Há milhões de desenganos dentro do meu coração!

Resgate de Luciano Hortencio

Francisco Alves interpreta MEU SONHO DE CRIANÇA de Alberto Ribeiro

 

Meus castelos de amor foram todos ao chão

Só ficou a saudade no meu coração.

Saudade, irmã da dor, lembrança de um amor.

O meu sonho de criança, tão depressa se desfez,

Já perdi a esperança, de sonhar mais uma vez.

Hoje sigo o meu destino, sem pensar na ilusão,

Este mundo é pequenino, pra conter um coração.

Eu julguei que a vida fosse mar de rosas para mim,

Uma coisa muito doce, que jamais tivesse fim.

Com o decorrer dos anos, vi que tudo era ilusão,

Há milhões de desenganos, dentro do meu coração.

Francisco Alves – MEU SONHO DE CRIANÇA – Alberto Ribeiro.

Disco Odeon 11.505-A.

Setembro de 1937.

Arquivo Nirez.

Coisas que o tempo levou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. De Drummond

    CONSOLO NA PRAIA

    Vamos, não chores…
    A infância está perdida.
    A mocidade está perdida.
    Mas a vida não se perdeu.
    O primeiro amor passou.
    O segundo amor passou.
    O terceiro amor passou.
    Mas o coração continua.
    Perdeste o melhor amigo.
    Não tentaste qualquer viagem.
    Não possuis casa, navio, terra.
    Mas tens um cão.
    Algumas palavras duras,
    em voz mansa, te golpearam.
    Nunca, nunca cicatrizam.
    Mas, e o ‘humour’?
    A injustiça não se resolve.
    À sombra do mundo errado
    murmuraste um protesto tímido.
    Mas virão outros.

    Tudo somado, devias
    precipitar-te, de vez, nas águas.
    Estás nu na areia, no vento…
    Dorme, meu filho.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome