“tudo em mim é falso”; poema de romério rômulo

1.
tudo em mim é falso:
a minha pele,
a ruptura do corte
a minha fala,
a perda de limites
a minha casa,
um antro de vazios

minha poesia:
o rasgo da censura.

2.
mais do falso de mim:
a minha pele
e a ruptura da pele
a minha fala
e o silêncio da fala
a minha casa
e o esqueleto da casa

minha poesia
sem rasgo e sem censura.

3.
falso, falso.
tudo em mim é falso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora