STJ vai investigar vazamento de Operação contra Witzel. Bolsonaro diz “vai ter mais”

Aliados do governo Bolsonaro indicaram que sabiam com antecipação da deflagração contra o governador do Rio, Wilson Witzel

Jornal GGN – O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou que o Ministério Público Federal (MPF) investigue o vazamento da Operação Placebo, suspeita que foi levantada nesta terça (26), quando aliados do governo Bolsonaro indicaram que sabiam com antecipação da deflagração contra o governador do Rio, Wilson Witzel.

O ministro do STJ, que foi o mesmo que autorizou as buscas e apreensões contra o governador, determinou a apuração de vazamento na manhã desta quarta-feira (27). A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), por exemplo, fiel aliada de Jair Bolsonaro, antecipou que ocorreriam ações “contra governadores” por fraudes relacionadas à compra de respiradores.

Ainda, a medida de Gonçalves ocorre logo após o próprio presidente Jair Bolsonaro afirmar, também nesta terça (26), que haverá mais ações da Polícia Federal contra Witzel. Ao ser abordado por um bolsonarista, que falou sobre a medida da PF, o mandatário disse: “Vai ter mais. Enquanto eu for presidente, vai ter mais”.

E, em seguida, disse que “isso não é informação privilegiada não. Vão dizer que é informação privilegiada”. Ao passo que o STJ quer investigar o vazamento, as declarações de Bolsonaro também ocorrem enquanto ele é investigado por interferir na Polícia Federal.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Médicos e advogados participam de fraude de R$ 13 milhões no INSS

1 comentário

  1. Daqui a pouco eles cometem um crime mais grave e o vazamento e todos os crimes anteriores são esquecidos. Assim, de crime em crime, vamos nos tornando um país de criminosos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome