A animação Paper Age e a luta pela sobrevivência do jornalismo impresso

Sugerido por Antonio Lemos

Do iG

Animação alemã retrata luta do jornalismo impresso para sobreviver

Dirigida por Ken Ottmann, “Paper Age” buscou inspiração em polêmica lei sobre direitos autorais; leia entrevista
 
A alegoria é bastante simples: um tiranossauro rex que andava firme por uma floresta de repente agoniza diante de um estranho objeto. O dinossauro é feito de páginas de jornal; seu antagonista silencioso é um tablet.
 
Este é o enredo de “Paper Age”, animação do designer alemão Ken Ottmann que, em menos de dois minutos, retrata a luta do jornalismo impresso para sobreviver em meio ao crescimento da mídia digital. “É a história de uma indústria que vem sendo confrontada, que tem dificuldade em lidar com a tecnologia e que está deixando de ter o monopólio absoluto”, disse o diretor, em entrevista ao iG.
 
Sucesso na internet e premiada em festivais da Alemanha, a animação foi inspirada na polêmica lei conhecida como Leistungschutzrecht, que limita a reprodução de textos jornalísticos em sites de busca e agregadores de notícia.

 
Proposta no fim de 2012 com o apoio da associação de publishers de jornais da Alemanha, a lei originalmente previa que sites como o Google News pagassem direito autoral para exibir qualquer palavra de um texto protegido. Uma versão mais light foi aprovada em 2013, permitindo a reprodução de pequenos trechos, sem definir um tamanho exato.
 
Para Ottmann, o intenso debate sobre o tema está por trás da reação calorosa do público a “Paper Age”. “A legislação foi muito discutida na Alemanha e acho que consegui colocar meu dedo na ferida”, afirmou. “Meu conceito era ‘menos é mais’, então tentei reduzir a história ao mínimo necessário. Poucos ícones visuais são usados na metáfora, então você assiste e imediatamente sabe sobre o que se trata”.
Tecnicamente, criar a animação em 4D, especialmente os movimentos do dinossauro, foi um desafio para Ottmann. Segundo ele, foi fundamental o contato com a “comunidade online” que divide seu conhecimento em “inúmeros tutoriais de vídeo e artigos inspiradores”.
 
“Sem eles, não teria sido possível realizar a animação”, afirmou. “Acho que o principal desafio é se mexer e começar a aprender. Todo o conhecimento está a alguns cliques de distância. Você apenas precisa tirar um tempo e ir atrás.”
 
Ottmann entende que “Paper Age” possa ser vista com certa melancolia pelo público (“É sempre um pouco triste deixar os antigos hábitos”), mas negou que a animação declare morto o jornalismo impresso.
 
“Acho que vai ocorrer um ajuste de mercado. O conteúdo de profundidade, de alta qualidade ou de interesse específico vai sobreviver no papel e coexistir com a mídia digital”, opinou. “Como todas as coisas, o jornalismo está em constante evolução e o desafio dos jornalistas é usar de forma apropriada os diferentes canais para seu conteúdo. Eles terão de expandir seus horizontes, porque a possibilidade de interação com o leitor terá de ser incluída no processo de informação.”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome