanto a menos"; e assim caminha a humanidade em nosso país.

Diante dos fatos acontecidos até agora, passo a pensar:

Por que deu-se o nome de MENSALÃO e não de CAIXA 2?

Busco a resposta: Se fosse CAIXA 2 o apelo para a condenação não pegaria na maior parte da sociedade, seja no mundo do senso comum, como no mundo dos negócios, no mundo dos chamados intelectuais e mesmo dos que se clamam como honestos, repito: CAIXA 2 é ACEITÁVEL em nosso meio. Talvez nem seria aceita a denúncia no STF. Ah! talvez nem seria apresentada a denuncia.

Fica claro que não seria aceito pois o que se vê, se lê hoje é que devido a alteração da tradição do nosso direito de: na duvida/sem prova pro reo para a teoria do domínio do fato - o alibi que tornou possível a condenação do Zé Dirceu -, muitos estão preocupados, principalmente os grandes executivos ou não, pela continuidade do judiciário manter essa nova no nosso direito, principalmente quando for nas questões penais.

A lambança foi feita e Agora?!

Agora, ELES, já lavaram as mãos - como um pôncio pilatos - o fato esta consumado: CONDENAÇÃO.

O povo, a sociedade - ludibriados - querem vê-los o mais rápido possível nas grades/celas de nossas prisões.

Mas, e ELES...

ELES Agora querem reverter um quadro criado por eles mesmos, querem retornar ao status quo do nosso direito: IN DUBIO PRO REO.

QUEM VIVER VERÁ

 

 

 

Jurgen2010

- 2013-09-24 18:12:40

Fácil! A antiga lei

Fácil! A antiga lei "intuitiva" que pune ppp&P.

Jurgen2010

- 2013-09-24 18:09:10

O próximo ministro a pular

O próximo ministro a pular fora pode ser a ministra, (acho que não mas acompanho o relator) maria-vai-com-os outros.

Carlos Dias

- 2013-09-24 16:46:28

é o que penso.

Vão mudar o disco, se afastar dos holofotes e, prudentemente, distanciados do "clamor popular" e das trombetas do PIG irão salvar todos os corruptos reaças e direitista.

Neideg

- 2013-09-24 16:44:49

No dia que o Brasil decidir

No dia que o Brasil decidir que quer um Judiciario minimamente serio terah que escolher a ferida mais putrefata para jogar agua oxigenada e antibiotico sobre ela.

Gilmar ainda eh muito jovem, ele eh a ferida aberta da sujeira que eh o nosso Judiciario. Escolher-lo, serah um exemplo a seus pares que ostentam desonra e desfacatez , como se o Brasil fosse constituido apenas por oligofrenicos.

JbMartins

- 2013-09-24 15:40:08

ap 470

Este Pig se juntou aos Tucanos, virou uma cobra sucuri, estou pensando, qual interesse de somente agora de estar fazendo a Justiça, “o Dirceu é inocente, não existe provas”, coincidência, somente apos a PGR dizer que não vai deixar prescrever e vai julgar o Mensalão mineiro/Tucano, ali tem provas e documentos vai aparecer a cola do PIG.

Luís CPPrudente

- 2013-09-24 14:29:43

Bravo Lewandovsky

Heróico e bravo Lewandovsky, que no período mais duro do lendário mensalão do PT, quando ocorreu a vitória de Pirro do PIG-PSDB-PFL-PPS, sustentou praticamente sozinho que não estava ocorrendo um julgamento de acordo com as leis brasileiras e sim um linchamento contra os réus da ação 470.

Linchamento este que tinha como líder o fanático e irracional Joaquim Barbosa, que escondia provas que desmontava toda a farsa que ele tentava construir.

Djijo

- 2013-09-24 14:13:12

"Aí a nova oposição passa a

"Aí a nova oposição passa a criticar os vícios, utilizando-os de escada para reconquistar o Poder". Acho que nesse ponto é pior pois é a nova oposição mais o seu aparato midiático virulento e interesseiro. A antiga oposição era com a cara e a coragem. A nova, respaldada pela imprensa que espera receber a parte do butin.

Marcos Antônio

- 2013-09-24 13:58:02

o Caso do Mensalão X STF

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=tq15GeVliVI

Carlos Lima

- 2013-09-24 12:45:27

Não existe água debaixo da ponte do Judiciário.

Quando se seca tudo, tudo realmente se torna seco, árido insalubre de vida, de inteligência de compaixão e de verdadeira justiça. Não se espera de um juiz água gelada, frutos frescos ou assopros que combatam o calor, espera-se de um juiz cautela, imparcialidade, técnica e justiça. O que houve com o STF foi que a mídia o matou, o destruiu, o extinguiu. Segundo Claudio Lembo o STF transformou a população em "rábulas" e eu acrescento quando faltam juízes abrem caminhos para os rábulas. O STF virou realmente um partidão político cheio de caçadores de medalhas de títulos e comendas, pelo menos ficaram luzes no fim do túnel, mas sobrou muito pouco, foi uma lambança que pareciam serem teorias abduzidas de algum planeta sem nenhuma cultura, sem nada, realmente seca.  O plano era agradar alguém ou alguma coisa, mas certo era um plano, não é possível várias pessoas cometerem o mesmo erro grasso em frente as câmeras e com insistentes avisos do erro, nenhum tribunal do mundo aplicaria tal teoria e muito menos qualquer juiz seguiria tal insanidade, pois o tornaria um qualquer. Não teve qualquer aviso vindo do tribunal para a população inundada por o processo em que os réus já eram culpados e condenados, a grande mídia pautou todos os passos desses julgamento, foi uma obra de ficção e com a possibilidade de concretizar o maior escalabro judicial da humanidade, tudo era feito de forma a esquartejar os réus em pedaços difíceis até de os enterrar, as penas eram calculadas ao limite do verdadeiro absurdo para que fosse satisfeita o maior de todos os rábulas, a mídia. Os brasileiros ordeiros e sem interesses não poderiam ter sido agraciados com tamanha intolerância jurídica, isso foi mesmo um tribunal de exceção seguiu todas as cartilhas para ser um, só faltou à degola, pelo menos até agora. Ainda não houve o GAME OVER da mídia, ela quando persegue é como os neurônios, acham outros caminhos para executarem o plano.  A mídia é implacável quando se trata de dinheiro público, ela vive disso, isso é sua vitamina, o tribunal sabe e soube disso, mas a mídia manda recado nem que tenha que vir de Miame, todos realmente perderam, uns mais e outros menos e uns perderam quase tudo porque não sonegaram,  e no BRASIL só alguns podem sonegar, parece até quem já tem CND para sonegadores.

MRE

- 2013-09-24 12:20:05

E o Congresso

E o Congresso não vai aproveitar o momento, ouvir a voz do povão ligago na internet ( vacinado contra o Jornal Nacional), e propor e mandar tirar o Batmam Barbosa, o delegado, dono de cursinhos,  Mendes;  o deus Collor. Aproveita e tira o sem palavras ( o que disse que adorava o Zé Dirceu) e é maria vai com as outras( um gravador sai mas barato para a nação). Vamos ostrar a nossa indignação com o estado de coisas que tem envolvido o país. Antes alegre como país do futebol,do sol, do carnaval e hoje é o país do futebol insosso da Globo do Galvão, do carnaval depois da novela, das notícias catastróficas diárias que tormam o outrora país alegre em uma nação que fica esperando o pior acontecer e agradecida ao PIG por existirem avatares como Jabour, Merval, M.Leitão, Bonners, Faustãos, etc..

".....Quem sabe faz a hora não espera acontecer" -    o Congresso ( que representa o povão) tem que cantar este hino na sessão do STF e mostrar que a era medieval , onde quem distoasse era queimado e torturado diante de um públlco dividido em adorar crueldades e uma parte dizendo que este não foi o que o Cristo ensinou, DEFINITIVAMENTE acabou !.

MRE

- 2013-09-24 12:20:02

E o Congresso

E o Congresso não vai aproveitar o momento, ouvir a voz do povão ligago na internet ( vacinado contra o Jornal Nacional), e propor e mandar tirar o Batmam Barbosa, o delegado, dono de cursinhos,  Mendes;  o deus Collor. Aproveita e tira o sem palavras ( o que disse que adorava o Zé Dirceu) e é maria vai com as outras( um gravador sai mas barato para a nação). Vamos ostrar a nossa indignação com o estado de coisas que tem envolvido o país. Antes alegre como país do futebol,do sol, do carnaval e hoje é o país do futebol insosso da Globo do Galvão, do carnaval depois da novela, das notícias catastróficas diárias que tormam o outrora país alegre em uma nação que fica esperando o pior acontecer e agradecida ao PIG por existirem avatares como Jabour, Merval, M.Leitão, Bonners, Faustãos, etc..

".....Quem sabe faz a hora não espera acontecer" -    o Congresso ( que representa o povão) tem que cantar este hino na sessão do STF e mostrar que a era medieval , onde quem distoasse era queimado e torturado diante de um públlco dividido em adorar crueldades e uma parte dizendo que este não foi o que o Cristo ensinou, DEFINITIVAMENTE acabou !.

Assis Ribeiro

- 2013-09-24 11:25:36

Não era de se esperar do

Não era de se esperar do órgão maior da nossa justiça a reprodução da forma rasteira do existencialismo (*)  moderno;  "à postura de magistrados, à perda de referenciais de cortesia, ao deslumbramento com os refletores".

(*) Existencialismo é um termo aplicado a uma escola de filósofos dos séculos XIX e XX que, apesar de possuir profundas diferenças em termos de doutrinas, partilhavam a crença que o pensamento filosófico começa com o sujeito humano, não meramente o sujeito pensante, mas as suas ações, sentimentos e a vivência de um ser humano individual.  No existencialismo, o ponto de partida do indivíduo é caracterizado pelo que se tem designado por "atitude existencial", ou uma sensação de desorientação e confusão face a um mundo aparentemente sem sentido e absurdo. Wikipedia.

Se pautar pela midia e julgar sem base técnica, fugindo de princípios elementares de Direito, demonstra a pobreza intelectual de alguns dos membros do STF.

Este julgamento já é ridicularizado pela classe jurídica e os seus erros já estão na memória de muitos e serão assimilados com o tempo até pela parte que tem sede de sangue.

O texto de Nassif é brilhante por focar o aspecto sociológico, o que poucos comentaristas fizeram.

foo

- 2013-09-24 11:16:47

"A ofensiva midiática teve

"A ofensiva midiática teve dois objetivos. O primeiro, desviar o foco da cobertura da CPMI de Carlinhos Cachoeira. O segundo, o de não apenas condenar, mas liquidar, humilhar, destruir, salgar a terra por onde passasse José Dirceu, pelo desplante de ter afrontado a mídia em diversas ocasiões."

Não esquecer o terceiro objetivo, que também falhou:

A ofensiva midiática em 2012 também teve como objetivo influenciar as eleições para prefeitura em todo o Brasil.

Como todos sabem, o PT não apenas venceu muitas prefeituras, como ganhou também a jóia da coroa: a prefeitura de São Paulo.

Nitidamente, a opinião pública foi bem diferente da opinião publicada.

 

Álvaro Noites

- 2013-09-24 10:57:01

Também concordo com vocês. Os

Também concordo com vocês.

Os linchados do PT ainda tem ideologia, mesmo recorrendo a acordos que nada agradaram a militância.

Basta ver que os réus petistas da AP470 são pobres ou levam uma vida modesta, ao contrário dos clãs oriundos do PSDB, verdadeiros "prodígios" e muito ricos.

Não dá, quando penso em PSDB, PFL (e a maquiagem DEM), penso sempre em bandidos, cujas ideologias apenas são "dar-se bem" e um patente "desamor" pelo Brasil.

Sergio R. dos Santos

- 2013-09-24 10:51:06

O jogo é, de fato, sempre o mesmo

Caros colegas, embora o PT seja diferente dos demais, principalmente dos tucanos e dem (ônios?) da vida, acabou utilizando os mesmos instrumentos de seus detratores. Não podemos defender o caixa 2. Se tem cara de palhaço, roupa de palhaço, pinta de palhaço, se comporta como palhaço... é um palhaço. E algumas injúrias como Fator Previdenciário sobrevivem, apesar de 3 governos consecutivos do PT. Isso provoca o achatamento das aposentadorias. O governo deve, também, ser firme quanto ao projeto do tal do Mabel (deputado empresário) que quer terceirizar, quarteirizar, etc. o serviço público. Pode ser que isso melhore o serviços, em alguns casos, mas o assunto é complexo demais e não pode ser tratado a toque de caixa porque dá margem aos mesmos problemas que apontamos no serviço público: contratações em número superior ao necessário; contratações por QI (quem indica); superfaturamento (paga-se pouco ao funcionário, mas cobra-se muito do serviço público); introdução de funções desnecessárias; aumento de burocracia para justificar o número de contratações; etc. E as mais importantes reformas que devemos instituir para dar seriedade ao Estado Brasileiro: política, tributária; fiscal; meios de comunicação. Na atual situação, o povo é sempre manipulado por um oligopólio midiático e polítco que impedem que as instituições funcionem adequadamente.

luka

- 2013-09-24 10:31:01

Agora percebe-se o pavor de

Agora percebe-se o pavor de Gilmar e de Barbosa. Nessa fase do julgamento estão expostos. Ambos, vaidosos que só, já devem ter percebido o clima no meio judiciário a respeito de suas decisões.O medo deles agora é ter que sustentar as abobrinhas que até aqui defenderam.  

Estão entre a cruz e a espada. Para defenderem o ponto de vista terão que fazer malabarismo vergonhoso que os desnudará ainda mais. Para voltarem atrás, cairão em desgraça com seu público, sem apoio da imprensa que agora viu o perigo, para si e para a oposição, da reafirmação do dominio de fato. 

Gilmar sentiu que está sendo abandonado e está apavorado.

Falta um desagravo ao Ministro Lewandovsky. Lembremos como ele foi achincalhado e pressionado pelos seus pares para apressar o julgamento a tempo das eleições. Foi humilhado e ridicularizado pela imprensa a ponto de ser hostilizado nas ruas. Todavia não mudou uma virgula do que sustentou e pela coerência é o único que pode falar de peito aberto sem constrangimento.

Eduardo Ramos

- 2013-09-24 10:05:50

arrebentou!!!!

Parabéns Nassif, esse texto ficou brilhante, uma síntese da geléia geral que tomou conta do Brasil a partir do início do julgamento, quando Grande Mídia, os ministros sem caráter do Supremo, e os golpistas de sempre, prepararam o circo de horrores... a verdade sempre aparece, e bate sim, um cansaço em quem é digno, mesmo sendo de oposição, com tanta selvageria..... Abraço!!!

Webster Franklin

- 2013-09-24 08:25:51

Este é um dos sinais da ressaca

Este é um dos sinais da ressaca, a mudança na PGR, com mensalões do PSDB/DEM   e outros inúmeros processos judiciais do grupo Globo entrando em pauta possívelmente em 2014. http://correiodobrasil.com.br/noticias/brasil/rede-globo-perde-acao-bilionaria-por-sonegacao-de-impostos/645931/

 

Novo procurador critica ‘autismo’ e falta de transparência da gestão Gurgel

Sobre ‘Mensalão Tucano’, engavetado pelo antecessor, Rodrigo Janot diz que trabalhará para evitar prescrições de penas

por Redação RBA publicado 21/09/2013 11:30, última modificação 21/09/2013 11:37 ©SÉRGIO LIMA/FOLHAPRESSrodrigo janot

Para Janot, Procuradoria Geral da República deve dialogar mais com outros poderes

São Paulo – Em entrevista concedida aos repórteres Felipe Recondo e Andreza Matais, para o jornal O Estado de S. Paulo, o novo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, deixou claro que está disposto a imprimir ao Ministério Público Federal um ritmo menos partidarizado e mais transparente do que seu antecessor no cargo, Roberto Gurgel. Ele critica o “autismo” que tomou conta do órgão não gestão passado, devido ao que ele chama de falta de diálogo com os demais poderes, e se recusou a classificar o chamado mensalão como “maior escândalo de corrupção da História do Brasil” – como fazia Gurgel. Para Janot, “toda corrupção é ruim”. O importante a destacar, segundo o novo procurador,  é que houve investigação e julgamento, o que contrasta com a ideia de suposta impunidade. Perguntado se vai acelerar o processo que tratada do chamado Mensalão Tucano, que ocorreu em Minas Gerais nos governos Fernando Henrique Cardoso e Eduardo Azeredo, ambos do PSDB, Janot respondeu: “Pau que dá em Chico dá em Francisco”. Abaixo a íntegra da entrevista publicada:

O processo do mensalão está acabando. O senhor vai acelerar o processo do mensalão mineiro?

Pau que dá em Chico dá em Francisco. O que posso dizer é que, aqui na minha mão, todos os processos, de natureza penal ou não, vão ter tratamento isonômico e profissional. Procuradores, membros do Ministério Público e juízes não têm processo da vida deles. Quem tem processo da vida é advogado. Para qualquer juiz e para o Ministério Público todo processo é importante.

O crime de formação de quadrilha no mensalão mineiro já prescreveu. O senhor vê novos riscos?

Uma das minhas formas de trabalho aqui é dar a prioridade a qualquer processo com risco iminente de prescrição. Isso é buscar efetividade da justiça.

O senhor já disse que não deve pedir prisão imediata dos réus do mensalão. Mas vai agilizar os pareceres aos embargos infringentes?

Eu tenho de esperar o acórdão. Vou me desincumbir do que tenho de fazer o mais rápido possível. Mas não posso dizer se vou usar o prazo todo ou não. Vai depender do acórdão. Eu vou inclusive usar o recesso. Não vou tirar férias.

O senhor considera que o julgamento do mensalão foi um marco contra a impunidade?

Não. Eu tenho muito receio de dizer que um processo é um marco contra a impunidade, que é marco disso ou daquilo. Eu espero que isso contribua, dentro de um contexto maior, para que todo o processo chegue ao final com o resultado que a lei prevê. Será que esse é o grande marco? Não sei se é o grande marco. Eu olho pra trás e vejo que este julgamento, há 20 anos, não teria ocorrido, não existiria o processo. Essa tem que ser a grande mudança.

Por que não haveria processo há 20 anos?

Havia uma resistência a se aplicar igualmente a lei para todo mundo. Hoje a República é mais República.

O senhor comunga da ideia de que foi o maior escândalo da história do País?

O que é maior? Receber um volume de dinheiro de uma vez só ou fazer uma sangria de dinheiro da saúde, por exemplo. São igualmente graves, mas eu não consigo quantificar isso. Não sei o que é pior. Não sei se este é o maior caso de corrupção, não. Toda corrupção é ruim.

Talvez pelo envolvimento da cúpula de um governo.

E a (corrupção) difusa? Envolve também muita gente. Dinheiro que sai na corrupção falta para o atendimento básico de saúde, educação e segurança pública. Toda corrupção é ruim.

O senhor já disse que não defende a prisão agora dos condenados do mensalão com novo julgamento. E os demais?

]Para esses, transitando e julgando a prisão é decorrente. Para os demais (que terão um segundo julgamento), só depois da publicação do acórdão.

O senhor defende a extinção do foro privilegiado ou a mudança poderia gerar mais impunidade?

Quanto mais se sobe o foro, mais diminui a revisão dos julgados. Se você diminui a revisão do julgado, maior é o risco de ter erro. Essas questões têm que ser colocadas de maneira clara na mesa para discutir esse assunto.

O senhor disse que tem disposição ao diálogo. Isso tem a ver com pessoas que o senhor investigará?

Investigação não é diálogo. Falo de relação institucional entre poderes.

Esse diálogo faltou nos últimos anos?

O Ministério Público se fechou. Virou uma instituição autista. Diálogo não é composição. Se eu tiver de investigar, eu vou investigar. Eu sou mineiro ferrinho de dentista.

Como o senhor pretende acelerar processos que estão no Ministério Público?

Vou dar maior transparência às questões que tramitam no gabinete do procurador-geral. A sociedade brasileira tem direito de saber o que tem aqui dentro, como tramitam os processos e os prazos. Eu quero abrir o gabinete. Minha segunda meta é acabar com os processos que ficam na prateleira. O acervo é a massa do diabo. Não podemos ter medo de arquivar e de judicializar.

O senhor é a favor de flexibilização das regras para criação de novos partidos?

Não temos que flexibilizar. Temos que cumprir a lei. A lei fixa os requisitos para a criação dos novos partidos. Nós temos que ver se os requisitos foram cumpridos. Ponto.

O senhor enviará proposta ao Congresso para diminuir benefícios salariais para os membros do Ministério Público, como auxílio-moradia ou licença prêmio?

Eu discuto o estatuto (do Ministério Público) como um todo. Para que eu possa enviar uma proposta cortando o que está previsto no estatuto, tenho que negociá-lo como um todo. Duvido que qualquer colega meu não deixe de trocar privilégio pela garantia de investigação.

Outros procuradores-gerais da República já saíram com a pecha de engavetador e prevaricador. O sr. quer deixar qual marca?

Quero deixar uma marca: simplicidade. Só.

 

IV Avatar do Rio OOOOOOooo

- 2013-09-24 06:37:56

O bando dos 4(oposição, stf, pgr, mídia) montou uma farsa

GANDRA MATANDO DOIS COELHOS COM UMA CAJADADA SÓ? Quanto a esta crítica de Ives Gandra sobre o uso da teoria do domínio de fato(sem provas) para condenar Zé Dirceu, entendo que, embora tal declaração alivie e muito para o perseguido politico Zé Dirceu, me pergunto se Gandra estaria, também, mirando os juizes de primeiro grau e lhes dando o seguinte recado: Rasguem essa jurisprudência do STF, usada num julgamento de exceção!  Seria uma ordem para que o STF volte ao garantismo, ou seja, ao respeito às garantias previstas na CF. O Cláudio Lembo fez coro às declarações de Ives Gandra. É como se até a Casa Grande pedisse arrego. Terá sido uma ordem para que o STF volte ao normal? Não creio, sendo mais provável que a declaração de Gandra, tenha sido um recado para os juizes de primeiro grau: Não usem a teoria do domínio de fato para condenar meus clientes! O STF já voltou ao normal há muito tempo(mas não no que diz respeito ao julgamento do mentirão), basta ver as decisões do STF neste período. O MAM acabou voltou a ser garantista, por exemplo para suspender o julgamento do fazendeiro e político tucano que mandou assassinar os fiscais do MTb, ah se fosse petista. Mais uma dúvida: Seria o recado de Gandra dirigido aos juizes de primeiro grau para que não usem jamais a tese do domínio de fato(sem provas), isso que usaram contra Dirceu e, como ele(Gandra) diz, de forma errada? Pode ser. Um caso a se pensar.Só sei que o julgamento do mensalão, por ter se destinado a julgar um crime inventado pelo bando dos 4 (oposição, mídia, stf, pgr), será de exceção do começo ao fim, e veja só vc que, no caso Escola Base, foram necessárias apenas duas forças para montar uma farsa: Mídia e polícia. De forma que o resultado do julgamento do mentirão não poderia ter sido outro se se juntaram forças descomunais para perseguir um partido político. 

IV Avatar do Rio OOOOOOooo

- 2013-09-24 06:03:44

Sim, foi o bando dos 4(mídia, stf,pgr,oposião)

Sim, foi o bando dos 4 que montou este processo mentiroso. E veja que, no caso Escola Base, foram necessários apenas a polícia e mídia para destruir a vida de várias pessoas, imagina no caso do mensalão para onde convergiram 4 grandes forças bandidas: Mídia, oposição, PGR e STF. Montaram uma versão de um crime que não existiu e, para manter a farsa, instalaram um Tribunal de Exceção. Desconheço julgamento que tenha sido tão dantesco, nem na ditadura militar, nem o Tribunal de Nuremberg foram deixadas de lado o direito de defesa, não se usou a tese do domínio de fato para a condenação sem provas e muito menos o julgamento foi transformado em show televisivo. Não estou aqui a elogiar processos em regimes ditadoriais, pelo contrário, estou apenas demonstrando o que se passou nas mãos do bando dos 4. Não podemos permitir isso, essa vendeta. Esse julgamento tem que ser anulado.

SILOÉ-RJ

- 2013-09-24 06:01:04

CANOA FURADA

Com a canoa do PSDB fazendo água, fica muito fácil identificar as ratazanas.

Com FHC reconhecendo que na periferia não dá.

Com o marqueteiro do Aécio dizendo que não adianta bater a tecla do mensalão.

Que de conversa de político, o povo tá cheio.

Que não se faz o futuro sem um presente sólido e nem sem corrigir os erros do passado.

Que papo reto de bêbado não dá nem pra entender.

Até que demorou para os coxinhas pularem fora!!!

Mayday!!! Mayday!!!

ulisses tavares

- 2013-09-24 04:18:44

nao é midia, nassif, estao

nao é midia, nassif, estao matando a imagem dos resistentes a ditadura, do poder de uma elite economica, problema que tiveram que expor tanto a midia e o judiciario, frutos da ditadura, de periodos sem lei, incluindo o judiciario, boa parte deste, incluindo o pgr que fez as acusacoes foram nomeados no periodo ditatorial, e os novos tem que passar pela banca, esta toda indicada no periodo sem estado de direito,,,,

no primeiro momento, conseguiram, mas o saldo do desgate é na torcida ou nos menos informados, custo do desgate da verdade absoluta da midia e judiciario, ha, estes valeu, mesmo que prendem os zes, 

a ira que populacao mostrou contra medicos nao é apenas pela posicao deles contra os cubanos, estava guardada por anos sendo mal tratados e tendo que depender dos medicos, nao se iludam, o judiciario talves nao tenha a gota, mas a reforma esta batendo a porta e nao é so suplemo nao, ministerio publico entao,,,

obs ives gandra reconhecidamente como conservador e MEMBRO DA IGREA CATOLICA, ala opus dei

peregrino

- 2013-09-24 03:45:15

realidade processual e regras de experiência...

se é reconhecido que maioria não tem, solução errada do Estado

Paulo Bandeira

- 2013-09-24 03:44:16

Se os ministros têm patrões,

Se os ministros têm patrões, quem é o patrão de Levando, Totó e Barrô?

 

[email protected]

- 2013-09-24 03:42:59

Bispo da Dama na Torre de Marfim

Concordo que tem que lamentar e muito, não ser cego, surdo e mudo, principalmente por não poder justificar assim o analfabeto liminar, não por manifestar-se do contra, mas sim por, ter olhos e não ver, ouvidos e não ouvir e fala e não se expressar, já que na prática mostra não compreender o que vê, lê e ouve, mesmo se colocando ao lado da Rainha.   

Luís CPPrudente

- 2013-09-24 03:36:37

Nem todo partido é igual

O PT  e até mesmo o PCdoB (a quem credito os meus votos) são partidos que podem errar, fazem alguns escorregões e atos ilícitos, mas os fazem pensando em melhorar a vida dos brasileiros em geral, dos movimentos sociais organizados (o caixa 2 é ilícito, mas todos os partidos sempre fizeram isto). Mesmo com esses erros, escorregões e atos ilícitos PT e PCdoB não se comparam ao PSDB e PFL. Pois o PSDB e o PFL quando fazem atos ilícitos e escorregões, o fazem para prejudicar os movimentos sociais e os brasileiros em geral. PSDB e PFL fazem os atos ilícitos para beneficiarem o poderio econômico em detrimento da sociedade brasileira.

O PSDB e o PFL tem o espírito traidor e antinacional da velha, elitista e ranzinza UDN, são partidos que promovem a corrupção em prol da manutenção do poder dos grupos econômicos e da concentração de renda.

Dentro do PMDB há pessoas sérias, progressistas e nacionalistas. Mas há também os que tem atração irremediável aos corruptos e corruptores que apoiam o PSDB e PFL.

Por isto digo que nem todos os partidos são iguais, muitos menos os políticos dos partidos. Dentro do PMDB, por exemplo, há pessoas dignas como é o caso do Roberto Requião.  No entanto, dentro do PT há pessoas que não merecem ser militantes do PT, pois vendeu a sua alma e consciência aos corruptores, caso do Paulo Bernardo.

Isto é uma pequena prova de que nem todos os partidos são iguais. Sendo que dentro de um mesmo partido, o PMDB há o lado podre (aliado do PSDB) e o lado progressista e nacionalista. O mesmo vale para os políticos dos partidos (e todos nós somos políticos, o que mostra que nem todos os políticos são iguais).

 

peregrino

- 2013-09-24 03:36:16

realidade processual e um muito de impossibilidades...

se não há como provar o oposto de algo que foi presumido na ausência de provas, solução errada

peregrino

- 2013-09-24 03:20:13

realidade processual e um muito de presumido...

testemunho de inimigo político tradicional...dada credibilidade por livre(?) raciocínio, solução errada

 

Cristiana Castro

- 2013-09-24 03:17:34

Mas aí é saber se a gente vai

Mas aí é saber se a gente vai deixar isso barato, né? Que foi perseguição política, acho que ninguém duvida mais. Sinceramente, não quero esse tipo de julgamento para ninguém mas tb aceitá-lo, para uns e depois comemorar a volta do STF ao normal, não vai rolar, de jeito nenhum. O julgamento ainda não acabou, portanto, não há condenados, AINDA. Se vira STF!

Jos[e Ricardo

- 2013-09-24 03:16:06

Sinais de Ressaca

Jaime, lembrar que o Francisco Rezek era o Presidente do TSE quando o Collor foi eleito. Ele deixou o STF para ser Ministro do Collor e Collor o indicou mais uma vez para o STF.

Luís CPPrudente

- 2013-09-24 03:13:03

PSDB e PFL= corrupção plena e constante

Toda vez que vejo a sigla PSDB, penso em partido da corrupção. Igualmente quando vejo a sigla PFL. Estes são os verdadeiros partidos que defendem os corruptos e os corruptores. Além de serem entreguistas e antinacionais.

O PSDB nasceu de dentro do PMDB criticando a corrupção e o "dando que se recebe" do PMDB de então. Podemos dizer que o PSDB superou quem o gerou, se tornando a imagem cuspida da corrupção sendo escondida pelas famiglias mafiosas (redundância) do PIG.

peregrino

- 2013-09-24 02:44:56

ainda que seja tradição política, conforme corretamente exposto

ainda que penas sejam reduzidas e ainda que todos os partidos recebam o mesmo tratamento daqui para frente, nem por isso o STF deixará de ser conforme se mostrou.................

 

se o resultado do julgamento representa uma solução errada do Estado, por suposto, ainda precisaremos de muitíssima história e tempo de tv para ter certeza que não foi

 

note-se, contagem histórica a partir de 1970 e ainda restam dúvidas

 

domínio do fato...uso aceito, solução errada

Rpv

- 2013-09-24 02:30:48

Só tem um problema nesta sua

Só tem um problema nesta sua análise, Nassif.

Fizeram de tudo para condenar os petistas.

Havia três CPIs simultâneas durante o Governo Lula.

Os procuradores, primeiros da lista, aceitaram a acusão e encaminharam para o STF.

Criou-se a AP 470. 

E o que aconteceu?

A desmoralização do STF. Por que? 

Ora, por que não havia provas além do caixa 2. Um crime do partido.

Quantas CPIs tiveram para investigar quando a oposição estava no governo federal? Quantas para investigar seus governadores, seus trens e mensalinhos?

Será que estes governantes, seus ministros e secretários passariam ilesos, diante de tamanho pente fino? O Marconi Perillo "vendeu" a casa para o Cachoeira, e estava para assumir a presidência do Senado quando queriam cassar o Sarney.

Outro ponto, qual partido no governo concentrou renda, ou ao menos manteve praticamente inalterada, e qual desconcentrou a renda nacional?

São todos mais ou menos iguais. Mas há muita diferença entre o resultado da política de um e a pressão investigativa e o julgamento que de fato ele sofreu, e o resultado da política do outro e a falta de uma investigação e julgamento. É só ler o seu livro, o do Amaury, do Biondi, do Palmério, do PML sobre o mensalão, e os estudos do Marcelo Néri.

Tudo bem que todo mundo é livre para torcer e acreditar no que quiser (não é seu caso). Mas as evidências sobre a diferença entre os "dois lados", digamos assim, é muito grande.

jaime silva

- 2013-09-24 02:18:41

Sinais de ressaca Nassif?

Sinais de ressaca Nassif? Então ainda não te contaram a quantas anda o Roda Morta da TV Cultura. Convidaram o "parceiro" Francisco Rezek para comentar a aceitação dos embargos infringentes, e, só para não variar, convidaram o Reinaldo Azevedo e outros Zé Manés da Época, do Estadão e da Folha, todos previamente treinados para fazer a manchete desejada pelos patrões. Mas o prêmio cara-de-pau mor vai para o repórter da Folha, que teve a "coragem" de perguntar ao Rezek se Dias Tofóli não deveria ter aberto mão de participar do julgamento por já ter advogado para o PT. O engraçado é que o cara nada falou do impedimento do Gilmar Mendes por tb ter trabalhado para o PSDB. Não bastasse, o repórter ainda questionou Rezek se o MP (leia-se Gurgel) não deveria ter impedido Tofóli de participar do julgamento. Como pode nosso país ter uma mídia tão pilantra? 

serralheiro 70

- 2013-09-24 02:10:46

Jogo perde - perde.

Nassif, nosso mundo político começou este fla flu na CPMI dos correios. A falta de bom senso trouxe este processo político para uma devastadora guerra onde nada de bom poderia acontecer O envolvimento do MPF e posteriormente STF que se alinharam aos demotucanos, com apoio da turma do cachoeira, condicionaram este resultado onde não poderia haver vencedores.Que fique o alerta para uso futuro. Nossos partidos que não são "de mentirinha" precisam encontrar uma forma civilizada de coexistência. A prática de finaciamento de campanhas com recursos inadequados tem que ser extinta. O MPF não pode se guiar nem por corporativismo, nem por preferências políticas. O ativismo do stf tem que ser sepultado, a liturgia do cargo deverá exigir moderação e contenção de exposição midiática dos juizes, manfestação só nos autos. A AP470 nos mostra quanto podemos perder. Pedeu o mundo político, perderam indtituições: o  congresso, o MPF,  justiça na figura do ministros do supremo. Finalizando perdeu todo povo brasileiro na paralisia das nossas institições. Como na Inquisição perderam as bruxas e perdeu  Igreja

drigoeira

- 2013-09-24 01:59:15

Concordo

O Brasil é um país de cordeiros, o Dirceu será abatido em praça pública e ficará nisso mesmo. 

STF voltará ao que era antes, e nem um sopapo estes juízes irão levar.

Walter 22

- 2013-09-24 01:57:04

Vídeo sobre o mensalão

http://www.youtube.com/watch?v=tq15GeVliVI

Hugo Carvalho

- 2013-09-24 01:56:44

Arrasou, mesmo. Tenho

Arrasou, mesmo. Tenho acompanhado de longe todo o debate em torno da AP470 fora e aqui no blog. Aqui foi onde aclarei as ideias. E agradeços a todos os participantes. Foi um julgamento de exceção, um julgamento inquisitorial, medieval.. hoje alguns outros na grande imprensa fazem essa constatação. O blog e outros sujinhos já batiam nessa tecla a muito. Acho que os ratos mais espertos estão pulando fora.. é a única explicação que consigo achar. Covardes, pusilânimes, é isso que são.

Ps: Cristiana Castro, sou seu fan! rsrs

 

Sidnei

- 2013-09-24 01:44:49

NÃO SE ENGANEM. O recado de

NÃO SE ENGANEM.


O recado de Gandra é claro: depois, repito – DEPOIS!!!!! – de destruírem a vida de todos os Petistas, VOLTEM A JULGAR COMO ANTES.

Como assim? Isso: condenem, prendam, quebrem a coluna de todos petistas – tirem eles da História e os tornem traidores para sempre.

AGORA, voltem às teses antigas e INOCENTEM o PSDB e os clientes de Ives Gandra. Esse é o recado da Folha! Isso é um ABSURDO, uma FRAUDE!! Nauseante! Intolerável! Criminoso!

MarcosCN

- 2013-09-24 01:42:34

Eu não me assustaria se o sem

Eu não me assustaria se o sem noção, fhc, desse uma declaração na mesma direção, esquecendo tudo que disse anteriormente.

dirval

- 2013-09-24 01:15:07

O jogo é sempre o mesmo

Concordo plenamente com seu comentário, Francisco. O Nassif derrapou ao assumir esse viés desqualificador, ao postar sua concordância com esse conceito de que todos os políticos são ladrões e safados, desde que haja oportunidade. Lamento, mas nosso Nassif foi muito infeliz na assertiva.

Geraldo Galvão Filho

- 2013-09-24 00:59:27

Pois então não lamente

No caso concreto: Lamenta não ser,,,  O que é!

carlos coelho manaus

- 2013-09-24 00:55:06

ressaca? voces nao viram o

ressaca? voces nao viram o fantastico ontem? nao viram a referencia que eles fizeram ao CELSO DE MELLO? que teria dado um HC aquela mulher de GOIAS acusada de ter mandado matar o marido? aquilo é claramnte uma retaliaçao

Lucienne

- 2013-09-24 00:44:27

O fato é que Lewandovisck

O fato é que Lewandovisck aumentou seu time, a ponto de empatar, em breve, será maioria. Há, sim, constrangimento na classe jurídica pelas irregularidades cometidas pelo Supremo nesse julgamento, mas irregularidades na Justiça é praxe no Brasil. O que essa galera, antes omissa, agora teme é perder mesmo, porque o time de Barbosa não tem mais maioria. 

JoaoMineirim

- 2013-09-24 00:41:59

O objetivo agora é salvar os

O objetivo agora é salvar os tucanos, porque o estrago no PT já está feito. Ainda que alguns sejam absolvidos de alguma das acusações, a imagem do PT ficou manchada. Até, aliás principalmente, os despolitizados têm ligado o nome PT com corruPTos. No futuro, a história pode até contar o que de verdadeiro representou esse movimento para tirar do poder o PT. 

Maralina Matoso

- 2013-09-24 00:34:37

Como querem entrar na História

To achando que alguns figurões estão refletindo e repensando sobre de que maneira querem entrar para História.

Será quem mais vai desembarcar?

Francisco Ernesto Guerra

- 2013-09-24 00:32:27

É isso Cunha. Os áulicos aqui

É isso Cunha.

Os áulicos aqui nem leram o texto por inteiro (ou se leram não entenderam) e sairam disparando elogios ao autor.

Não perceberam que Nassif diz o mesmo que dizem aqueles que querem desmoralizar a política.

Lamento, mais uma vez, a postura do Nassif.

Francisco Ernesto Guerra

- 2013-09-24 00:25:21

Ilustre, Então voce acredita

Ilustre,

Então voce acredita mesmo nesta lorota de que todos os partidos são iguais?

Deixe de ser ingênuo camarada!

 

dinarte22

- 2013-09-24 00:16:59

gilmar e fhc

Mais uma contribuicao importantissima para a seriedade de nosso país: a indicacao de FHC para G Mendes ocupar vaga no Supremo. O gangster de Mato Grosso e seus capangas ( segundo Joaquim Barboza em sessao em 12/09/2012) veio a coroar a obra do FHC como presidente do Brasil. Nao se contentou em quebrar o pais por 3 vezes, indo ao FMI com o pires na mão, e das pritavarias diversas, alem dos esquemas de concorrencias fraudulentas conforme acusação da petista empresa Siemens.

maricota

- 2013-09-24 00:08:01

Até tu Brutus?

É parece mesmo que estamos vivendo o final dos tempos hoje até o Claudi Lembo falou sobre o julgamento dos tempos medievais que levam os julgados a execração pública... a justiça tarda mais não falha  com o tempo se mostrrá quem é quem nesse cenário...as máscaras estão caindo e vão cair mais ainda...

Cafezá

- 2013-09-24 00:07:35

"O desconforto não é apenas

"O desconforto não é apenas em relação à teoria do domínio do fato - que poderá reverter contra os advogados em suas causas futuras."

 

É verdade. Os jovens advogados passam cinco anos nas faculdades de Direito, são submetidos a um exame da OAB concorridíssimo. E depois se deparam, conforme o post, com os carniceiros, que lançam ao fogo, tal qual os nazistas fizeram com os livros que lhes incomodavam, todos os livros em que estudaram nos cursos. Diante da teoria do domínio do fato, tudo o que estudaram sobre as provas dos delitos não têm mais validade alguma. A lei é o Rei do processo; a rainha é a prova. Pois bem, barrearam violentamente os dois. Sobrou o que?

iron

- 2013-09-24 00:00:49

Importante texto

Importante texto Nassif.

Parabéns e vida próspera para voce.

Jose de Almeida Bispo

- 2013-09-23 23:55:16

"(...) face pública do poder

"(...) face pública do poder ser um Gilmar Mendes, um Luiz Fux, um Joaquim Barbosa, e nao mais um Moreira Alves ou mesmo um Celso de Mello. "

 

Isso já fora advertido por alguém incontestável na matéria, quando da nomeação de Gilmar. Como diria o Mino, até o mundo mineral já sabia que ia dar merda. E deu. E de Cachoeira em cachoeira... lá vamos nós!

OSKAR

- 2013-09-23 23:35:01

Texto definitivo sobre este

Texto definitivo sobre este período obscuro. Obrigado Nassif !

Remindo Sauim

- 2013-09-23 23:33:33

Mensalão

Graças ao Mensalnao, a mídia esqueceu a oposição e deu para o PT ganhar mais 2 mandatos. A mídia burra fez o que o PT queria. Viva o PT.

Dudu Cartucho

- 2013-09-23 23:30:19

Vc pensava que o PT é igual,

Vc pensava que o PT é igual, ahhh conta outra....

PSDB e o DEM é do bem, fica tranquilo. A privataria é coisa do Dirceu, o propinão do metrô é trololó petista, o Demóstenes, Perillo, Aécio são vítimas dos blogs sujos, serão santificados por São Escrivá.

 

walter araujo

- 2013-09-23 23:21:20

Pois, então, não lamente. Há

Pois, então, não lamente.

Há quem pense que é o que não é.

Tio Almir da Bahia

- 2013-09-23 23:18:24

Contos da carochinha...

Taí um cidadão que ainda acredita em papai noel  e  coelhinho da páscoa.  Tenha   a  santa paciência !!!

Arthur Araujo

- 2013-09-23 23:07:28

Ressaca ? Que o diga o Aécio

Ressaca ? Que o diga o Aécio !

Bispo da Dama

- 2013-09-23 23:06:59

Águas Turvas é outro nome p/ Domínio do Fato

"Se preso, Dirceu se tornará herói em vida, ao invés da pessoa que, para garantir  a governabilidade ao partido, singrou  por águas turvas."

Ai, ai... Tem horas que lamento não ser cego, surdo, mudo e principalmente analfabeto.

Arthur Araujo

- 2013-09-23 23:05:52

Ressaca ? Que o diga o Aécio

Ressaca ? Que o diga o Aécio !

Ricardo Lacerda de Lacerda

- 2013-09-23 23:04:48

Ótimo Nassif . Ainda preciso

Ótimo Nassif .

Ainda preciso de um tempo, tou desconfiado.

Sou mineiro demais, deve ser pr isso.

MThereza

- 2013-09-23 22:56:18

Como bem disse o Nassif, o

Como bem disse o Nassif, o domínio do fato poderá ir contra clientes de famosos advogados, especialmente os tributaristas, cuja clientela é potencialmente capaz de sonegar. Para mim, mais do que a ressaca, a entrevista do ives gandra foi um aviso ao stf,  presente e futuro, de que a brincadeira das "inivações" acabou. Nunca mais veremos um linchamento como esse da AP 470, nem ilações, nem sonegação de informações, nem ocultamento de perícias. O grande perdedor nesse circo foi o stf, com alguns togados/as deslumbrados por 5' de celebridade. Demonstraram toda a mesquinharia de que são capazes, quando se trata de agradar os patrões. 

Maralina Matoso

- 2013-09-23 22:45:24

Não se iludam. Eles não tem

Não se iludam.

Eles não tem dó.

Eles não se arrependem.

Francisco Ernesto Guerra

- 2013-09-23 22:27:03

"O jogo sempre é o mesmo. Há

"O jogo sempre é o mesmo. Há um conjunto de vícios no modelo. Partidos de oposição se fortalecem denunciando os vícios de quem está no poder. Quando conquistam o poder, repetem os mesmos vícios."

Mas que barbaridade!!!

Jamais imaginei que o Nassif assim pensasse.

Então, o querido Nassif aderiu as velhas artimanhas da casa grande, do tipo: "políticos são todos ladrões" e "políticos são todos iguais" ou das massas despolitizadas (mas manipuladas), de junho/13, que diziam "sem bandeiras, sem bandeiras ".

Fora o notório caixa dois, de uso por todos os partidos, em que mais os partidos de esquerda, notadamente o PT se assemelha aos partidos da direita PSDB, DEM e sucedâneos ou similares?

Considero o infeliz comentário uma afronta à inteligência dos colegas e decepção incomensurável para mim.

 

 

Cunha

- 2013-09-23 22:26:56

Não creio que se possa

Não creio que se possa colocar todos os partidos no mesmo saco.

O PT utilizou caixa 2, o que é ilegal, mas todos os partidos o fazem.

Ou se investigue todos os partidos ou não se investigue nenhum por esse crime.

Lula tem ideologia. Dilma também. Dirceu e Genoíno também.

É diferente.  Há acordos com o PMDB, PTB e etc. E até com a classe dominante e com a mídia. Isso dói, mas de outra forma ainda é impossível governar. ( Não estou dizendo que no PT não há bandidos, bandidos há em todos os lugares ).

Mas não vejo o PT como vejo o PSDB e o DEM.

Há líderes no PT. Com credibilidade. 

Há resultados positivos para mostrar.

Não vejo isso nos outros partidos.

 

 

 

lenita

- 2013-09-23 22:19:14

Ainda bem que temos o "Seo"

Ainda bem que temos o "Seo" Nassif, que dá de 10 a zero em muitos dos famosos "Supremos", em suas visões mediocres e partidarizadas.´e muitas vezes, porque não dizer : Sem noção.

Marcelo Castro

- 2013-09-23 22:19:08

balão de ensaio

Também li a entrevista de Ives Gandra .Potencialmente um tiro no pé da folha, portanto mereceu pequeno destaque. Pra mim tratou-se apenas de jogada comercial. Mais uma tentativa de atrair antigos leitores.

Adir Tavares

- 2013-09-23 22:11:31

Observando!

Vou esperar mais um pouquinho; acho que tem alguma coisa estranha nessa paçoca!

Paulo Vasco

- 2013-09-23 22:04:39

Artigo de Lembo

O artigo do Cláudi Lembo hoje vai na mesma linha do Ives Granda. Segue o link.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115709/Refer%C3%AAncia-jur%C3%ADdica-Lembo-ataca--processo-medieval.htm

Edú Pessoa

- 2013-09-23 21:49:12

Excelente análise, Nassif.

Excelente análise, Nassif.

Gilson Raslan

- 2013-09-23 21:38:48

A IMPLOSÃO DA MENTIRA

Abaixo uma "omenagem" (sem H, porque esta é uma letra de Homens, não de monstros) aos ministros justiceiros.

---------------------------------------------------------

A IMPLOSÃO DA MENTIRA

Affonso Romano de Sant'Anna

Fragmento 1

               Mentiram-me. Mentiram-me ontem

               e hoje mentem novamente. Mentem

               de corpo e alma, completamente.

               E mentem de maneira tão pungente

               que acho que mentem sinceramente.

               Mentem, sobretudo, impune/mente.

               Não mentem tristes. Alegremente

               mentem. Mentem tão nacional/mente

               que acham que mentindo história afora

               vão enganar a morte eterna/mente.

               Mentem. Mentem e calam. Mas suas frases

               falam. E desfilam de tal modo nuas

               que mesmo um cego pode ver

               a verdade em trapos pelas ruas.

               Sei que a verdade é difícil

               e para alguns é cara e escura.

               Mas não se chega à verdade

               pela mentira, nem à democracia

               pela ditadura.

Fragmento 2

               Evidente/mente a crer

               nos que me mentem

               uma flor nasceu em Hiroshima

               e em Auschwitz havia um circo

               permanente.

               Mentem. Mentem caricatural-

               mente.

               Mentem como a careca

               mente ao pente,

               mentem como a dentadura

               mente ao dente,

               mentem como a carroça

               à besta em frente,

               mentem como a doença

               ao doente,

               mentem clara/mente

               como o espelho transparente.

               Mentem deslavadamente,

               como nenhuma lavadeira mente

               ao ver a nódoa sobre o linho. Mentem

               com a cara limpa e nas mãos

               o sangue quente. Mentem

               ardente/mente como um doente

               em seus instantes de febre. Mentem

               fabulosa/mente como o caçador que quer passar

               gato por lebre. E nessa trilha de mentiras

               a caça é que caça o caçador

               com a armadilha.

               E assim cada qual

               mente industrial?mente,

               mente partidária?mente,

               mente incivil?mente,

               mente tropical?mente,

               mente incontinente?mente,

               mente hereditária?mente,

               mente, mente, mente.

               E de tanto mentir tão brava/mente

               constroem um país

               de mentira

                                       —diária/mente.

Fragmento 3

               Mentem no passado. E no presente

               passam a mentira a limpo. E no futuro

               mentem novamente.

               Mentem fazendo o sol girar

               em torno à terra medieval/mente.

               Por isto, desta vez, não é Galileu

               quem mente.

               mas o tribunal que o julga

               herege/mente.

               Mentem como se Colombo partindo

                do Ocidente para o Oriente

               pudesse descobrir de mentira

               um continente.

               Mentem desde Cabral, em calmaria,

               viajando pelo avesso, iludindo a corrente

               em curso, transformando a história do país

               num acidente de percurso.

Fragmento 4

               Tanta mentira assim industriada

               me faz partir para o deserto

               penitente/mente, ou me exilar

               com Mozart musical/mente em harpas

               e oboés, como um solista vegetal

               que absorve a vida indiferente.

               Penso nos animais que nunca mentem.

               mesmo se têm um caçador à sua frente.

               Penso nos pássaros

               cuja verdade do canto nos toca

               matinalmente.

               Penso nas flores

               cuja verdade das cores escorre no mel

               silvestremente.

               Penso no sol que morre diariamente

               jorrando luz, embora

               tenha a noite pela frente.

Fragmento 5

               Página branca onde escrevo. Único espaço

               de verdade que me resta. Onde transcrevo

               o arroubo, a esperança, e onde tarde

               ou cedo deposito meu espanto e medo.

               Para tanta mentira só mesmo um poema

               explosivo-conotativo

               onde o advérbio e o adjetivo não mentem

               ao substantivo

               e a rima rebenta a frase

               numa explosão da verdade.

               E a mentira repulsiva

               se não explode pra fora

               pra dentro explode

               implosiva.

 

Maralina Matoso

- 2013-09-23 21:36:59

Só vou ficar mais ou menos em

Só vou ficar mais ou menos em paz quando fizermos uma reforma política.

Aproveito para, mais uma vez, declarar meu apreço e orgulho ao Ministro Lewandovsky, O Coerente.

IV Avatar do Rio OOOOOOooo

- 2013-09-23 21:33:49

O mensalão não existiu

Deve doer lá no fundo da consciência, pois ele sabe que o mensalão não existiu, não podemos compactuar com montagens de crimes neste pais, sempre a mídia no meio,  já basta o caso Escola Base, esse julgamento tem que ser anulado

http://www.lexometro4.blogspot.com.br/

JB Costa

- 2013-09-23 21:31:46

Nos debates que se seguiram

Nos debates que se seguiram às manifestações de rua em junho do corrente, especificamente acerca da convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte para promover as reformas demandadas, dentre elas a Política, me posicionei contra. 

Não que ela não seja necessária, mas porque a meu ver seria - mais uma vez - somente dar azo a nossa tara legiferante. Priorizarmos o escrito em vez das práticas. 

Os dados me são desconhecidos. Entretanto é possível se imaginar ser o Brasil uma das nações com o maior cabedal de Leis no mundo. A partir da hiperbólica Constituição com seus duzentos e cinquenta artigos, incontáveis itens e parágrafos. Fosse por aí estaríamos certamente na melhor nação do mundo. 

"Um país se faz com livros e homens", afirmou certa vez Monteiro Lobato. Pois é isso exatamente que nos falta: educação, educação e mais educação,  mais um salto nos quesitos nobreza de alma, honestidade, perseverança, humildade.....Enfim: compromissos de todos com o país, a começar pelos QUE DEVEM DAR O EXEMPLO, os chamados homens públicos.

À um Congresso desgastado, desmoralizado, infrutuoso e divorciado da opinião pública, junta-se um Judiciário lerdo e ineficaz e um Executivo preso a compromissos polítcos mesquinhos e sempre de olho em reeleições. 

E o Brasil que se dane.

Cláudio Freire

- 2013-09-23 21:30:28

Mudança das regras do jogo

"Pertencem todos ao mesmo lodo institucional, no qual impera a esperteza, jamais o compromisso de aprimorar as regras do jogo."

É verdade, Nassif, já se discutiu bastante aqui que as regras atuais, especialmente do financiamento das campanhas, tornam a todos reféns do jogo político, onde impera o poder econômico.

Mas sempre ressalto que há dois partidos que sempre lutaram e continuam lutando para mudar as regras do jogo, mesmo depois da chegada do PT ao poder: o PT e o PC do B. Ninguém tem mérito maior nisso, eles pelo menos tentam. 

São os únicos, infelizmente, que têm esse fóco constante. Nem os partidos da extrema esquerda têm lutado como esses dois para colocar no centro da reforma política o financiamento público das campanhas, por exemplo. 

Gilson Raslan

- 2013-09-23 21:24:51

LAMENTÁVEL

É lamentável saber que pessoas inocentes foram condenadas por crimes que não cometeram, e, mesmo assim, não há como reverter tais decisões.

Será que os ministros justiceiros, Joaquim Barbosa à frente, têm um sono tranquilo? Será que têm coragem de olhar para suas mães, suas esposas, seus filhos, seus netos, seus amigos?

 

 

Luiz M. de Barros

- 2013-09-23 21:19:28

Marco Aurélio de Mello disse

Marco Aurélio de Mello disse em entrevista a Kennedy de Alencar que a ditadura ( cujo nome deram de revolução) havia sido um mal necessário. Prevenir o que poderia vir. Nas guerras não se poderia invocar por irracional: guerra de prevenção. Mas é o que fazem para se impor pela força. Vejam o caso da Síria.

Pois bem,diante de um ministro que justificou o golpe “preventivo” o que se poderia esperar dele e de seus pares que aplicam o espúrio principio de prevenção. PREVENIR-SE QUE A ESQUERDA CONTINUE NO PODER MESMO ELEITA NO PROCESSO DEMOCRATICO.

Como o oposição está “fragilizada” e a mídia assumiu o partido da oposição em conluio espúrio golpista do STF estão tentando dar um GOLPE vestindo-o com firulas jurídicas para mascará-lo. Fazem isso pois não têm armas como as forças armadas que em 1964 foram cooptadas e agiram

Conclusão – É o golpe jurídico inconcluso. Que o Brasil não se submeta e precise esperar 20 anos para superá-lo como aconteceu com o das armas. 

Gersier

- 2013-09-23 21:13:48

Assino em baixo

Concordo plenamente com vc,mas até lá iremos passar muita raiva,principalmente enquanto não aparecer alguém na administração desse país com coragem bastante para colocar no seus devidos lugares,empresários da "comunicação" que usam concessões públicas para manipular,mentir,ocultar e até  proteger seus apaniguados,rasgando as regras da dita concessão.

mcn

- 2013-09-23 21:02:47

O castelo de cartas caiu

Concordo e acho que as águas turvas continuarão turvas depois do julgamento, pois - do lado da oposição - nunca houve real intenção de limpá-las.

No caso da ressaca, percebo que a derrota dos juízes ativistas, da velha mídia e de seus financiadores, foi MUITO maior que a vitória dos réus. Não vi nenhum réu festejando, mas nunca vi tantos conservadores e trolls se lamentando como agora.

O castelo de cartas caiu. Como diria minha avó: se a oposição "usasse seus talentos para o bem", viveríamos num país melhor depois desses 8 anos. Se pensasse mais no Brasil e menos no próprio bolso, estaríamos discutindo projetos de futuro e não a incompetência e a falta de ética de juízes da mais alta corte do país.

Teríamos ainda alternativas consistentes à reeleição da Dilma e não oportunistas (Cunha, Barbosa e Ayres), desorientados (Marina e  Aécio) ou mortos-vivos (Serra) gastando nosso tempo e paciência.

Raí

- 2013-09-23 20:58:09

Sêde de holofotes.

Tudo para conseguir manter-se em evidência e debaixo de holofotes, alguns juízes do Supremo, baixaram demais o nível, que a sociedade civil esperava ser alto, e misturaram seus juízos, com a simpatia partidária, e quase transformaram o STF, em mais um partido político.

Chegou a ser ridículo e lamentável,  a posição ideológica do Marco Aurélio de Melo, que sentiu saudade da ditadura, e do comentário do Gilmar Mendes, a respeito da posição de seu colega, Celso de Melo, que não seguiu a manada e nem curvou-se às decisões do "Deus" Joaquim Barbosa.

Ainda bem, que com 2 novos membros descompromissados com o PIG; Com o revisor Ricardo Lewandowski, disposto a "cabalar" votos para sua posição de neutralidade, e com o decano Celso de Melo, tendo uma leve recaída de senso de justiça, tudo indica que neste 2º julgamento, a excessão não prevalecerá, nem os Barões da mídia, decidirão os votos antecipadamente.

Ganha a Justiça; Ganha o Estado de Direito; Ganha o Brasil e os brasileiros. 

Cristiana Castro

- 2013-09-23 20:41:08

Eita, Nassif, arrasou nesse

Eita, Nassif, arrasou nesse post, tb. O Brasilianas de hoje vai bater recorde!

Luciano Prado

- 2013-09-23 20:34:54

Pobre povo pobre

Sem dúvida, falta grandeza aos que podiam demostrá-la.

Um dia, quem sabe nossa riqueza não esteja apenas no pré-sal.

Marly

- 2013-09-23 20:31:31

Parabéns Nassif, pelo texto!

Parabéns Nassif, pelo texto! Logo mais às 20h, como sempre, estarei assistindo o BRASILIANAS.ORG, pela TV BRASIL!   Será interessantíssimo!   

Luiz Eduardo Brandão

- 2013-09-23 20:31:12

Na mosca!

Mais uma vez, na mosca! Bravo, Nassif.

Luiz M. de Barros

- 2013-09-23 20:29:04

E como é que fica? As aguas

E como é que fica?

As aguas turvas é o financiamento das campanhas o caixa 2. Contribui-se legalmente diagamos em parte iguais para cada partido que possa ser o eleito e POR FORA naquele que se acredita mais porovavel e com isso cooptando na surdina futura cobrança de facilidades.

Coloco-me no lugar de Dirceu. Então se não for absorvido recorra as cortes internacionais adicionando este post do Nassif que demonstra a injustiça ou melhor a hipocrisia; 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador