Flávio Dino rebate afirmações de Bolsonaro em reunião com governadores da Amazônia

Encontro acontece no Palácio de Planalto, entre ministros e governadores, para discutir queimadas na floresta

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta terça-feira (27), no Palácio do Planalto, com ministros e governadores dos nove estados localizados na região da floresta amazônica para discutir resoluções às queimadas na floresta.

Segundo informações da coluna de Bernardo Mello Franco, no jornal O Globo, Bolsonaro continuou “sua pregação contra as reserva indígenas e as ONGs que defendem a floresta”.

O articulista observa que a maioria dos presentes, “eleitos na onda conservadora de 2018”, apoiou as falas do presidente. Outros porém, se manifestaram criticando de forma indireta os posicionamentos de Bolsonaro.

O GGN prepara uma série de vídeos sobre a interferência dos EUA na Lava Jato e a indústria do compliance. Quer se aliar a nós? Acesse: www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Ao abordar o boicote ao Fundo Amazônia de países europeus, como forma de protestar contra as políticas anti ambientalistas do governo Bolsonaro, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) comentou: “Nós não podemos negar dinheiro, porque rasgar dinheiro não é algo sensato na atual conjuntura”.

O maranhense prosseguiu contestando a demonização dos ambientalistas: “Não podemos dizer que as ONGs são inimigas do Brasil. Não será tacando fogo nas ONGs que nós vamos salvar a Amazônia”.

Helder Barbalho (MDB), governador do Pará também criticou Bolsonaro no caso dos ataques ao presidente da França, Emmanuel Macron.

“Acho que estamos perdendo muito tempo com o Macron. Temos que cuidar dos nossos problemas e sinalizar para o mundo a diplomacia ambiental que é fundamental
para o agronegócio”, disse.

Dino e os governadores da Paraíba

No dia 19 de julho, pouco antes de começar um café da manhã com jornalistas estrangeiros, no Palácio do Planalto, o presidente Bolsonaro foi flagrado por um microfone da TV Brasil dizendo ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada para esse cara”.

Na época, ao ser questionado pela Folha de S.Paulo sobre o que achava da opinião de Bolsonaro, Flávio Dino respondeu que era “uma honraria” ser chamado por Jair Bolsonaro de “pior governador” do Nordeste.

“A cabeça dele é movida pelo confronto, e o coração, infelizmente, está possuído de ódios. Só sei que sou o pior dos gestores na visão dele, o que para mim é uma honraria”, afirmou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome