PT denuncia Temer à PGR por compra de votos para barrar denúncia na Câmara

Foto: PT na Câmara
 
 
Jornal GGN – Deputados do PT decidiram apresentar à Procuradoria Geral da República mais uma denúncia contra Michel Temer. Dessa vez, por compra de votos para barrar o pedido da Lava Jato para processar o presidente por corrupção passiva, envolvendo propina da JBS.
 
Paulo Pimenta (RS), Wadih Damous (RJ) e Paulo Teixeira (SP) acusam Temer de usar o cargo para se livrar do processo. Nesta terça (4), o presidente se encontrou com dezenas de deputados que estão indecisos. Além disso, a imprensa revelou que o governo vem liberando bilhões em emendas parlamentares, além de distribuir cargos a quem ajudar a manter Temer no posto.
 
“Justamente na data em que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dá início ao processo contra Temer, ele passa o dia recebendo deputados indecisos. Está evidente que ele está usando a máquina do governo para comprar votos e fazer chantagens e pressão sobre parlamentares”, protestou o deputado Paulo Pimenta, segundo relatos do Estadão.
 
A nova denúncia deve ser encaminhada à PGR pelos petistas nesta quarta. Ela vai apontar que Temer “praticou os crimes de corrupção ativa e passiva, além de organização criminosa, atentando contra a moralidade e administração pública”.
 
Ontem, a Folha de S. Paulo informou que Temer não tem votos suficientes na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para impedir que a denúncia chegue ao plenário. Dos 66 deputados do grupo, Temer acreditar ter apoio de 30. 
 
PROPINA DA JBS
 
Hoje, os advogados de Temer entregarão à CCJ a defesa prévia do peemedebista contra a denúncia de que ele recebeu propina da JBS através de Rodrigo Rocha Loures.
 
A expectativa é de que os deputados avaliem e votam contra ou a favor da denúncia ir ao plenário na próxima semana.
 
MAIS DENÚNCIAS
 
Além dessa ação por corrupção passiva, a PGR ainda deve apresentar mais uma denúncia, por obstrução de Justiça, envolvendo a compra do silêncio de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro. 
 
A PGR também aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal sobre pedido de instauração de mais um inquérito contra Temer, por uso do cargo para beneficiar empresas do setor de portos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Baleia Rossi é suspeito em esquema de fraudes em prefeitura

1 comentário

  1. Defesa de Temer prova: nunca
    Defesa de Temer prova: nunca existiu Friboi, JBS, Joesley Batista e Ticiana Villas Boas. Tudo ficção. Rocha Loures era na verdade babá de Michelzinho,  que se disfarçava para cumprir a função. Os agentes da Polícia Federal que filmaram o “carreto da mala” não são da Polícia Federal, mas da KGB da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas presidida por Stalin. E finalmente não existem malas pretas no Brasil, só branquinhas, usadas por Aécio Mineirinho, enxadreizadas, usadas por Cabral, Geddel e Cunha e  vermelhas bolivarianas, usadas por Lula e Dilma. O resto é intriga do Rei Sueco que governa a Noruega e de Shakespeare, filósofo alemão. Pronto, inocência provada. Voltemos pois às Reformas Golpistas da Previdência e Trabalhista.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome